História Cry Baby - In my lyrics - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Melanie Martinez
Visualizações 2
Palavras 794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Carousel


Depois de tudo aquilo que me aconteceu, eu fui para casa. Chorei até que eu caísse no sono, meus olhos estão doloridos. Aquela cena me perseguia até nos meus pesadelos e estava pior ainda neles, e como se não fosse o bastante, eu tive paralisia de sono, é horrível você não poder se mecher e sentir que algo macabro está te segurando e pronto para te matar. Depois daquilo eu queria abraçar alguém, mas não tinha ninguém… Fiquei com medo de dormir de novo. Fiquei acordado pensando se no futuro eu vou me apaixonar por outra pessoa… Talvez. […] A televisão está sem conteúdo, apenas programas chatos de entrevistas desnecessárias. O que era bom mesmo eram os comerciais, tinha de tudo. Sorvetes, roupas, brinquedos, perfumes, circos… Circo? Isso é novo… - Venham, venha você meu jovem, venham todos! Tragam a família para se divertir no nosso festival, estará aberto apenas as 20:30, encontro vocês aqui amigos! - Disse o apresentador do comercial. Eu sempre amei circo, sempre fui com meus antigos amigos do jardim de infância. Nunca tinha tamanho para andar nos brinquedos, isso me revoltava. Eu queria ir, mas sozinho?… Ah, foda-se. Eu quero ir. […] A fila estava vazia, então não demorou muito para eu comprar o ingresso, o único problema era que para andar em cada um dos brinquedo tinha que comprar um bilhete. Foda-se novamente, eu preciso me distrair. Andei em quase todos os brinquedos que permitiam a minha altura, eram poucos. Estava indo para o próximo brinquedo quando minha mão foi puxada, era um garoto loiro e aparentemente forte, ele me olhava estranho e logo depois sorriu. - Não é muito divertido ir ao parque sozinho… O que acha de me acompanhar? - Ele fitava meus olhos mordendo os lábios. - Claro… - Eu não entendo o que estou sentindo… É como se eu não pudesse negar mais nada. - Vamos a barraca de jogos, você gosta de ursos de pelúcia? - Ele perguntou. -Sim, eu gosto muito. - Eu ri. Caminhamos até a barraca de jogos. Aquele garoto era incrível, ele conseguiu acertar todas as argolas nas garrafas, não errou nenhuma. Ele pegou um urso marrom do tamanho médio para mim e um pirulito para ele. - Obrigado, é muito fofo… - Sorri. - Quem? Eu ou o urso? - Ele perguntava com um sorriso. - Os dois… - Ri. Nós paramos no meio do parque, não havia ninguém. Ele fitava meus olhos e acariciava meu rosto, deixando ele vermelho. - Posso te dá mais um presente antes de irmos para os brinquedos? - Ele perguntou enquanto segurava minhas mãos. - Claro, o que… - Ele me interrompeu e me beijou. A língua dele tinha gosto de algodão doce, ela se aproveitava da minha que antes era amarga, agora doce como agridoce. - Vamos para a xícara maluca. - Ele disse. Entramos na xícara maluca, mas eu não conseguia prestar atenção no brinquedo, era como se só estivesse eu e ele alí de mãos dadas. O brinquedo chegou ao fim. Brincamos de correr na casa dos espelhos, onde acidentalmente surgiu outro beijo, assistimos um show de mágica, onde o mágico reproduzia todos os truques de Houdini, mas de uma forma diferente, estava quase como um show de horror, mas foi divertido. O último brinquedo era o carrossel, havia muitos cavalos, mas não havia ninguém. Sentei no meu cavalo, e o garoto me observava encostado em uma barra de ferro. Meu coração foi completamente roubado por ele, já até tinha esquecido dos meus problemas. Rodamos e rodamos no carrossel duas vezes, ele não tirava os olhos de mim, e eu gostava, mas de repente tudo mudou, minha visão ficou toda distorcida, era como se eu visse alucinações. O garoto e todos os funcionários do circo estavam rindo de mim enquanto eu estava amarrado no meu cavalo. Isso é real? Por favor, faz parar… Porque ele está rindo? Depois de tudo o que ele fez… Eu… Eu… Não conseguia pensar em mais nada, com a cabeça confussa, eu desmaiei. Acho que dormi por horas, pois o parque já havia fechado, estava tudo escuro, eu corria procurando a saída, mas era impossível. Parei no meio do parque, já a ponto de chorar. Estava tudo tão perfeito, aquele garoto, os beijos… tão real… Pisei em algo macio, era o urso de pelúcia que eu tinha ganhado. Eu deveria me livrar dele depois daquilo, mas não, mesmo com raiva e sem entender nada, aquele foi um dos melhores momentos da minha vida, eu me senti amado como nunca antes… Meu coração realmente fôra roubado por aquele garoto. As luzes ascenderam e os brinquedos começaram a funcionar, dessa vez havia muitas pessoas no parque, o relógio dizia ser 20:50. Eu não entendo mais nada…


Notas Finais


Thanks.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...