História Crystal Em Chamas - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Viktor Chavalier, Violette
Tags Chamas, Fogo, Romance, Sobrenatural
Visualizações 10
Palavras 1.808
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Escolar, Ficção, Luta, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Ameaça!!?


Fanfic / Fanfiction Crystal Em Chamas - Capítulo 3 - Ameaça!!?

Crystal: (Simplesmente corresponde ao beijo, até o momento, em que o beijo foi se tornando mais intenso, ele me pegou no colo, ainda me beijando, e me encostou na parede, ele começou a passar a mão em minha coxa, deixei ele continuar, passando os braços em volta do seu pescoço {IMAGEM}, até o momento em que a falta de fôlego nos fez parar.) Por que você​ me beijou? (Disse ainda sem fôlego)

Castiel: A pergunta que não quer calar é, porque você correspondeu?

Crystal: Porque eu quis aproveitar o momento, e além do mais, que pra mim, isso foi apenas um beijo e nada mais.

Castiel: Não é o estava parecendo.

Crystal: Eu não te falei, também fiz curso de teatro, e a minha tutora disse que eu sou uma boa atriz.

Castiel: Cada vez mais me surpreendendo, tem alguma coisa que você não tenha feito?

Crystal: Acho que... nunca tive uma vida comum.

Castiel: Isso tem a ver com o seu segredo?

Crystal: Sim... E se continuar perto de mim... Vai acabar se machucando. (Fui em direção a porta do banheiro, que não estava muito longe, e entrei rapidamente antes que Castiel me impedir-se com alguma pergunta, entrei, tranquei a porta, e coloquei uma música no meu celular [Rag_n_Bone Man - Human], melhor música e melhor tradução... tomei um banho bem quente e demorado.) Droga esqueci de pagar uma roupa. (Me enrolei na toalha e fui em direção ao meu quarto, ainda de toalha escolhe uma roupa qualquer, a primeira que vi pela frente, tirei a toalha qui alguém entrou no quarto.) C-castiel !? (Coloquei a toalha novamente bem rápido.)

Castiel: "Alô policial, estam tentando me seduzir aqui !!" *fingi está falando no celular*

Crystal: Porra Castiel, porque não bateu na porta, caralho!!!

Castiel: Primeiro, eu não gosto de avisar quando estou chegando e segundo, pensei que estivesse no banho, mas bem que valeu a pena.

Crystal: (Ele me olhou dá cabeça aos pés, me deixando envergonhada.) Seu filho de uma fruta podre, saia do meu quarto agora mesmo.

Castiel: Não sou do tipo que recebe ordens.

Crystal: Sério? nem percebi... *tom sarcástico*(olho em volta em busca de socorro, por que isso vai dar merda, lembrei tem um campo de eletricidade aqui mais onde está o botão.)

Castiel: O que está procurando, não me diga que tem uma arma aqui.

Crystal: Tem cinco armas espalhadas pelo quarto, e pela casa.... nem queira saber. *procurando* ACHEI !

Castiel: O que você achou?

Crystal: Essa casa parece ser antiga, mais ela é mais tecnológica do que parece, sabia? (Apertei o botão que tinha atrás da cômoda, levando​ um muro preto, com campo de eletricidade, entre nós dois.)

[PS: Nesta fanfic, ela não é tábua, essa casa é uma herança de família, então eles já tinham acesso a casa, antes de irem morar oficialmente, e quem instalou os paranauê foi o Viktor, caso houvesse algum ataque, melhor irmão gente.]

*VOLTANDO*

Castiel: Você... Isso é muito estranho.

Crystal: E só agora que você percebeu!? *Tom sarcástico*

Castiel: O que acontece se eu encostar?*Deu um passo para frente*

Crystal: Você morre, *sorri* e assim.... você faria um bem para humanidade.

Castiel: Isso é sério?

Crystal: Tem duas possibilidades, no mínimo, você vai se machucar muito, até chegar ao ponto de desmaiar, ou torrar até a morte. (Disse muito tranquila, terminando de vestir a roupa, logo em seguida desfazendo o murro)

Castiel: Admita, você iria sentir minha falta. (ele deu um sorriso presunçoso e confiante)

Crystal: Eu acho que a única pessoa que iria sentir a falta de você é a sua mãe (gargalhei caindo da cama, lágrimas escorrendo pela lateral dos meus olhos de tanto rir)

Castiel: Isso não tem graça!

Crystal: Se não tivesse graça, não estaria rindo tanto.

Castiel: Não vou ficar aqui para você ficar rindo da minha cara, parece que você já está bem melhor, não tem mais motivos para eu ficar aqui, tchau!

Crystal: Castiel para birra, tá parecendo uma criancinha de 7 anos (me sentei na cama observando ele parar na porta, se virando para mim)

Castiel: Bem o que eu te fiz não parecia um beijo de uma criança de 7 anos parecia? (e novamente o sorriso vitorioso tomou sua face)

Crystal: Idiota! (disse me deitado na cama novamente e fechando os olhos)

Castiel: Se eu fosse você, não daria mole assim (ele sussurrou em meu ouvido e fazendo arrepiar) sabia que mexia com você baby, está quente.(passou a mão por dentro da minha blusa, acariciando minha cintura)

Crystal: Se estou quente, significa que estou viva. (tentei cortar seu barato e acabar com aquele clima estranho, mas ele é duro na queda, se aproximou de mim e deu um beijo em meu pescoço, me fazendo soltar um gemido baixo)

Castiel: Grr... Você quer me enlouquecer, com mais um gemido desse, vai ficar difícil.

Crystal: Se tentar, fazer uma coisa comigo, eu vou gritar.

Castiel: Só aproveite o momento (mais que safado, ele tá usando a minha frase, contra mim)

Crystal: Castiel... (tentei impedir, mas já era tarde, sua mão boba estava em meu seio esquerdo enquanto a outra deslizava pela minha coxa, não consegui segurar e um gemido saiu um pouco mais alto do que o último)

Viktor: Crys está tudo bem aí em cima? (Viktor falou subindo as escadas, dá para ouvir o barulho de seu tênis batendo na madeira)

Castiel: Sim, está tudo bem? (disse ele tomando a frente sem me deixar falar)

Viktor: Vou dar uma saída, e só vou voltar daqui a algumas horas, Tchau, se cuidem.

Crystal: Como é q... (Castiel tapou minha boca com a mão e pedindo que eu gritasse)

Castiel: Não se preocupe Vick, eu vou cuidar muito bem dela. (Disse e olhou para mim com um sorriso safado) Ele já foi... agora você é só minha.

Crystal: Nem pensar que vou deixar você encostar esse teu pau sujo em mim.

Castiel: Teu irmão liberou banheiro para eu tomar uma ducha enquanto você dormia, e não quer engravidar ninguém tão cedo, também sou consciente (ele tirou do bolso três camisinhas do bolso)

Crystal: Puta merda, você vai me estuprar...

Castiel: Não, só vou acariciar um pouco, até você querer ser fodida.

Crystal: (Quando Castiel ia me beijar, escutei o barulho, muito alto, da porta sendo derrubada, instantaneamente empurrei o Castiel e peguei um revólver calibre 500 Magnum, debaixo do travesseiro)

Castiel: Você tem uma arma escondida no travesseiro? (Ele olhou para o revólver em minha mão)

Crystal: Você tá realmente preocupado com a arma? Seja lá quem for, que arrombou a porta daquela maneira, não é coisa boa (falei com firmeza na voz e o mais baixo possível) e outra coisa, eu sei que o senhor "Bad Boy" não gosta de receber ordens, e muito menos de obedecer a elas, mas não quiser morrer de verdade vai ter que me escutar, entendido?

Castiel: Ok, mas pelo amor abaixa esse revólver (olhei para a minha mão e percebi que estava pintando a arma para Castiel enquanto falava, abaixei a arma calmamente e apertei sua mão)

Crystal: Calma Bad Boy, minha Magnum tá travada, agora vamos.

Castiel: Vamos para onde? os caras devem ter cercado a casa. (olhei pela janela e ele tem razão, tem no mínimo 50 homens armados até os dentes cercando a casa, seria fácil queimar todos eles em apenas uma tacada, mas isso só resultaria em mais uma mudança)

Crystal: Puta merda, fodeu.

Castiel: O que foi, eu tava certo?

Crystal: É a Mafia Siciliana, ela é a segunda mafia mais perigosa do mundo, você deixou alguma coisa sua na sala?

Castiel: Não deixei tudo aqui no seu quarto, porque eles são do tipo que investiga a vida da pessoa?

Crystal: Sim, eles são do tipo que investiga, acha as pessoas mais próximas, e os fazem de refém para conseguir o que quer, torturando muito as vítimas e digo isso por experiência própria não quero que aconteça de novo. (eu mal conhecia ele mas não quero que ninguém sofra por minha causa de novo) recolha todas as suas coisas e ponha nessa mochila nada se pode ficar aqui  (entreguei uma mochila a ele, peguei munição debaixo da cama, para prevenir e um bolo de dinheiro no compartimento secreto na cabeceira)

Castiel: É oficial, eu não me admiro mais em relação a você.

Crystal: Vai por mim, isso aqui não é nem a metade do que eu sei fazer.

Castiel: Por onde vamos sair?

Crystal: Já sei, o túnel (meu irmão disse somente em uma emergência, acho que é o caso) Sabe atirar ?

Castiel: Já fiz algumas aulas de tiro, mas só usei um tipo de arma, que foi uma calibre 38. (subir em cima da cama, para alcançar o alto do guarda-roupa)

Crystal: Toma, um revólver Taurus calibre 38 cano 4 e munição extra, agora vamos já perdemos muito tempo aqui.

Castiel: Você sabe a marca de todas as suas armas?

Crystal: Acho que sim...

(Saímos do quarto devagar e fomos em direção à escada, não tinha ninguém na sala, provavelmente estavam na cozinha ou no quarto do meu irmão, descemos a escadaria em passos lentos e fomos para uma entrada secreta atrás da lareira, afastei a lareira, que não é real e sim de isopor, o Viktor pensou nisso para termos uma fulga silenciosa em caso de emergência, Castiel foi na frente e eu fui logo em seguida para puxar a lareira)

Castiel: Nossa, está muito escuro aqui. *cochicho* (estalei os dedos acendendo várias tochas que estavam na parede revelando um caminho em forma de escadaria) Como?

Crystal: Shh... ficou maluco, fala baixo se não quiser morrer. *cochicho*

Castiel: Foi mal esquentadinha, mas é estranho as tochas terem... você viu né ?

Crystal: No tempo certo eu te explico Bad Boy, agora vamos antes que o Demon nos ache.

Castiel: Demon ? Tipo um demônio da máfia siciliana ?

Crystal: Também não é tão ao pé da letra... (para falar a verdade ele é mesmo um demônio, só não falei a verdade para assustá-lo não se brinca com Anjos, Demônios e "Mutantes" preferi poupá-lo dessa realidade, alternativamente desconhecida pela raça humana)

(Descemos a escadaria, até chegar a uma porta de carbyne,

que pede uma senha, digitais e identificação de retina)

Crystal: Droga...

Castiel: O que foi ? O seu irmão não a te dá acesso a essa porta ? *sorriso sarcástico*

Crystal: O problema não é as digitais ou a identificação de retina, o problema é que eu esqueci a senha. (pensa Crys pensa)

Castiel: Como assim você esqueceu, pode ser um coisa óbvia como arma.

Crystal: Pode ser que dê certo. (fiz a identificação de retina e a das digitais, digitei a senha arma) Não acredito, deu certo !!

Castiel: Eu sei que eu sou incrível (ele coloca uma mão na cintura e a outra passa no cabelo, fazendo uma pose com um sorriso bem aberto)

Crystal: Caralho, esse foi um movimento muito gay!

Castiel: Eu não sou gay, o tipo de fruta que eu gosto está bem na minha frente. (ele faz uma cara sexy se aproximando de mim)

Crystal: Tem como o Bad Boy, aquietar o facho, e focar na fuga que ainda está na metade.

Castiel: Ok, mais eu vou te cobrar. *afastou-se*

(Abri a porta de carbyne, e fui na frente com Castiel logo atrás de mim)

Castiel: Puta...Merda... que porra é essa?


Notas Finais


Agora só iremos saber o que vai acontecer e o que tem atrás dessa porta no próximo capítulo

Tchau e Arigatogozaimasu por ter lido até aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...