História Cuidado com as palavras - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya, Murasakibara Atsushi
Tags Amor A Vida, Cuidado Com As Palavras, Kuroko No Basket
Exibições 63
Palavras 1.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem ^ 3 ^

Capítulo 1 - "Filhinho da mamãe"


Fanfic / Fanfiction Cuidado com as palavras - Capítulo 1 - "Filhinho da mamãe"

Akashi pov. On

Eu estava na quadra quando ouso um barulho vindo de fora, ouso também umas vozes femininas vindo de trás da porta fechada.
-Posso ajudar meninas? – perguntei quando cheguei mais perto da porta, vendo que tinha duas meninas ali.
-N-não. Na verdade, nós só queríamos ver você treinando – uma delas falou um pouco vermelha, junto da amiga que também estava vermelha. Elas então doentes?
-Está tudo bem? Vocês estão meio vermelhas – falei colocando a mão na testa dela, que a fez recuar um pouco. – Está com medo de mim?
-Não é isso. Nunca teríamos medo de você – a amiga da outra menina falou, pegando na minha mão e a segurando.
-E por que não? – perguntei confuso, pendendo  a cabeça um pouco para o lado, demonstrando minha confusão.
-Por que......- elas estavam pensando em uma resposta, quando um gigante roxo entra na quadra.

Murasakibara pov. On

Estava esperando o Aka-chin sair da quadra, já que eu tive que ficar a mais na escola, resolvi esperar ele.
Quando cheguei na quadra, ele estava conversando com algumas meninas, que estava muito na cara que gostavam dele, mas ele é tão inocente que não percebe.
-Não é isso. Nunca teríamos medo de você – uma das meninas falou, segurando a mão do Aka-chin. Aquelas vadias estão começando a me irritar. Será que elas não percebem que ele é meu? Que saco!
-E por que não? – Aka-chin respondeu. Fico impressionado com a inocência dele, mas o deixa fofo.
-Por que... – enquanto elas pensavam se elas falavam a verdade ou mentiam, entrei na quadra chamando atenção das meninas e do Aka-chin.
-Aka-chin, eu quero ir para a casa. Amanhã temos um jogo contra o Kagami~~- falei com preguiça, que fazia parte do meu ser.
-Claro Atsushi – Aka-chin foi até a mala dele, a pegou e fomos andando até em casa.

Akashi pov. On

Depois que sairmos da quadra, fomos cada um para sua casa. Eu ainda queria saber qual seria a resposta das meninas, mas enfim...
-Akashi-sama – uma das empregadas bateu na porta. – Trouxe o jantar para você.
-Pode entrar – falei me sentando na cama e olhando a empregada que parecia incomodada com o olhar sobre si.
-Já vou – ela fechou a porta rápido e deu para ouvir seus passos rápidos no corredor. Todos tinham medo dele, mas então, como as meninas não teriam medo de mim?
Comi a comida e me dentei, pensando no jogo que teríamos no dia seguinte. Pensando assim, eu adormeci e entrei no mundo dos sonhos.
No dia seguinte, o jogo foi bem acirrado mas no final acabamos ganhando de um ponto a mais.
Depois do comprimento, Kagami veio falar comigo.
-Akashi, você aceita jogar um mano a mano comigo? – ele perguntou ansioso pela minha resposta.
-Acabamos de ter um jogo – falei incrédulo. Como ele ainda tinha forças?
-E o que tem? – ele perguntou. – Podemos treinar ainda mais para o próximo jogo.
-Não – falei e sai andando, até ele falar uma coisa que fez meu coração quebrar.

Kagami pov. On

-Não – ele saiu andando. Será que psicologia reversa funciona no ruivo? Não tem por que não tentar. (A:Burro).
-Filhinho da mamãe – falei a primeira coisa que me veio à cabeça, mas assim que todos ouviram o que eu falei, ficaram paralisados.
-O que você me chamou? – ele perguntou ainda virado de costas, não dando para ver seu rosto.
-De filhinho da mamãe – todos começaram a suar frio, e eu não entendendo o por que. Eu poderia desviar de outra tesourada, não?
Ele foi para cima de mim, assim que vi que ele tinha uma tesoura na mão, peguei a mão em que ele segurava a tesoura e o ergui no ar. Agora que percebi que ele era leve, além de baixinho, mas isso eu já sabia. Ele se debatia tentando se livrar da minha mão que o segurava, mas não dava certo.
-Me solta! – ele gritou, se debatendo ainda mais. Ele tentava se apoiar no chão, mas ele estava muito longe. Ele fiava muito fofo se debatendo, mesmo me xingando.
Uma hora ele parou de se debater e de me xingar, eu achei estranho já que ele ainda estava no ar.
Eu o virei para poder ver melhor seu rosto, mas assim que vi seu rosto, minha mão o soltou. Akashi estava com os olhos marejados, saindo algumas lágrimas.
-B-baka – ele gritou, depois saiu correndo chorando. O que aconteceu com ele?
-Kagamicchi – Kise gritou me nome, fazendo com que eu virasse e ele acertasse uma bola na minha cara.
-O que eu te fiz Kise? – perguntei com a mão no nariz, que agora estava sangrando um pouco.
-Você fez o Akashi chorar – foi a vez de Aomine me acusar, e eu estava entendo é nada. –É crueldade.
-Mas eu nem sei o que eu fiz – falei. – Kuroko me ajuda. Me fala o que aconteceu para o Akashi sair chorando.
-Lembra que você o chamou de “filhinho da mamãe”? – eu fiz que sim com a cabeça. – O Akashi-kun não tem mãe, Kagami-kum.
-O-oque? – eu não estava acreditando. Agora tudo fazia sentido, e eu me sinto a pessoa mais horrível do mundo.
-Vai falar com ele, pedir desculpas – Midorima falou acertando seu óculos, mesmo quê inconscientemente.
Sai correndo dali procurando Akashi. Onde aquele baixinho de meteu? Eu corri em todos os lugares, mas assim que eu entrei em um parque, ouvi um choro baixinho, já sabendo de quem era.
Fui andando em direção ao choro, encontrando o ruivo embaixo de uma árvore, com a cabeça entre os joelhos.
-Akashi me desculpa mesmo, eu não sabia – falei sincero, mas mesmo assim ele não se mexeu.
-T-tudo bem – sua voz estava embriagada pelo choro, que não estava mais tão baixinho. Eu o abracei forte, querendo me desculpar pelas palavras que eu falei. Ele agarrou minha camisa e continuou chorando até se acalmar, o que aconteceu quando ele dormiu.
Fiquei olhando para o pequeno dormindo em meu colo, não parecendo aquela cara que bota medo em qualquer um, mas um adolescente normal, que estava cheios de problemas.
Percebi que Akashi parecia um bebê enquanto dorme, tão inocente e vulnerável, que não resisti. Peguei a pequena mão dele, fiz com ele abrisse um pouco a boca e coloquei o dedão dele dentro da boca. Ele começou a chupar depois de um tempo, fazendo com que eu tivesse um sangramento nasal.
-Akashi....- o ruivo estava envolvido em seus braços, era uma sensação boa ter ele em seu colo. Fui chegando mais perto dos pequeno lábios do ruivo, sabendo que se ele acordasse, seria um problema. Assim que eu encostei os lábios nos dele, senti uma corrente elétrica passando pelo meu corpo.

Autora pov l. On

Depois desse beijo, ele carregou o ruivo até a sua casa, que mais parecia uma mansão. Ele já havia ido ao uma festa naquela casa, sem o ruivo saber, é isso continuaria assim. Kagami foi para sua casa, ainda pensando sobre o beijo. Ele sabe que Akashi não iria  se lembrar, mas valeu a pena, já que descobriu seus verdadeiros sentimentos sobre o capitão.
Akashi apenas sonhou com o beijo, achando estranho ter aquele tipo de sonho. Ele sonhava todos os dias nesse beijo, sem saber se era real ou não, já que sentia os lábios do ruivo sobre os seus.


Notas Finais


Comentem se gostaram, favoriten se amaram e lembram-se: cuidado com as palavras


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...