História Da inocência à sedução - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Anjos, Demonios, Ódio, Paixão, Romance, Vampiros
Exibições 85
Palavras 809
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


It's Alright - Fractures
Goat - Spirits ♡

Capítulo 11 - Ao fecha os olhos


Fanfic / Fanfiction Da inocência à sedução - Capítulo 11 - Ao fecha os olhos

Quando acordei, com uma forte dor de cabeça, olhei ao redor, a mulher tinha sumido, estava sozinha, no meio de uma floresta, eu olhei para o céu, olhando as estrelas, o que vai acontecer agora? eu me levantei e logo minha roupa começou a se transformar em pó.

 Ótimo, sozinha e nua.  Caminhei um pouco pela floresta, os animais pareciam inquietos, estava começando a ficar nervosa também.

Quando vi um homem não muito jovem perto de uma árvore, vestido roupas estranhas, logo me escondi atrás de uma pedra. Eu podia ouvir os passos do homem, ele parecia se aproximar.

 Eu trouxe roupas, se quiser. John me mandou, eu Eric.  Falou o homem, fiquei em silêncio alguns minutos e depois resolvi falar algo – A roupa eu quero com certeza. – Falei ainda escondida.

Então ele jogou a roupa pra mim, era uma roupa um tanto estranha, me vesti e então sai de trás da pedra, e me aproximei do homem, minha cabeça doía à receber uma nova memória, o que aquela mulher fez comigo, era como ver a vida de outras pessoas.

 Me siga moça  Caminhei atrás do homem, o caminho era escuro e tinha muitos animais no caminho eles me encaravam, até que chegamos em um lugar onde tinha pessoas em um círculo, eles pareciam bruxos, tinha um espaço vazio no círculo. Provavelmente era do homem.

 Elizabeth, poderia entrar dentro do círculo.  O homem falou apontando para o círculo.

Não, isso de novo não, nem pensar.

– Entre, por favor, nós somos bruxos, iremos apenas passar nossos poderes para você.  Ele parecia impaciente, tentei correr, mas eles me pegaram e me colocaram dentro do círculo, eles falavam cada vez mais rapido palavras estranhas, até que cai no chão de dor. Fiquei no chão pois não tinha forças para levantar, quando abri os olhos, todas aquelas pessoas estavam jogadas no chão. 

 Não é meu dia de sorte, pelo visto.  Me levantei, e vi que aquelas pessoas estavam mortas.  Nenhum deles tem pulsação.

Caminhei e caminhei pela floresta, encontrei uma caverna, entrei tirando as teias de aranha, me deitei no chão e encostei a cabeça em uma pedra, claro a culpa disso tudo é minha, mais como eu iria imaginar que tantas pessoas se machucariam, quem sou eu? Essa pergunta eu com certeza não saberia responder, senti o lento frio entrando na caverna, por mais que tivesse uma fogueira ali, ainda sim não aqueceria meu coração magoado, em meio às lágrimas que rolavam meu rosto adormeci. Já de manhã, eu estava deitada no chão da caverna, quando ouso um barulho fora da caverna. E logo em seguida alguém me chamar.

– Elizabeth?

Parecia a voz de John, me levantei e sai da caverna e corri até o John que estava em pé do lado de fora e comecei a bater nele.

 O que foi aquilo? Aquelas pessoas? Você é um mentiroso, o que vocês estão fazendo comigo.  Comecei a chorar, era tudo tão confuso.

 É para seu bem, confie em mim, trouxe algo para você, quero que beba até a última gota.

 Matar todas aquelas pessoas era pro meu bem.  Eu olhei a garrafa na mão do John, eu estava morrendo de fome e sede. 

– Você não entende agora, vai ficar tudo bem, agora beba. – ele limpou minhas lágrimas.

 Lembre-se quando o despertar  acontecer você será Isabella, espero que não me odeie, mas isso é uma armadilha. 

Quando olhei em volta minha mãe e anjos estavam em volta de mim com espadas em posição de ataque, John desapareceu com o vento, não conseguia acreditar que ele me traiu daquele jeito, que me deixou ali pra morrer, minha mãe me olhou e logo falou.

– Não se deve confiar em demônios. – Eu estava a minha frente.

 Muito menos em você mãe.  Ela me olhou furiosa.

  Porque minha filha, você pode se arrepender,  ainda.

 Prefiro a morte. 

– Pois você morrerá.  Falou minha mãe com raiva.

Peguei minha espada e comecei a lutar por minha vida. Desviei de todos os ataques possíveis, até que um anjo conseguiu jogar minha espada no chão, e mas uma lembrança veio em minha mente me fazendo cair no chão, minha mãe se aproveitou daquele meu momento de fraqueza e me pegou pelo braço, e eu chute o estômago dela, fazendo com que ela caísse no chão e eu junto. Ela se levantou furiosa, e eu em seguida, abri as assas e tentei voar mais ela me me puxou pelo pé, e colocou a espada no meu peito.

– Desculpa, minha filha, mas você foi uma garota muito má, é pelo bem do mundo 

– Que ótima mãe, faça, vamos. Nos vemos no inferno mamãe. – Eu falei indignada.

Ela me olhou enfiou a espada em meu coração, foi a pior dor que senti, tudo estava ficando branco, eu apenas via luz. Meu fim tinha chegado, meus olhos se fecharam.

E logo os cabelos loiros de Elizabeth, se tornaram vermelho com seu sangue.


Notas Finais


Aceito sugestões ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...