História Cry, don't cry - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Cry
Exibições 7
Palavras 1.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem 💚
Até lá em baixo 💚

Capítulo 2 - Sofrimento


  Coloco minha lâmina no bolso e olho o quadro negro com alguns restos de giz-de-cera branco nos cantos.
  Vejo o professor entrar na sala, logo após uma garota entra também. Me viro para Lee rapidamente e reparo que ele encara a garota loucamente, volto a olhar para frente e o professor começa a escrever seu nome no quadro: sr. Young. Me viro para Lee novamente e ele não está mais encarando a garota, apenas está mechendo em seu celular. Fico olhando o quadro negro e o professor repetidas vezes e ele acha ruim.

- Olívia, correto? -diz ele me encarando com uma expressão meio irritada. - Por quê estás me olhando assim ?
- Hãn ...? Não estou o encarando. Apenas estou olhando para o quadro negro. -respondo abaixando a cabeça, me sentindo um pouco culpada.
- Não quero precisar chamar sua atenção mais uma vez. -diz logo indo para perto da garota que entrou após ele na sala. - A propósito, sou professor de biologia.

  Olho novamente para Lee e ele percebe que eu estou o olhando repetidas vezes, logo dá um sorriso fraco e me passa um bilhete. Abro o bilhete, onde está escrito:"Olá, Olívia. Estou me perguntando o por quê estou sendo encarado por você. Quer algo?"
Me viro pra ele:
-Não somos mais crianças, Lee. Me fale, não me passe bilhetes. -susurro segurando o riso.
- Tudo bem, sua adulta. Já pode ir trabalhar, agora. -ele me responde também sussurrando, e logo se vira para o quadro novamente.
  Me viro também e presto atenção na aula. Bato minha caneta na mesa, irritando várias pessoas um pouco a frente de mim, inclusive a garota que Lee havia encarado, estou me perguntando o por quê Lee estava a encarando. Após uns 30 minutos a mais de aula, a mesma se acabou. Me levanto de meu lugar e me dirijo à porta, quando sou surpreendida por Lee atrás de mim.

-Hey, espera ! Vamos juntos. -ele me fala olhando para trás.
- Por quê quer que eu espere? Vamos nos encontrar do mesmo jeito. -digo o olhando meio perdida.
  A garota vai se aproximando.
- Vem, vamos. -ele pega minha mão e me puxa até o corredor, mas não me deixa entrar no quarto. - Depois te explico isso.
- O que ta acontecendo? -digo ainda perdida. - O que vai fazer?
A garota sobe as escadas e Lee a olha, logo ela sorri para ele acenando. Ele continua com a mesma expressão e me olha.
- Eu vou ter que fazer isso... -ele sussurra me colocando contra a parede e me dando um beijo técnico (com o dedo na frente).
  Eu fico sem entender, mas sei que tudo isso deve ser ter um propósito e sei que depois ele vai me explicar, então eu finjo o beijar. A garota se expressa pelas mãos: as fecha com muita raiva e força. Ela entra em seu quarto e fecha a porta com tudo, a trancando. Lee se afasta de mim, tira seus dedos do lábio e sorri.

- O que foi isso, Lee? Por quê fez isso? -digo me afastando um pouco dele.
- Calma, Olívia ! Isso não foi nada demais, coloquei meus dedos na frente. -ele diz sorrindo fraco. - Não te beijaria sem sua permissão.
- Tá, mas por quê fez isso na frente dessa garota? -digo mais aliviada.
- Bom... Longa história. Vem, vamos para o quarto, vou te explicar.
  Caminhamos até o quarto.
- Essa garota... Eu a amava quando éramos mais novos. Sempre estudamos juntos e ela sempre me esnobou, pouco tempo atrás ela começou a dar em cima de mim. Achei errado, pois quando eu a queria ela me esnobava, e agora ela me quer. Vou devolver o que eu passei para ela.
- Uau... Agora te entendo. Mas sério, quando vir me beijar me fale primeiro... -digo olhando pra baixo. - Sou BV. -sussurro.
- Você? -ele ri. - Eu não acredito em você. Mas de qualquer forma, se está dizendo...
- É sério! -rio. - Eu não estou mentindo.
  O sinal toca e Lee se levanta de sua cama.
- Hora de higiene pessoal. Li no cronograma que hoje estaremos liberados para sair.
- É mesmo? Legal. Não sei se vou sair ou se vou ficar lendo alguns livros, não costumo sair. -digo me levantando e pegando minhas coisas para higiene pessoal: escova de dentes, fio dental, toalha, pasta de dentes, pente, absorventes, shampoo e condicionador, desodorante, sabonete e um rolo de papel higiênico, ponho tudo em uma necessair. - Depois nos vemos.

  Vou andando até o banheiro e encontro Lavínia no caminho. Ela sorri para mim e eu aceno, entramos no banheiro e eu escolho um armário de higiene pessoal ao lado do dela. Seguro minha toalha, meu sabonete e meus instrumentos de higiene bucal e guardo o resto lá dentro, fecho o armário. Vou até um chuveiro e tomo um banho rápido, já que tinha lavado os cabelos andes de vir. Saio do banho e me seco, logo me enrolo na toalha. Saio do box e vejo apenas Lavínia lá. Ela estava vestida, logo que a vi me liguei que tinha esquecido de pegar minhas roupas.

- Lavínia! -digo um pouco alto. - Você pode ir até meu quarto pegar uma roupa para mim, por favor?
- Claro! -ela se dirige a porta e sai do banheiro, indo para meu quarto.
  Entro novamente no box esperando Lavínia, vejo que meu braço sangra onde eu cortei. Ligo o chuveiro novamente para limpar o sangue, o mesmo escorre junto com a água pelo meu braço. Passo a mão por cima dos cortes e desligo o chuveiro pois ouvi Lavínia chegar com minhas roupas. Abro o box de novo e ela se dirige a mim me entregando as roupas, pego e me visto. Ela sai do banheiro, vou até meu armário e pego meu pente, começo a pentear meus cabelos ruivos com cachos largos na ponta. Defino os cachos com os dedos e sorrio me olhando no espelho. Guardo meu pente no armário e o tranco, saio do banheiro e subo as escadas caminhando até meu quarto. Entro e vejo Lee sentado em sua cama se mutilando e chorando.

- Lee? O que houve? -digo meio preocupada e me sento ao lado dele, tiro a lâmina de sua mão. - Me conte...
- Bom, Olívia... -ele suspira. - Minha mãe sofreu um acidente grave... Ela... Morreu.
  Se passa um filme em minha cabeça: o estupro, minha irmã me torturando, meus familiares me rejeitando, minha mãe no caixão, meu pai bebendo. Me seguro para não chorar, pois tinha que ajudá-lo. Ele enxuga suas lágrimas.
- O que faço, Olívia ? - ele diz me olhando.
  Seus olhos marejados estavam realçando a cor dos mesmos: eram lindos, castanho claro, indo para o verde. Seus cabelos pretos e lisos estavam caídos em seu olho esquerdo e sua boca era bem vermelha. Kim Lee Park é lindo. Será que estou me apaixonando?
- Olívia? -ele me olha. - Está tudo bem com você ?
- Sim. Vamos sair, Lee. Vá se arrumar. -digo me levantando.


Notas Finais


Até o próximo capitulo, doces 💚 espero que gostem 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...