História Crônicas de um Jovem Rei - Capítulo 118


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Drama, Fantasia, Original, Rei, Romance, Sally-yagami, Tammysan, Tita, Vanessabr
Exibições 18
Palavras 1.213
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi pessoal!

Aqui é novamente a Tita, trazendo mais um capítulo emocionante de Crônicas para vocês.

Boa leitura❣

Capítulo 118 - Amor de Mãe


Fanfic / Fanfiction Crônicas de um Jovem Rei - Capítulo 118 - Amor de Mãe

Landon continua abraçado a sua mãe por um bom tempo, apenas sentindo o doce calor e o conforto que somente ela é capaz de lhe proporcionar. Ainda se sente muito fraco, pois perdera peso e sangue e, há dias nada para em seu estômago. Mas, aquele peso que estava sentindo desde a conversa com seu pai pouco a pouco começa a desaparecer.

Sua mãe, com seu amor e seu carinho, conseguiu tirar o peso e a dor de seu coração e, ele agora sabe que pode seguir em frente. Agora, irá ter novos sonhos e, com sua mãe a seu lado, sabe que irá conseguir.

Com carinho, Astrid ajuda Landon a se recostar nos travesseiros e, o jovem príncipe agradece a mãe.

— Mãe, será que eu posso te fazer uma pergunta...? – Landon pergunta, ainda com a voz fraca.

— É claro, meu filho. – Astrid responde com um sorriso.

— Mãe, quando eu me casar com a Catelyn e tivermos um filho, a senhora me permitiria batizá-lo de Theydren?

Ao ouvir as palavras do filho, Astrid sorri, e, lágrimas de emoção surgem em seus olhos e inundam sua face e, sem se contem, as derrama por seu belo rosto. Ela abraça o filho, que retribui com carinho.

— Saiba que nada me deixaria mais feliz, Landon.

Ainda com as mãos trêmulas, Landon estende o seu braço e gentilmente seca as lágrimas de sua mãe. A rainha zardreniana segura à mão do filho e a beija, com um carinho em demasia, fazendo com que Landon se sinta cada vez mais reconfortado.

— Mãe, mais uma vez, eu não tenho como agradecer... Eu te amo, mãe... Te amo muito, mais do que palavras são capazes de expressar...!

— Se esforce para se recuperar, Landon, e, eu já ficarei muito feliz.

— Vou me esforçar, mãe, eu prometo. E também prometo que você não vai mais me ver assim.

 

 

*****

 

 

Cassius está em seu escritório, terminando de escrever uma carta para mandar a uma das províncias, um compromisso inadiável. E, embora tenha que terminar esta carta, seus pensamentos não saem de seu filho.

Não sabe por que, mas, no momento em que Astrid adentrou os aposentos do filho, sentiu que ela, de alguma forma, irá conseguir ajudar o filho. E, quem diz isso é o seu coração de pai.

Termina de escrever a carta, assina, lacra o pergaminho e o sela com o selo de sua casa real, para em seguida deixar o seu escritório e seguir até a sala do Conselheiro Gregory.

— Gregory, eu posso entrar? – pergunta o rei zardreniano ao chegar à sala do Conselheiro.

— É claro, Sua Graça. – responde Gregory.

O rei zardreniano adentra a sala de Gregory e, entrega para ele o pergaminho.

— É só você enviar, Gregory. – a voz de Cassius se faz ouvir.

— Farei isso imediatamente, Sua Graça. E, em seguida, irei ver Sua Alteza, o príncipe Landon.

— Até agora não descobriu o que ele tem, Gregory?

— Ainda não, Sua Graça. Eu lamento muito quanto a isso, mas, ainda não.

— Estou preocupado com meu filho, Gregory, pois o Landon está mais fraco a cada dia.

— Sua Majestade não pode perder a fé.

— E não perderei, Gregory. Eu tenho fé em Landon e, sei que ele vai conseguir melhorar.

— Vou enviar sua carta agora mesmo e, em seguida, irei ver o príncipe Landon, pra dar a ele outro preparado.

— Mais uma vez, eu agradeço, Conselheiro Gregory.

— Não há o que agradecer, Sua Graça. É um grande prazer poder ajudar.

O rei zardreniano deixa a sala do conselheiro e começa a caminhar pelos corredores do palácio. Inesperadamente, sente uma paz imensa em seu coração, como se, de alguma forma, sente que seu filho começará a melhorar.

 

 

*****

 

 

Margareth adentra os aposentos de Landon e, após fazer a devida reverência, coloca na cama uma bandeja com uma canja bem leve, para em seguida se retirar. Ao contrário dos últimos dias, Landon não sente seu estômago revirar, e, sorri para a mãe, ao perceber que, dessa vez, está com vontade de comer.

Ainda com a mão trêmula devido a sua grande fraqueza, Landon pega a colher, e, pouco a pouco, começa a comer a canja, sob o olhar aprovador de sua mãe. E, para sua surpresa, o prato se canja rapidamente se esvazia e, ele não sente vontade de vomitar, como vinha acontecendo desde que ficou doente.

— Está melhor, filho? – Astrid pergunta com um sorriso.

— Um pouco, mãe. – responde Landon – Acabo de perceber que eu estava com fome, e, não sinto tanto frio como estava sentindo antes de conversarmos.

— Isso é porque você tirou um grande peso de suas costas, querido. E, eu acho que de alguma forma, era seu emocional que estava te fazendo ficar doente.

— Provavelmente. Mas acho que ainda levará alguns dias até que eu esteja totalmente recuperado, ainda me sinto fraco.

— Isso é normal, filho. Mas, me prometa que não vai mais guardar suas dores para si mesmo, quero que saiba que sempre pode contar comigo, Landon.

— Eu prometo, mãe. Nunca mais farei algo assim. Vou contar tudo para a senhora sempre.

— Fico feliz em ouvir isso, meu filho.

Cassius adentra o quarto e, ao ver a bandeja vazia na cama de Landon, sorri. Pelo visto, seja lá o que Astrid tenha feito ou dito a Landon, fez com que ele se sentisse melhor, pois até o brilho nos olhos castanhos de Landon é outro.

Se aproxima da cama e, se senta ao lado de sua esposa, sorrindo satisfeito para seu único filho.

— Você parece melhor, Landon. – observa o rei zardreniano.

— O enjoo diminuiu e consegui comer um pouco. – fala o príncipe.

— Eu tenho a mais absoluta das certezas de que a partir de agora o nosso filho vai melhorar, Cassius. – Astrid sorri – O pior já passou e, dentro de alguns dias, o nosso filho estará totalmente recuperado.

— Que os deuses te ouçam, Astrid.

— Não precisa mais se preocupar comigo, pai. – Landon fala, ainda com a voz um pouco fraca – Eu vou melhorar. É como a minha mãe disse, já estou começando a me sentir melhor.

— Isso é impossível, Landon. – Cassius sorri para o filho – No dia em que você for pai, vai entender o que estou falando.

Landon quer responder, mas, ainda se sente fraco e cansado, pois foram vários dias perdendo sangue, líquido e sem conseguir se alimentar, pois nada parava em seu estômago, e, por conta disso, seu corpo, inevitavelmente, pede por repouso.

Astrid olha para o rosto do filho e percebe o quanto ele está cansado. Mas, antes que ele possa descansar, precisa ser examinado pelo Conselheiro Gregory, para que ela e Cassius possam ter certeza de que o filho irá ficar bem.

Não demora muito e o Conselheiro Gregory adentra os aposentos do príncipe. E, após a devida reverência, o Conselheiro Mago de Zardren começa a examinar o príncipe com todo o cuidado, se surpreendendo com os sinais que percebe no corpo do herdeiro ao trono zardreniano.

E, após examinar Landon e dar a ele outra poção para baixar a febre do príncipe, o Conselheiro dirige um sorriso a seu rei e sua rainha e em seguida diz:

— Majestades, não há mais com o que se preocupar, o príncipe Landon já está fora de perigo. Mais alguns dias de repouso para ele recuperar as forças que perdeu, e ele estará totalmente recuperado.


Notas Finais


CONTINUA...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...