História Da Ficção a Realidade - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Laura Prepon, Orange Is the New Black, Taylor Schilling
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Amizades, Drama, Revelaçoes, Romance
Visualizações 199
Palavras 4.007
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um capitulo tranquilo para vocês... a partir do próximo muita coisa vai começar a acontecer...

Capítulo 38 - De volta a Nova Iorque


Fanfic / Fanfiction Da Ficção a Realidade - Capítulo 38 - De volta a Nova Iorque

É que a gente quer crescer
E quando cresce quer voltar do início
Porque um joelho ralado
Dói bem menos que um coração partido
É que a gente quer crescer
E quando cresce quer voltar do início
Porque um joelho ralado
Dói bem menos que um coração partido

 

 " Era uma vez" -  Kell Smith
 

Taylor

 

Pela primeira vez depois de anos, eu não sabia o que fazer, não sabia para onde ir, a última vez que tinha me sentido tão perdida assim, foi quando minha mãe me colocou aos 16 anos para fora de casa, por ter descoberto que o  meu  primeiro namoradinho, na verdade era uma namoradinha.

 

Lembro que liguei para meu pai contando tudo o que havia acontecido, incluindo o fato de eu estar sem moradia, e a única resposta que eu tive dele foi  que eu manchava sua reputação, que ele não me reconhecia como filha dele, Sam na época foi quem me ajudou, ele sempre cuidou de mim, me ajudou a arrumar um apartamento, e um emprego.

 

Foi aí que, sem pensar direito, comprei uma passagem para Boston, a única pessoa que eu precisava naquele momento era do meu irmão, do abraço dele, e escutar dele que tudo ficaria bem, cheguei em seu condomínio, o porteiro o avisou que eu estava lá, a principio ele pensou ser piada, só autorizou minha entrada quando eu pedi para usar o apelido Tayne e Janezinha, quando o elevador parou no andar do apartamento dele, dei de cara com ele me esperando com um sorriso gigantesco.
 

- Tayne, não acredito, o aniversário é seu mas o presente é meu!!!!

 

Ele estava todo feliz com os braços abertos esperando pelo meu abraço, e assim fiz, me joguei contra seu corpo, me deixando envolver pelo seu abraço, mas ao contrário dele, eu não sorri, eu apenas chorei, um choro de tristeza de dor, de raiva.

 

Sam me apertou mais em seu abraço, dando um beijo na minha cabeça, ele não sabia o que tinha acontecido, mas ele sabia o quanto eu precisava daquele abraço, daquela proteção dele, eu não conseguia controlar meu choro, ele não falava nada, permaneceu abraçado comigo, de frente a porta do elevador, desde criança Sam cuida de mim, me protege  acolhe, sempre que me machucava ou sentia medo, ele me envolvia em seu abraço e isso me tranquilizava, hoje sei que nada mudou, pois seu abraço ainda me tranquiliza.

 

Sam ainda abraçado comigo, me conduziu até seu apartamento, por mais que eu não quisesse a dor que eu estava sentindo era maior que qualquer coisa, o choro era inevitável, Pam se assustou ao me ver naquele estado, correu e pegou um copo de água com açúcar, se fosse a Tasha seria um copo de vodka, mas Pam tinha um pouco mais juízo que ela, após longos minutos de choro no colo de Sam, consegui finalmente me acalmar.

 

- Desculpe (foi a primeira coisa que disse)

 

- Tayne, não tem do que se desculpar, mas o que aconteceu? ( Sam tinha um tom de preocupação na voz)

 

- Acabou

 

- O que acabou Tay? ( Pam perguntou também preocupada pela cena que presenciou)

 

 - Lau e eu, acabou ( eu soltei um sorriso triste)

 

- Como assim, vcs brigaram? olha Tayne vcs vão se entender, vcs se amam

 

- Não Sam, eu a amo, agora ela?? ( novamente soltei um falso riso) - Depois da viagem dela muita coisa aconteceu, ela começou a me evitar sabe.

 

- Tay, ela deve estar trabalhando muito ( Pam tentou entrar em defesa dela) - Tenta entender.

 

- É pode ser, dá trabalho transar com outra ( praticamente despejei essa frase neles, que me olharam assustados)

 

- O que? ( Sam pareceu não acreditar no que eu disse, foi aí que contei tudo a eles)

 

- Esperai aí a Laura te traiu? está noiva de outra?

 

- Pois é Pam, eu peguei isso ontem, hoje pedi que confirmassem se elas estavam no mesmo quarto, e  confirmação foi inevitável. ( novamente me deixei a levar pela dor insuportável que eu estava sentindo)

 

Sam novamente me acolheu em seu colo, a dor tomava conta de meu peito, não sei explicar, só sei que é algo que nunca pensei que pudesse sentir, ainda mais sendo ocasionado pela mulher que achava que me amava na mesma intensidade que eu a amo...

 

Sammy e eu sofremos muito vendo meu pai trair minha mãe, constantemente eles brigavam, lembro claramente de uma briga nas vésperas do meu aniversário , eu ia completar 6 anos, meus pais brigaram de uma maneira tão marcante para mim, lembro que Sam pegou meu braço e me tirou de lá, ficou abraçado comigo, dois dias depois foi meu aniversário, e ninguém se lembrou, achei que passaria em branco, mas Sam apareceu todo sorridente me dando um de seus carrinhos como presente de aniversário....

 

A separação dos meus pais só fez com que essa união que tenho com meu irmão se fortalecesse, se tem duas pessoas nesse mundo que são capazes de me acalmar com um único abraço, ou apenas um sorriso é ele e Tasha, enquanto conversávamos, pelo menos tentávamos, porque eu mais chorava do que qualquer outra coisa, o telefone de seu apartamento tocou, Sam atendeu, e falou sem emitir som que era a Tasha, ele perguntou se eu estava bem para falar com ela, tenho por Tasha, o mesmo carinho respeito e amor que tenho por Sam.

 

- Oi pequena ( tentei não demonstrar o quanto estou péssima, mas é inevitável)

 

- Você deve estar nos odiando néh? olha gostosa eu não poderia imaginar

 

- Nat ( raramente chamo Tasha de Nat) - Não estou com raiva de vocês, e acho que você já está sabendo néh ( dei um longo suspiro) Podemos falar sobre isso pessoalmente, com um bom copo de vodka?

 

- Claro gostosa, volta quando?

 

- Sei lá, acho que amanhã

 

- Promete que me ligará? ou que virá direto para meu apartamento?

 

- Prometo, amo você

 

- Também te amo

 

Assim que desliguei com Tasha, olhei para Sam e Pam e sorri, Laura me machucou tão profundamente que não sei como será daqui para frente, mas sei que com Sam, Jéss Pam e Tasha eu nunca estarei sozinha.

 

Passei o dia com eles, Jéss como de costume ficou grudada em mim, eles respeitaram meu momento de choro, no dia seguinte resolvi voltar para Nova Iorque, Sam fez eu prometer que eu ficaria bem, é claro que ele sabe o quão difícil vai ser, mas não tenho escolha.

 

Durante todo o voo, fiz pensando em Laura, todas as promessas e juras de amor que fizemos, quando pousamos peguei um táxi e parti ao apartamento de Natasha, que ao abrir a porta me envolveu em um abraço, fazendo com que meu choro saísse descontroladamente, Tasha e eu ficamos conversando por um longo tempo, ela de certa maneira se culpava, primeiro pelo acidente que sofreu depois pelo presente da discórdia como ela chamou as passagens.

 

- Eu juro que se pudesse arrancaria essa dor de você ( Tasha falou enquanto eu estava deitada em seu colo, ela permanecia fazendo carinho em minha cabeça).

 

- Eu sei Tasha, uma hora vai passar.

 

- Laura fodeu tudo

 

- Fodeu demais, está doendo tanto Tasha, eu vou voltar ao trabalho

 

- Não gostosa, usa essa semana para descansar ( Tasha falou de forma tão preocupada)

 

- Tasha, se eu ficar parada vou enlouquecer... tudo que mais quero é tirar ela da minha vida, mas eu a amo, não sei como fazer isso, se tudo ao meu redor me faz pensar nela e na cena dela beijando outra.

 

Depois de uma boa conversa com Tasha e um copo de vodka fui dormir, dormi no apartamento dela mesmo, no dia seguinte fui para o set gravar, lógico, Samira, e Uzo estranharam meu retorno, Yael parecia saber que eu voltaria, Jenji não entendeu nada da minha volta, mas ficou feliz.

 

Na hora do almoço Tasha, Samira, Yael e Uzo, ficaram em meu camarim comigo, elas me questionaram o que aconteceu por eu estar abatida e ter voltado cedo de viagem, eu não quis expor a Laura, apenas falei que terminamos, elas não entenderam nada, mas respeitaram meu pedido de não tocar no assunto, pois quando eu pedi isso novamente não contive as lagrimas.

 

 A semana passou da maneira mais cruel, eu ainda não tinha ido ao meu apartamento, tem coisas de Laura lá, não estou preparada para ver nada dela, recusei todas as ligações dela, de Jodi, Teresa, e até mesmo das irmãs de Laura, que mandaram inúmeras mensagens, falando que estavam do meu lado , enfim como eu disse a semana passou da maneira mais difícil e dolorosa, Jenji me chamou disse que na segunda feira, teria uma reunião com ela logo as 7:00 da manhã, que teria notícias maravilhosas.

 

O Fim de semana se passou com eu largada no colo de Tasha chorando, a dor não cessava em nenhum momento, pelo contrario a cada minuto se tornava mais sufocante e forte, eu me abati demais, pois não consegui dormir direito me alimentar, Tasha, Ted, Uzo Yael e Samira estavam a cada dia mais preocupados comigo, fora o restante do elenco que não sabia o que tinha acontecido, Jackie Diane sempre me ligavam.

 

A Segunda chegou, tomei um banho, vesti qualquer roupa e Tasha me levou para a reunião.

 

- Loirinha vc não pode deixar se abater assim ( Tasha falava enquanto dirigia)

 

- Está a cada dia mais difícil Tasha ( encostei a cabeça na janela do carro, fechando os olhos e lembrando da Laura tirando a caixinha de aliança e logo depois elas se beijando, saindo abraçadas rumo ao elevador, dei um longo suspiro de tristeza).

 

- Eu sei gostosa, mas não vai adiantar você ficar assim, você tem que mostrar a ela a mulher que ela perdeu

 

- Eu não quero mostrar nada para ela, eu só quero esquecer.

 

- Então é mais um motivo para vc não ficar assim, Loirinha, cadê aquela mulher forte determinada que conheço?

 

- Acho que não aguento mais ser forte Tasha ( Não aguento mesmo, a dor ao invés de diminuir, aumenta a cada minuto).

 

- Taylor para com isso, ( Natasha falou com um tom sério, mas ao mesmo tempo carinhoso) - Porra vc já passou por tanta coisa e se levantou, sei que agora não será diferente, eu estou com você, e farei tudo que eu puder para te ver bem, feliz, amo você, então por mim, pelo Sam promete que vai reagir?

 

- Prometo Tasha, prometo que vou tentar, eu amo você obrigada por estar sempre comigo.

 

Cheguei para reunião, Jenji logo me perguntou se eu me sentia melhor, eu disse que sim, ela me falou que a série está sendo um sucesso absoluto, e que teria uma grande surpresa para mim, eu de fato foi uma grande surpresa, mas não posso dizer que foi boa.
 

Laura
 

Quando Danny viu o estado que eu estava, mandou as crianças irem para o quarto brincar, lógico que eles não queriam, mas quando Danny manda e faz aquela cara brava dela, ninguém questiona, nem mesmo eu... minha mãe deixou que eu chorasse descontroladamente em seu colo, sentia que Joce fazia carinho em minhas costas, todos meus irmãos estavam assustados, Stephanie veio com um copo d'água, apenas quando me acalmei foi que Brad perguntou o que havia acontecido.

 

Eu contei tudo a eles, desde o primeiro dia que cheguei em Los Angeles, até hoje de manhã, ninguém pronunciou uma palavra se quer... de duas ou uma, ou eles ficaram completamente decepcionados comigo que perderam a fala, ou eles estavam pensando em uma maneira de me matar sem serem presos... 

 

Como ninguém iria falar nada, nem mesmo o Brad, me levantei do colo da minha mãe, e fui para meu antigo quarto, ao abrir a porta, lembrei da última vez que eu estive lá, foi com a Tay, todas as lembranças tomaram minha mente, começou a cair a ficha da merda que fiz, lembrei da Tay falando o quanto ela sofreu vendo seu pai trair sua mãe... lembrei de quão frágil ela é, mesmo quando ela tenta ser forte, lembrei de quantas vezes vi ela dar um lindo sorriso quando sua vontade na verdade era chorar... lembrei das ameaças que Carrie fez, ela não merecia passar por aquilo, me deixei levar por uma merda de desejo, e com toda a certeza perdi a mulher que amo, me joguei na cama chorando incontrolavelmente, Tay estava com razão de sentir ódio de mim... depois de um bom tempo, Danny bate na porta do meu quarto e entrou.

 

- Veio me bater agora? ( perguntei a ela secando meu rosto, que está completamente molhado pelas lagrimas)

 

- Na verdade estávamos tirando dois ou um para ver quem seria o primeiro a subir e descer a surra em você, por essa razão só subi agora. ( ela falou da maneira mais tranquila possível)

 

- Eu mereço

 

- Merece Laura, merece muito, mas antes vem cá.

 

Danny me deitou em seu colo, me deixando chorar enquanto acariciava meu cabelo, se eu pudesse voltar no tempo, nunca teria assinado aquele contrato, nunca teria me deixado levar por uma porra de desejo... eu machuquei tanto a mulher que amo, se ela nunca mais quiser olhar na minha cara eu irei entender... não consigo imaginar como deve ter sido difícil para ela ver tudo o que viu...

 

- Pronto? ( Danny me perguntou quando me levantei de seu colo)

 

- Pronto ( falei suspirando, eu precisava falar com alguém, eu não estava bem, mas precisava desabafar de fato)

 

- Você sabe que a perdeu de vez néh?

 

- Sei Danny, eu me arrependo

 

- Laura, vc procurou isso, ela não merecia passar pelo que está passando.

 

- Eu errei mana, foi um momento.

 

- Não Laura, não foi um momento, Jodi tentou a todo custo te mostrar o que vc deveria ter enxergado sozinha, Lau, sentir atração por outra pessoa é normal, mas se deixar envolver é burrice, falta de caráter, falta de respeito com quem vc realmente ama, Tay é tão carinhosa, parece um anjo, você falhou tanto com ela, eu te avisei que uma hora ela não iria perdoar suas burradas
 

- E agora o que eu faço Danny?

 

- Eu quem te pergunto Laura, vc machucou uma mulher incrível por qual motivo?

 

- Eu estava a 4 meses sem sexo, ela preferiu ficar com Natasha que sofreu um acidente do que ir me ver.

 

- Laura, escuta bem o que vc acabou de me falar, vc estava a quatro meses sem sexo, ela também e nem por isso te traiu, ela preferiu ficar com Natasha que sofreu um acidente,  Laura você não tem mais 10 anos para ter ciúmes de uma amizade.

 

- Elas tem uma cumplicidade única ( tentei retrucar algo que eu sabia que não tinha razão)

 

- A mesma que vc e eu temos, que vc tem com as nossas irmãs, ou com Jodi e Teresa, Natasha para Tay é como uma irmã, porra Laura, não seja tão estupida assim, não piora a raiva que estou sentindo.

 

Nessa hora Brad, Joce e Stephanie entraram em meu quarto juntamente com minha mãe, eu estava envergonhada com o que eu tinha feito, e com o olhar de decepção que todos estavam me lançando, Danny falou para eles tudo que havíamos conversado até o momento, Brad então falou.

 

- Laura, Taylor é diferente de você, você sempre teve apoio, torcida, amor, ela não, tirando seu irmão e Natasha quem ela tem? não quero te julgar mana, mas você agiu errado, e não tem nem como pensar em te defender.

 

- Eu estou preocupada com ela ( Joce falou com uma voz tão triste) - Gosto dela, acho que agora ela nunca mais vai querer saber da família Prepon.

 

- Ela nunca mais vai querer saber de mim, ela ama vocês, e que fez a merda fui eu

 

- E como fica você e Cindy? ( Stephanie perguntou ) 

 

- Não tem  o que ficar, não a amo, não sinto nada por ela além de carinho de amiga.

 

- Amigas não transam Laura, não quando uma está em um relacionamento sério,  não existe isso ( Danny falou sem ao menos me olhar)

 

- Será que algum dia ela irá me perdoar? 
 

- Por você ser minha irmã e eu te amar, torço para que sim, mas se vc não fosse, torceria para ela nunca mais olhar na sua cara.
 

 Joce falou pegando seu celular e mandando uma mensagem a Tay, minha família inteira se apaixonou pelo jeito dela, por ela, e todos sem exceção já odiaram Cindy, eles saíram do meu quarto me deixando sozinha para descansar, mas minha mente só me trazia a lembrança da Tay no aeroporto, e da conversa que Jack teve comigo um dia antes de irmos para casa de campo... será que ela vai tentar algo com a Tay? Não... Claro que não ela está namorando a Natasha...

 

O cansaço foi tanto que acabei adormecendo, acordei no outro dia com meu celular tocando, era Teresa, perguntando quando eu voltava, pois apesar da merda que eu havia feito, tinha um contrato assinado onde eu deveria honrar, seu tom de voz era rude... perguntei se elas estavam com muita raiva de mim, e a resposta que tive.

 

- Somos todas Tay.

 

Tay de fato conquistou todos ao seu redor... não tem como culpar afinal ela era apaixonante, eu queria que tudo tivesse sido um pesadelo, tentei falar com Natasha mas ela não me atendia, nem me respondia nenhuma mensagem, acabei ligando para Yael, Tay é muito apegada com as meninas, talvez ela saiba algo sobre a Tay.

 

- Lau que saudades meu amor ( Yael como sempre foi muito carinhosa)

 

- Oi Ya, como vc está?  saudades...

 

- Você está com Saudades? você sumiu, não ligou, não nos responde, que decepção em Laura ( Yael tinha um tom brincalhão no timbre da voz, mas estava falando a verdade, eu me afastei de todas depois que fui para Los Angeles)

 

- Pois é ultimamente ando decepcionando muita gente ( falei ao pensar na Tay) - Yael, por acaso você falou com a Tay?

 

- Como assim? ela não está aí com vc? ela saiu daqui toda sorridente, pois Natasha deu de presente a ela uma passagem para ela te ver, antes de ontem ( a voz de Yael soou com tom de preocupação, eu apenas suspirei) - Eu tentei ligar para dar os parabéns a ela, mas não consegui falar,  aliás eu e todas as meninas, a caixa postal dela deve estar lotada, pensei até em te ligar, pedindo para que você deixasse eu falar com ela, mas agora estou preocupada, o que houve Lau?

 

- Acho que terminamos,( tentei conter meu choro) - Mas não quero falar nisso, é melhor ela te contar, por favor não comente nada até ela chegar pode ser?

 

- Sinto muito Lau, mas o que aconteceu? ela passou esses quatro meses sofrendo por sua ausência, principalmente quando vocês se afastaram por conta de suas gravações, só voltei a ver seu sorriso antes de ontem quando Tasha a presenteou com a passagem e as semanas de folga.

 

- Ya, por favor esquece o que te falei, isso está machucando tanto ela como eu ( não consegui controlar meu choro)

 

- Lau, ela te ama, seja lá o que aconteceu, vcs vão se resolver, ela é louca por vc... não fica assim meu amor ( Yael é sempre tão positiva...)

 

Depois de desligar o telefone, tomei um banho e coloquei uma roupa que Joce comprou para mim, mais uma vez conversei com minha família que apesar de me ceder seu colo, em nenhum momento deixou de apontar meus erros, eu tive que voltar para Los Angeles, após chegar no hotel passei no quarto de Jodi, que logo chamou Teresa.

 

- Devo uma explicação a vcs duas ( falei suspirando)

 

- Não é para nós que vc deve Laura é para a Taylor, que está tão puta que nem responde nossas mensagem ou atende o celular, já deixamos inúmeras mensagens em sua caixa postal

 

- Eu não faço a menor ideia da onde ela está, mas podem dizer eu avisei, principalmente vc Jodi.

 

- Lau. nem sei se é isso que quero dizer, eu estou preocupada com vcs duas ( Jodi falou me acolhendo em seu abraço) - Você foi cabeça oca, foi burra... mas eu te amo então só fica quieta aqui.
 

Esse noite dormi com Jodi, que de fato honrou sua promessa, me dando seu colo após eu perceber a merda que fiz, eu não consigo imaginar minha vida sem a Tay, é algo que me machuca tanto, mesmo sem vontade me arrumei e fui para o set onde gravaria com Cindy, minha estadia em Los Angeles eram para ser de 6 meses, mas eu consegui adiantar ao máximo as gravações, essa era a última semana de gravação, sobre a direção do filme eu juntamente com Jodi e Teresa, conversamos com a equipe de produção, eu optei por pagar a multa e rescindir meu contrato como diretora, logo que cheguei no set Cindy veio falar comigo.

 

- Meu amor como vc está? ( ela me puxou para um abraço, Teresa e Jodi saíram sem ao menos olhar para ela)

 

- Péssima néh Cindy, eu amo a Taylor, e a machuquei , ela nunca vai me perdoar.

 

- Se ela não te perdoar é porque ela não te ama, Lau foi ela quem te trocou pela suposta amiga ( Ela fez o sinal de aspas com a mão na palavra suposta amiga) - Ela quem não merece seu perdão.

 

- Ela não me trocou Cindy, a irmã dela sofreu um acidente, eu quem fui idiota 

 

- Você acredita mesmo nessa história de irmã? Há Laura, ela deve ter metido tanto chifre em vc... ( Cindy me questionou de uma maneira que sem ao menos pensar eu dei um tapa em sua cara)

 

- Taylor tem caráter, nunca mais abre a boca para falar dela entendeu? ( nessa hora deixei a raiva explodir)

 

- Ok Laura, mas agora você acabou de arrumar uma inimiga.

 

Nem preciso dizer que encerrar essa semana de gravação foi complicado, logo depois de bater em Cindy me arrependi, tentei a todo custo me desculpar com ela mas foi em vão... era hora de voltar para Nova Iorque, era hora de encarar Tay, desde o ocorrido ela não me atende, Natasha age da mesma forma comigo.

 

Quando desembarcamos em Nova Iorque, eu não sabia para onde ir, se eu tentava ir até o apartamento da Tay, ou iria direto para minha casa, Jodi disse que era melhor eu ir para minha casa, ficar lá até conseguir falar com Taylor, eu concordei, Teresa já havia marcado uma reunião com Jenji para estudar uma possível volta a série.

 

Eu estou disposta a fazer todo o possível para reconquistar Taylor, mas não sei se ela está disposta a me perdoar, as palavras de Cindy martelam tanto em minha cabeça, "- Você acredita mesmo nessa história de irmã? Há Laura, ela deve ter metido tanto chifre em vc...  "   tentei afastar esses pensamentos afinal quem não teve caráter na historia fui eu, Tay sempre foi honesta comigo, sempre foi verdadeira, eu é que não fui, sempre a magoei.

 

A reunião com Jenji ocorreu de forma bem positiva, eu  iria participar de algumas cenas da 2ª temporada e iria retornar como protagonista a partir da terceira, Jenji me convidou para juntas darmos a noticia para Taylor, eu concordei, eu estava com tanta saudades dela, e sei que a principio esse é o único jeito deu poder olhar para ela.

 

Jenji marcou a reunião comigo as 8:00 porém cheguei as 7:30, fiquei sabendo pelo Lauren que Tay já estava lá dentro, eu senti meu coração disparar, minhas mãos soarem, minha boca secou completamente, Lauren saiu da sala que Jenji estava e mandou que eu entrasse, respirei fundo e entrei...
 


Notas Finais


Como Tay vai reagir ao ver Laura?

E guardem bem essa fala de Natasa "... eu estou com você, e farei tudo que eu puder para te ver bem, feliz, amo você..."

Próximo capitulo terá Cindy de volta...

Espero que gostem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...