História Crying in the club because I have questions - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 15
Palavras 1.254
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Magia, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

LEIAM AS NOTAS FINAIS

Capítulo 1 - Crying in the club because I have questions


POV Gina

"Why did you leave me here to burn?I’m way too young to be this hurt

I feel doomed in hotel rooms

Staring straight up at the wall

Counting wounds and I am tryin' to numb them all"

Eu estava no três vassouras, esperando o Dino para que pudéssemos tomar uma cerveja juntos. Nossa relação nao era das melhores, mas eu tinha esperanças de melhorar.

Passado 1 hora ele não tinha chegado. Fiquei preocupada e saí do restaurante e comecei a procurar o Dino pelas partes mais afastadas.

- Por que, você não larga aquela megera e vem ficar comigo? - disse uma voz feminina que estranhamente me soou familiar.

Nesse instante eu cheguei mais perto e espiei por um arbusto, peguei-o beijando Pansy Parkinson. Tentei me aproximar e acabei pisando em um galho, e quebrei-o sem querer. Vi os dois se assustarem, e então Dino disse para Pansy, sussurrando:

-Vá atrás daquela árvore e so saia quando eu disser.

Ela correu silenciosamente ate uma árvore e eu saí do meu esconderijo batendo palmas para eles

(I have questions for you)

Number one: tell me who you think you are

You've got some nerve trying to tear my faith apart

(I have questions for you)

Number two: why would you try and play me for a fool?

I should have never ever, ever trusted you

(I have questions for you)

Number three: why weren't you who you swore that you would be?

I have questions, I've got questions haunting me

-Parabéns Thomas, Parabéns Parkinson pode sair dai sua piranha descarada por que a luz do sol mesmo fraco tá fazendo balada nas suas escamas de piranha, ou seria de cobra?

Dino que finalmente tinha recuperado cor na pele tentou falar:

- Gina.... O que você...o que....

- Não precisa tentar nada Thomas, eu sou uma mulher solteira agora, pena que eu gastei o meu tempo te ajudando no que você precisava, por que agora fique sabendo, não tem direito a dirigir NENHUMA palavra a mim. E para você é Weasley. - eu disse com o dedo em riste na cara dele. E vendo Parkinson se afastar eu me viro para ela

- E você, piranha, deixa eu te ensinar uma coisa, se a pessoa é comprometida, não comece a piranhar com essa pessoa, pois diferente de você as pessoas em um relacionamento tem sentimentos. - em seguida dei um tapa na cara dela que ficou a marca vermelha de cinco dedos.

Em seguida comecei a correr de volta para o três vassouras e pedi alguma bebida forte, mas não o suficiente para me embebedar, eu sentia olhares pairarem sobre mim, e quando eu via já estava quase trincando o copo com minha bebida.

Eu queria entender o por que ele tinha feito aquilo. Será que ele não estava feliz? Não tinha esperanças de melhorar? Eu estava cheia de pensamentos estranhos e confusos. Sentia meus olhos arderem, não queria chorar ali no meio do bar, com todos olhando mas eu simplesmente nao aguentei, Cruzei os braços na mesa e apoiei minha cabeca escondendo meu rosto e assim começando a chorar realmente.

Eu odiava chorar, era algo que as pessoas achavam ser fraco, mas eu não sou, Gina Weasley nao era fraca.

Um tempo depois, eu senti o barulho de uma cadeira se arrastar ao meu lado e senti um jeans roçando na minha perna.

-Sai daqui Thomas, eu nao quero falar com você nunca mais, você não entendeu? - digo ácida sem nem ao menos levantar a cabeça.

-Nao é o Dino, mas se você quiser eu saio, não quero incomodar. - ouvi a voz de Harry soar ao meu lado e sem me controlar me atirei em seus bracos e voltei a chorar desesperadamente em seu ombro enquanto ele afagava meu cabelo com uma mao e esfregava minhas costas com a outra em um sinal claro de tentativa de me acalmar.

Ele se manteve quieto por um tempo enquanto eu parava de chorar. Ele apenas me abraçou, ele apenas foi o que eu precisava no momento: um ombro amigo para chorar.

-Está tudo bem? - ele perguntou relutante e eu o olhei nos olhos.

- Vamos caminhar? Te conto tudo enquanto andamos. - digo e após pagarmos a bebida, fomos andar ate o fim de Hogsmead, e voltar o caminho inteiro falando sobre Dino e o ocorrido.

"You may think that you'll die without her

But you know that’s a lie that you told yourself

You fear that you’ll never meet another so pure

But it ain't true, aint true, ain’t true, nah"

Harry estava quieto, e esteve assim enquanto eu falava.

-Esta tudo bem com você? – ele perguntou me abraçando pelos ombros.

-Bem eu não estou, pelo menos não totalmente. Tudo bem que a minha relação com ele já não ia muito boa, mas, não precisava acabar desse jeito, sabe? – ele assentiu e me abraçou

-Posso te levar em um lugar? – ele perguntou carinhosamente enquanto me soltava do abraço. Eu assenti como resposta e, me abraçando lateralmente, me guiou até o castelo, e começamos a subir algumas escadas.

Chegamos em uma escada circular, que dava para uma porta de madeira e ele se virou para mim, me segurando os meus ombros e olhando bem nos meus olhos, me fazendo ficar perdida naquela imensidão verde.

-Fecha os olhos – ele disse ainda me encarando fixamente e eu fechei os olhos, senti ele contornar meu corpo e ficar atrás de mim com as mãos em minha cintura, sem malicia nenhuma.

Ele começou a me empurrar levemente para dentro do lugar que havia atrás da porta de madeira, ele me soltou uns instantes e ouvi ele fechar a porta.

-Você quer relaxar? – ele perguntou me abraçando carinhosamente por trás ainda sem abrir os olhos, assenti em resposta – abra os olhos

Eu abri os olhos e nem precisei me acostumar com a luz, já que a sala estava meio escura, as únicas luzes que haviam no cômodo eram dos mapas astrais e planetas mapeados em maquetes. Estávamos na sala de astronomia.

-Uau – fiquei sem reação – Harry, como você...

-Eu descobri aqui por acidente, procurei um lugar para ficar sozinho e achei aqui. – ele disse coçando a nuca – você ainda esta chateada?

Ele perguntou, e eu mesmo sem saber, simplesmente comecei a chorar desesperadamente. Não sei se foi por causa das memorias entre mim e Dino, ou se era pelo fato de que eu sabia que ainda não tinha superado Harry.

Ele me abraçou protetoramente, como se quisesse me livrar de todo o mal do mundo. Se soltou do abraço e conjurou uma caixinha de rádio.

- O que você esta fazendo? – pergunto e ele me estende a mão

- Te animando. – ele respondeu  sorrindo ladino e pegando minha mão e começando a me mexer no ritmo da música que tocava no rádio.

Ficamos dançando até os planetas e luas começarem a mudar de lugar, indicando que o dia seguinte já se aproximava.

Em um momento, que estava tocando uma música com um ritmo animador, eu me sentia bem melhor, ele, que estava com a cabeça em meu ombro e com a minha cabeça no ombro dele. Ele me encarou, com aquela imensidão verde e profunda por trás dos óculos redondos e disse cantando com a música:

Ain't no crying in the club (hey, hey)

Let the beat carry your tears as they fall baby

Ain't no crying in the club (hey, hey)

With a little faith, your tears turn to ecstasy

E eu não consegui mais me segurar, agarrei sua nuca delicadamente e o puxei para um beijo...


Que ele correspondeu, com prazer....


Notas Finais


Espero que tenham gostado, em relação a versão original q eu postei na conta q foi apagada, Vcs q leram verão mudanças, eu mudei oq estava me incomodando e age esta bem melhor


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...