História Cursed - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lobisomem, Sobrenatural, Vampiro
Visualizações 3
Palavras 1.376
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom gente,
esse é o penúltimo capítulo.
Boa leitura!!

Capítulo 17 - A guerra começou.


Fanfic / Fanfiction Cursed - Capítulo 17 - A guerra começou.

Mas o homem não pareceu triste com os comentários do filho, pelo contrário, ele parecia vidrado, como se não estivesse ali. Sua alma perdida.

- Ele não pode te escutar – Gustav se vira para Stan, que tinha parado de chorar e estava vermelho de raiva – ele está enfeitiçado no momento, igual estava quando matou aquelas pessoas.

                Stan olha com um olhar assassino para Gustav e se atira nele, nesse momento, Giovanna dá um grito que corta o ar.

- Se você continuar – Gustav fala vidrado – as algemas apertarão mais as mãos dela, até que as cortem.

                Stan para nesse mesmo momento, ele não gostava da Giovanna, mas era bom o suficiente de não fazer nada estúpido pois não ira suportar viver com a ideia de ter sido o causador da Giovanna perder a mão.

- Ele foi enfeitiçado pela minha namorada e trabalha para mim desde então – Gustav caminha lentamente no estabelecimento – ela não pode estar aqui, infelizmente – faz cara de triste mas tenho certeza que é fingimento – dei a seu pai a caixinha da minha irmã, onde possui coisas que ela não pode ter.

-  Se você me odeia tanto – Giovanna levanta o tanto quanto pode, com as mãos algemadas em suas costas – Me mata – ela olha nos olhos dele – ME MATA.

- Ainda não, Darling.

                Nesse momento, Daniel se solta das algemas e corre em direção ao Gustav, tacando-o longe, fazendo-o bater com a cabeça na parede oposta e desmaiar. Ele vai em direção a Giovanna e a solta, fazendo o mesmo comigo.

                Quando estávamos prestes a sair, as portas se fecham e vejo Gustav com o controle na mão, ele fala alguma coisa que não entendo e o pai do Stan começa a se transformar em um grande lobisomem, maior que eu.

                Todos corremos para o lado oposto, desesperados. Lorrana pega seu arco e flecha, Giovanna, Daniel, Stan e Lissa se preparam para luta e eu, quando ia me transformar, lembro que não aprendi a me controlar ainda, escuto uma voz horrível em minha cabeça: “você me achou afinal”.

                Percebo que o lobisomem que falou em minha mente no dia da minha primeira transformação, é o pai do meu melhor amigo. “Venha, se junte a mim”

- Não – falo.

                Minha cabeça dói mais ainda, minha visão começa a ficar turva e tento lutar contra a minha transformação. “Venha”.

- Não.

- Sky – Daniel segura meu ombro – aguente, lute contra isso.

- Estou tentando.

                Meu corpo começa a tremer e a ficar quente. “Venha. AGORAAA”.

- NÃO.

                Mas não aguento mais e cedo à transformação.

 

*Pov Stan.

 

                Isso não pode estar acontecendo. Meu pai, um lobisomem que fez Sky se transformar também. Corremos para o meio do galpão, onde estamos no meio dos dois. E a guerra começa.

                Sky vai em direção da Giovanna, mas Daniel entra na frente e luta com ele. Meu pai vem em minha direção e vejo que Lorrana estava preparando uma flecha para atirar e me jogo em cima dela.

- O que você está fazendo? – pergunta irritada.

- Ele é meu pai – digo desesperado.

                Ela me olha e por um momento vejo compaixão em seus olhos.

- Ta – diz – vou mirar nas pernas. Pode ser?

                Concordo com a cabeça e quando me viro, meu pai está em cima da Lissa, que está prensada à parede. Lorrana atinge uma flecha em sua perna e ele grita, aproveito esse momento para puxar Lisa de onde ela estava.

                Escuto alguém gritar Daniel e olho para o lado, Giovanna está chorando em cima de seu corpo, provavelmente morto. Fico paralisado pois eu gostava do cara. Volto a realidade quando Lorrana me chama. Ela continua jogando flechas na perna do meu pai, o que não adianta muito, mas isso retarda a sua chegada. Olho em volto e só consigo pensar em uma coisa: “Estamos ferrados”.

 

*Pov Giovanna

               

                Vejo Daniel sendo derrotado por Sky, eu sabia que isso ia acontecer, Daniel nunca machucaria seu amigo. Olho para o seu corpo totalmente imóvel e começo a chorar, o que não dura muito, pois Sky vem em minha direção e me joga contra a parede. Bato minha cabeça e minha visão fica escura momentaneamente.

                Levanto – me e tento lutar, mas sou apenas humana agora e ele é um lobisomem. Bem mais forte que eu. Sky parte para  cima de novo e eu me esquivo, mas fico sem saída pois estou no canto da sala. Quando não tem mais para onde ir e Sky está em cima de mim, eu peço:

- Sky. Sky, por favor, se lembre de mim.

                Não vejo nenhuma reação do lobisomem na minha frente.

- Sky, sou eu, Giovanna. Lute contra isso.

                Nada. Ele me olha com uma cara de assassino e não tem mais espaço entre nós.

- Por favor – estou chorando – Lute. Se lembre. – não tenho mais alternativa, sei que vou morrer – Me desculpe. – paro de chorar e olho em seus olhos – Eu te amo.

                Nesse momento ele para e anda para trás, parecia atordoado. De repente, ele volta a ser humano e desmaia.

 

*Pov Lorrana

 

                Continuo jogando minhas flechas, mas estão acabando. Stan tenta esconder Lissa atrás de si, mas é empurrado com força para o lado. Minhas flechas acabaram e quando ia pegar a adaga, sou empurrada e tudo fica preto.

 

*Pov Stan

 

                Acordo e quando olho para o lado, Lissa está sangrando com um machucado na barriga, ela cai com os olhos vidrados. Me levanto, ignorando as dores e corro em sua direção, tudo fica em câmera lenta. Antes de chegar lá, no entanto sinto algo formigar dentro de mim. Meus pensamentos ficam rodando e meus olhos escurecem, começo a sentir calor e meus ossos doem. Grito de dor e caio no chão. Parece que meus ossos estão sendo quebrados, esmagados e a dor é imensa.

 

*Pov Lorrana

 

                Acordo e vejo um outro lobisomem, perto da Lissa e do Antony, pai do Stan, esse lobisomem vai em direção ao Antony e o joga longe. Percebo Lissa machucada e vou em sua direção. Ainda estou meio tonta quando levanto mas ignoro isso.

- O que houve? – pergunto.

- O.. o pai – ela diz com esforço.

- Tudo bem – sorrio tentando parecer acolhedora.

- É o Stan – olho para os dois lobisomens brigando e ligo os pontos. Claro, se o pai é um lobisomem, o filho também é – ele me salvou – ela diz antes de desmaiar.

                Antes que eu possa fazer algo, escuto um uivo enorme e quando olho, vejo Stan em posição de comando em relação ao seu pai, que se encolhe e logo depois vira um humano de novo, mas deimaia.

                Stan também volta a ser humano e a primeira coisa que eu penso é: “Conseguimos”.

 

*Pov Stan

 

                Estou meio tonto quando volto a mim. Olho ao redor e vejo meu pai caído, Giovanna com Sky em seus braços e Lorrana, do lado da Lissa. Corro até elas e Lorrana me diz que Lissa está perdendo muito sangue.

- COMO VOCÊS CONSEGUIRAM? – pergunta Gustav irritado -DERROTARAM MEU LOBISOMEM.

                Giovanna levanta e vai em direção ao Gustav. Ela para e vira para ele:

- Nós somos unidos. Uma família. Coisa que você nunca terá, maninho..

                Gustav fica irritado, mas logo volta com seu sorriso cínico.

- E você, maninha. Nunca terá seus poderes de volta.

                Nesse momento me recordo de algo que Gustav falou momentos antes de descobrir a gente escutando atrás da porta. Era algo sobre uma frase que destrava os poderes da Giovanna. Então uma frase aparece em minha mente, aquela que eu achei hoje mesmo, na caixa que dizia GSF. GSF? Giovanna Sienna Foox. Ligo os pontos.

- Festinatio tarda est – digo, primeiro baixo, mas depois gritando – FESTINATIO TARDA EST.

 

*Pov Giovanna

 

                Stan grita a frase que destrava meus poderes e fico tonta, algo, como uma gaiola que parecia prender minha alma se destranca e sinto um alivio.

                Gustav me olha com uma cara horrorizada e começa a correr, mas sou mais rápida e o agarro, mostrando minhas presas de vampira. Com meu poderes, faço aparecer uma cela ao redor do meu irmão, que fica preso lá. Faço aparecer roupas nos meninos, pois quando você se transformam em lobisomem, suas roupas rasgam.

                Ando em direção a Stan e digo:

- Anda. Vamos leva-la ao hospital.                                                      



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...