História Daddy • jikook • - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 611
Palavras 900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá :3

Boa leitura 🌸

Capítulo 5 - Eu Amo Ele


Eu estava na escola. Como sempre a aula passava lentamente. Perdi a conta das vezes que olhei para o relógio da sala na esperança de estar perto da hora do intervalo. Parece que quanto mais você quer que passe o tempo ele demora mais passar.

Finalmente, faltava exatos três minutos para dar o sinal, meu celular havia indicado uma mensagem mas não liguei muito, eu estava esperando o intervalo, foi aí que eu me lembrei que a única pessoa que me mandaria mensagens à essa hora, era Park.

Daddy:
Espere todos saírem da sala...
Vá até a parede e fique de costas...
Não vire por nada Baby...

Eu:

Tudo bem Daddy...

Farei como você quiser


Daddy:
Ótimo
Baby...
Você gostou do nosso beijo de ontem... né?


Eu: 

Amei 


Daddy:
Eu também gostei Baby


Eu: 

Você vai me beijar de novo não é?


Daddy:
Você quer meu Baby?


Eu:

Quero muito


Daddy:
Vou por uma venda em seus olhos
Assim você não precisa ficar de olhos fechados toda hora...


Eu:

Ótimo 


Você ficou offline


O sinal finalmente soou pela a escola, os meninos me perguntaram se eu não iria na cantina e eu disse que minha mãe pediu para que eu ligasse para ela.


Quando todos saíram, fui até a parede e fiquei lá virado para ela, ouvi a porta sendo trancada. Como ele conseguiu a chave?
Senti ele se aproximando do meu corpo, suas mãos tamparam meus olhos, sua boca molhou meu pescoço com beijos, senti um tecido leve porém escuro retirar minha visão e suas mãos me virarem para seu corpo.


Seus lábios encostaram os meus e começamos um beijo calmo mas que logo se transformou em um beijo selvagem.


Eu andei pesquisando algumas coisas sobre isso e descobri que os "babys" não podem tocar seus "daddys" quando não são permitidos, então não movi um só dedo.


- posso te tocar Daddy? - parei o beijo.
- pode sim Baby - ele sussurra e deposita um beijo em minha bochecha.


Começamos o beijo novamente mas dessa vez eu estava preso entre a parede e o corpo de Park. Passei minhas unhas pelo seu pescoço.


- temos que ir Baby - ele sussurra novamente.
- por que você não fala normalmente? - coloco meus braços envolta do seu pescoço e sinto suas mãos na minha cintura.
- para você não ouvir minha voz - ele beija minha bochecha repetidamente.
- e por que eu não posso ouvir ela? - passo os dois polegares em suas bochechas.
- um dia você vai poder ouvir, eu te prometo Baby - ele deposita um selinho em minha boca.
- tudo bem - abraço ele e sinto ele retribuir - por que eu estou gostando de você? - acaricio seu ombro.
- você não está - ele deita sua cabeça em meu ombro.
- não diga isso, eu gosto de você sim - retiro sua cabeça do meu ombro e sorrio.
- eu preciso ir Baby - ele me beija novamente - vire de costas - ele segura minha cintura me fazendo virar para a parede.
- Daddy, quando a gente vai se falar de verdade? - sinto ele tirar minha venda e eu fecho os olhos.
- como assim? - ele me abraça por trás beijando minha nunca.
- você só me encontra quando quer me beijar - acaricio suas mãos.
- se eu fosse te encontrar cada a vez que eu quisesse te beijar - ele gargalha fraco - tchau meu Baby - ele beija minha bochecha e me solta.
- tchau Daddy - aguardo ele sair.


Ouço a porta se fechar e me viro novamente, sorrio e gargalho alto, estou me sentindo um completo idiota apaixonado, isso é ridículo mas é um sentimento maravilhoso. 


[...]


Nós estávamos na aula de história, eu não gosto muito de história, acho meio chato, fiquei a aula inteira pensando em Park e nos efeitos que ele me causava, pensei bastante até ouvir meu nome sair pela boca do professor, não ouvi nada além do meu nome então perguntei a Yoongi por que ele tinha falado meu nome, ele não estava chamando minha atenção.


- Yoongi, o que ele falou? - falei cutucando o loiro em minha frente.
- ele está escolhendo as duplas para o trabalho que nós temos que entregar semana que vem - ele responde com uma cara sonolenta e emburrada.
- Ah, Ok - sorrio ao ver o moreno suspirar - com quem eu saí? - pergunto confuso.
- em que mundo você estava? - ele me encara bravo - é um chamado Jimin - ele fecha os olhos de sono.
- mas não tem nenhum Jimin aqui na sala Yoongi - o encaro confuso.
- JungKook você me irrita as vezes - ele bate com a mão na mesa - o trabalho é com o outro segundo ano, ele vai pegar um ser daqui e um ser de lá para fazer um trabalho para apresentar semana que vem, é um projeto deles - ele revira os olhos.
- Ah, entendi - deixo minha cabeça cair sobre minhas mãos - Eu não conheço esse Jimin, será que é bonito? Você o conhece? - pergunto curioso.
- não, Taehyung é amigo de quase todos lá, pergunte a ele - o loiro se vira para a frente e eu chamo Taehyung que estava ao meu lado.
- Tae, você conhece o Jimin? - pergunto curioso.



Notas Finais


Gostaram?

Saranghae ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...