História Da inocência à sedução - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Anjos, Demonios, Ódio, Paixão, Romance, Vampiros
Exibições 203
Palavras 1.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa é minha primeira fic espero que gostem ♡

Capítulo 1 - Além Da Montanha


Fanfic / Fanfiction Da inocência à sedução - Capítulo 1 - Além Da Montanha

Eu sempre quiser sabe o que havia além das montanhas, conhecer o mundo, sou Elizabeth Movich, nasci em Movich um reino de anjos, minha mãe é a rainha a que mantém o equilíbrio do bem além da montanha. E eu seria a proxima a ser o equilíbro. Eu era muito proxima a minha mãe, mas ultimamente estava afastada de todos. Meu pai? Ele morreu, nem cheguei a conhece - lo.

Do que estava falando mesmo? Ah claro da montanha, o que será que há além?! Minha mãe disse que coisas más, nunca sai de Movich, não sabia de nada do mundo além das montanhas. Minha mãe me disse eu eu não precisava saber o que havia além das montanhas, que eu não deveria sair de Movich. Eu sempre me perdida nos meus pensamentos. Eu estava no Jardim do castelo olhando a variedade de flores, enquanto o frio vento soprava forte meus cabelos.

 – Não é difícil te acha. –  disse Ian meu irmão, tocando no meu ombro. 

 Parece que não Ian. – esbocei um sorriso. – Gosto do jardim e a montanha, mesmo que seja noite.

 É uma bela montanha! Mas está tarde, deveria entrar e dormir.

 Não tenho sono. – abaixei os olhos e fiquei olhando pro chão.

– Parece nervosa, ser a próxima rainha te incomoda??

– É o que parece. –  Eu dei um longo suspiro e me levantei do banco que estava sentada. – Acho que vou dormir.

Ele me olhou e percebeu que estava fugindo do assunto.

 Elizabeth.. - Ele sorriu de uma forma amigável. – Boa noite.

Sorri, e fui para o meu quarto, me deitei em minha cama, acho que estou muito nervosa, eu fui a criança mais esperada, acreditam que eu vou ser a salvação do nosso reino, já que o equilíbrio estava desigual, que eu poderia eliminar o mal.

Dentro de mim não era esse meu desejo, eu desejava ser livre, queria voar longe, queria conhecer o mundo atrás da montanha. Mas meus desejos nunca foram realmente importante.

Me levantei e olhei para fora pela janela, Movich é calmo durante a noite, eu desci as escadarias para ir até a cozinha beber um pouco de água, eu peguei uma jarra e coloquei a água no copo, e dei um farto gole, eu pudia ver as estrelas brilharem no céu, o castelo é cheio de janelas, isso me fazia me sentir confortável, subi as escadarias calmamente até meu quarto.

As noites eram difíceis para dormir, com tantos pensamentos incertos e sem respostas. Depois de algumas minutos terminei dormindo.

Na manhã seguinte acordei, fiquei deitada na cama alguns minutos, depois levantei e me arrumei, penteie o cabelo calmamente, e desci as escadas para a cozinha, chegando na cozinha todos já estavam na mesa, eu me sentei depois de dar bom dia, tomei o café da manhã e fui para o jardim meu lugar preferido depois da motanha. 

Passava o dia lá, durante a tarde todos estavam em uma reunião, para discutir coisas importantes sobre Movich, eu deveria estar nessa reunião porém falei que não me sentia bem, aqueles blá blá blá não eram interessantes pra mim.

Estava no jardim, regando algumas flores, quando senti um vento muito frio, me levantei e olhei para montanha e de longe vi um homem de manto preto, na montanha, achei estranho, pois nunca tinha o visto antes, e a segurança do castelo era sempre reforçada, tinha alguns guardas ali por perto, mas pareciam nao ver o homem, então gritei, nada, ele não me respondia apesar de me encarar fixamente, eu cruzei os braços por causa do frio.

– Quem é aquele homem?? - Perguntei para mim mesma.

Nunca tinha o visto antes, apesar de ser estranho, senti uma vontade de ir até ele, dei um passo rumo a ele, quando minha mãe pegou meu braço;

 Aonde vai Elizabeth?? - Minha mãe me encarava fixamente de maneira atenta. E eu fiquei sem ação.

 Estava indo até... – Quando olhei para montanha não tinha ninguém, o homem simplesmente tinha desaparecido.

 Onde? – Minha mãe perguntou ainda me segurando pelo braço.

 Até a motanha. 

Preferi não comentar o que vi.

 Não vá para montanha. Sabe que é perigoso, agora venha jantar, ok!

 Claro, mãe.

Dei um sorriso, e a segui para sala de jantar, me sentei na mesa, e comi ouvindo eles conversar sobre invasões no reino, que novamente a segurança tinha que ser reforçada. Depois que terminei de comer subi para meu quarto e me deitei, eu realmente me vazia. Daquela noite em diante aquele homem pareceu muitas vezes no mesmo lugar, mas não fui ao encontro dele. Conforme os dias se passavam, eu me sentia mais indecisa no que eu realmente queria, e aquele homem que só aparecia pra mim, ninguém mas o via.

 Elizabeth pare de sonhar e coma sua comida.  Minha mãe gritou ao me ver perdida em meus pensamentos, eu me assustei.  No que você estava pensando Elizabeth?  Ela estava sendo dura comigo.

– Mãe, a maioria de vocês conhecem o mundo além das montanhas, porque eu não posso conhecer? – Perguntei olhando fixamente pro meu prato.

Ainda com esse pensamento idiota Elizabeth. – Ela falou com dureza na voz, jogou o guardanapo que usava para limpar a boca na mesa.  Você é pura, aquele mundo é imundo, esqueça isso!

Elizabeth aquele mundo não tem nada a lhe oferecer, seu destino é aqui.  falou um dos conselheiros da minha mãe.

– Eu gostaria de conhecer, não pode ser tão ruim assim. – Eu falei baixo, minha mãe se levantou da mesa furiosa.

 Já chegar, estou cansada do seu espírito selvagem Elizabeth. – Ela me encarada de uma forma que me dava medo. 

 E se eu não quiser ser o equilíbro, não sou obrigada. – Todos na mesa pareciam agitados.

 Já chegar! Cale - se Elizabeth, eu não aceito que fale tantas bobagens.

 Não são bobagens, o que eu penso não contar. – falei com indignação.

– Não, isso são apenas coisas de jovem, isso passará, você será o equilíbrio e ponto final  Elizabeth. – Ela parecia zangada.  Aceite isso, é seu destino! – Eu abaixei a cabeça deprimida.

– Você está certa! São apenas pensamentos inúteis, me desculpe.

– Que bom que você ainda tem bom senso, o jantar acabou. – Ela saiu da sala de jantar, e as poucos todos foram saindo.

– Elizabeth, não fique chateada, vai dar tudo certo, você será a melhor rainha de Movich, e logo esquecerá essas idéias de aventureiros. – Ele falou e saiu da cozinha.

Eu subi as escadarias até meu quarto e me deitei na cama e comecei a chorar, era completamente irritante que eles nem sequer pensassem no que eu quero, era sempre assim, as discussões com minha família sempre terminava assim, eles sempre venciam, os dias eram logos e confusos.

Certa noite estava no meu quarto, andando de um lado para o outro, agoniada e inconformada, o vento frio entrava no meu quarto, então eu me virei para fecha a janela.

 Elizabeth. – Um homem todo coberto por uma capa entra pela janela. Eu olhei bem e quando ele levantou o rosto, um frio percorreu minha espinha, era o homem que aparecia na montanha.


Notas Finais


Aceito sugestões ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...