História Cross Path (Camren) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Exibições 194
Palavras 2.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi Amores Demorei Mas Voltei, Então Como É Que Vocês Como Estão? Espero Que Estejam Bem!! ❤

Gente Me Desculpem Pela Demora, Mas Ér Que Infelizmente Estou Atarefada De Trabalhos Na Escola Então Esses Dias Ficará Um Pouco Difícil Para Eu Postar Os Caps.. Mas Tentarei Fazer De Tudo Para Atualizar A Fic Todo Santo Dia, Ok? Promeça De Annie Pra Vocês 😂❤

Bom Agora Chega De Explicações kk Podem Ler e Espero Que Vocês Gostem ❤❤

Capítulo 8 - Capítulo 8


Lauren Pov

  As 14:30...

Fiquei admirando Camila enquanto ela dormia, vê-la dormir é a mesma coisa que ver um anjinho dormindo. - tão fofa - Só de lembrar que eu beijei ela pela primeira vez, mesmo que eu ainda estivesse em efeito de álcool.. Me dá um arrepio tão grande na barriga que nem sei explicar. Foi tão bom beijá-la, foi uma sensação tão gostosa pra mim.. Não sei o que eu sentir no momento, mas sei lá foi algo tão inexplicável que estou pensando nisso até agora. Sei que conheço ela a pouco tempo, posso até parecer uma boba.. mas desde quando a vi pela primeira vez eu sentir algo tão forte, que nem mesmo por aquela maldita da Alexa ou por qualquer outra pessoa eu já sentir isso.

Meus pensamentos foram interrompidos quando meu celular começou a tocar, estiquei meus braços lentamente e curvei-me melhor para pegar o celular no criador-mudo que tocava cada vez mais. Consegui alcançar o mesmo e logo vejo no visor um número desconhecido. Estranhei com receio de atender, mas mesmo assim me sentei na cama encostada na cabeceira e logo atendir a ligação.

Ligação On

- Alô! Quem É?

- La-a-u-ren..

- Quem É?

- SOCORRO!!

- QUEM PORRA É?

- Ashlee..

- ASHLEE?

 Ligação Off

Vozes gritaram quando a pessoa do outro lado da linha falou seu nome, parece que arrancaram o celular da mão pois desligaram a ligação na minha cara. Meu coração de repente deu um aperto ao ouvir aquele nome “Ashlee”. Não podia ser... Ashlee a minha melhor, ou melhor dizendo minha ex melhor amiga que havia sumido a cinco anos atrás? Isso só pode ser um pesadelo. Pra que ela ia me ligar pedindo socorro depois de tanto tempo sem falar comigo? Ela só pode tá querendo tirar onda da minha cara, só sendo.. Pra fazer uma coisas dessas comigo. Meu Deus! Por que as pessoas pensam que vão me afetar com esse tipo de brincadeira? EU MEREÇO.. SÓ PODE.

Ignorei meus pensamentos em relação a ligação e coloquei meus pés pro lado de fora da cama. Eu é que não vou ficar martelando minha cabeça pra ficar pensando em brincadeirinhas sem graça. Larguei meu celular de volta no criador-mudo, entrei dentro do banheiro, me despir por completo, liguei o chuveiro entrando debaixo do mesmo e me deixei relaxar logo em seguida.

(...)

Acho que passei mas de uma hora no banho, pois quando eu sair do banheiro Camila já não se encontrava mas deitada na cama. Aproveitei que ela não estava ali e acabei me vestindo. Coloquei um short curto preto desfiado e a minha blusa preferida que estava autografada pela Lana.. Depois abrir a porta do quarto e logo após seguir rumo às escadas, ganhando logo em seguida a sala. O cheirinho estava delicioso assim que adentrei a cozinha, Camila estava cozinhando.. Mas pelo que eu me lembre ela até um dia desses não sabia cozinhar.

- Nossa! Pra uma pessoa que não sabia cozinhar até a semana passada, está preparando algo muito delicioso. Pois pelo cheirinho já tá dando até água na boca.

Falei sentando na bancada, fazendo logo em seguida Camila levar um pequeno susto, pois ela ainda não havia notado minha presença ali. Sorri quando ela olhou para mim e logo ela desligou o fogo sentando logo em seguida na cadeira a minha frente, enquanto o que ela fez estava esfriando.

- Hey! Desde quando que eu não sabia cozinhar? Eu sempre soube minha filha! Só que tinha preguiça de fazer.

- Seii.. Acredito. –  falei e a mesma levou a mão até o seio esquerdo, fazendo-se de ofendida. Fiz uma cara de tédio com a forma na qual ela fez aquilo e logo depois caímos em uníssono na gargalhada. – Então o que a nossa chefe de cozinha preparou para comermos?

Perguntei passando a língua entre os lábios, fazendo a mesma ficar admirando os meus movimentos labiais.

- Pre-e-pa-a-rei panquecas de chocolate. – falou a mesma passando uma das mãos pela nuca envergonhada, se levantando logo em seguida e indo em direção às panquecas.

- MENTIRA!!

- Mentira nada.

A mesma falou já sentado à minha frente nos servindo logo em seguida. Começamos a comer tudo em silêncio, nem eu e nem ela falávamos alguma coisa. Aquela silêncio já estava me incomodando, até que resolvir quebrar o mesmo.

- Camz por que está tão pensativa? – perguntei fazendo a mesma me olhar com as sobrancelhas arqueadas, a imitei fazendo o mesmo gesto e logo ela respirou fundo antes de olhar para o lado e começa a falar.

- Nada não..

- Como não? Ninguém fica olhando pro nada por muito tempo sem pensa em alguma coisa.

- E quem disse que não? Eu realmente não estou pensando em nada. Acredite.
Bom.. Se ela não quer me contar eu é que não vou insistir. Levantei-me da onde eu estava sentada e coloquei meu prato na pia, quando eu ia saindo da cozinha ela me chamou.

- Lauren.

- Oi?

- Você vai comigo para o hospital visitar Dinah?

- Vou. Mas agora?

- Sim.. Pois ela receberá alta daqui a algumas horas.

- Ok.. Deixa só eu fazer uma ligação rápida aí já já vamos, tá bom?

Ela apenas assentiu enquanto se levantava, subir pro quarto dela e peguei meu celular. Disquei o número de Keana e logo a mesma atendeu.

Ligação On

- Diz Jauregui.

- Cadê A Taylor Keana?

- Está Dormindo, Porque?

- Porque Eu Quero Saber Como A Minha Irmã Está, Oras!

- Aé? Então Porque Não Vem Até Aqui e Vê Como Está A Sua Irmã? Pelo Menos Não Me Faz Gastar Saliva Atoa Com Quem Não Merece.

Revirei meus olhos com a maneira irônica na qual a mesma falou comigo. Suspirei e expirei antes que eu perdesse logo a minha paciência.

- O Keana Não Venha Me Tirar A Paciência Não, Que Hoje Não Estou Pra Brincadeira.

- E Eu Com Isso? Tu Acorda Com Mal Humor e Eu É Que Tenho Que Ficar Aturando Isso É? Poupe-me Jauregui, Poupe-me.

- A Keana Vai Se Fuder. Quando A Taylor Acorda Mande Ela Me Ligar, Ok?

- Mando Não. Você Que Ligue Pra Ela.

- Meu Deus, Daí-me Paciência Pra Falar Com Essa Peste.. Pois Se Não Juro Que Faço Uma Besteira.

falei fazendo a mesma gargalhada do outro lado da linha.

- Também Lhe Amo Jauregui.

- Vá Se Fuder.

Ligação Off

Desliguei o celular na cara dela e Camila no mesmo instante apareceu no quarto entrando logo em seguida no banheiro. Escutei a água cair no chão e me retirei do quarto, fui para a sala e me deitei sobre o sofá.

Passado-se uma hora depois Camila veio decendo as escadas andando em minha direção. O cheiro do perfume dela tão doce quanto ela me deixou fascinada, ela olhou pra mim e eu sorri quando ela esticou as mãos para que eu me levantasse do sofá.

- Vem.. Se não vamos nos atrasar.

Estiquei minhas mãos e ela me puxou, fiquei tão perto dela que sentir a respiração da mesma ficar acelerada. Dei dois passos para trás e sorri tímido. Ela abaixou o olhar e começou a andar, me deixando pra trás, a segui e fomos até a garagem, pegamos o carro de tio Alejandro, Camila ia dirigir mas pelo que me lembre da última vez que ela tentou dirigir quase que nos matou. Então logo tomei a frente e sentei no banco de motorista, ela me olhou torto mas não falou nada, apenas sentou-se ao meu lado.

Não demorou muito para que chegássemos no hospital, estacionei o carro e fomos para dentro. Ao caminharmos pelos corredores, encontramos Mani com um lindo sorriso nos lábios, aproximamos dela e nos abraçamos.

- Mani vai demorar muito para a Dinah receber alta? – perguntei sentando no sofá que ficava frente a porta do quarto onde Dinah estava.

- Não Laur.. Ela só tá terminando de se vestir para podermos irmos embora desse hospital.

Falou ela pulando de alegria, pelo que percebir Mani gosta mesmo muito da Dinah. Sorri largamente com a notícia e logo ela e Camila sentaram-se ao meu lado. Não demorou muito para que a porta a nossa frente fosse aberta por uma Dinah com um perfeito sorriso nos lábios.

- Eee cambada!! Levantem esse alto astral ae que Dinah Jane está na área..

Falou Dinah enquanto se jogava em cima de nós, nos abraçamos em um abraço em grupo.

- Dinah sentir sua falta.

Falou Camila fazendo beicinho, Dinah olhou para ela e apertou as bochechas da mesma.

- Eu também sentir Chanchoo, não muito mas sentir.

Camila apenas revirou os olhos enquanto Dinah caia na gargalhada.

- É brincadeira Mila. Eu estava morrendo de saudades da senhorita. Melhorou agora?

- Agora sim.

Caímos na gargalhada quando Camila fez uma cara de convencida. Nos levantamos e graças a deus saímos do hospital. Entramos no carro e eu dirigir em direção a casa de Dinah já que a mesma disse que estava cansada e disse que só iria sair de casa amanhã. Não demorou mas do que quinze minutos para chegarmos, ela mal se despediu de nós e saiu do carro as pressas sumindo totalmente da nossa visão.

Como já estava ficando de noite e a fome estava começando a bater, aproveitei que passamos de frente a um restaurante japonês e parei para comprar comida. Estacionei o carro e entrei sozinha no restabelecimento, fiz os pedidos e fiquei esperando o garçom já me trazer tudo preparado. Não demorou muito e graças a deus o garçom trouxe o que pedir. Paguei e sai do restaurante entrando logo em seguida no carro, coloquei Camila pra levar a comida enquanto eu dirigia. Passado-se dez minutos depois e logo cheguei na casa de Camz, estacionei o carro na garagem e logo em seguida entrei dentro da casa.

- Ai que fome! Mani trás a minha parte pra cá, porfavorzinho. – pedi fazendo beicinho, a mesma levantou-se da onde estava sentada e trouxe minha parte. – Brigadinha, por isso que lhe amo.

- Sei disso.

Ela falou enquanto voltava para o lugar onde estava sentada. Comi tudo e subir para cima sem falar com as meninas, entrei dentro do quarto de hóspedes e joguei-me contra a grande cama. Fiquei fitando o grande teto branco em silêncio assim que me lembrei da ligação hoje mas cedo. Será que era mesmo a Ashlee? Meu Deus! Ajude-me para que não seja, pois concerteza isso só irá prejudicar a vida minha vida e a de Taylor.

Meus pensamentos foram interrompidos quando alguém bateu na porta. Levantei-me e fui abrir, me deparando logo em seguida com uma Camila extremamente fofa segurando um travesseiro na mão, ela sorriu com a língua entre os dentes e eu retribui.

- Lolo.. – fiz um som nasal quando ela me chamou pelo o apelido – Será que posso dormir aqui com você?

- Hm.. Deixa eu pensar! Eu acho que pode.

- Vou considerar isso como um sim.

Ela falou e logo adentrou o quarto, se enfiou debaixo do endrendrom e logo eu a repetir fazendo o mesmo.

- Cadê a Mani? – perguntei enquanto me ajeitava melhor na cama.

- No meu quarto.

- E por que você não está dormindo lá com ela?

- Por que ela me expulsou.

- E por que ela te expulsou do seu próprio quarto?

- Por que eu queria dormir abraçada com ela e ela não queria dormir abraçada comigo.

Não aguentei quando ela falou toda emburradinha, me derreti toda e logo cair em uma gargalhada que fez a mesma bufar de raiva.

- Para Lauren.

- Tabom parei.

Falei tentando recuperar o fôlego, não deu nem tempo de me acalmar direito e acabou faltando a luz. Camila levou um susto tão grande quando ficou tudo escuro que a mesma se agarrou a mim me abraçando com todas as forças que podia. Retribui o abraço e fiquei abraçada com ela para passar mas confiança para mesma. Quanse que  morremos de infante quando Normani pulou em cima da gente se enfiando logo em seguida debaixo do endrendrom.

- PORRA MANI ME MATE LOGO.

- Des-s-culpa Lauren.. E que eu tenho medo de escuro.

- O povo frouxo, meu Deus. – revirei meus olhos e logo a mesma se encolheu debaixo de mim. – Vem cá.

Puxei ela pelo o meu outro braço que estava livre e logo deixei que a mesma aprofundasse a cabeça em meu seio esquerdo. Fiquei em uma posição desconfortável, concerteza amanhã irei sofre consequências.. Mas se é por uma boa causa tou pouco me lixando. Uns cinco minutinhos depois e a luz finalmente voltou, mas pela minha má sorte elas haviam dormindo. Então o meu único jeito será acorda amanhã toda quebrada, respirei fundo e deixe-me entregar ao sono totalmente.


Notas Finais


Bom Pessoal Por Hoje Ér Só. Mas Antes De Eu Ir Queria Pedir Um Pequeno Favorizinho Para Vçs. Então Queria Pedir Pra Vocês Que Comentassem O Que Estão Achando Da Fic, Isso Realmente É Importante Pra Mim.. Pois Sem A Opinião De Vocês Fica Sem Graça De Postar Os Caps. Por Favor Gente Não Deixem De Dar A Opinião De Vçs Ok? Kkkk

Xoxo Amores ❤ Até o Próximo Cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...