História Cruel Past - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Tags Automutilação, Depressão, Incesto, Mushakismo, Twincest
Visualizações 129
Palavras 673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


To de volta, e amanhã ou dp de amanhã tem mais

Capítulo 17 - The child


Dohko tomou mais um gole de café enquanto encarava o ariano, esperando que continuasse com seu relato.

-Ele desmaiou, por fim, e deste modo permanece até agora.

-Shion, eu já lhe disse antes, mas irei reforçar, vo...

-Com licença.

Os dois levantam a cabeça em direção à figura que os havia interrompido, dando de cara com um homem alto de curtos cabelos negros.

-Shura? - exclamou o ariano.

-Quanto tempo, Shion. Como vais? - desviou o olhar para o chinês, lhe estendendo a mão -Prazer, me llamo Shura.

-Dohko - apertou a mão do espanhol, tentando se lembrar de onde o conhecia.

-Oh, si, usted es o esposo de Shion.

No momento em que Shion foi falar, uma criançao interrompeu.

-Tio Shura!

-Kiki, por favor, no grites.

Dohko prendeu seus olhos sobre a criança, analisando-o.

-Mas... esses...

No mesmo momento que o librano começou a falar, seu companheiro levou a mão à testa, tocando seus sinais, sentindo uma subta dor de cabeça -Explique-se - falou, olhando para o espanhol.

-Kiki, não? - o librano mirou o garoto ruivo de olhos verdes, e sentindo a tensão, achou melhor deixar os outros dois conversando a sós -Quer um refrigerante? Eu pago pra você?

O garoto deu um sorriso radiante e saiu pulando ao lado de Dohko.

Shion sentiu seu rosto esquentar, anormalmente para o tão pacífico ariano -O que significa isso, eu posso saber?

-Calme-se hombre.

-Acalme-se o caralho, que porra é essa?

Shura assustou-se com a quantidade de palavrões soldados pela tão calma pessoa -A história é longa...

-Eu tenho tempo - ditou rispido

-Eu vou ser direto, Shion. Ese pivete es hijo de Carlo y Meri.

______________________________________

Shaka chegou em casa ainda chocado com o que havia acontecido mais cedo. Sentia que precisava conversar com alguém sobre o ocorrido, além de Shion, que as vezes podia ser bem incompreensível. Os únicos nomes que surgiram em sua mente foram Dohko e Camus, e por tal, resolveu ligar para o mais novo dos irmãos.

-Boa noite, Camus

-Shaka, boa noite, como posso lhe ajudar*?

-Você é o de nós seis que passou mais tempo com Mu...

-Entendo, algo ocorreu? Gostaria de se encontrar comigo?

-Se possível

-Claro, claro. Estou na biblioteca que tem na Dias da Cruz*, me encontra aqui.

-Okay, me dê quinze minutos.

__________________________________________

Avistou o francês sentado na enorme poltrona vermelha, que em tanto se assemelhava ao tom de seu cabelo, lendo o livro A Menina Sem Qualidades.

-Com licença... - sentou-se na poltrona ao lado.

-Shaka - acenou com a cabeça enquanto fechava o grosso livro -O que lhe atormenta?

-O Mu - respirou lentamente enquanto fechava os olhos azuis, conforme seu hábito ditava -Logo após vocês irem embora ele teve uma crise, creio que posso chamar assim.

Camus ergueu uma das finas sobrancelhas -O que ele exatamente disse, ou melhor, fez?

-Ele começou a falar coisas estranhas e sem sentido e depois começou a chamar o Shion de assassino.

-Natural... Mais algo?

-Ele m... Péra, como assim "natural"?

-Entenda-me, Mu tem, hum, digamos, problemas com personalidade, e uma delas culpa Shion pela morte de sua mãe.

-Então isso já ocorreu mais de uma vez?

-Oh, sim. Inclusive foi uma tremenda sorte sua ele não ter ficado violento, veja só - o ruivo ergueu a camisa, mostrando ao outro uma cicatriz de cerca de 5 centímetros -Ele já teve crises épicas, tenho até um pouco de pena do meu irmão por ter presenciado praticamente todas.

Shaka piscou os olhos atônito -Exatamente qual problema ele tem?

-Sinto em lhe dizer, mas eu não posso contar. Pergunte ao próprio, ou ao Shion, pois eu lhe garanto que a boca de Dohko és um túmulo e assim permanecerá. Mas, me diga, durante o ataque, ele falou algo mais?

-Bom - ajeitou o cabelo em um rabo de cavalo alto, enquanto olhava envergonhado para o amigo -Disse que eu não o amava, que só queria o machucar.

Camus refletiu as palavras do amigo enquanto arrumava seu longo cabelo -Shaka, você sabe que o Mu te ama, não deixe-se guiar por palavras proferidas em momentos de insanidade.

Abaixou a cabeça para que o aquariano não pudesse ver seus olhos marejados -Eu prezo tanto por ele, queria protege-lo de tudo e todos.

Camus se aproximou e laçou os ombros do amigo -Eu sei, todos sabemos


Notas Finais


*=rua do meier, no rio de janeiro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...