História Cursed - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Liam Payne, Zayn Malik
Tags Amorverdadeiro, Beauty, Romance, Vingança, Ziam
Visualizações 198
Palavras 3.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - " I'm loyal and worthy of you"


Fanfic / Fanfiction Cursed - Capítulo 2 - " I'm loyal and worthy of you"

 

Zayn andava pelo enorme apartamento em que vivia com o pai, entediado. Ficava na área nobre da cidade e tinha uma bela vista de sua sacada, mas não era o tipo de beleza a que o garoto prestava atenção.

Na verdade, nem gostava muito de ficar ali, era grande demais, vazio demais...seu pai estava sempre ausente, envolvido com trabalho e com as belas mulheres que tinha sempre aos seus pés.

Zayn era sempre esquecido...

Não lembrava muito da mãe, ela havia partido quando ele era ainda muito pequeno. A única companhia naquela sua fortaleza de solidão era Carmina Brown, a empregada negra, vinda de algum país africano onde passava fome. Apesar de que a mulher fazia todas as suas vontades (e era bem paga pra isso!), Zayn não era grande fã dela. Talvez por saber que ela havia deixado filhos e marido para trás para vir aos Estados Unidos.

Nenhum filho devia ser abandonado pela mãe...

Abriu seu notebook e estava olhando as redes sociais quando seu pai chegou.

- Como você está? – ele dizia.

- Nada mal. – Zayn levantou o rosto e sorriu para o pai.

Yasser o olhou confuso e então apontou o telefone no ouvido. Estava falando com outra pessoa e não com o filho. O menino quase se encolheu por estar sendo ignorado novamente.

- A eleição foi hoje... – Zayn disse como se não fosse nada importante.

- Ótimo! – o pai respondeu e ele ainda não sabia se era com ele ou com o telefone. – não, não é com você! Estou falando com meu filho!

Isso esclareceu as coisas para Zayn.

- Eu ganhei pai! – disse orgulhoso de si mesmo.

- Ótimo!

- Experimentei heroína também! – disse debochado, sabendo que o pai não estava lhe dando atenção de verdade.

- Fantástico! – o pai disse sem nem olhá-lo e ele bufou. – espere Jill, preciso desligar.

Zayn estava parado lá e olhava o pai inconformado. Yasser enfim desligou e o olhou com cara de culpado.

- Me desculpe filho, mas Jill foi demitida. – tentou justificar – acho que foi por causa do aumento de peso durante a gravidez! Mas ela era uma garota de ossos grandes. As pessoas gostam de pessoas bonitas. E quem falar o contrário é burro ou feio...nunca se esqueça disso Zayn!

- Não faço nem ideia de quem possa ser Jill! – o menino riu para esconder a magoa em sua voz – a ultima vez em que conversamos por mais de cinco minutos, foi no meu segundo ano no colégio, quando eu disse que tinha câncer no cérebro.

Tinha perdido o pai novamente, porque Yasser estava concentrado em algo no celular. Zayn pegou seu próprio celular e mandou uma mensagem para o pai, mesmo que ele estivesse parado bem na sua frente.

Falou novamente da eleição e Yasser sorriu pra ele, como se aquilo fosse novidade. Quando o garoto achou que finalmente poderiam falar sobre aquilo, o telefone do pai tocou e ele se afastou para atender.

Sozinho e ignorado...novamente!!!

Carmina estava no topo da escada e observava a frustração inconfessada do menino que ela viu crescer. Zayn podia esconder muito bem, mas na verdade ele sempre foi muito solitário. Vivia cercado de riqueza e suas vontades eram todas prontamente atendidas, mas lhe faltava o mais importante: amor, atenção, limites!

Isso a fez pensar em seus próprios filhos, que ela foi obrigada a deixar para trás para ter ao menos uma oportunidade de lhes dar uma vida digna. Se pudesse, os teria ali, junto dela. Mas pelo menos tinha o conforto de saber que suas crianças estavam com o pai, e ele era um bom homem e certamente daria o seu melhor para cuidar dos meninos enquanto ela não pudesse voltar para junto deles.

Zayn pareceu notar o vulto na escada e a olhou irritado.

- O que foi? Parece um animal se esgueirando pela casa!

- Nada menino! – ela levantou os braços – vim apenas dar boa noite.

- Por que? Precisa ir pra casa para cuidar de seus 16 filhos?

Aquilo foi maldoso e desnecessário. E magoou. Mas Carmina já estava acostumada com os humores desse menino mimado. No fundo ela sabia que ele nem prestava atenção de verdade no que dizia. Era apenas uma forma de colocar seus demônios internos pra fora.

- Meus três filhos vivem na Jamaica com o pai. – ela disse aquilo que ele já sabia. – você já está cansado de saber disso.

- Faça-me um favor, Carmina! – Zayn se levantou irritado e foi em direção a escada – guarde suas estórias tristes para contar a alguém que realmente se importe!

- Você não me envergonha, riquinho mimado! – ela disse rindo.

 

Uma semana depois era o dia da posse no Grêmio. Todos parabenizando Zayn pela vitória e ele sentia-se o máximo ali, embora não soubesse nem o nome da maioria daquelas pessoas. Mas esse não era um detalhe importante.

Recebeu uma mensagem de Niall

“ Cuidado...a bruxa está bem zangada!”

O garoto riu disso e quando viu Perrie vindo pelo corredor, resolveu que ia se divertir. Assim correu até a garota, tentando ser amigável.

- Ainda está zangada? – ele se fez de inocente – não acho que tenha sido uma vitória assim esmagadora!

Perrie o olhou com olhos cerrados. Zayn lembrava-se que ela tinha lindos olhos azuis, antes de se tornar essa caricatura de si mesma, com essas roupas ridículas e essa maquiagem pesada e exagerada. Sim, ele  lembrava-se o quanto ela era linda e inocente. Mas nesse momento ela o olhava com aqueles olhos assustadores, como se estivesse imaginando mil maneiras de fazê-lo sofrer. Engoliu em seco!

- Eu sinto muito, ok? – ele disse.

- Papo furado! – ela continuou andando.

- Me deixe compensá-la. – ele insistiu sendo o mais gentil que conseguia – eu tenho entradas vip, para a festa de comemoração, passes para o camarim. Esse tipo de coisa. Quer um?

- Qual a pegadinha, Malik? – ela parou e o encarou.

- Sem pegadinha, eu juro! – ele sorriu.

- Isso seria como se eu fosse com você? – a garota levantou as sobrancelhas.

- Exato! – ele mentiu descaradamente.

- E o seu namoradinho? Ou seja lá o que Louis seja na sua vida!

- Sabe que não tenho compromisso com ninguém e Louis também sabe disso. – Zayn disse sedutor – apenas nos divertimos juntos, mas sou um cara livre. Podemos tentar acertar as coisas entre nós, Perrie. Já tivemos bons momentos, não tivemos?

Sim, eles tiveram e Perrie ainda se lembrava disso. Assim como se lembrava de tudo o que ele havia feito depois disso, da forma como a humilhara e ofendera milhares de vezes depois disso. Olhou aquele menino diante de si, que um dia ela amou tanto e que agora só conseguia lhe causar repulsa e  o desejo de fazê-lo pagar na mesma moeda.

Mesmo assim, ela decidiu dar corda para ver até onde ele iria com aquela encenação. Não era idiota a ponto de acreditar que Zayn Malik mudaria do dia pra noite.

- Não sei que jogo é esse que está fazendo, Malik. – ela passou as longas unhas pelo peito dele, falando baixinho, mas, em tom ameaçador – mas eu vou jogar seu jogo! Eu acredito que todos merecem uma segunda chance! Além disso, você sabe bem o que dizem sobre mim, certo?

- São apenas fofocas de gente que não te conhece, Perrie!

- Apenas idiotas mexem com bruxas, Z!!! – ela disse muito próxima dos lábios dele – então tenha cuidado!

Zayn respirou fundo e tentou afastar aquela sensação ruim quando a garota caminhou para longe dele. Talvez não fosse mesmo uma boa ideia irritar uma bruxa! Mas quem acredita em bruxas? Zayn não acreditava e mal podia esperar pela festa para acabar com aquela pose de sua ex namorada.

 

 

Mais tarde quando chegou em casa, Carmina estava limpando as enormes vidraças de seu apartamento. Sobre a mesa uma caixinha com  uma rosa branca dentro. Mas que diabos era aquilo?

- Eu deixei bem claro que eu precisava de uma orquídea! – ele esbravejou e a mulher o olhou como olharia uma criança birrenta. – por que não consegue cumprir uma ordem simples? Por que comprou essa rosa barata e cafona?

- Eles não tinham orquídeas! – disse quase rindo da explosão dele.

- Como assim não tinham orquídeas? – disse ainda mais exaltado – pedi que encomendasse duas semanas atrás.

- Na verdade, só me avisou sobre isso ontem. – ela largou a limpeza e caminhou até ele – mas escute isso... “um símbolo de humildade, a rosa branca também diz sou leal e digno de você!”

Zayn quase riu disso, afinal aquela flor era para Louis. Zayn estava longe de ser leal ou digno daquele garoto. Gostava muito de Louis, mais do que qualquer outro, mas mesmo assim, não hesitaria em trocar o delicioso menino de olhos azuis e bunda grande, por outra pessoa, assim que se enchesse dele.

Mesmo assim, naquela noite, queria fazer um agrado a Louis e com certeza seria recompensado com múltiplos orgasmos. Proporcionado por aquela boca macia e aquela bunda volumosa.

Quando chegou a festa, já estava lotada e as pessoas se soltavam na pista. Louis estava no meio do alvoroço, cantando e pulando e sacudindo aquela bunda maravilhosa que era um convite ao pecado.

Tinha que admitir que Louis era mesmo lindo. Seu corpo pequeno e curvilíneo causava inveja em muitas garotas. Tinha pernas grossas e aquela bunda volumosa. Os cabelos castanhos estavam suados e se colavam a testa. Os lábios finos e vermelhinhos. E aqueles olhos maravilhosos. Parecia um anjo, mas Malik sabia o furacão que era aquele pequeno demônio quando queria seduzir alguém.

Aproximou-se de seu garoto e passou os braços pela cintura delicada, beijando seu pescoço. Mesmo suado, Louis era deliciosamente cheiroso. Ao sentir Zayn atrás de si, o menino colou sua bunda na virilha do outro e rebolou malicioso. O moreno sentiu o reflexo de seu corpo e apertou ainda mais a cintura dele, se mexendo no ritmo da musica. Seus lábios se buscaram em um beijo intenso, com Louis passando o braço pelo pescoço de Zayn, para mantê-lo perto. A dança sensual dos dois não pareceu chocar ninguém. Na verdade já estavam acostumados a ver os dois em situações bastante parecidas pelos corredores da escola.

Zayn arrastou o menino para um lugar mais discreto, mais precisamente um dos banheiros do local, onde Louis foi pressionado contra uma parede enquanto Zayn o beijava com urgência e deixava marcas em seu pescoço. As calças de ambos foram abaixadas e em pouco tempo Louis estava de joelhos e chupando Zayn com vontade.

O moreno só sabia gemer e se perdia sempre que tinha aquela deliciosa boca em volta de seu membro, estimulando-o daquela maneira enlouquecedora. Louis definitivamente sabia usar aquela boca.

Quando já estava prestes a perder totalmente o controle, afastou o rosto do pequeno, que o olhou com aqueles brilhantes olhos azuis. Lindo!!!!

Louis foi novamente pressionado contra a parede, dessa vez com a bunda virada para Zayn, que não perdeu tempo e mordeu toda aquela pele dourada de suas costas até alcançar a maciez daquela deliciosa bunda. Louis gemia manhoso, quando o moreno rodeou sua entrada com a língua, estimulando-o, provocando-o. Não tinham muito tempo para perder e Zayn parecia ter pressa, pois logo meteu a língua pra dentro daquele buraquinho apertado, sendo seguido pelos dedos. Louis tentava conseguir algum apoio contra a parede e mordia os lábios para abafar os gemidos, embora estivesse ficando cada vez mais difícil.

Gritou realmente alto quando Zayn ficou de pé, abriu as bandas de sua bunda e se enterrou ali, em um único golpe. Louis arranhava as paredes, sentindo sua entrada latejar. Zayn esperou que ele relaxasse e o recebesse por inteiro. Aos poucos começou a se mover e os gemidos de Louis aumentaram, mas não havia mais o incomodo da penetração, porque aqueles movimentos de vai e vem se tornaram prazerosos. E ele queria muito mais.

Zayn sabia exatamente do que o pequeno gostava e não demorou a encontrar o ponto macio em sua próstata. Virou o menino em seus braços, sem nem mesmo sair de dentro dele. Pressionou-o novamente contra a parede, enquanto passava suas pernas por sua cintura, tirando-o do chão. Louis se pendurou em seu pescoço e os lábios se buscaram de maneira urgente e atrapalhada, porque ambos mal podiam respirar. As estocadas se tornaram mais rápidas e certeiras e ambos estavam se perdendo de prazer. Louis mordeu o pescoço de Zayn apenas para não gritar e o moreno sabia que o pequeno estava próximo de seu ápice, assim como ele. Sendo assim, passou a masturba-lo, no mesmo ritmo das estocadas e não demorou para Louis ficar mole em seus braços, enquanto seu liquido quente jorrava nas mãos de Zayn, que logo em seguida explodiu dentro daquela deliciosa bunda.

Louis foi colocado no chão devagar, porque ambos estavam trêmulos, ainda sentindo os efeitos do orgasmo compartilhado. Sorriram um pro outro, se limparam da melhor forma que puderam e tentaram  recompor-se antes de voltarem pra festa. Se alguém notou o sumiço, jamais comentariam isso.

Zayn pegou a flor para entregar ao menino, que ainda tinha as faces coradas pela pequena travessura de ambos. Achou que ele gostaria do agrado, mas na verdade, Louis ficou indignado com aquela rosa branca e sem graça.

- O que diabos é isso, Malik? – quase esfregou a flor na cara do outro.

- Significa que sou leal e digno de você! – disse em sua defesa.

- Vai se ferrar, seu puto! – Louis esbravejou – você não deve saber nem o que essas palavras significam!

- Para de drama Lou. Apenas quis te fazer um agrado, porra!

- Oh, obrigado por me fazer parecer um cretino insensível. – Louis jogou a rosa na cara dele – ou por me fazer ser a verdadeira vadia que dá pra você em um banheiro publico. Idiota!

Louis se afastou pisando duro e Zayn, estranhamente, sentiu-se culpado por isso. Percebeu então, Liam o observando de longe e algo se agitou dentro dele. Aquele olhar doce o fazia sentir-se nu. Mas não de um jeito bom. Era como se Liam pudesse enxergar todos os seus defeitos e fraquezas. Ele se sentia invadido, indefeso. Era assustador!

- Não é tão ruim quanto parece! – ele se aproximou de Liam.

- Não cara, isso é péssimo! – Liam disse sério.

- Já te dei os parabéns por ser o tesoureiro do Grêmio? – Zayn foi atrás dele quando quis se afastar – provavelmente não me desculpei pelo meu comportamento anterior.

- Há uma semana atrás, você falou comigo pela primeira vez em três anos aqui. – Liam o encarou com olhos semicerrados – então, não. Não ouvi suas desculpas, por nada.

- Então me desculpe por tudo! – ele disse charmoso. – cara, você trabalha a noite toda?

Sim, Liam não era exatamente um convidado naquela festa. Era o garçom e estava servindo bebidas aos seus colegas da escola. Apesar de estudar em uma escola de famílias abastadas, o garoto era de origem humilde e não um filhinho de papai como o lindo moreno diante de si. Mas isso não o incomodava de verdade, gostava de ter seu próprio dinheiro e conseguir as coisas por si mesmo. Acreditava que tudo aquilo que conseguia com seu próprio esforço, tinha muito mais valor, porque sabia o quanto tinha sido difícil conseguir isso. Notou que Zayn ainda o encarava, como se esperasse por uma resposta.

- Trabalho o ano todo, na verdade. – disse por fim.

- Trabalha e estuda? Estou impressionado.

- Estou juntando uma grana para a viagem até Machu Pichu. – ele disse rápido demais, como acontecia sempre que ficava nervoso, não sabia porque estava dando satisfações aquele garoto – meu turno está quase acabando.

- Bem a tempo da diversão! – Zayn estava claramente flertando com o garoto.

- Naturalmente! – ele sorriu grande apesar do tom debochado.

- Então desdenha de nossa celebração? É descolado demais pra isso?

- Definitivamente não...apenas não acho...

- Que seja essa sua praia! – Zayn sorriu e Liam o olhou.

- Algo como isso. O que posso dizer é que prefiro conteúdo ao invés da aparência! – disse olhando Zayn nos olhos.

- Eu diria que você é um espécime em extinção!

- Ainda pode fazer parte disso, Malik! – disse olhando-o intensamente.

- É tarde demais...já tenho minha própria filosofia! – ele riu.

- Sempre há esperança...

Os dois ficaram em silencio, olhos nos olhos, como se estivessem conectados de alguma forma, como se um pudesse ver a alma do outro.

- Pode tirar uma foto comigo? – Liam perguntou de repente.

- O que? – ele estranhou aquilo.

- Para o jornal da escola. O presidente e o tesoureiro. – disse quase se arrependendo.

Zayn sorriu e chamou o fotografo, logo avisando que a foto precisaria da aprovação dele antes de ser publicada. Antes de se posicionarem para a foto, o moreno pegou a rosa branca que Louis havia desprezado e que estava presa em seu blazer. Olhou Liam com hesitação e sem dizer nada, prendeu a flor em sua camisa.

- “Eu sou leal e digno de você!!” – Liam disse com o olhar preso naqueles incríveis olhos âmbar.

- O que disse? – Zayn parecia ter dificuldade para respirar.

- É o que significam as rosas brancas. – o outro disse sem jeito. – meio meloso e cafona, eu sei. E obviamente não é o que eu esperaria que você dissesse pra mim...

Zayn o olhou demoradamente, meio sem saber o que fazer com a rosa. Surpreso por ele gostar e conhecer rosas. Os dois sorriram sem jeito e aquilo pareceu estranho. O que era aquele estranho magnetismo entre eles?

Liam tinha as mãos suando pela proximidade e sentia-se um idiota por disparar a falar coisas sem sentido quando ficava nervoso. Como estava nesse momento. Então respirou fundo e se virou para a câmera.

Não percebeu o olhar intenso de Zayn sobre ele. O moreno parecia estar gravando cada pedacinho do garoto ao seu lado. Seus cabelos castanhos arrumados em um topete, os olhos achocolatados, aquelas bochechas levemente rosadas onde cresciam alguns fios, os lábios úmidos e convidativos. O que estava acontecendo com ele?

Quase sem perceber, passou o braço pelas costas de Liam e foi como uma descarga elétrica pelo corpo de ambos. E então a foto foi batida, com Liam sorrindo enquanto Zayn olhava pra ele.

Quem prestasse bastante atenção naquela foto, notaria o olhar de Zayn, brilhando de desejo. Naquele momento, o menino que não era capaz de enxergar nada além do próprio umbigo, parecia estar diante de uma beleza única. Naquele momento, Zayn só enxergava Liam!


Notas Finais


Segundo capitulo e espero que estejam gostando até aqui.
Me digam o que realmente estão achando, se estão gostando ou não.
Comentários não são obrigatórios mas sempre bem vindos.
Love always


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...