História Crimson moon - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yuma Mukami
Tags Amor, Ayato Sakamaki, Diabolik Lovers, Drama
Exibições 73
Palavras 2.899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


"This Halloween! Halloween"~ Rafa


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~《》~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Boa leitura !

Capítulo 10 - Special.:Halloween


Fanfic / Fanfiction Crimson moon - Capítulo 10 - Special.:Halloween

**~ Crimson Moon ~**

**~ capítulo especial. ~**

**~ part one.:Halloween ~**



 

          Lii.:On



 

       — PARA! -gritei com a Rafa por está me irritando com uma música idiota.

      — Me obrige - ela sorri -HOJE É HALLOWEEN, HALLOWEEN! HALLOWEEN HALLOWEEN! HALLOWEEN! - a própria começa a saltita pela a rua me deixando para trás, não é todo dias que visto uma roupa de gatinho muito curta.

      Poise.... Hoje é halloween, eu não queria ter vindo, e muito menos queria fica em casa com aquelas metidas e idiotas, então vim com algumas amiga pega doces, faz muito tempo que não faço isso com meu irmão. Eu andava feito uma lesa, bem atrás de Vii, Rafa e Dai, até que....

       — Kyaa! - dei um pulo e olhei pra uma certa infeliz que tinha apertado minha cintura, a própria pessoa começa a dar uma risada histérica.- Ayume você quase me mata de susto.- acho que eu que ando muito assustada.

       Rir.— Então vocês vão pega doces? - Ayume pergunta é concordo com cabeça.

         — Quer vim com a gente? - indaguei para Ayume que sorri.

        — Se você insiste - ela sorri.

        Começamos a anda por uma rua que não tinha nada, só alguns posto de gasolinas abandonados, e muitas árvores, parecia uma cena de terror, vítimas inocente, agora só falta encontramos uma casa abandonada

        — Então.... quantas casas falta? - indagou Dai e Vii cansadas de carrega as sacolas de doces que já tinham pego.

        — Na verdade... nenhuma - Rafa diz sorridente.

        Não creio!

        — ENTÃO ESTAMOS ANDANDO NO MEIO DO NADA, INDO PRA LUGAR NENHUM? - indaguei gritando, até que sinto alguém me cutuca.

       — E- Ei Lii...- Vii tinha me cutucado.

       — O que?  - olhei para a própria que apontava algo atrás de mim.

        — Acho que você estava enganada - fala Ayumi sorrindo, eu olho para trás e vejo uma mansão.

        — Uru - Rafa comemora - acho que é a última casa dessa rua ... - a própria diz - agora vamos? - disse a garota dos olhos esmeraldas empurrando o portão, fazendo um ruído alto, nos dirigimos a grande porta de madeira que tinha, dei uma leve olhada para uma fonte, e um jardim de rosas brancas que me chamam completamente a minha atenção, paro de andar olhando para o jardim.

        — Lii? - uma das garotas me chama atenção, Dai, a garota dos cabelos cor de mel, corro me juntando com as garotas.

        Rafa bate na porta, nenhuma resposta, a garota dos olhos esmeraldas começa a bater na porta desesperadamente procurando uma resposta. A porta abre sozinha, a mansão estava muito escura, com um silêncio que só podia ouvir a nossa respiração.

       — Lii, entra lá! - Rafa diz.

        Há! Vou mesmo! Humpf!

        Sou empurrada para dentro da mansão por algumas... infelizes, que logos fecha a porta.

        — MUITO ENGRAÇADO!!! - vou até a porta e tento abrir - Abri essa desgraça!

        — Você vai ficar aí!  - ouvir uma delas me repreendendo, com serteza é a Ayume, podia ouvir umas risadas enquanto ela disse isso.

        — Tsc. - resmunguei - okay vocês venceram, vou entra nessa mansão besta. - disse parando de empurra a porta, levantando as mãos na altura da cabeça, dando meia volta olhando para a imensa escuridão que avia.

        —   Vai Lii! Pega nossos doces! - diz voz de uma certa garota dos olhos esmeraldas.

         —... - eu nada disse, subi as escadas ainda com dificuldade de enxerga algo graças a grande escuridão que tinha.

        Olhei para o lado e para o outro.

        Nenhum sinal...

       Andei por um corredor esperando encontrar algo, passo por alguns quadros, estantes de livros, e outras estantes que tinham vasos e outras coisas caras quebraveis.

       Andei até que vi um mesa cheia de doces, bolos realmente bem feitos, olhei maravilhada com os doces da mesa. Pego alguns e coloco na bolsa, e comi um brigadeiro, até ouvir várias risadas que ecoava por um corredor escuro que levava a uma sala.

        Engolir seco, e comecei a andar pelo corredor tentando pensar em coisas felizes pra descontrai o medo que agora sentia.

        Ao chegar na sala, não via nada, apenas um breu, mas... graças a luz da lua pude ao menos enxerga os moveis para que não me batesse/tropeça/quebra algo mega caro, ouço novamente uma risada atrás de mim, eu olho pra trás, dando passos vagarosos para trás. Até senti algo/alguém lamber me rosto me fazendo me arrepiar, e dar um salto pra frente, pegando um vaso e usando como defesa.

       — Okay... isso é uma vaso, e não tenho medo de usar. - digo começando a rodar pela sala até que algo me fez tropeçar e cair e várias risadas começam a me atormentar, eu me levanto até ser derrubada novamente para o chão solto o vaso que sai colando até ser impedido pela parede. Tentei me levanta pela última vez até que sinto alguém me empurra até outro infeliz me empurra até outro criatura que tenta me joga no chão.

        Não vou para o chão sozinha dessa vez!

        Segurei o braço da criatura/desgraçado/infeliz/Jessica junto comigo caímos no chão ele ficou por cima, com seus braços o apoiando até que ligaram a luz.

        Agora que ligam essa desgraça?!

       Olhei para a criatura que estava em cima de mim, um ruivo de olhos verdes que me olhava fixamente.

        — Ayato, quantas vezes já disse, leve suas atividades para o quarto. - disse um moreno alto de óculos intimidando o ruivo que se levanta de cima de mim.

        — Nfufu~ mais um brinquedo. - diz um ruivo de chapéu.

        —  Mais uma boneca de cera para minha coleção, - diz um garoto de cabelos roxos segurando um ursinho.- cento Teddy?

       Olhei em volta, vi um albinos escorado na parede quase ligando pra nada, e um loiro deitado no sofá com fones, também parecia não estar ligando.

       — E-eu entrei aqui por acaso. - me levanto. - m-mais eu vou saindo. - digo dando as costas para os seis garotos que estavam lá.

        — Onde você acha que vai? - indagou o ruivo que tinha caído em cima de mim me segurando pela cintura, e com a outra mão ele segurou meu pulso, Aproximando de sua boca, ele abre deixando a mostra suas presas, arregalei os olhos apavorada.

        VAMPIRO!

       O próprio morde meu pulso, me fazendo o maior grito tá minha vida enquanto me contorcia de dor.

      Dei um puxão, retirando meu pulso da sua boca, deixando um arranhão, senti um líquido quente escorre do meu braço até pingar no chão, olhei para os garotos que olhavam para meu braço de uma maneira estranha e assustadora.

      ATÉ O ALBINO, QUE NÃO TAVA LIGANDO PRA PORRA NENHUMA TAVA ME OLHANDO DESSA MANEIRA!

      Segurei meu braço ferido, comecei a dar passos para traz até que encostei na parede, vi que estavam se aproximando de mim. Senti meu coração bater a mil, fiquei desesperada, o ruivo dos olhos verdes pega meu braço e me puxa pra perto.

      — Tirem os olhos! - diz o próprio ruivo me prencionado em seu peito em uma espécie de abraço. - Ela é minha! - ao dizer isso senti outra mão me puxando com força contra seu peito, olhei de leve pra cima, vi o albino que olhava fuzilando os outros irmãos.

       — Querem deixa-la? É apenas uma garotinha pegando doces. - disse o albino, que logo olha pra mim ou melhor, para meu braço.

       Engolir seco, mais logo fui puxada novamente pelo ruivo.

       Aparentemente acho que virei um brinquedo.

       — Por falar em doces, - argumentou o garoto que segurava o ursinho. - não comeu os meus doces que estavam em cima da mesa, não?

       — Errr... - o garoto olha mortalmente pra mim, abracei o ruivo que da um sorriso com minha ação, acho que sou muito medrosas quando o caso... É ... vampiros.

       — É o seguinte, você não sairá desta mansão, agora que sabe o que nós somos. - disse o moreno olhei ao redor e vi vários sorriso, menos do albino que aparentava está com pena.

       — Por favor... - abaixo a cabeça - Prometo não contar nada a respeito.

        — Como podemos confiar em você?  - indagou o moreno de óculos que me fez fica mais cabisbaixa. - todos nós sabemos como mortais são tolos e arrogantes.

        — E.... e vocês?  São vampiros sádicos que não pensam nada além de si mesmo. - cerrei os punhos olhando para baixo, deixando meu cabelo por cima do meu rosto enquanto falava. - vocês não pensam nada além de sangue! Vocês são aberrações! ABERRAÇÕES!

        Eles começam a rir de mim.

       — Argumento convicente. - diz o moreno de óculos.

       — Tive uma idéia, - diz o ruivo de chapeu que da uma risada manhosa - vamos brincar de esconde-esconde, conhece? - assenti com a cabeça.- vamos contar até trinta tempo suficiente pra você se esconder, se ganhamos, você é nossa.

       — É se eu ganhar? - indaguei.

       —  Te deixamos ir. - diz o ruivo de chapéu sorrindo.
     
                    — 1.

       — Só com você? - dou um suspiro de alívio.

       — 2.

       — Quem não disse que não vou? - indagou o ruivo, logo vejo o garoto de cabelos roxos entrando na roda, e o loiro preguiçoso se levantando do sofá, olhei para o moreno que ajeita os óculos e da um sorriso, olhei para o albino que da as costa e da alguns passos e olha de canto pra mim juntamente com um sorriso.

       — Estou jogando. - ao ouvir isso do albino me deu pânico, comecei a corre do salão ouvindo risadas sádicas.

        Alguém me ajude...
 

**~ Crimson Moon ~**

**~ Capítulo especial ~**

**~ part two.: Help me~**


 

         Comecei a andar sem rumo pela mansão, até que entrei em um quarto, eu fechei a porta e empurrei alguns móveis impedindo que eles abram.

        — Agora eles não vão me pegar!  - disse convencida.

        — Acha mesmo? - ouvi uma voz conhecida, olhei para trás e vi o garotinho que segurava um ursinho, ele puxa meu braço encarando o arranhão que o ruivo tinha deixado em mim, e lá mesmo mordendo, mais de um jeito mais doloroso que antes me fazendo gemer de dor, e sentindo algumas lágrimas escorrer pelo meu rosto.

      Comecei a me agoniar, o garoto para de me morde, e olha para meu rosto, que de mostra um completo desespero.

       — Adoro sua expressão. - O próprio rir botando uma das mãos no meu pescoço. - poderia fazer mais? - o garoto me enforca, começo a ficar sem ar enquanto ele ria, minha visão ficou imbaçada, e acabo desmoronado no chão, e tendo um desmaio.

                                    *         ~       *

        Acordei, estava jogada no chão do mesmo quarto, juntei forças para me levantar, empurrei os moveis da porta, sai do quarto até que tropecei vendo o loiro e o ruivo de chapéu.

       — Não são muitas garotas que caem de quatro na nossa frente. - disse o ruivo fazendo tira um sorriso do loiro.

       O ruivo se ajoelha na minha frente me dando um empurrão me fazendo cair de costas, ele segura minha coxa.

       — EPA! EPA! - segurei seu rosto antes que morde-se em um certo luga. - n-não f-faça isso. - disse fazendo tira uma risada dos dois, o ruivo apenas me ignoro e mordeu minha coxa, arquiei as costa de tanta dor que está sentindo. Olhei o loiro que estava se aproximando e me faz sentar, o proprio fica por trás de mim, ele aproxima seu rosto do meu pescoço, mordendo de vagar, mas, de uma forma torturante, sinto líquido quentinho pelo meu pescoço,  e pela minha coxa, até que ouço passos, olho e vejo o moreno de óculos.

       — Quantas vezes eu tenho que repitir?  - indagou o moreno para os irmão. - levem suas atividades para o quarto, não no meio do corredor. - diz o próprio, os dois se levantam, fazendo o moreno ter provento, e fica por cima de mim.

        Eu mereço...

       — Ei, Reiji, - chama o ruivo. - Leve suas atividades para o quarto. - diz o próprio sorrindo e logo sumindo na escuridão.

       — Não confio em vocês mortais. - diz o moreno olhando para mim. - vocês mentem sobre nós.

       — Vocês são sádicos! Apenas pensam em sangue! - digo.- isso é mentira? - indaguei. - isso pra mim foi comprovado.

       — Nem tudo isso é verdade, - diz o moreno. - disseram que não temos sentimentos, mas, somos capazes de amar, na verdade....- o próprio é interrompido por uma fala minha.

        Vampiros não presta!

      — É quase impossível?  - indaguei.- sabia! Ninguém  pode conquista alguém como vocês... ABERRAÇÕES!

       O moreno se irrita e morde meu pescoço.

        Foi comprovado... vocês não tem alma.... coração... muito menos sentimentos...

        Fiquei encarando o teto, sem me importa o ato do moreno, sentia o líquido quente escorre pelo meu pescoço, podia sentir meu sangue ser drenado, acompanhada por várias lágrimas intrometidas que escorreram pela lateral do meu rosto.

      O moreno para, olha pra mim.

      — Um de nós já amamos... - disse ele limpando a boca.

      — Quem? E por quem? - indaguei quase não me importando.

       — Ayato, - ele fala do ruivo. - ele já se apaixonou por uma garota chamada Yui Komori.

     Por que ele tá me dizendo isso? Ae, eu perguntei...

     O moreno se levanta, e sai andando, apenas fiquei em silencio deitada no chão tomando coragem de levantar.

  

                    *              ~            *

       Quando finalmente tomei coragem de me levantar fui para o jardim, comecei a andar vendo as rosas brancas...  olhei para o chão e vi uma chave amarada em uma corda preta, peguei a chave e sai destraidamente até que tropecei em alguem, praticamente... cai em cima do albino.

       — Desculpa! Não foi de propósito! Eu não te vi! Me desculpa! Desculpa! Desculpa! - disse enquanto ficava corada por senta em cima do próprio.

       — Você fala muito! - o albino me puxa mais pra perto, selando nossos lábios enquanto eu ficava com uma interrogação na cara.

        Perdi Bv!

       O próprio segura minha cintura com força nos esperando, enquanto eu tentava assimilar tudo.

      — Eu vou te ajudar a fugir... - diz o albino.

      Olhei para o próprio sorridente,- Jura? - me levantei. - o que devo fazer? - indaguei olhando para o próprio que se levanta, e segura meus ombros.

      — Corra para a sala! - diz o próprio.

      — E você? - indaguei.

      — Vou ficar aqui. - disse o próprio. - vá!

      Sai correndo do jardim como se não tivesse amanhã.

                        
                     

**~ Crimson Moon ~**

**~ capítulo especial ~**

**~ part three.: Let's go ~**


 

      

                          *                  ~               *

       Faltava pouco para chegar na sala da mansão, apenas um corredor.

     — Eu vou conseguir! - comecei a corre até que sou impedida por duas mãos segurando minha cintura.

      — NÃO VOU TE DEIXA IR! - diz o ruivo de olhos verdes que tinha visto no início. - Você é minha! VOCÊ ME PERTENCE!

      — Por favor, me deixe ir embora! - pedi escondendo meu rosto no seu peito, tentando conter minhas lágrimas,  enquanto seguro sua camisa com força.

       Não estou fazendo isso por que quero que ele sinta pena, sempre que eu chorava, me irmão me consolava me dando o ombro pra mim chorar, agora que ele não está aqui... me sinto perdida.

      O ruivo solta uma das mãos da minha cintura, apoiando em baixo de meu queixo, levantando me queixo me fazendo olhar para seus olhos verdes penetrantes.

       — Não vou perde você como perdi a Yui.

       Então ele é o vampiros que amou ...

       — Por favor me deixe ir, prometo nunca mais voltar! - disse tentando sair do abraço, que era quase impossível de me mexer, graça a grande força dele.

        — ... - ele segura me rosto com mais força, me impedindo de mexer, eu olho para seus olhos, acabo ficando perdida, o ruivo aproxima o seu rosto do meu, selando nossos lábios, eu tento nos separa mas acabo sedendo, eu seguro sua camisa enquanto minha cabeça começava a pensar em quantas hipótese isso tá sendo errado.

        Que ano é hoje? Onde eu tô? O QUE EU TÔ FAZENDO?

       Ele nos separa por falta de ar.

       Rá! Quando eu contar pra Rafa!

       — .... - o próprio fica em silêncio por alguns segundos. - não esqueça... Você me pertence. - depois de ele dizer tal fazer, o próprio simplismente sumiu.

       Sai correndo para a sala, não vi ninguém além daquele breu maldito, ouvir uma porta sendo aberta.

       — Lii?... - essa voz.... RAFA!!!

       Comecei a corre seguindo a voz que me levou para a porta de saída, vi as quatro  que tinham abrindo a porta.

      — LII! - Rafa grita me dando vários socos de leve. - você me deixou preocupada! Baka!

       Dei um sorriso ao ver elas.

       — Vamos embora? - endagou Dai, e nós concordamos com a cabeça e saímos da mansão.

          Essa é uma das coisas que não vou esquecer... O que eu passei naquela mansão.

        — Quanto tempo demorei? - indaguei.

        — Hummnn.... meia hora. - disse Ayume, enquanto olha pra mansão e dava um sorriso.

        Não vou dormi hoje...

         Algo me dizia que não seria tão sedo que tiraria aqueles garotos estranhos da minha mente, olhei para as quatro garotas que me olhavam sorrindo, e com uma expressão preocupada.


        Acho que preciso de um psiquiatra.



            Fim~


Notas Finais


GENTEEEEE !

sério! Quero agradecer vocês :3!

Eu achava que não ia passar de 1 favorito ;u;

Obrigado! E desculpa eu estar sumida esses dias ...:v
Não prometo sumir de novo! Eu não sou boa com promessa! Mais prometo que vou adianta mais a fanfic!


Beijokas e paçocas!


Pupupu~

P.s.: Nunca confie na Rafa :V talvez ela te empurre numa casa assombrada :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...