História Cuidado com as crianças - Capítulo 102


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Personagens Originais
Visualizações 27
Palavras 1.260
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente
Gente
Céus
O que ocorreu?
Estive em um bloqueio TENEBROSO
E não foi só aqui
Foi com todas as minhas histórias que escrevo e deixo guardadas
Credooo

Mas bem
Consegui estar de volta e so tenho que pedir
Perdão

Muito obrigada por quem ainda está lendo
Agradeço por demais.

~Boa Leitura

Capítulo 102 - Eu te avisei!


Narrador POV
Lise andava pela casa balançando os quadris com raiva, havia chegado a final e ela estava atrasada, teve uma briga com o irmão e esqueceu de avisar Asahi para buscá-la.

Ela sabia que primeiro seria os jogos de vôlei então se atreveu a tentar uma coisa.

Pegou o celular e ligou para o número que nunca saía da discagem rápida.

"O que quer?", logo atendeu aquela voz rouca que bem no fundo, mas bem no fundo mesmo logo abaixo do pré-sal, ela amava.

"Sei-chan quanto tempo!", a loira emitia uma voz sarcástica e infantil ao mesmo tempo, resumindo muito suspeita.

"Lise, o que aconteceu?", o capitão suspirou e decidiu ouvir a pequena, ele sabia que para ela lhe ligar na situação que ambos se encontravam era porque aconteceu alguma coisa e a única pessoa que sobrou era ele.

"Briguei com Ryouta", disse curta e grossa, não queria entrar em detalhes.

"Logo chego ai", suspirou sabendo que não ia conseguir tirar mais nada dela.

A loirinha entrou no carro esportivo e logo sentou -se na janela e emergiu nos próprios pensamentos ao som da música que emitia de seus fones, ela claramente não estava bem. 

Akashi por outro lado não sabia o que fazer, ele reprimiu todos os sentimentos pela menina, se sentia sufocado, ansioso e queria sair correndo de tudo aquilo, mas não, aguentou firme até mesmo com outra menina agora em seu encalço.


_____


"O que essa vadia faz aqui?", dizia Lise com escárnio olhando a moça grávida.

"Masaki, teve algum problema?", pelo pouco bom senso que lhe restava Ryouta tentava tratar a menina com no mínimo educação.

"Só queria ver o pai do meu filho, ou posso dizer filha já né", a acastanhada acariciava a barriga inchada com um leve sorriso.

"Filha? Já sabe o sexo?", questionou com curiosidade.

"Sim, uma menina, minha doce Mika", o morena olhava com doçura para sua barriga.

"Ah fala sério, você estupra meu irmão e acha que pode ficar andando por aí assim, escuta aqui, se você pisar seu pé mais uma vez na minha casa eu não respondo por mim, eu corto sua garganta", os olhos esmeraldinos se encontravam furiosos, ela odiava aquela mulher.

"Lise, você não consegue nem cuidar da sua vida amorosa e quer se intrometer na minha vida", por mais que tenha ocorrido tudo de forma incorreta a criança não tinha culpa e Ryouta queria dar a assistência necessária.

"Você tem duas escolhas irmão, ou eu ou ela", a loira subiu furiosa para seu quarto, não conseguia acreditar nas palavras do gêmeo, ela sempre o amou tanto e o protegeu, sabia que seus sentimentos e emoções estavam trancados, ainda assim Ryouta era alguém importante.

No outro dia ele nem se quer acordou ela para tomar café e irem juntos ao ginásio, a deixou sozinha sobrando somente Akashi para quem ela pudesse ligar.

Bem no fundo parte disso era proposital, porém a raiva que possuía não a deixava ver.


_____



Seijuurou odiava ver aquela situação, sua cabeça atualmente era uma completa bagunça e se ocorresse mais alguma coisa iria explodir para algum lado.

Daqui poucas horas era o jogo contra o irmão da moça ao seu lado, ele precisava se acalmar e jogar com categoria como sempre fez, ele tinha conhecimento que Kise não iria pegar leve e algo em sei íntimo dizia que não estava normal.

Na verdade a briga não tinha sido somente aquilo, a situação tinha ido muito além, Kise havia tocado na ferida, aberto e ainda jogado álcool, ele tocou abaixo do pré sal.


_____



"Você quer que eu faça o que? Aceite sua mulherzinha e ainda de minha bênção? Tá pedindo demais", a baixinha se exaltava.

"Não é isso irmã, a única coisa que quero é dar assistência a menina, ela não tem culpa-", o loiro foi rudememte cortado pela irmã.

"Dane-se a criança, ela nem deveria ter vindo atrás de você para começo de conversa, podemos prende-la e mandar a criança para um orfanato qualquer", explicava com um pouco mais de serenidade.

"Lise, eu sei disso, eu te conheço, por mais que você tente reprimir ou matar tudo... Até você tem sentimentos", a mudança de assunto foi brusca e pegou a menina de jeito.

"Sentimentos? Eu não os entendo mais, não sei o que é ciúmes, nem saudade e muito menos o amor, está tudo bagunçado bem aqui", ela cutucava o próprio crânio com força, tentava se lembrar de algo importante, porém o que era mesmo?

"Nee-chan eu posso te ajudar, basta deixar a outra sair", a voz do homem era suave, chegava mais perto da pequena para que pudesse abraça-la.

"Não, eu não confio em ninguém, ninguém mais me trás confiança, até mesmo Seijuurou mudou, quer que eu espere o que? Chega desse papo Ryouta", embora suas últimas palavras demonstrasse agressão, seus olhos eram azulados.

"Os olhos dela... Eu não acredito!", foram frases sussurrada ao vento.


_____



Chegaram ao ginásio sem trocar uma palavra, a menina desceu do carro sem esperar ninguém e saiu em passos pesados, não queria questionamentos vindos do ruivo, já bastava seu irmão com aquela mulher que gerava uma cria sem consentimento.

Asahi estava bem preocupado com sua treinadora, porém não pode ir buscá-la, afinal seu jogo era um dos primeiros. 

A chegada da loira fez bastante estardalhaço, ela desfilava com seu pequeno corpo pelos corredores esvoaçando o casaco negro da Rakuzan Vôlei. Encostado em um batente estava alguém deveras peculiar, olhava a menina e sorria ao lembrar da notícia que recebeu semana passada, Kise Lise iria se mudar para a América em breve.

Depois de alguns minutos estava para começar o jogo principal de basquete, no meio da plateia em um lugar estratégico onde podia ver o jogo todo sem transtornos se encontrava Lise.

Seijuurou não lembrava de alguma vez ter enfrentado o antigo cunhado, sabia que ele possuía uma habilidade estrondosa, mas que consumia muito de sua estamina, era isso que ele precisava saber, somente disso.

Como já era de esperar Ryouta já começou a partida com o Perfect Copy, segundo o último jogo visto ela dura um quarto do jogo.

O capitão analisava cada movimento com destreza, só não entendia por que se sentia tão pressionado, como era para ser Rakuzan é um time apelidado de Imperadores, eles quem dão medo, eles quem colocam pressão e comandam o jogo, desde quando tinham perdido isso?

Akashi POV

Lembro-me bem de ter treinado cada um dos meus jogadores, todavia não recordo de serem tão fora de sincronia, mesmo que minha mente esteja turbulenta e ainda está difícil de controlar esse Emperor Eye mais completo consigo manter um excelente foco, meu corpo está se em fase de adaptação e isso não causa maiores problemas, continuo sendo Akashi Seijuurou.

Uma coisa está muito estranha, ainda que meus membros não tenham a sincronia que desejo consigo cobrir os erros que destacam, entretanto me expliquem porque Ryouta está um passo a frente? Isso é como a...

"Previsão Perfeita", como se lesse meus pensamentos o ala menor  me olhou diretamente, ler as pessoas sempre foi uma grande habilidade minha, cada parte do corpo é como se os órgãos funcionassem em câmera lenta para que eu pudesse ler e entender com clareza o que seu corpo e sua mente iriam fazer, contudo os olhos de Ryouta não diziam nada.

O segundo quarto acabou com o placar acirrado, nenhum de nós ainda havia entrado na zone e certamente ele não usou toda sua habilidade, ele estava de cabeça baixa, seus ombros pareciam tremer e seu grito que veio em seguida assustou a todos.

"LISE, JÁ CHEGA EU NÃO SOU SEU BONECO", ele olhava em direção onde minha ex namorada se encontrava, já ela me encarava com superioridade, não ouvi sua voz, mas compreendi tudo que ela me disse.

"Eu te avisei Sei-chan, esse jogo já era"


Notas Finais


Gente
Estou muito feliz de poder estar escrevendo e postando novamente
Me sentia muito mal por não conseguir
Comentem por gentileza ^^
Muito obrigada por quem leu até a aqui
Bjss Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...