História Cruel - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber, Originais
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Barbarapalvin, Criminal, Danielsharman, Drama, Drogas, Festas, Iansomerhalder, Justinbieber, Originais, Romance, Suspense
Exibições 8
Palavras 641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Red Madness.


"Vai chegar a sua vez, a morte virá não importa o freguês. Você pode até se esconder e rezar, mas do funeral não irá escapar."

Mais um dia presa naquela casa, já não tinha mais esperança alguma sobre um dia conseguir finalmente sair daquele lugar onde passei toda a minha infância. Era sempre a mesma rotina, sem nenhuma mudança se quer. Mas por algum motivo desconhecido eu sentia que essa noite aconteceria algo anormal, talvez até um pouco surreal. Enquanto estava perdida nos meus pensamentos a única porta do quarto e o único meio de fuga se abrira e uma taça com alguma bebida que eu desconhecia fôra colocada e novamente a porta se fechou.

Arrastei-me lentamente pelo chão gélido até chegar de encontro a pequena e simples taça de vidro, peguei a mesma com certa dificuldade e a levei até meus lábios, seu cheiro era doce e devidamente agradável. Bebi um pequeno gole do líquido vermelho escuro, tinha a impressão de que era preto mas ao colocar o copo contra a fraca luz do quarto se podia reconhecer que a cor era extremamente parecida com a de um vinho, para não dizer igual. O gosto era maravilhoso, não teria como beber apenas um pequeno gole e após alguns segundos não restava uma gota se quer. Nunca fui muito familiarizada com bebidas alcoólicas e estranhei muito eu ter gostado daquela e bebido todo o líquido, e o que me surpreendia era eu ter ingerido sem nem saber o que era.

Poucos segundos depois comecei a sentir uma tontura, minha visão começou a ficar turva e a única coisa que senti antes de desamaiar foi o impacto do meu corpo contra o chão duro, frio e extremamente sujo. Eu não sabia se estava acordada ou dormindo, mas eu não estava no lugar onde eu sempre estivesse, era algum quarto vermelho. Havia uma cama de couro e outros diversos objetos que eu não poderia dizer o que eram, pois nunca os havia visto em minha vida. Um homem que eu não consegui visualizar o seu rosto pois quando ergui minha cabeça para encará-lo minha visão ficou turva e eu não consegui ver absolutamente mais nada.

Eu ainda estava meio perdida e não sabia como me comunicar com aquele homem estranho e muito menos sabia o que fazer em relação à ele. Senti sua respiração próxima do meu rosto, segundos depois seus lábios estavam grudados aos meus com certa brutalidade e para minha surpresa eu correspondi da mesma forma e na mesma intensidade que ele. Minhas roupas foram rapidamente arrancadas do meu corpo e ali estava eu, completamente entregue à ele usando apenas uma calcinha de um pano extremamente fino. Enquanto nos beijavamos com tanto desejo, suas mãos foram para a única peça de roupa que cobria meu corpo e habilmente a rasgou, um gemido um pouco mais alto do que deveria ter soado escapara por meus lábios ao sentir dois dedos daquele homem se penetrarem em minha intimidade. Seus movimentos eram lentos e faziam meu interior queimar em puro desejo para que ele continuasse e intensificasse aquele ato.

Não sei quanto tempo durou, mas segundos depois senti meu corpo inteiro dar espasmos a cada toque, por mais simples que seja. Sentia que em poucos segundos alcançaria o ápice, mas não foi o que aconteceu, quando ele percebeu que eu estava quase alcançando o clímax, retirou seus dedos rapidamente e se abaixou na altura de minha intimidade e penetrou sua língua de uma vez, com tal ato um gemido na mesma altura que o primeiro saiu por meus lábios. Não conseguia mais me segurar e quando estava prestes a alcançar o orgasmo, olhei em volta e estava novamente no mesmo quarto escuro de sempre, a mesma luz fraca, o copo vazio onde estava a bebida estranha continuava no mesmo lugar, mas eu sentia que algo estava estranho.


Notas Finais


Estão gostando da história até aqui? Sei que tem apenas três capítulos, mas o que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...