História Crystal Frost - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dr. Martin Stein, Dra. Caitlin Snow, Iris West, Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Crystal Frost, Danielle Panabaker, Granielle, Grant Gustin, Savifrost, Savitar, Snowbarry, The Flash
Visualizações 165
Palavras 3.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi coisinhas lindas...

Sim, capítulo saindo antes, irei dar uma fugida dos acontecimentos da série... POR HORA...
Primeiro porq a série ta bem Zzzz
Segundo porq eu já pretendia dar essa fugida
Mas ainda terão alguns spoilers.
Quero avisar que Snowbarry vai demorar um pouco à acontecer, mas garanto que vai antes do fim da fic.
Quero agradecer à todos os favoritos e pedir desculpas pelos possíveis erros ortográficos.

Capítulo 6 - 406 - Secret Reveal


Fanfic / Fanfiction Crystal Frost - Capítulo 6 - 406 - Secret Reveal

- Nada pode tornar essa noite pior. – Diz Cisco entrando no córtex e se deparando com Frost. – Eu estou cansado... Eu estou muito cansado, podemos fazer isso amanhã, por favor? -

- Garota com cabelo branco? Gostosa. – Diz Ralph sorrindo.

- Porque Killer Frost está aqui? – Pergunta Barry.

- Ela tem algo a nos dizer e nós vamos ouvi-la. – Frost permite Caitlin assumir o controle, os cabelos mudando para o tom dos cabelos da Caitlin.

- Ah... – Resmunga Ralph. – É só a Caitlin.

- Posso explicar tudo. – Diz Caitlin e todos se aproximam para ouvir a sua explicação. – Seis meses atrás... Quando eu me descobri grávida, eu fui até a minha mãe, pedi ajuda e ela me ajudou e compreendeu o que eu passava, mas ela só descobriu que a Crystal era um colapso temporal e que provavelmente não chegaria nem até o fim do ano viva. – Caitlin suspira. – Frost estava desesperada e com medo, tanto quanto eu, ou até mesmo mais. Eu pensei em me livrar da Crystal, mas ela não permitiu, ela tentou assumir o controle várias vezes, apenas para que eu não descartasse a criança que crescia dentro de nós a cada dia que passava e só entramos em uma trégua porque eu garanti que nunca iria me livrar dela.

- Você queria se livrar da Crystal? – Pergunta Cisco.

- Isso não parece coisa que você faria. – Diz Barry um tanto incomodado com a hipótese.

- Eu estava assustada... E eu... – Ela nega. – Eu não sei, mas eu percebi que a Crystal era uma coisa importante para Frost, mesmo que ela me lembre das coisas que eu fiz, que eu e a Frost fizemos. Ela é importante para mim também e eu percebi que ela além de tudo, era minha também. – Caitlin olha para as próprias mãos. – Ela nasceu nove dias após eu ter me descoberto grávida. Era do tamanho normal de uma recém-nascida, os cabelinhos eram extremamente brancos... – O olhar e sorriso sonhador de Caitlin fez Barry sorri. – Ela era linda. Mas foi crescendo rápido, cresceu a cada semana... Em um mês ela parecia ter quatro anos, e nesse tempo, Frost estava ficando mais forte, porque ela queria a Crystal mais do que tudo, queria fugir com ela e minha mãe ainda queria estuda-la e foi então que conheci a Amunet.

- Amunet? – Indaga Ralph. – Do mercado negro de Meta-Humanos? – Caitlin assentiu.

- Ela tinha uma tecnologia que poderia me ajudar com a Frost, mas... – Caitlin deu de ombros. – Não funcionou.

- Mas e a Crystal? – Pergunta Barry.

- Eu a deixei com a minha mãe nessa época. – Diz Caitlin. – Minha mãe cuidava bem dela, melhor do que eu, confusa, cuidaria. – Caitlin suspira. – Como eu não conseguia me livrar da Frost e nem das lembranças do que ela viveu com Savitar, eu quis voltar, mas Amunet acabou me encontrando e encontrando Crystal, que já parecia ter seis anos e Amunet garantiu que com o problema da Crystal, ela poderia me ajudar e de fato ajudou, com essa ajuda, minha mãe criou o soro que foi capaz de inibir o crescimento dela... E eu acho que foi permanente. Mas o preço disso era que eu me aliasse a ela e se eu tentasse sair, Crystal seria vendida, eu Caitlin... Fiquei com medo e acabei aceitando, mas... Quando Cisco foi até mim, me pedir ajuda para tirar você da Speed Force, eu pensei que podia reparar os danos que causei e tentei sair, mas Amunet me perseguia, mandava bilhetes, e eu estava cada vez mais assustada. Foi aí que ela mandou Norvok ir atrás de mim na despedida de solteiro da Íris. Eles haviam sequestrado Crystal e iam usa-la como isca, então a Frost que não consegue ficar quieta e basta ela sentir que Crystal está em perigo, para despertar, apareceu e teve que tomar uma atitude, Amunet queria minha ajuda para vender um meta-humano que ela mesma o apelidou de chorão.

- Que nome horrível. – Diz Cisco e Caitlin inibiu.

 - Então... – Frost apareceu novamente. - Eu não queria participar e Amunet iria me forçar a isso, mas Íris apareceu impedindo uma possível briga entre mim e Amunet. – Todos encaram Íris. – Eu iria fugir para outra terra com a Crystal, recomeçar e ser o que eu queria ser, mas Amunet apareceu e tentou me matar, mas a policia apareceu e nesse momento de distração... – Caitlin retomou o controle novamente. – Eu consegui fugir com a Crystal até aqui.

- Porque quando você vira a Caitlin está toda machucada e quando vira a Frost, não? – Pergunta Barry.

- Frost se regenera rápido, eu não. – Caitlin responde.

- Então... – Começa Íris. – Felicity, Cecile e eu iríamos tentar parar a Amunet, mas era uma armadilha.

- Amunet conseguiu pegar a Crystal e o preço por eu ter saído, seria vendê-la. – Caitlin completa. – Mas Frost conseguiu detê-la.

- Crystal está bem? – Pergunta Barry.

- Ela está na MedBay dormindo agora, mas está bem.

 

[[...]]

 

Crystal estava deitada na maca da MedBay, Caitlin segurava sua mão e acariciava. Ela tinha medo de um dia machuca-la, não referente aos poderes, mas sim em outros fatores, como emocionais. Crystal era o bem mais precioso que Savitar dera a ambas as partes dela e ela não queria perdê-la, aquela noite serviu para lhe mostrar isso. Ela pode não ter demonstrado, mas não saberia o que fazer se perdesse à sua menina.

- Ela está bem? – Ouviu a voz de Barry atrás de si e se virou rapidamente e assustada. – Íris me contou o que aconteceu com ela. Porque não me contou quando estávamos lá? – Caitlin suspira.

- Sim... Agora ela está. Ela teve o mesmo problema que você. – Barry se senta em uma cadeira ao lado da maca, onde Caitlin estava ao lado de Crystal.  – Glicose baixa e o abuso dos poderes mais a pressão dela que também baixou. E eu não queria preocupar você.

- Ela dorme na mesma posição que você. – Caitlin encara Barry. Ele estava encarando Crystal. – Não tivemos tempo de conversar sobre o que vimos. Aquela linha do tempo. Com tudo isso acontecendo e...

- Barry, eu... – Caitlin suspira. – Quero esquecer que vimos àquela linha do tempo, ela não existe mais, você alterou tudo... – Ela volta a encarar Crystal. – E eu a tenho... Eu jamais a trocaria, eu não iria mais para nenhum lugar em que ela não estivesse. E... – Ela limpa a garganta. – Não consigo imaginar aquela linha do tempo.

“Consegue sim!” – Diz Frost.

- Achei que estivesse dormindo. – Ela diz em voz alta e Barry a encara sem entender. – É a Frost... Nós aprendemos há pouco tempo colocar uma para dormir quando a outra está acordada, então... – Ela dá de ombros. – Nesses últimos seis meses eu e Frost conversávamos bastante e é por causa dela que Crystal está aqui hoje. Eu iria embora com ela essa noite, Crystal e eu iríamos recomeçar... Mas eu não posso.

- Eu estarei ao seu lado... Eu prometo. – Caitlin sorri de canto.

- Já me prometeu isso antes... – Diz ela. – Desculpa... – Ela lubrifica os lábios ao reparar no olhar de Barry.

- Não, tudo bem... Eu merecia essa. Mas voltando à outra linha do tempo... Eu juro que se eu soubesse que aquilo aconteceria comigo, eu não voltaria.

- Você ia conseguir viver sem a Íris? – Caitlin pergunta.

“Rá... Dúvido.”

- Não sei, eu voltei no tempo porque eu senti que faltava algo e... Acabei fazendo aquilo sem pensar... Talvez eu não tivesse maturidade o suficiente. Mas eu juro Caitlin...

- Não precisa jurar isso para mim, Barry... Aquela linha do tempo estando lá ou não, não faz mais parte da nossa vida. Essa faz... Apenas esqueça está bem? – Barry a encarava sem entender. – Esqueça-se disso, foque em seu casamento, pois eu quero que você seja muito feliz.

- Você sempre esteve ao meu lado por todos esses anos e eu não soube agradecer, acho que nem tem como te agradecer pelas coisas que você fez... Então eu quero que você seja a madrinha do meu casamento, estando ao meu lado. – Caitlin arregala os olhos. – Eu adoraria ter você lá, Cait... Por favor... Nós somos amigos desde que eu acordei do coma. Foi seu rosto o primeiro que vi quando acordei, quero que esteja ao meu lado nesse dia tão especial. – Caitlin respirou fundo.

- Eu aceito... – Ela diz sorrindo. – Digo... Essa fala é da Íris. – Barry ri e os dois se abraçam brevemente.

- Eu posso te pedir uma coisa? – Caitlin o encara e espera ele pedir. - Posso falar com a Frost. – Frost nem ao menos deu chance de Caitlin responder, assumiu o logo o controle, Barry se assustou dando um passo para trás. Frost arqueou a sobrancelha.

- Eu não mordo. – Ela diz. – A menos que você queira. – Frost se levantou e sentou em uma das cadeiras que estava na MedBay.

- Eu só... – Barry não conseguiu completar a frase.

- O que quer saber? – Frost cruzou as pernas. Barry se aproximou e se sentou na cadeira à frente dela.

- Por que seguiu Savitar? – Frost rola os olhos.

- Você não quer perguntar isso... Quer perguntar por que fui pra cama com ele porque não consegue imaginar sua linda amiguinha dessa maneira. – Barry coça a nuca desconfortável. – Savitar era mais que um parceiro de crime... – Ela dá de ombros. – Ele era forte, destemido, estava disposto a me ajudar, mas não se engane, quando estávamos juntos, era mais a sua amiguinha que queria... De uma forma estranha ela estava feliz e bom... – Frost deu de ombros. – Eu também queria.

- Como sabia que ele não ia descartar você? Cisco me contou...

- Cisco? Ah claro... – Frost cruzou as mãos. – Bem... Savitar me contou todo o seu plano, eu iria destruir as mãos de Cisco, ele iria matar Íris e nós iríamos ficar juntos, ele iria conseguir o que queria, mas ele tinha mais de um plano, ele era esperto. – Frost encara Crystal que ainda dormia se recuperando. – Mas de alguma forma, ele sabia sobre ela. – Barry encara Crystal também. – Ele sabia que ela viria... – Barry voltou a encarar Frost, era nítido o amor que ela sentia. – E então... Permitiu-se ser vencido.

- E quando descobriu que estava grávida?

- Caitlin e eu não tínhamos controle sobre a outra ainda...

“Sabe que terá que ir até ela...”. – Diz Frost...

- Sim, eu sei... Não precisa ficar me lembrando disso... – Diz Caitlin. E é para lá que estamos indo.

“Você vai tentar salvar o nosso bebê... Não vai?” – Caitlin respira fundo. – “Responde!” - Mas Caitlin apenas fechou os olhos e negou. Ela não queria... Não mais.

- Frost... Eu...

“O bebê também é seu... Você também queria aqueles momentos com o Savitar, lembrando seu amado, Barry... Para com isso, você o quer tanto quanto eu.”

- Mas é um erro... – Caitlin encara sua barriga que parecia ter já cinco meses e começa a chorar. – Eu estou com medo.

“Eu também, Cait... Mas não podemos fazer isso, por favor, pense no Savitar...” – Caitlin riu amarga.

- Savitar era um vilão... Tenho certeza que ele não iria se importar com nenhuma de nós, provavelmente seriamos descartadas assim que ele soubesse disso.

“Você sabe que não.” – Caitlin sentiu um chute em sua barriga e chorou, chorou por estar perdida e não saber o que fazer com aquilo que crescia em sua barriga. Os chutes foram aumentando e ela então permitiu Frost aparecer e sentir também. Frost piscou com aquela sensação maravilhosa, ela amava aquele bebê e não iria permitir que Caitlin fizesse nada com ele... Mesmo que ela tenha que ficar no controle para sempre. - Savitar nunca te machucaria... – Diz Frost ainda com a mão na barriga.

- E o que sentia por ele? – Naquele momento os cabelos de Frost se tornaram castanho e Caitlin recuperou o controle. Ele não entendeu.

“Não quero falar sobre isso.”

- Ela fica desconfortável quando perguntam isso... – Diz Caitlin. – Acho que é a única coisa que a deixa assim.

“Cala a boca, Anna.” – Caitlin rola os olhos. Isso vem de Crystal, que quando estando em sua época criança, disse que sua mãe era Elsa e Anna em uma só, fazendo Caitlin se arrepender de um dia ter mostrado esse filme para ela.

 

[[...]]

 

Comendo gelatina de morango e assistindo desenho na TV. Crystal havia acabado de acordar e estranhamente sentiu um deja vu e novamente seu colar brilhou e sua visão ficou turva, ela se lembrou de ter sonhado isso, mas agora ela via. Barry parecia desesperado, assim como todos ali na sala, sua mãe na maca, sangrava e todos discutiam sobre leva-la ou não para o hospital. Barry encara o monitor com a mão na testa.

- Crystal? – Ela ouviu seu nome ser chamado e foi puxada de volta para aquela realidade.

- Íris? – Íris acenou hesitante.

- Posso... – Ela pergunta se pode se sentar. Crystal dá de ombros. – Sua mãe estava preocupada.

- Qual delas? – Pergunta.

- Frost... E também a Caitlin... Ela jamais teria ido se não fosse você quem estivesse prestes à ser vencida.

- Iria sim... Isso que você disse é só mais uma prova de que você não a conhece. – Crystal voltou a comer sua gelatina.

- Crystal, eu estou tentando... Pelo Barry, ele te ama e eu admito, não entendo, mas eu estou disposta ao menos ser sua amiga. - Crystal respira fundo.

- Tá, desculpa... – Ela diz. – O que quer?

- Sair com você... Para nos conhecermos melhor... – Crystal franziu a testa. – Lancharmos, quem sabe irmos ao cinema, há filmes bons em cartaz. – Crystal torceu o bico.

- Tá bom... – Ela diz e volta a comer a gelatina. Íris sorri animada com a ideia.

 

[[...]]

 

Barry sabia que ele estava apaixonado por Íris, ele sabia que seu destino era ficar com ela. Mas aquela linha do tempo... Ainda mexia com ele e ele se sentia ainda pior sabendo que de todos, Caitlin fora a mais afetada por suas escolhas, perdeu uma chance de recomeçar, perdeu os filhos que ela nem ao menos sabia que um dia chegariam e ganhou poderes e uma nova personalidade dentro de si. Alguém que possivelmente tenha estado adormecida dentro dela. Afinal Frost mesma disse que as duas compartilhavam dos mesmos sentimentos e lembranças, mas não as mesmas escolhas... Isso pode ser enfim a explicação do porque ela se aliou ao Savitar. Savitar e Barry compartilhavam os mesmos sentimentos e lembranças, mas uma pessoa mais quebrada e abandonada. Talvez Frost tenha sido assim, ela tinha medo de Caitlin se livrar dela e talvez por isso as duas vivessem em uma constante montanha-russa.

- O que está pensando? – Pergunta Ralph.

- Na Caitlin... – Diz Barry. – E na Frost e em tudo...

- Ah... Já notou o quanto ela fica gostosa de cabelo branco? – Barry encarou Ralph com o cenho franzido.

- Fica longe dela... Das duas... – Diz Crystal saindo da MedBay. – Aliás onde estão?

- Eu falei para elas irem para casa... – Diz Barry. – Precisavam descansar e eu garantir que ficaria de olho em você. – Barry vai até Crystal e a pega no colo, Crystal cruza suas pernas em volta à cintura de Barry. – Está bem? – Crystal assentiu.

- Sim... Irei sair com a Íris. – Diz Crystal encarando Íris e voltando à sua atenção para Barry. – Já que ela vai ser minha madrasta-tia em breve... Aliás preciso de um psicólogo, isso é traumatizante para uma criança. – Barry ri e beija as bochechas da filha, sim, ele se sentia o pai dela.

- Aonde vocês vão? – Ralph pergunta.

- Ah... Iremos ao cinema... Depois em uma lanchonete ou ao McDonalds... Crystal nunca comeu um hambúrguer de lá...

- Mas já comi a batata-frita... É meu lanche favorito. – Crystal lambe os lábios.

- Então? Vamos? – Crystal assentiu e segurou a mão de Íris e ambas saíram do córtex.

 

As duas não assistiram a nenhum filme, afinal se lembraram que Crystal ainda não tinha documentos, mas foram ao parque de diversões, Crystal se divertiu indo na casa fantasma, montanha-russa e nas barracas de tiro ao alvo. Viu um homem trapaceando para crianças não ganharem o jogo, usou sua telecinese para ajudar as crianças e continuou seu passeio com Íris. Elas até que se divertiam, conversavam sobre Barry, sobre Íris, sobre Caitlin, diversos assuntos.

Pararam para o lanche, Crystal colocou seus prêmios que ganhou nas barracas ao seu lado enquanto Íris foi fazer os pedidos, não demorou muito à voltar com um vaso de batata-frita, dois hambúrgueres e refrigerante.

- Não tinha suco? – Pergunta Crystal.

- Ali não, mas eu posso ir à outra... Você prefere suco? – Crystal assentiu.

- De laranja, por favor... – Crystal encara Íris. – O quê?

- Nada... Suco de laranja é o favorito do Barry e... Batata-frita também. – Crystal sorri.

- Acho que Savitar e ele tinham o mesmo gosto. – Crystal responde e pega uma batata-frita. Íris assentiu e foi buscar o suco novamente. Quando voltou elas ainda conversaram um pouco, mas o assunto morreu de repente. Crystal prometeu não usar mais os poderes de telecinese, mas ler os pensamentos de Íris naquele momento era mais importante e ela estava bastante curiosa para saber o que a futura noiva de Barry pensava. – Você está pensando em Savitar... – Diz ela encarando Íris ela ainda mastigando a encara sem entender. – Acha que eu serei um monstro igual a ele? Ele não foi o vilão, Íris.

- Ele tentou me matar. – Crystal dá de ombros.

- Ele tinha seus motivos... Mas isso o torna o monstro?

- Cisco me contou que Savitar ameaçou matar a sua mãe... Savitar fez coisas ruins, Crystal, ele não era herói...

- Nem o Barry... Nem Barry e nem Savitar... Mas Savitar foi mais herói que o Barry, eu sinto isso. – Crystal sorri. – Você pensa que ele é o monstro? Não foi ele quem atirou em alguém com o rosto igual ao de alguém que ele ama. – Íris iria falar algo, mas foi interrompida. – Meu pai pode ter feito muitas coisas ruins e até mesmo ameaçado. – Crystal encara fixamente Íris, quase podendo ver a alma dela através dos olhos castanhos. – Mas ele nunca machucaria nenhuma versão da minha mãe.

 

Íris levou Crystal até o apartamento, agradeceu à Caitlin por ter deixado Crystal sair com ela e se foi. Crystal jogou seus ursos de pelúcia no chão da sala e foi direto para o banho, tentando fugir de qualquer conversa, mas Caitlin entrou no banheiro e a observou no banho.

- O que você aprontou?

- Nada... – Ela diz entrando no chuveiro e lavando o excesso de espuma do xampu em seus cabelos.

- Crystal...

- Eu usei minha telecinese para ajudar algumas crianças em uma barraca onde o dono trapaceava. – Diz Crystal.

- Só isso? – Crystal passou condicionador nos cabelos. – Crystal...

- Okay... Eu li os pensamentos da Íris e talvez eu tenha falado mais do que devia. – Ela esfrega os cabelos e os enxagua novamente. – Ela pensa que eu serei um monstro, igual ao Savitar, mas ele não era o monstro. – Caitlin suspirou. – Eu estava até gostando de sair com ela, mas ai ela pensou isso. – Crystal desliga o chuveiro e veste o roupão. – Assim não dá. – Caitlin se aproximou da filha e segurou o seu rosto. – Eu só queria ter conhecido ele... É muito ruim ver que tudo e todos pensam que ele era uma aberração, que deveria ter destruído e nem ao menos ter existido. – Caitlin abraça a filha e acaricia seus cabelos molhados. – Só você e a Frost que não pensam desse jeito.

- Porque eu e a Frost fomos além daquilo que ele demonstrava. Ele poderia ser um tirano, mas... Ele no fundo, ainda era o Barry, apenas mais quebrado e triste, querendo apenas parar de sofrer, mas de uma maneira errada.

- Ele ficaria feliz se soubesse sobre mim? – Caitlin respirou fundo, Frost dizia que sim, mas ela tinha suas dúvidas sobre isso. Savitar poderia pensar que Crystal seria um atraso, um erro, algo que atrapalharia os seus planos e talvez até quisesse se livrar das duas. Mas Frost achava que Savitar iria querer seguir o seu plano, mas que nunca as abandonaria e talvez até ficasse feliz, tal pensamento que fazia Caitlin ficar em dúvida, mas ela não queria Crystal pensando que Savitar poderia odia-la.

- Sim... Ficaria.

 

[[...]]

 

Maio, 2017

 

- E porque eu iria confiar em você? Aliás, porque você confia em mim? – Pergunta Savitar a Barry.

- Porque eu sei que quando ver o que aconteceu no futuro, você vai me ajudar... – Diz Barry encarando o remanescente fixamente. – E você não vai tentar descobrir onde errou e nem ao menos tentar mudar seus planos... – O remanescente ri com escárnio. – Porque tem haver com a Killer Frost... – Savitar ficou sério e cruzou os braços.

- O que te faz pensar que eu me preocupo com ela?

- Os acontecimentos de amanhã... – Savitar ainda parecia não se abalar. – Você se preocupa com ela, porque nós temos o mesmo sentimento... E eu sei que você vai me ajudar, porque não vai querer repetir o erro... Não vai querer abandona-la.

 


Notas Finais


Obrigada:
_ @JMessyMind
_ @Evil_Is_Better (5x)
_ @HinaUchiha4
_ @SnowBarryBR (5x)
_ @luamariano
_ @IngridNetflix
_ @Rhay1980
_ @snowbarry1
_ @snowbarry12345

Por deixarem lindos comentários.
Esse capítulo não ficou da maneira que eu esperava, mas eu gostei do resultado de qualquer maneira... O que acharam da Íris? Confesso que estou começando a ficar com pena dela hauahauha.
Próximo capítulo teremos o Barry e a Crystal saindo juntos e tendo um dia de pai e filha. Hehehehe um grande beijo e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...