História Cursed by the bells - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Lexa, Lincoln, Octavia Blake, Personagens Originais, Raven Reyes
Tags A/o/b, Clexa, Magica, Soulmates Mark
Exibições 73
Palavras 3.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, FemmeSlash, Ficção, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente, obrigada mesmo para quem comentou capítulo passado e por favor continuem comentando, por que anima para caramba ver que alguém tirou um tempinho para falar o que achou.
Boa Leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3 - Another Day


Como qualquer outra pessoa, eu odiava a segunda feira mais do que qualquer outro dia, mas não por ser o começo da semana e sim por que era o dia que tinha todas as aulas que eu não gostava. Minha primeira aula já era geografia, depois duas de história e o dia seguia nesse padrão.

Quando seu dia já começa com a cara do Jaha e logo em seguida vem a do Pike é quase impossível aquele acabar se tornando um bom dia. E o pior era que para continuar parte dos times nos quais eu jogava, eu tinha que manter notas boas e por isso matar aula era um luxo que eu podia apenas me permitir em dias bem especiais.

Hoje, infelizmente, não era um desses.

Scar já estava me esperando em seu armário, que ficava ao lado do meu, quando cheguei, tínhamos a primeira aula juntas, mas então ela seguia pra aula de Biologia com o professor Sinclair e eu tinha que encarar o infeliz do pai dela.

Parei ao seu lado e rapidamente comecei a mexer nos meus livros. Na noite anterior eu tinha chamado a atenção dela para que ela não se atrasasse, mas por fim, hoje quem já tinha chegado na escola atrasada tinha sido eu.

- E aí, tudo bem? - perguntei a ruiva, ainda com a cara enfiada dentro do armário.

Ela não respondeu e depois de alguns segundos organizando meu material, eu me virei para ver por que.

Scarlett estava encostada no armário dela, a mochila jogada ao lado dos seus pés, encarando Bellamy e Raven que estavam no maior amor do outro lado do corredor, eu não sabia dizer ao certo se ela ressentia o irmão pela maneira que ele a tratava agora ou se ela ainda estava ligada na situação com a ex-melhor amiga, que tinha simplesmente esquecido sua existência no momento em que tinhamos começado o High School.

Bellamy e Raven estavam namorando há apenas alguns meses e as coisas pareciam estar indo bem para eles. Eu não sabia dizer se eles iam dar realmente certo, por que às vezes sentia que eles não eram realmente tão compatíveis assim, na verdade acho que até o Finn, de uma certa maneira bem errada, ainda combinava mais com a Raven do que o Bellamy, mas eles pareciam felizes então quem sabe aonde isso pode dar.

- Hey - empurrei Scarlett levemente, conseguindo sua atenção.

- Que foi? - ela perguntou confusa, logo voltando o olhar pro casal e massageando o bíceps direito. Era uma espécie de tique que ela tinha de vez em quando.

- Você ta na lua - repliquei, fechando meu armário e a empurrando mais uma vez - Vamos nos atrasar pra aula do Jaha.

- Não vejo qual o problema nisso - ela rebateu calmamente, pendurando a mochila no ombro direito.

- Eu vejo - eu disse, já andando na direção da sala. Scar suspirou e começou a me seguir - Depois da aula ele vai querer me dar sermão, aí vou me atrasar pra aula do seu pai e ele vai me dar detenção - expliquei - E hoje vai ter a seleção pro time de basquete - complementei.

- Ele não é meu pai! - Scarlett rebateu, subitamente irritada - Kane é meu pai! - afirmou firme.

- Foi mal - me desculpei, sabendo que ela realmente se incomodava com aquele assunto.

O problema com Pike não era apenas que ele era um cara chato, o problema era que ele era ignorante, preconceituoso e não sabia separar as opiniões imbecis dele da matéria verdadeira de história. Ele não tinha ética nenhuma e tratava todo mundo além dos preferidinhos dele como merda, detalhe que os preferidinhos dele eram todos filhos de caras ricos, políticos ou gente importante.

Ele era o porta voz de pessoas que ainda acreditavam que ser homem e alfa te fazia superior aos outros, que ser lésbica era por que o cara certo ainda não tinha te pegado, ser gay era pra chamar atenção e nada que algumas boas surras não resolvessem. Ele desconsiderava completamente a existência de alfas que fossem mulheres e considerava que não passávamos de ômegas e betas cujos exames tinham sido feitos incorretamente.

 Atualmente, nossa sociedade de maneira geral ridicularizava tudo que Pike defendia, mas Trikru era uma cidade pequena e cheia de pessoas velhas, uma grande parte que já andava por aí quando machismo ainda era passado de geração em geração como parte da cultura, quando a homofobia ainda era justificada por várias das religiões da época e, principalmente, quando as classificações lycan foram primeiramente anunciadas e deram inicio a todo um movimento de supervalorização aos alfas e discriminação contra ômegas e betas.

O mundo tinha mudado muito nas últimas décadas e ultimamente era extremamente raro encontrar um jovem que ainda acreditasse em alguma dessas coisas, mas ainda existiam muitas pessoas mais velhas que ainda pensavam assim e era realmente triste.

O pior era que Pike tinha extrema facilidade em manipular pessoas de mente fraca, exemplo disso era o próprio Bellamy, um jovem que um dia pensara como Scar e eu, e agora segue Pike como se ele fosse o profeta da verdade. Claro, não ajudava que Pike fosse o pai dele, o que eu imagino que só tenha ampliado a influência que Charles tinha sobre o garoto.

Não que isso justificasse algo, por que Scarlett também era filha dele e ainda assim fazia careta de desgosto toda vez que o homem abria a boca.

E em troca, Pike a tratava pior do que como tratava os outros. Scarlett não demonstrava se abalar com isso e nunca tinha me dito nada, mas eu sentia que ela estava sempre andando sobre uma linha bem fina entre o desgostar e o odiar quando se tratava dele.

Já eu o odiava mesmo.

E não escondia isso nem mesmo de Bellamy, algo que só tinha aumentado a distância entre nós.

Conheço Bellamy há muitos anos já, desde os sete anos de idade se não me engano. Naquela época, ele era nada além de um moleque bobão e bem comportado, que ocasionalmente perdia as estribeiras se visse alguém mexendo com as irmãs, ou Clarke e Raven, mas que ainda assim, era inegavelmente um bom garoto.

Ele e Scar eram grudados e a pequena Octavia os seguia de cima para baixo com grandes olhos curiosos e admirados, sempre querendo ser incluída em tudo que os irmãos mais velhos faziam.

Na época, eles moravam com a mãe alfa deles, Aurora Blake, e o padrasto beta, Marcus Kane -que inclusive foi o melhor professor de matemática que já tivemos- e tia Indra sempre comentava que eles eram as crianças mais bem educadas e gentis que ela já tinha conhecido. E eles realmente eram assim.

 O Bellamy de sete anos de idade era humilde, gentil e protetor e levava tudo que os pais diziam como verdades universais. Ele nunca tinha sido bem um líder, -na verdade, mesmo hoje em dia Bellamy ainda seguia ordens muito melhor do que dava- mas ele dava o melhor de si repassando tudo que ouvia dos pais para Octavia e era algo realmente fofo de se presenciar.

Scarlett também era muito parecida em questão de ser humilde, gentil e protetora, mas ela era do tipo que estava sempre contestando e questionando tudo que lhe era dito e nunca fazia ou afirmava nada que já não tivesse ouvido, questionado, considerado e aprovado. Diante disso, era bem mais comum ela tomar a frente e agir como uma espécie de líder dos irmãos do que apenas seguir alguém como Bellamy fazia.

Até aí não tinha problema, os gêmeos se equilibravam e Octavia os adorava, mas então Bellamy decidiu que queria conhecer o pai e quando ele descobriu que Pike era o tal tudo virou uma bagunça.

A princípio Pike deixou claro que não tinha interesse em conhecer filho nenhum, mas após algum tempo acabou decidindo que “daria uma chance para eles”. Bellamy ficou radiante diante disso, mas Scar não ficou tão animada, ela sempre tinha considerado Kane como seu pai e quando Pike os rejeitou inicialmente qualquer curiosidade que ela pudesse ter sobre o pai de sangue desapareceu. Teve uma época que ela até tentou dar uma chance para o homem, mas logo Pike começou a demonstrar que não gostava muito dela e ela desistiu completamente dele.

Uma vez convivendo com o garoto, Pike logo fez questão de virar Bellamy contra a irmã e em questão de meses uma conexão que jamais deveria ser rompida, aquela conexão especial e rara que só existia entre irmãos gêmeos, tinha sido quebrada por causa dele. E a partir daí só piorou.

Depois de Scar, foi a vez de virar o garoto contra os pais e antes que qualquer um percebesse Bellamy já tinha se tornado marionete de Pike e consequentemente um grande imbecil. Eu ainda andava e sentia um grande carinho por ele, assim como acontecia com nossos outros amigos, mas muitas de suas atitudes se tornavam deploráveis e grande parte da admiração que tínhamos por ele sumira. Mas eu tinha presenciado de perto como Pike tinha manipulado ele e eu me recusava a desistir da possibilidade de um dia conseguirmos abrir seus olhos.

E tudo isso por causa de Pike.

Na verdade a pior parte mesmo é pensar que Pike está querendo se candidatar para ser prefeito da cidade e com a habilidade que ele tinha de manipular as pessoas eu sabia que suas chances não eram tão pequenas quanto eu gostaria.

Imagina dar autoridade e poder a um cara como esse?

Estaríamos todos ferrados.

Scar não se deu ao trabalho de responder meu pedido de desculpas, mas ainda se sentou atrás de mim como sempre fazia e até me sussurrou a resposta de uma pergunta que Jaha fez e eu não tinha muita certeza da resposta, então considerei que ela não tivesse ficado chateada.

A primeira aula foi até mais ou menos, Jaha estava de bom humor e não ficou dando piti por tudo como ele fazia geralmente, apesar das diversas perguntas. Scar e eu tínhamos estudado adiantado a maioria da matéria dele para esse bimestre, -assim como tínhamos feito com a maioria das matérias- para não ter risco de perdermos alguma aula e nos fodermos em alguma prova, então eu apenas fiquei observando tudo enquanto Scar distraidamente escrevia Deus sabe o que em seu caderno.

A aula passou rápido até demais. Quero dizer, a aula não era boa, mas era melhor do que a merda da próxima matéria, então acho que a expressão “Tudo que é bom dura pouco” ainda se encaixava bem o suficiente na situação.

Scar logo partiu contente para sua aula de biologia e eu segui já com tristeza para a minha de história.

Pike já começou a idiotice quando deu detenção a Monroe por chegar atrasada e cinco minutos depois não abriu a boca quando Bellamy e Finn interromperam a aula para entrar na sala e sentar-se.

A partir daí, eu já estava puta demais para conseguir dar a mínima para a aula dele.

Apesar das aulas dele parecerem que eram eternas, felizmente não eram e quando o sinal bateu fiz questão de puxar Monroe para fora da sala o mais rápido possível. Fomos conversando até o refeitório e quando cheguei lá eu já estava um pouco mais distraída de meu ódio pelo professor. Monroe se afastou para ir comer no jardim com a namorada Harper e eu segui para minha mesa de costume.

Bellamy, Finn e Murphy chegaram logo em seguida e começamos a conversar sobre o teste do time de basquete que seria hoje depois da escola, os três estavam certos que iriam passar e eu internamente quase desejava que eles fossem rejeitados para ver se dava uma baixada no ego deles, mas por fim me senti mal e lhes desejei boa sorte.

Scar chegou alguns minutos depois com nossos lanches e eu agradeci antes de começar a comer meu sanduíche e passar a ignorá-los completamente. Raven, Clarke e Octavia se juntaram a nós alguns minutos depois, Clarke e Octavia já vestidas com seus uniformes de líderes de torcida e Raven com suas roupas rotineiras.

Mais de uma vez durante o intervalo, tive que desviar meu olhar dos dois casais que tinham se formado, incomodada cada vez que via algo que pra mim indicava que Bellamy e Raven não tinham nada a ver e sentindo meu estomago revirar diante das ceninhas constantes entre Clarke e Finn. Eles não estavam namorando, mas definitivamente tinha alguma coisa acontecendo entre eles e tanto me doía quanto enojava ter que assisti-los juntos.

Primeiro que o Finn é um babaca.

Sério, Finn é pior que Bellamy e Murphy juntos. Bellamy é cheio de idéia errada e Murphy é um idiota na maior parte do tempo, mas para mim Finn é simplesmente o pior.

Dos meninos que andavam comigo ele era o único que eu sinceramente não suportava e eu imagino que o sentimento era recíproco por que ele também nunca olhou duas vezes na minha cara.

Ele é um irresponsável arrogante que já foi descoberto traindo uma de suas namoradas incontáveis vezes e já tinha sido preso por todo tipo de merda pelo menos uma vez.

Eu sinceramente não sabia de onde ele tirava esse charme sobrenatural que ele tinha que fazia as garotas ainda saírem com ele mesmo quando todos já sabiam das merdas que ele fazia, mas me doía de uma maneira toda especial ver Clarke junto com ele.

Depois que Clarke terminou comigo daquela maneira nós nunca mais nos falamos. Andávamos com basicamente o mesmo grupo de pessoas e íamos às mesmas festas, tínhamos muitas aulas juntas, mas nunca mais voltamos a trocar uma palavra uma com a outra.

Sendo sincera, eu meio que pensava em Clarke como aquela garota que eu nunca vou superar de verdade, sabe?

 Já vai fazer três anos que ela me dispensou e de alguma maneira ela ainda mexe comigo de uma maneira diferente do que qualquer outra garota já mexeu.

Não é que eu esqueci o que ela me disse aquele dia, não é que eu correria para seus pés se ela dissesse que me quer de volta, eu estava conformada que tínhamos terminado e inclusive já tinha voltado a namorar outras garotas a muito tempo atrás, mas eu ainda não encontrei uma garota que me fizesse sentir como ela fazia.

E ela não mudou muito desde que terminamos, é ainda aquela mesma Clarke determinada e altruísta que eu me apaixonei um dia. Um pouco mais revoltadinha e crescida sim, mas ainda a mesma pessoa em quase todos outros sentidos. A Clarke fria e cruel que eu conheci no dia que ela rompeu o nosso namoro morreu ali mesmo e nunca mais deu as caras, pelo menos não que eu tenha visto.

Aquela Clarke aparentemente era só para mim.

Mas segue a vida, certo? Eu já tinha cansado de tentar entender o que tinha acontecido, e nunca tinha chegado a nenhuma resposta.

As últimas aulas passaram num piscar de olhos, Scar tinha todas junto comigo e parecia estar com uma careta de dor fixa em seu rosto pelo resto do horário de aula. Ela ficou praticamente o tempo todo massageando o bíceps direito e tive que estapear suas mãos diversas vezes quando reparei que o local estava até ficando vermelho de tanto ela mexer.

Quando as aulas acabaram Bellamy, Scar, Finn, Murphy, Monty, Miller, Jasper e eu fomos para a quadra de basquete onde seriam feitos os testes para entrar no time de basquete desse ano.

Octavia já estava lá e Monroe quase perdeu o teste porque o Pike tinha decidido liberar um pouco mais tarde da detenção.

Os times de todos os esportes de nossa escola eram mistos desde que tinha sido descoberto que mulheres alfas podiam ser tão ou mais fortes até que a maioria dos homens. Hoje em dia alfas ainda tinham certa preferência no time, mas ainda se um ômega ou beta melhor aparecer para fazer o teste o alfa podia perder sua vaga sem problema nenhum.

Confesso que sempre estranhava, de uma maneira boa, quando tinha treino com a Ontari, por que eu já estava bem acostumada com o treinador Titus, que era um cara bem difícil de lidar mesmo, ele exigia sempre o máximo de todo mundo e não tinha um grama de misericórdia no coração. E infelizmente ele treinava tanto o time de futebol americano, como o de hóquei e beisebol, então querendo ou não tínhamos que nos acostumar com o jeito dele.

O time de basquete e vôlei quem treinava era a Ontari e ela era bem chata também, mas pelo menos tinha um pouco de amor no coração e não matava todo mundo de cansaço, o que eu achava que mais atrapalhava do que ajudava e Titus parecia acreditar que fazia o time melhor ou algo assim.

O teste para entrar no time de basquete era bem simples na verdade, consistia apenas em alguns exercícios de passe e cesta de três pontos, entre outros. Pelo que eu vi o time seria quase igual o do ano passado, o que era bom e ruim. A maioria do time do ano passado já estava acostumada com os colegas de time e já estavam interagindo muito bem com os jogadores de outras posições, mas por outro lado eu sabia que a chance deles se acomodarem também se tornava grande.

Dos meus amigos, os únicos que não ficaram como titulares do time foram Monty e Scar. Monty eu já esperava, ele muito bom em jogo, mas não tinha um desempenho tão 100% quanto o resto dos titulares. Já Scar ter sido dispensada foi uma surpresa e tanto.

Curiosamente, ano passado ela também tinha começado o ano como reserva, mas eventualmente tinha sido incluída no time quando se tornou inegável que precisávamos dela. O teste dela tinha sido tão bom, se não tivesse sido melhor, quanto o de Finn ou Bellamy e eu não entendia como ela tinha sido jogada no banco mais uma vez em favor dos jogadores bem mais inexperientes e descartáveis que tinham sido colocados no time.

Fora que metades das jogadas que tínhamos improvisado no ano passado, que tinham nos rendido muitas das nossas vitórias, tinham sido dela.

Contudo ninguém além de mim parecia estar realmente surpreso, nem mesmo a própria Scarlett, e eu me perguntava como é que coisas assim continuavam acontecendo com ela e ela nunca se incomodava com nada. Se fosse eu, eu provavelmente já estaria infernizando a vida de Ontari. Jamais aguentaria ficar sentada no banco assistindo se eu soubesse que merecia estar como titular.

Depois do time escolhido, todos tomaram seus devidos banhos e vestiram-se para ir embora. Na saída, vi mais uma ceninha entre Clarke e Finn e sai o mais rápido possível do estacionamento.

Mais uma vez, tia Indra não estava em casa quando cheguei. Aparentemente alguma coisa tinha acontecido em Azgeda e ela tinha ido lá verificar.

Na verdade sempre tinha alguma coisa acontecendo em Azgeda e era quase absurdo que minha tia tivesse que sair daqui para ir até lá resolver toda vez. Já tinha passado da hora deles arranjarem um departamento de polícia de verdade e um xerife para eles, assim como eu também acho que já passou da hora da minha tia receber um puto aumento.

De qualquer maneira seria mais uma tarde que eu provavelmente passaria sozinha em casa.

Rapidamente verifiquei e já fiz todo tipo de tarefa da escola que eu poderia ter, lavei um pouco de louça que minha tia tinha deixado para trás, varri a casa e coloquei meus shorts e regata de academia. Eu não tinha dias fixos para ir pra academia, mas sempre que tinha um tempo livre ia pra lá, principalmente se estivesse ansiosa para algo e confesso que embora tivesse esquecido de novo hoje de manhã, agora não conseguia parar de pensar no bendito feitiço que Anya faria no dia seguinte.

Seguindo o feitiço de Scar, existia sim uma espécie de maldição atrapalhando minha vida amorosa, mas aí como o feitiço tinha “bugado” (Scar tinha dito isso hoje de manhã quando mencionou o feitiço e nossa viagem até a casa de Anya, não sei direito da onde ela tirou isso) nada mais era certeza, o que confesso que agora estava me irritando um pouco. Se Anya confirmasse o feitiço de Scar, ainda teríamos que descobrir que tipo de feitiço exatamente tinha sido lançado e como revertê-lo e eu não tinha idéia de como faríamos isso.

Não gosto muito de não saber de coisas que eu preciso saber, nem de depender de outros para resolver meus problemas, então por isso tava meio irritada.

Porém, não me restava opção além de esperar.

Então, bora pra academia pra ver se o dia passa mais rápido.


Notas Finais


Por favor, comentem!
Digam o que gostaram e o que não...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...