História Cronicas T-P00 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Loucura, Sci-fi
Exibições 2
Palavras 700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Misticismo, Sci-Fi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Apenas por favor, leiam e comentem se gostaram ou não, os erros e quais suas ideias para me ajudar no decorrer da historia

Capítulo 1 - Capitulo Piloto (whatever)


Fanfic / Fanfiction Cronicas T-P00 - Capítulo 1 - Capitulo Piloto (whatever)

Capitulo Piloto:

Era noite, eu estava no meio da rua, era uma rua de pedras como calçamento, havia casas coloniais, mas não portuguesas, provavelmente não eram da terra, pois possuíam grandes barras de metal e grandes placas de uma pedra brilhante de cor cinza-azulado.

Eu no começo não compreendi, mas quando me dei conta estava correndo não me lembro exatamente do que era, me lembro apenas que era um ser humanóide da minha altura de fisionomia feminina.

Já a alguns metros longe da criatura pude ouvir altos gritos e berros, não virei, apenas corri para fora da cidade, em direção a um pequeno casebre na beira da estrada, fui rapidamente por baixo da frágil cerca de tabuas de madeira mofada e quebrada, a casa estava em ruínas, a porta estava aberta então me fiz o trabalho de entrar e lá a encontrei, o cadáver de Kriky.

Kriky não poderia estar ali, pois ela era apenas um fruto da minha imaginação na época da minha infância, eu movimentei meu rosto a procura de mais alguém quando senti um peso em meu ombro direito, era uma cobra, uma pequena naja subindo pelo meu ombro que estava imóvel, não entrei em desespero e derrubei a cobra, corri o mais rápido o que podia para fora da casa, pois a criatura se aproximara cada vez mais de mim, pude ver claramente suas asas metálicas e seus olhos sedentos por minha carne, ela fez apenas um movimento com sua mão, aparentando ser um chamado,  quando levantou-se a cobra, que a atacou sem piedade, não pude fazer nada, a cobra foi reduzida à pedaços, e a criatura, intacta, possuía um armamento poderoso, nunca havia visto nada parecido, era incrível, ela dirigiu-se a mim, em silencio, e apenas se retirou, pude ver suas asas brilhando no céu noturno, a criatura partiu em direção à uma pequena constelação, Plêiades, como tomei a liberdade de nomear a criatura.

                                           Continua...

 

 

 

 

 

 

show me what is the love, i want know your secrets, master of feelings, i need the heat of your heart, i need feel your breath, i want see your green and brown eyes , i need you, i want you, i see you in my thoughts, bye-bye goddess of my dreams , i see you tomorrow tonight, in my dreams and my nightmares

 

 

 

Capitulo um: Eles.....Morreram!

 

Lá estava eu, parado em uma parede, olhando para o céu, para o rastro de luz de uma criatura que a pouco não me matara, ainda em choque percebi que estava no meio do nada, mas eu podia ouvir um som de rodovia, eu acertei, por sorte havia uma rodovia quase que me esperando , peguei um taxi e fui pra casa de minha irmã, no meio da estrada eu peguei no sono e quando acordei estava no engarrafamento, irritante eu devo dizer, não via a hora de chegar na casa de minha irmã, então me decidi, sair do taxi e fui andando, na hora era 2:52 mas só consegui chegar na casa dela as 5:20

Minha irmã se chamava Cristal, morava com o namorado em um apartamento em Osasco, eu estava morrendo de fome então de quebra passei no supermercado e comprei umas coisas básicas, Geléia Real, mel,pão,leite e etc.

Como eu estava morrendo de fome comi uns pêssegos no caminho, adoro pêssegos.

Há dias minha irmã vinha guardando dinheiro pra ir para o Japão e eu ficaria tomando conta da casa/apartamento dela e do namorado Rafael, como ela ia viajar daqui a alguns dias eu gostaria de vê-la.

Cheguei no apartamento, tudo quieto, os dois estavam na sala abraçados e dormindo, claro que eu não os acordei, seria indelicado, fui direto pra cozinha que estava uma bagunça, louça suja amontoada, comida estragando, leite coalhado, resumindo um caos que em segundos eu resolvi e arrumei, não perdi a chance de me deitar numa cadeira de descanso e ver o sol nascer, estava frio mas isso não me incomodava, eu só conseguia pensar da criatura, eu não compreendia, não entendi o que havia acontecido, mas todo esse pensamento foi cortado pelo meu celular, era uma ligação urgente , era minha tia avó Lívia, que disse :

- Pedro, seus pais eles... Morreram!

                                           Continua...

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado (sério mesmo, espero de coração que pelo menos alguém tenha gostado)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...