História Cuide bem deles por mim, sim? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga, V
Tags Taegi, Twoshot
Visualizações 61
Palavras 1.171
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Dêem amor ao meu xuxuzinho <3
Boa leitura ^°^

[Esse é seu presente de aniversário adiantado já que por enquanto eu não posso te dar algo além disso.]
|De: namjoon bighit
Para: siga boghit|

Enjoy it ^³^

Capítulo 1 - Para meu pequeno infinito.


Oi.

Caso esteja se perguntando, eu estou bem.

Senti vontade de escrever isto. Seria algo que eu gostaria de ler e que, talvez, você também. Digo, o Taehyung do passado. Aquele que eu costumava conhecer.

Eu continuo o mesmo Yoongi de sempre, mas agora, sem você ao meu lado.

Apesar da minha vontade de segurar uma caneta e desliza-lá sobre o papel, isso já não faz mais parte da minha vida.

Hoseok me ajuda muito em diversas tarefas das quais eu não sou capaz de realiza-las sozinho. Ele tem sido um grande amigo. Mas admito, gostaria que fosse você me ajudando, me guiando, como sempre fiz com você.

Tentei te entender de todas as maneiras, juro. Mas novamente eu falhei com você e talvez seja por isso que você mudou tanto.

Sinto saudades de quando significavamos tudo até mesmo sem fazer nada um ao outro. Quando eu ficava apenas observando e ouvindo você reclamar de mim, pois você sentia meu olhar em você e isso te deixava irritado. Quando eu lhe preparava o café da manhã e você brincava com uma comida. Quando você me surpreendia com seus sentidos mais apurados e me provava que conseguia me dar prazer sem tanto esforço. Quando nós colocavam os nosso amor acima de qualquer coisa.

Me lembro quando nos conhecemos. Foi literalmente por acaso do destino, acaso esse que eu continuo agradecendo até hoje.

Eu estava saindo da minha livraria preferida quando ví um cachorro branco usando uma coleira verde. Parecia perdido enquanto olhava para todos os lados a procura de algo, talvez alguém. Ele então se aproximou de mim, como se pedisse ajuda. Eu me agachei e lhe fiz carinho, olhando em sua coleira a palavra "Victorious". Imaginei ser o nome dele. Peguei sua coleira me levantando e observando ao redor a procura de qualquer um que pudesse ser o dono. Até que veio a minha cabeça que aquele poderia ser um cão guia.

Passei a procurar alguém que estivesse usando óculos escuros, mas você nunca gostou disso, lembra? Você amava exibir seus olhos claros e, mesmo que fosse uma deficiência, você tinha orgulho de tal peculiaridade.

Quando eu te vi pela primeira vez eu realmente entrei em choque. Minha cabeça não funcionava.

Você sempre foi tão bonito.

Eu nunca me cansava de observa-lo.

A coleira que eu segurava foi ao chão assim quando meu corpo inteiro fraquejou.

Nem cheguei a ver quando Victorious correu de mim, assim que estava liberto e foi até você.

Então minha suspeita de que ele era um cão guia se confirmou.

Eu fui até vocês, e não me pergunte o porquê, lhe questionei sobre a autoria do cachorro.

Você estava certo, eu não queria certificar que ele estava com o dono e sim queria falar com você, ouvir sua voz.

Não me arrependi, e nunca irei, pois foi o som mais doce e aveludado que eu tive o privilégio de ouvir em toda minha existência.

Assim que você me assegurou que Victorious lhe pertencia, nos despedimos brevemente e tentamos seguir cada um para o seu caminho, mas Vic parecia não querer que eu fosse embora.

Se lembra como ele ficou te puxando para perto de mim? Ele parecia gostar de nos dois juntos, algo que eu concordava e muito com ele.

Ele puxou sua mão e a guiou até a minha e eu não acreditei no que via.

Apesar do constrangimento que Vic provocou, aquilo se tornou uma grande oportunidade.

Eu lhe convidei para tomar um café, e você aceitou.

Nunca te contei, mas eu "agradeci" pela sua deficiência inúmeras vezes.

Você não me via corar por conta dela.

Apesar de ser você o motivo de todos os rubores que já tivessem passado em meu rosto.

Depois do café, nós nos tornamos uma espécie de amigos.

Eu realmente pensei que o motivo da sua aproximação fosse Vic, já que ele era o principal assunto entre nóis dois.

Mas foi quando nossos "encontros" passaram para dentro de casa que eu senti um pingo de esperança.

Você chegou em minha casa sem Victorious.

Eu fiquei muito feliz por passarmos o dia apenas falando sobre a própria vida e se conhecendo melhor.

Nos beijamos exatamente um mês depois. E eu te pedi em namoro uma semana após o beijo.

Você admitiu que não gostava de ficar em sua casa e preferia a minha, por que imaginava que a mesma era cheia de vida. Eu discordava até por que você tinha Vic para dar vida ao lugar, mas sua desculpa era que você tirava toda cor de tudo.

Pois é, Taehyung, eu lhe entendo perfeitamente agora, e acho que você não poderia estar mais certo do que naquele momento.

Eu me tornei tão clichê por você.

Era o que pensava, mas acho que isso já era meu muito antes de te conhecer.

Se lembra quando dormimos no telhado do meu prédio?

Levamos comida, cobertores e livros.

Você odiava ler em braile.

Então eu li todos as histórias que você pediu até que caísse no sono.

Se lembra quando acampamos em uma montanha e fizemos amor debaixo das estrelas e a luz da lua?

Você estava tão feliz.

Disse que era o melhor dia de sua vida e que poderia morrer ali naquele momento.

Eu, então, não me sentia diferente.

Sempre amei fazer você feliz, e foi por isso que fiz essa "loucura".

Nesse dia eu adormeci em seus braços enquanto você cantava uma canção com sua voz doce.

Se lembra quando tivemos nossa primeira briga?

Você dizia se odiar por não poder ver o que "o mundo inteiro" via.

Eu tentei trazer você de volta a realidade, mostrar que poderíamos viver felizes juntos.

Mas além de não "enxergar" a situação, você não quis me ouvir.

Ficamos sem nos falar um tempo, e quando finalmente consegui falar com você, eu pedi desculpas.

Não sei direito porque, pelo o que e com que intuito.

Mas eu pedi.

E você disse que me perdoava.

Não sei de quê, por qual razão e circunstância.

Mas você disse.

E se seguiu assim.

Eu te amei demais para cogitar te perder.

Então sempre que brigavamos, eu pedia perdão.

Eu me senti sufocado, porque os pedidos de desculpa não ajudavam.

Não mais.

Você sempre estava triste e eu tinha medo de perguntar o porquê e as "desculpas" não funcionarem de novo.

Mas eu sabia o que era.

Você estava na fila de transplante a tanto tempo.

Eu não aguentei te ver sofrer todos os dias sem poder fazer nada.

A nossa sorte era que meu sangue batia com o seu.

Eu te amei muito, e o amor faz loucuras e coisas absurdas.

Eu planejei tanta coisa pra gente. Mas você não tinha os mesmos planos.

Eu escondi os anéis para pega-los depois da cirurgia e te pedir em casamento.

Mas não era comigo que você queria casar.

Não era com um cego que você queria passar o resto de sua vida.

Apesar de eu estar disposto a fazer isso, era apenas eu que me sacrificaria por amor.

Apesar dos meus olhos agora estarem com você, não era para mim que você queria olhar.

Para um cego não.

Eu não tinha e nem tenho olhos claros e bonitos como eram os seus.

Meus olhos agora estão com você.

E eu amei. Como eu amei você.

Você foi o meu pequeno infinito.

Mas eu era apenas passagem na sua vida

Pelo menos meus olhos lhe são úteis.

Então eu te peço uma coisa, amor.

Cuide bem deles por mim, sim?

                               — Yoongi, Min.


Notas Finais


Cada vez que eu releio eu choro
Me digam oq acharam por favorzinho ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...