História Daddy. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baekhyun, Baekyeol, Bysenpai, Chanbaek, Chanyeol, Daddykink, Mensagens, Num Sei Tô Loka
Exibições 1.646
Palavras 3.949
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vocês provavelmente já estão cansadas/os de autores demorando pra atualizar uma fanfic e depois tentando explicar a demora de todas as formas possiveis, não? Pois bem, vou deixar pra fazer isso nas benditas notas finais.

Antes quero pedir perdões pela demora, mesmo que eu tenha motivos isso foi uma puta sacanagem com vocês, leitores de Daddy. Mas vamos deixar para falar disso nas outras notas.

Ah, e outra coisa: É o meu primeiro Lemon.

" COMO ASSIM SENPAI VC NUNCA ESCREVEU UM LEMON SUA PUTA MAS AINDA SIM POSTOU UMA FANFIC DE PUTARIA QUE DAVA A ENTENDER QUE VC ERA A RAINHA DOS LEMON SUA BOSTA DO CRLH PIRANHA CACHORRA"

vcs provavelmente devem estar pensando isso, mas, sim, eu nunca escrevi o Lemon! E aliás, pensei que era uma coisa fácil de se fazer. Porém, porra, caralho, é a pior coisa do mundo

mas vamos bater o papo nas notas finais hehehe

então, me perdoem! eu juro que irei tentar melhorar esses lemons, eu juro, eu juro. Mas é a minha primeira vez escrevendo algo do tipo, então vai deixar a desejar! Mas, por favor, me perdoeeeeeeeeeeeeeeem! EU ODIEI ESSE TRECO QUE EU ESCREVI, RS


Até as notas finais, meus bebês.♥

/SAI CORRENDO PQ TA COM VERGONHA DA BOSTA QUE ESCREVEU.

Capítulo 19 - Hot, daddy, hot! - End.


Fanfic / Fanfiction Daddy. - Capítulo 19 - Hot, daddy, hot! - End.

O caminho até a casa de ChanYeol fora mais rápido do que ambos imaginavam: Quando perceberam, já estavam a frente da porta da casa do mais alto. O de cabelos negros pegou a chave de dentro do próprio bolso do jeans que trajava e a colocou na fechadura, enquanto, ao mesmo tempo, fitava o rosto totalmente corado de seu baby.

 

Depois de alguns segundos o garoto conseguiu abrir a porta a sua frente; Byun não evitou que um sorriso pervertido adornasse seus lábios rosados, coisa que não passou despercebida por ChanYeol, este que agarrou as mãos delicadas de Byun e o puxou junto de si, com um chute leve fechou a porta. Soltou a mão do pequeno e levou-a para seus próprios fios, os bagunçando levemente, sem em nenhum momento tirar os olhos de BaekHyun.

 

Foram lado a lado até o centro da sala, BaekHyun olhava encantado para a casa.

 

- Daddy... Sua casa é linda. - Byun murmurou encantado, os olhos levemente delineados passeavam por toda a casa; enquanto o olhar faminto de ChanYeol passeava pelo corpo atraente do pequeno, mordiscando fortemente o próprio inferior ao que os olhos pousaram sobre a bunda farta.

 

Park deu uma volta lenta em torno do pequeno o avaliando descaradamente; ChanYeol já havia tirado o casaco do uniforme escolar e agora trajava apenas uma regata branca juntamente de sua calça jeans. Caminhou até o grande sofá que havia ali; logo se sentou neste, ficando propositalmente em frente à Byun, este que direcionou o olhar ao seu semelhante.

 

- Sua bunda também. - A voz grave doutrem murmurou em resposta ao pequeno. Um sorriso vitorioso brotou nos lábios bem desenhados de BaekHyun, este que aproveitou do fato de estar levantado a frente do maior para, talvez, provocar um pouco seu Daddy.

 

Virou-se de costas para ChanYeol; as mãos delicadas passeavam pelo próprio corpo, deste a cintura até as nádegas que eram esmagadas por conta do jeans totalmente colado que este vestia. Cravou as unhas na carne farta que ainda estava coberta por aquele tecido grosso; gemeu o nome de ChanYeol baixo, porém, alto o suficiente para aquela voz manhosa ressoar a audição alheia de uma maneira extremamente deliciosa.

 

-Eu queria que fossem suas mãos grandes aqui apertando o meu bumbum, Daddy! Mas você não está colaborando. – Murmurou entre arfares baixos que soltava a medida que aumentava a força dos apertos nas próprias nádegas, havia fechado os olhos e conseguia sentir o peso do olhar do Park fixo em si, e a ideia de estar sendo observado com tanto desejo o deixava animado. Animado em lugares específicos.

Por isso, não tardou a guiar uma de suas mãos até o próprio pênis, apertando-o levemente por cima da calça e não poupando os gemidos baixos que escapavam por entre os lábios que eram fortemente mordiscados. Oras, e ChanYeol? Não iria fazer nada consigo? Poxa! Um biquinho consideravelmente fofo brotou nos lábios rosados do menor, sentindo as bochechas corarem por ter feito tais coisas e Park não ter reagindo a nada. Virou-se lentamente e já ia preparando os caralhos de desculpas para fugir dali e se esconder no quarto para o resto da vida; Porém, ao se virar, a última coisa que se passou em sua mente naquele momento era fugir.

 

ChanYeol estava em pé a sua frente, os corpos a uma pouquíssima distância que poderia ser fácilmente quebrada em questão de segundos. As mãos do mais alto estavam apertando a própria ereção já bem evidente por cima da calça e este mordia os lábios com força para abafar os gemidos baixos que insistiam em escapar. O olhar de Park transbordando uma luxuria jamais vista pelo pequeno, um desejo bem claro naquelas orbes negras.

Fora rápido demais, quando percebeu, BaekHyun já estava com as pernas ao redor da cintura delgada do maior, tendo suas coxas apertadas de modo bruto e o corpo encurralado entre o corpo esguio e a parede. A boca de Park chocou-se contra a tez imaculada do Baby, não tardando a sugar a pele sensível com certo afinco; mordia, chupava e lambia toda a extensão do pescoço do pequeno, se deliciando com os gemidos altos que eram proferidos seguidamente de seu nome sendo chamado manhosamente. Tratou de afastar os lábios dali assim que se sentiu satisfeito com o resultado; o pescoço completamente marcado e judiado. Park agarrou os fios rosados e finalmente selou os lábios com uma necessidade descomunal, iniciando o ósculo tão esperado por ambos.

Os lábios se moviam com selvageria e precisão, as línguas enroscavam-se e invadiam a cavidade um do outro explorando tudo, aprofundando ainda mais aquele ósculo promiscuo; mordiam as bocas alheias e as sugavam com desejo, arfares e até mesmo gemidos se reverberavam pela sala tornando tudo ainda mais quente, não poupavam os toques provocantes, ChanYeol apertava as nádegas fartas de modo possesso e depositava tapas fortes que faziam Byun gemer de tesão em meio ao ósculo, tanto que havia agarrado os fios negros e tombava a cabeça de seu daddy para trás de forma brusca. O moreno apartou o ósculo contra a vontade do menor, depositando diversos selinhos na boca do baby e escutando murmúrios de insatisfação ao que finalmente estavam com os lábios separados.

- Vamos para o quarto. - ChanYeol murmurou entre ofegos incessantes.

Byunnie Ajeitou-se devidamente para que não caísse, firmando as pernas sob a cintura do maior firmemente sentindo o mesmo aumentar a pressão das mãos em sua cintura. Voltaram a se beijar desajeitadamente ao que ChanYeol traçava rumo até o quarto em passos vacilantes, tombando vez ou outra em objetos indesejáveis. BaekHyun sugou o inferior carnudo para si e sorriu de modo atrevido, deslizando uma das mãos até o falo duro de ChanYeol e o apertando descaradamente por cima do Jeans grosso, arrancando um gemido de satisfação do maior e fazendo um sorriso involuntário brotar em seus próprios lábios avermelhados.

Iniciou uma caricia na ereção, vez ou outra a arranhando ou apertando, estava tão distraído com o ósculo que nem percebera que haviam chegado ao cômodo desejado. Só se tocou disso quando teve as costas prensadas contra a parede do quarto com violência; Choramingou manhoso com o impacto doloroso. Park mordiscou levemente o inferior de BaekHyun, aproveitando para retirar a camiseta justa que o pequeno trajava e jogando-a para um canto qualquer do quarto. Baek ondulou o quadril contra o semelhante de ChanYeol afim de mais contato; queria mais, queria que seu daddy o tocasse e que seu daddy o marcasse. Estava mais que necessitado de ChanYeol.

 

Baek jogou a cabeça para o lado e prendeu as pressinhas sobre o inferior com força para reprimir um gemido ao sentir a boca experiente de Park abocanhando um de seus mamilos. Sugou-os prolongadamente e, depois, passou a ponta da língua ao redor deles, arrancando gemidinhos dengosos e arfares baixos do Baby, logo repetindo o mesmo ato no outro mamilo.

 

Mas o estimulo não durou muito, não tanto quanto BaekHyun queria. O baby o olhou levemente confuso quando teve seu corpo posto no chão e as posições trocadas, agora quem estava de costas para a parede era Park.

 

ChanYeol embrenhou os dedos esguios por entre os fios rosados de modo bruto, abaixando o corpo do menor em uma clara ordem para este se ajoelhar perante si. BaekHyun o obedeceu prontamente, se pondo de joelhos sobre o chão e se posicionando de modo confortável sob as próprias pernas.

O pequeno ergueu a cabeça apenas para fitar o maior novamente; ChanYeol o olhava de maneira lasciva, o olhar transbordando terceiras e quartas intenções. Passeou a língua sobre os lábios finos e piscou um dos olhos para si, mas logo voltou sua atenção para o que realmente era importante no momento.

 

- Sabe Daddy... – BaekHyun murmurou inicialmente, olhava a ereção de ChanYeol sem pudor algum. Logo as mãos bonitas do garoto rumaram até o zíper, este que o abriu, juntamente do botão. Park apertava as mãos em punho á medida que tentava normalizar a respiração; BaekHyun deveria o chupar logo e não continuar com aquela provocação, não? – Eu sempre pensei em como deve ser você fodendo a minha boquinha, hmm. – A calça fora tirada para fora do corpo do maior com a ajuda do mesmo. Tudo o que BaekHyun dizia o deixava mais duro ainda, se possível. Byun passou a língua sobre os lábios ao ver a boxer preta -; Aliás, ChanYeol ficava sexy de preto ;- esmagando o pau extremamente duro deste, o tecido úmido em consequência do liquido pré-seminal. Abocanhou o falo teso ainda coberto pelo tecido e fez movimentos ritmados para cima e para baixo, o deixando ainda mais úmido com a sua saliva. ChanYeol fechou os olhos fortemente, tentando conter os grunhidos prazerosos que escapavam sem sua concepção, cravando os caninos com mais força sobre o inferior judiado. O baby logo tratou de tirar a única peça restante, fazendo o corpo de Park tremer brevemente com o ato repentino.

O menor arregalou os olhos e entreabriu os lábios; Porra, ChanYeol era dotado pra caralho! Lógico, já haviam trocados vários nudes e até vídeos comprometedores, mas nada se comparava ao ver pessoalmente. A boca chegava a salivar só de imaginar aquilo tudo indo fundo em sua garganta.

 

Byun não tardou a abocanhar a glande com maestria e experiência, sua língua circundava a cabecinha rosada com uma lentidão deliciosamente torturante, arrancando gemidos sôfregos e expressões de puro prazer de Park.

Afastou-se brevemente apenas para iniciar uma masturbação lenta no falo pulsante, abrindo um pouco mais as pernas do maior e roçando os dentes nas coxas grossas, sugando um pouco a derme branca arrancando arfares baixos de Park. Logo direcionou o olhar para seu Daddy e sorriu vitorioso ao ver este tombar a cabeça para trás enquanto fechava os olhos com força. Aumentou o ritmo de suas mãos e deu atenção para os testículos, estes que tratou de abocanhar e sugar como o profissional que era, fazendo Chanyeol suspirar em puro êxtase deleitando-se no prazer que era proporcionado a si.

Como não era fã de enrolações, Chanyeol logo tratou de tomar as rédeas da situação, agarrando os fios lisos por entre os dígitos com uma força que fez BaekHyun gemer com tamanha brutalidade; afastou a cabeça do mesmo de onde estava e aproximou a boquinha entreaberta do seu pau. Impulsionou o quadril para frente e adentrou todo o falo pulsante com força para dentro da cavidade quentinha, gemendo arrastado quando tocou o fundo da garganta do menor, apenas para retirar a extensão novamente e adentrar com força logo depois, repetindo o processo diversas vezes. Fora impossível Baekhyun não se engasgar com aquilo, os olhinhos marejarem e os pelinhos se eriçando ao escutar a risada maldosa de Chanyeol ecoando por todo o cômodo, provavelmente estava rindo da forma em que o baby se encontrava.

 

Park permaneceu parado por alguns segundos, os suficientes para que Byun relaxasse a garganta devidamente. Foi recuando a própria cabeça lentamente, até que retirasse todo o membro de sua boca. Voltou a circundar a língua pela glande rosada, descendo-a pela extensão até a base e voltando para a glande, na onde a sugou demoradamente, mantendo as orbes fixas nas expressões de prazer que se faziam presentes na face do maior. BaekHyun não tardou a abocanhar todo o falo pulsante dentro de sua boca novamente, logo depois o tirando e abrigando de novo, repetindo o processo até que mantivesse o intenso vai e vem ritmado. Começou a mover a cabeça em uma velocidade que fazia o canto de seus lábios doerem de tão intensa, a dor se intensificando ainda mais ao que ChanYeol começou a conduzir seus movimentos como bem entendesse, mas sabia que aquele esforço valia totalmente a pena, pois os grunhidos de excitação e gemidos altos que provinham seu nome em alto e bom som ecoavam pelo quarto e chegavam a seus ouvidos eram como a mais bela música para seus ouvidos e o estimulo perfeito para dar o máximo de si e agradar o moreno. ChanYeol sentiu aquela familiar sensação de clímax tomando conta de seu corpo e, como incentivo, BaekHyun guiou a si mesmo em um ritmo frenético e intenso, a  boquinha aveludada chupava-o com maestria e dedicação.

Não fora nada mais necessário para que Park chegasse ao seu limite facilmente, gemendo o nome do Baby de uma maneira arrastada. A respiração extremamente ofegante e o corpo totalmente suado por conta do orgasmo recente, erguendo a cabeça e logo depois a abaixando devidamente para poder olhar o garoto ainda ajoelhado: Byun estava com o rosto totalmente corado e os cabelos bagunçados, enquanto retirava os resquícios de sêmen que escorria pelo canto de seus lábios, levando os dígitos sujos com a porra para dentro da boca e os lambendo até que estivessem devidamente limpos. Foi o bastante para Park ficar duro novamente.

 

Puxou os cabelos do garoto novamente, agora com mais força o fazendo levantar. Buscou a boca do mesmo para mais um beijo caloroso, BaekHyun aproveitando a deixa para tirar a blusa de ChanYeol e o mesmo para ajuda a tirar as roupas do pequeno, juntamente dos sapatos. Apartou o beijo e fitou descaradamente o corpo de seu bebê, fazendo este se encolher minimamente com o olhar avaliativo passeando pelo seu corpo, sem nem ao menos disfarçar. E ChanYeol só teve uma certeza; Byun era gostoso demais. Perfeitinho demais. Se lembraria de agradecer a Deus depois por ter colocado um ser humano delicioso em sua vida. Depois, porque agora tinha coisas mais interessantes a se fazer.

 

Os dígitos longos se firmaram sobre a cintura fina de BaekHyun de modo brusco; a pressão que fazia na derme sensível era o suficiente para ter noção dos desenhos perfeitos de seus dedos ali. Cada toque bruto que era dedicado a si fazia Byun delirar. Estava totalmente submisso a ChanYeol e tinha total consciência disso. Park trouxe o corpo do menor para junto de si e voltou a selar os lábios inchados do garoto com afinco, não tardando a buscar contato mais profundo com a língua de outrem; sugou, mordeu e abusou da boca gostosa como bem entendia. Por fim apartou o ósculo, empurrou o corpo do menor contra a cama de casal, tomando cuidado para não o machucar. Continuou em pé a beirada da cama totalmente nu, a ereção chegava a causar certo incomodo.

 

- De quatro. Agora. – Park ordenou, a voz rouca e autoritária fazia o corpo de Baek tremer em expectativa. O olhar de seu Daddy estava fixo em si, por isso não tardou a obedece-lo.

 

BaekHyun se virou de costas para Chan e engatinhou até o meio da cama, não demorando a ficar na posição que o homem mais alto havia mandado. Ousou rebolar de modo extremamente provocante para logo depois empinar ainda mais a bunda em sua direção; ChanYeol soltou um gemido involuntário com a visão, fazendo BaekHyun sorrir vitorioso. Porém, o sorriso desapareceu assim que sentiu um tapa estalado sendo depositado com força em uma de suas nádegas.

 

- DADDY! – gritou em plenos pulmões, mas logo um gemido sôfrego preencheu o local. Sua pele ardia, mas isso o excitava. ChanYeol soltou uma pervertida ao que seu Baby enfiou a cara no travesseiro e empinou ainda mais o bumbum para si, buscando ainda mais contato. Byun virou a cabeça e o olhou por cima dos ombros, vendo-o examinando a nádega em que havia batido.

 

- Está doendo? – questionou se referindo a derme avermelhada, surpreendendo a Baek com aquela tal preocupação repentina.

- Está, Yeollie! – respondeu com a voz manhosa, deixando que um biquinho adorável brotasse em seus lábios. E realmente estava, a mão de Park era pesada.

 

- É para doer mesmo. – BaekHyun o olhou indignado, aumentando ainda mais o biquinho em seus lábios rosadinhos. ChanYeol achou extremamente fofo e sentiu uma vontade imensa de morde-lo, mas a vontade de fode-lo era maior ainda.

 

Se pôs de joelhos sobre o colchão perfeitamente atrás de Baekhyun, debruçando o corpo sobre o semelhante alheio até que estivesse com os lábios rentes ao ouvido do garoto.

 

- Você gosta de apanhar do seu Daddy, não é, Baby? Fica feliz com a ideia de acordar e ver seu corpo todo marcadinho, todo judiado. – A medida que falava, os lábios do moreno deslizavam pelas costas nuas de Byun; mordia e selava cada mínima parte do local, parando somente quando chegou a bunda do garoto. A parte em que havia batido agora ostentava a marca perfeita de seus dedos. Sorriu. – Sabe o que você é, amor? Uma vadiazinha masoquista. – BaekHyun gemia em resposta a cada palavra que ChanYeol proferia. Poxa, ele só queria ser fodido, ter aquele pau indo bem fundo em si. Malditas preliminares.

 

- E v-você é um sádico pervertido! – O baby ousou responder a altura enquanto mordiscava os lábios e fechava os olhos com força, queria tanto se tocar, mas estava se segurando para não o fazer. ChanYeol riu ironicamente da resposta atrevida do garoto.

 

- Tem razão. Eu sou um sádico pervertido. – Um som alto de tapa e logo em seguida gritos e gemidos preencheram o quarto; agora as nádegas estavam completamente marcadas com os dígitos esguios. - Mas você continua sendo uma vadiazinha masoquista.

 

Sem perder mais tempo -; mais do que já havia perdido;- ChanYeol agarrou as bandas fartas com força e as separou, sentindo a boca salivar com a entrada totalmente exposta para si. Pôs a língua para fora e a rodeou pela entrada apertada do garoto a medida que apertava a bunda gostosa com suas mãos grandes. A língua de ChanYeol era habilidosa, sugava e adentra aos poucos a entrada apertada do pequeno, este que choramingava e rebolava contra sua boca, suplicando por mais contato.

 

Park afastou a língua dali, agarrou os fios suados com brutalidade e tombou a cabeça do Baby para trás, direcionou sua glande rosada para a entrada apertada, rodeou o buraquinho por longos e torturantes minutos, os piores para o Byun, que rebolava e investia a bunda para trás em um pedido mudo para que Chanyeol fosse logo com aquilo. Sentia as paredes internas esmagando seu pênis á medida que invadia a entrada apertada do garoto em uma lentidão torturante para BaekHyun, que gemia de modo doloroso. Yeol comprimiu os olhos sentindo o buraquinho quentinho e apertado envolvendo-o com maestria, grunhindo abafado com aquela sensação maravilhosa. O baby fechou os olhos com força, tentando controlar a vontade imensa de chorar ao que teve todo o membro grande dentro de si; porra, doía. Doía pra caralho, doía e doía.

 

- Posso me movimentar? – ChanYeol perguntou, visivelmente preocupado com o seu pequeno que mantinha uma expressão de dor em seu rosto. Ainda mais quando uma lágrima solitária desceu vagorosamente pelas bochechas avermelhadas.

 

- Dói... D-Daddy, dói muito... – Sussurrou, fechando ainda mais os olhos. Yeol afrouxou o aperto nos fios de seu Baby boy e iniciou uma caricia nos rosados destes, se inclinando um pouco para poder depositar beijinhos carinhosos nas costas também marcadas, fazendo o pequeno se derreter com aquilo brevemente.

Sua canhota livre logo tomou o membro negligenciado de Byun, iniciando uma masturbação rápida, mas precisa, arrancando gemidos prazerosos e suspiros de êxtase do garoto, este que rebolou contra o pau dentro de si. – A-Ahn... Por favor, me fode do jeito gostoso que disse que faria nas mensagens, hmm...

O moreno sorriu largo e não pensou duas vezes ao acatar o pedido do garoto, voltando a puxar a cabeça do pequeno para trás e assim retirou todo o seu membro de dentro do menor, apenas para invadi-lo com demasiada força, enterrando todo seu sexo pulsante na entrada apertada que esmagava seu pau de um jeito extremamente prazeroso, voltando a recuar e repetindo aquele vai e vem intenso. ChanYeol dava tapas nas nádegas do garoto que investia o quadril para trás inconscientemente, fazendo park aumentar o ritmo das estocadas e o menor revirar os olhos de tamanho prazer. Em um ato rápido o moreno virou o corpo do menor para frente, agarrou as coxas grossas e o deixou bem aberto para si.

Fodia tão fundo e forte que a cama chegava a ranger, o som se mesclando com os gemidos que eram soltos por ambos. Se inclinou, ainda mantendo o mesmo ritmo das estocadas, BaekHyun teve os lábios atacados pelo maior e outro ósculo se iniciou, cedendo a passagem para a língua faminta do Daddy, beijavam-se no tesão e calor que sentiam, sua próstata sendo fortemente acertada e os gemidos sendo abafados pelo beijo lascivo que tratava de corresponder da melhor forma que podia. O baby começou então a masturba-se a si próprio no mesmo ritmo rápido das estocadas, não demorando muito para que gozasse na própria mão, a entrada se contraindo e fazendo um gemido rouco de chanyeol ecoar por todo o quarto, logo este atingindo o clímax intenso ao que despejou seu sêmen na entrada do garoto.

Baek Sentiu o corpo vacilar assim que ChanYeol parou de se movimentar, o aperto em seus cabelos se afrouxando. Levou a própria língua até a palma de sua mão, lambendo todo o resquício de sêmen que havia ali, parando somente ao ter a mesma totalmente limpa.

 

Os dois caíram desajeitadamente na cama; A respiração totalmente descompassada e ofegante, o corpo dos dois garotos totalmente suados e fracos. Os cabelos de ambos estavam totalmente bagunçados e murmúrios de dor saiam em um sussurro fraco pelos lábios do pequeno. Realmente, Park havia conseguido acabar consigo. O moreno logo tratou de tirar seu membro de dentro de BaekHyun calmamente, ouvindo este choramingar e logo um biquinho brotar nos lábios bonitos.

 

 

 

 

- O que se faz depois de uma transa?- Depois de alguns calmos e confortáveis minutos ChanYeol se pronunciou, enquanto se aproximava do corpo ao seu lado e rodeava os braços na cintura fina, puxando o pequeno para junto de si.

 

- Normalmente, os mais clichês sussurrariam “eu te amo.” E ficariam fazendo planos para o futuro, enquanto se abraçavam e logo depois cairiam no sono; e dormiriam de conchinha, lógico. - Baek respondeu entre risos, tais que Chan acompanhava.

 

- E os não clichês? O que fariam?

 

- Continuariam transando.- Concluiu sorrindo, mordiscou levemente o pescoço de Park e, com pouco esforço, saiu de seus braços. Fez um esforcinho mínimo para que conseguisse subir em cima e assim se sentou em cima do corpo do maior, com cada perna ao lado da cintura do mesmo. ChanYeol apoiou as mãos em sua cintura, sem fazer muita força como aconteceu momentos atrás. Os olhares se encontraram e ambos tiveram aquela troca intensa destes; Obviamente, estava bem claro que se gostavam. Seja por mensagem ou pessoalmente, sempre teriam um prazer imenso apenas em ter a companhia um do outro, da maneira que fosse.

E sorriram novamente. Os corações acelerados e os olhares se examinando profundamente. Por um momento esqueceram-se que ainda estavam sem roupa. Por um momento.

 

- Eu te amo. – Por incrível que pareça, o primeiro a confessar fora Park. Byun arregalou os olhos e um sorriso imenso adornou os lábios rosados: Droga, droga! Estava apaixonado por ChanYeol e isso era bem evidente. Ou qual seria a resposta para todas aquelas sensações que dominavam seu corpo? Argh!

 

- Eu te amo muito mais, Daddy. – Sussurrou, tal sussurro fora quase que inaudível, se não fosse pela distância mínima dos dois. Selaram os lábios mais uma vez; sem malicia, sem terceiras, quartas intenções. Apenas um simples selar, na qual o único desejo era sentir um ao outro daquela forma carinhosa.

Sorriram.

- Agora, voltando a falar sobre “o que fazer após uma transa” Cheguei a conclusão de que não somos um casal clichê. Topa um segundo Roud?

- Segundo? Quero ver se você aguenta até o Terceiro!

- quando chegarmos ao quarto roud, você já vai tá necessitando de uma cadeira de rodas, novinho.

 

 

 


Notas Finais


BoM, vamos deixar de ser retardada por um momento e tentar ser normal

oieusouasenpai

ANTES DE TUDO, me perdoem. Como disse lá nas notinhas iniciais, o ser humano aqui, especificamente eu, nunca havia escrevido um lemon na vida. N U N C A. sabe o que é nunca? exatamente. E, assim, quando comecei a escrever Daddy, pensei que iria ser moleza fazer esse tal Lemon. COF COFFFF, ADIVINHA QUEM FOI TROUXA NOVAMENTE?

EU!

A CHAPOLINA COLORADA -mentira rs, sou gotica n tenho cor-

Mas, olha, foi dificil. Confesso pra vocês que, na semana em que postei, fiquei relaxada e nem me importei. Mas foi passando e passando, até que, caralho, 3 FUCKING MESES!!!!11!!!!!! eu nem sei o que dizer aqui, realmente. E ainda foi palavra de senpai que não iria demorar, eu prometi./suspira, abaixa a cabeça envergonhada.


Sou muito perfeccionista quando o assunto se trata de historias e, portanto, quando comecei a escrever o Lemon, deixei de dormir só pra me esforçar e dar o meu melhor. Deu resultados? nao, mas eh aquele ditado
vamo fazer o que

noites e noites perdidas de sono, a caralhuda aqui deve ter engordado pra cacete pelo simples fato de ter se trancafiado no quarto com o caderno e canetas em mao, saindo apenas pra comer, tomar banho, cagar e ir pro inferno ops escola.

Gente, foi um branco danado! eu juro pra vocês, eu não sabia o que colocar, o que escrever, o que fazer. Não conseguia imaginar as cenas, li e reli vários lemons fodasticos tentando fazer algo do tipo aquele, mas não deu e não deu. Quebrei cabeça e pah, mas sei que, como é minha primeira tentativa, não vai sair nada perfeito, obviamente. Vou me esforçar mais e mais, pra assim começar a escrever uns lemon mais leliveis e tals, rs

sou uma bosta ne gnt eu sei
mas eu amo vcs, me perdoem

sem contar que teve escola e pah, meu celular -o que eu usava pra postar fanfic pq ele era meu xodo e tal- quebrou e depois de um mes eu peguei ele, mas adivinhem? a porra do touch ta toda cagada. Pra mexer nele agora tem que ter uma paciencia maior que o pinto do chanyeol

MAAASSSSS, ENFIM!!!!!1111!!!!!!!

PELA MILESIMA VEZ ME DESCULPEM PELA DEMORA, AI, GENTE, ME PERDOEM EU NÃO FIZ POR MAL, GRRRR.

Amo vocês, uh?
Mesmo que esse capitulo tenha ficado um cocô, deem a opinião sincera de vocês. Eu tinha que ter me esforçado mais? Ficaram magoadissimas/os pela minha demora, não? e vocês me desculpam? querem me matar, me dar uns bjo pra depois me matar realmente? jogar tomates? eu aceito vem com tudo
nao sei mais o que falar aqui

quem quiser conversar comigo pelo whats eh só me chamar que eu passo o numero na moralzinha e pah

nos vemos no proximo capitulo, hm? ♥
/ sai correndo

XAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAUUUUUUUU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...