História Cuida de Mim - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hentai, Novel, Romance, Sasusaku, Shoujo
Visualizações 412
Palavras 2.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, gente que saudade!

Eu nunca pensei que a Fic seria tão abraçada pelo publico! Estou no céu com tanto amor...♥

Estamos quase em 500 favoritos e tenho um pequeno desafio, YEAH!
Se chegarmos em 500 até domingo teremos capítulo duplo na segunda feira, siiim, DOIS capítulos!
Loucura né ?! Sera que iremos conseguir? Espero que sim ♥

Amo todas vocês!
Apreciem e não esquecam de comentar...

Capítulo 23 - Florescendo - Parte lll


Sem revisão, leia a descrição por favor ! ♥

Apertava os pulsos e rangia os dentes enquanto subia pelo elevador, em sua mente tudo era um grande borrão, se souber aquele filho da puta teve qualquer tipo de envolvimento com a invasão do apartamento de Sakura ele estaria morto, morto por suas próprias mãos.  Quando a porta lentamente se abriu foi um choque. Haviam fitas de contenção por todos os lados, policiais tirando fotos, fazendo anotações em pranchetas, tudo um grande caos. As paredes do grande e belo hall de entrada estavam totalmente pichadas com palavras de baixo calão, “vadia” era a mais doce delas, haviam também palavras sem sentido, ou só rabiscos.

Sasuke passou como uma bala pelas faixas amarelas da porta, alguns policiais tentaram conte-lo, mas de nada adiantou. A visão de dentro da casa conseguia ser pior, mais mensagens de  ódio pelas paredes, o sofá estava rasgado, a tv estilhaçada  no chão, as janelas quebradas, cortinas aos trapos. A cozinha a mesma forma, armários abertos, comida espalhada pelo chão, o fogão estava totalmente queimado, havia tido um princípio de incêndio. O quarto de sakura era o mais destruído, espelhos quebrados, roupas rasgadas e queimadas por todos os lados, itens pessoas jogados, mas o que chamou sua atenção foi a pichação em cima da cama

“Você irá morrer, Vadia”

Respirou fundo fechando os olhos e o pulso. O último cômodo era o quarto do Yuri, estava irreconhecível, até o carpete do chão havia sido arrancado. Os dinossauros na parede pareciam chorar e pedir socorro por cima deles nenhum tipo de palavrão, mas a palavra “morra” diversas vezes.  Em meio a tanta bagunça um papel amaçado o chamou a atenção, pauzinhos, como os típicos trabalhos artísticos de Yuri, quando finalmente entendeu o que significada engoliu seco, seus olhos ficaram vermelhos, podia sentir seu coração na garganta. Dobrou o papel e o colocou no bolso.

Ele mataria quem havia feito aquilo com as próprias mãos

- Hoje vamos desenhar a nossa família. _ A jovem professora ergue ar mão animada, os poucos alunos da sala comemoram com um gritinho de alegria, todos ali adoravam desenhar, e ela sabia disso. Yuri estava meio acanhado no começo, mas por fim gostou da ideia. – Quero que desenhem com todo seu amor, entenderam?_ Disse passando de mesa em mesa entregando uma folha e uma caixa de giz de cera.

Yuri não tinha dúvidas, pegou duas cores de giz rapidamente. Marrom e rosa, desenhou pequenas bolinhas na folha e logo em seguida seus respectivos corpos, em seguida um giz vermelho e desenhou um coração. Era o desenho de sempre, ele e sua mãe, mas ele não estava satisfeito. Colocou o pequeno dedo na boca e olhou para os lados, ninguém parecia ver o que ele iria fazer. Cautelosamente abriu a caixa de giz e pegou mais uma cor, preto. Ao lado dele desenhou outra bolinha, uma bem maior, e depois seu corpo, sorriu satisfeito.

Todos estavam de mão dadas, agora sim sua família estava completa

 

-Vejo que você terminou. _ A professor abaixou ao seu lado contemplando o desenho

-Sim. _ Disse todo orgulhoso fazendo um biquinho.

-Está lindo! _. Pegou a folha e acariciou os cabelos do menino.

-Bigadu’._ Sorriu acanhado. -É minha mamãe. _ Apontou o ponto rosa. - E eti’  vai se’ meu papai._ Abriu um sorriso lindo na direção da jovem, que o retribuiu.

Mikoto estava radiante naquela tarde, decidiu fazer uma visita surpresa a Sasuke. Não se conteve e deu uma passada no supermercado para fazer compras, estava eufórica, fazia tantos anos que não entrava em um. Desceu do taxi em frente ao prédio com toda a fines de uma dama, acertou sua postura e seguiu pela entrada.

-Me deixe ajuda-la com as sacolas. _. Uma mulher com olhos bem marcados e batom vermelho estendeu-lhe a mão.

-Oh, querida não é necessário. _. Sorriu agradecida. – Veja. _ Ergueu as sacolas até a altura do rosto. - Estão realmente bem leves. _ As poucas marcas de expressão eram acentuadas com o tamanho do sorriso que Mikoto a lançou.

-Eu insisto. _. Retirou as sacolas com cuidado dos braços da mais velha e colocou nos seus. Nesse momento a Uchiha reparou um pouco mais na mulher.

Jovem, maquiagem exagerada, roupas e joias extravagantes, seu cabelo era bem tratado extremamente longo e negro e suas unhas enormes com um esmalte vermelho.  Quem era ela para julgar? Ninguém. Fechou os olhos acusando a si própria e quando os abriu viu a jovem andar a sua frente mostrando mais do que o devido com seu curto vestido.

A morena parou em frente a câmera de identificação e fez cara de tédio enquanto mastigava seu chiclete, o portão se abriu e logo ela entrou seguida por Mikoto que cumprimenta um dos seguranças com um leve aceno de cabeça, que é retribuído.

-Vai em qual andar meu amor?_ Perguntou enquanto limpava o batom dos cantos da boca no espelho do elevador, passou a língua pelos dentes e mandou um beijo com uma piscadela para si.

-Você não irá mesmo desistir de me ajudar, não é?!_ Foi uma pergunta retórica, mas ela não poderia deixar de responder. Entrou no elevador e apertou o botão referente a cobertura, ato que não passou despercebido pela morena.

-Hoje eu estou muito boazinha._ Piscou os olhos e passou a língua pelos lábios de forma selvagem .

-Você mora aqui a muito tempo?_ Mikoto quis começar uma conversa para não parecer fútil.

-AH..._ Rodou o chiclete na boca._ Não moro aqui, só passo a noite._ Mordeu a unha do indicador e piscou em direção a mais velha, que entendeu bem o recado. – E você, só por curiosidade?_ pareceu bem mais séria.

-Oh, também não moro. Só vim fazer uma visitinha pro meu filho._ Sorriu lembrando da surpresa que iria fazer.

-Ahhh, faz isso sempre?_A porta do elevador se abre.

-Não, não. Ele não é muito família, mas hoje será uma surpresa._ Parou em frente a um alarme com senha e digitou cuidadosamente. -Agradeço muito por tudo._ Virou e se assustou um pouco com a proximidade da mulher que lhe entregou as sacolas com um sorriso entranho e acenou com as mãos entrando novamente no elevador.

Quando entrou no apartamento e estranhou as cortinas abertas, Sasuke nunca as deixa assim.  Seguiu seu caminho pela sala e decidiu esquecer a Morena de mais cedo,  ela não tinha um ar de gentileza, mas até que foi de grande ajuda. Tirou os itens da sacola e os colocou sobre a bancada. Farinha, leite, queijo, vinho, entre outros, faria uma massa fresca a carbonara, e trouxe um vinho para acompanhar. Estava indo em direção a sala colocar uma melodia para acompanhar quando notou um pequeno sonolento e bem curioso.

-Oi._ Disse baixinho coçando os olhos para espantar o sono.

-Oh, querido. _ Mikoto correu até o garotinho como uma vovó babona.  -Não sabia que estava aqui, que surpresa maravilhosa. _ O pegou no colo passando as mãos pelo seu pequeno rosto e plantando um beijo demorado em sua bochecha.

-Eu estava com um motao’ de saudade._ Abraçou o pescoço da Morena que se derreteu em um sorriso o abraçando de volta.

-Eu também estava meu amor._ Alisou as pequeninas costas e respirou fundo sentindo aquele abraço lhe tocar a alma. – Mas me diga._ O afastou e encarou seus grandes olhos verdes. -Cade sua mamãe, estou com saudades dela também._ Alisou mais uma vez suas bochechas.

-Ela ta’ dumino’._ Apontou para o corredor que dava acesso aos quartos. – Mas ela ta dodói’._ Colocou um de seus dedos na boca. – Mas o tio Sasuke saiu e disse pa’ mim cuida dela bem’, e eu to’._ Dizia aquilo com muita convicção, ele faria o melhor dele pela sua mamãe.

-Ela está no quarto?_ Perguntou um pouco preocupada e ele assentiu.

Mikoto seguiu com o menino até a suíte principal, quando passou pela porta o colocou no chão e ele foi correndo de encontro a mãe, subiu na cama king com certa dificuldade e se amuou ao lado de um amontoado de edredons. Mikoto se aproximou, mas deu um passo em falso quando viu o estado da rosada. Seu corpo tremia e estava coberto de suor, seu sono estava inquieto e sua feição de dor.

-Oh, meu deus, Sakura._ Sentou se no canto da cama e acariciou seus cabelos. -Sakura querida, acorde._ Passou a mão pelo seu rosto e pode notar o quão estava quente, sua febre estava nas alturas. -Querida._ Insistiu mais firme e enfim a Rosada abriu os olhos com pesar.

-Mikoto._ Disse tão baixo que a morena até duvidou se ela falou realmente.

-Querida o que houve?_ Como ela pode ter sido inocente a ponto de pensar que médicos não adoeciam.

-Eu só preciso...descansar._ Seu olhos novamente pesaram e se deixou levar.

-Meu amor._ Disse a Yuri que assistia a cena com o coraçãozinho na mão. -Pode cuidar dela mais um pouquinho? Vou fazer uma ligação bem rapidinho._ Tocou os cabelos do menino que concordou de prontidão. Rapidamente foi até sua bolsa pegou o celular e ligou para  Sasuke que atendeu logo no primeiro toque.

-Não posso atendeu agora Dona Mikoto, retorno quando eu desocu- Querido, a Sakura não está nada bem, como pode deixa-la sozinha aqui?_ Disse cortando o Moreno que encarava um policial nada contente.

-Mãe, quando eu chegar em casa conversamos, não vou demorar._ Desligou sem mais satisfações. Mikoto era extremamente controlada em relação a Sasuke, mas algumas vezes queria lhe dar umas palmadas.

-Eu ouvi sons de coisas quebrando e me assustei porque eu sabia que a Sakura morava lá com seu filho pequeno e o novo namorado a visitva sempre_ A vizinha do andar de baixo olha diretamente nos olhos de Sasuke que estava sentado do outro lado da sala aguardando o fim da coleta de testemunhas._ -Eu já sofri com violência domestica e não pensei duas vezes em ligar para a polícia.

Um escrivão magro e de óculos escrevia rapidamente todas as palavras em seu notebook, enquanto o delegado ouvia tudo atentamente coçando seu queixo exuberante.

-Qual era seu nível de intimidade com a dona do apartamento?_ Debruçou sobre a mesa.

-Apenas nos cumprimentávamos quando vez ou outra nos víamos. _ Respondeu acanhada. -Não éramos amigas, nem nada do tipo.

-Tudo bem, terminamos por aqui. Podem sair, e caso precise de mais uma conversa entro em contato._ Todos saem da sala rapidamente, um dos seguranças, o zelador, a vizinha, e Naruto, mas não antes de lançar um olhar para Sasuke que continua sentado como dono do mundo.

-Não acredito que Kiba Inuzuka que tenha feito isso senhor Uchiha. _ O moreno se aproximou e ficou em frente ao delegado. – E sim você.

-Como pode dizer uma coisa dessas?_ Seu olhar parecia perfurar o crânio do homem a sua frente.

-Não estou acusando ninguém, mas tente entender comigo._ Se acertou em sua cadeira. – Muitas das imagens da câmera de segurança e do andar do apartamento da Senhorita Haruno foram apagadas, registos eletrônicos da guarita de segurança  também. Porém._ Pegou seu tablet e abriu uma pastas de fotos. – Sei que não é um morador, e não frequenta a muito tempo o prédio, mas se eu estiver certo.... Entregou o tablet a ele. -Irá reconhecer uma dessas mulheres que subiram nos elevadores naquele dia.

Não demorou muito, foram três fotos de mulheres totalmente desconhecidas, uma idosa, uma jovem gótica e uma mulher de meia idade ruiva, e logo após uma morena,  cabelos longos lábios e unhas vermelhas. Ele podia seu um cara “certo” agora, mas nada que apagasse da mente dele uma noite quente.

-Não é difícil pensar que é uma mulher desesperada por você faria algo assim._ Seus olhos deixaram o tablet e focaram em suas palavras. -Antes você era de todas, e agora... bem, isso o tempo irá dizer.  Mas todos pensam que está em um relacionamento sério agora.

-Quanto quer para que isso não caia na mídia e não tenha que envolver Sasuka?_ Abriu sua carteira tirando de lá um talão de cheques e uma caneta do bolso

Um sorriso surgiu no rosto do delegado com a quantidade de zeros

 - Está melhor querida?_ A temperatura de Sakura havia baixado graças as compressas frias que Mikoto havia feito. Passou a mão pelo pescoço e testa da jovem que concordou em aceno. Ela estava visivelmente melhor, seu olhar mais atento e a vermelhidão havia passado.

-Muito obrigada, mesmo. _ Pegou a mão da mais velha e apertou com carinho sorrindo o maior possível, estava realmente agradecida.

-Não precisa agradecer Sakura, você já fez muito mais por mim e pela minha família do que pode imaginar._ Largou a mão da rosada e partiu para um abraço acolhedor, a jovem a apertou com tanto fervor que após soltar se sentiu envergonhada. – Não se acanhe querida, estarei aqui sempre que precisar de um abraço._ Passou a mão pelos cabelos rosados. -Vou buscar um copo d’agua pra você._ Se levantou saindo.

A quem queria enganar? Não estava nem um pouco bem, mas precisava estar. Tinha Yuri e o hospital, apenas duas coisas, mas tão complexas. Por que ele tinha que voltar logo agora? Quando tudo estava indo tão perfeitamente bem.  Sentia seus olhos marejarem, se encolheu abraçando os joelhos, mas parou, respirou fundo

Não irei deixar me abalar por ele, não irei derrubar mais nenhuma lágrima.

A porta do quarto abriu e ela reconhecer de imediato aquele cheiro, mas não moveu um músculo, não queria que ele a visse naquele estado, suada, com olheiras cabelo bagunçado e roupas molhadas. Mas ele nem notou, a pegou com todo carinho do mundo nos braços e sussurrou em seu ouvido.

-Vou te ajudar a tomar um banho._ Deu um beijo perto de sua boca e sustentou a cabeça da rosada até a curvatura de seu pescoço com a mão.

-Eu estou aqui agora.

 

 


Notas Finais


JÁ FAVORITOU? DEIXE SEU COMENTÁRIO, VAMOS NOS AMAR ! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...