História DADDY - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Tags Daddy
Exibições 233
Palavras 1.366
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 📖

Capítulo 4 - Talvez


Fanfic / Fanfiction DADDY - Capítulo 4 - Talvez

Acordei sentindo o sol quente batendo em meu rosto, oque me fez se bater mentalmente por ter esquecido de fechar a cortina antes de ir dormir.

Levantei e fui para o banheiro, escovei os dentes, me despi e entrei em baixo do chuveiro tomando um banho relaxante. Não demorou para as lembranças da noite anterior passarem como um flash em minha cabeça.

Eu estou mais calma, mas ainda sim, um pouco irritada com oque Justin fez. Ele deveria ter pensado melhor antes de fazer aquela besteira, pois além dele ter me usado, ele é o meu professor. Imagina se alguém da escola tivesse lhe reconhecido, com toda certeza eu iria ser julgada como vadia, porquê infelizmente é assim que a nossa sociedade funciona.

Me vesti com um vestidinho florido, deixei meus cabelos pra secar naturalmente, e coloquei uma sandália simples, apenas pra ficar em casa.

Desci as escadas que levavam a sala de estar, e arregalei meus olhos ao ver que meus pais estavam lá. Era realmente muito raro, eles estarem em casa, e também muito bom.

— Bom dia - sorri.

— Bom dia, querida - Julia, (minha mãe) sorriu ao me ver — porque acordou tão tarde ?

Olhei o relógio na parede, que marcavam 10h12min. Não é tão tarde, mas em relação ao horário que geralmente acordo, é tarde.

— ontem a noite eu sai, e acabei voltando tarde - dei um beijo em meus pais, e me sentei ao lado deles.

— onde estava ? - Edward, (meu pai) desviou sua atenção que estava no celular para mim.

— fui a uma festa - dei de ombros.

— que bom, filha - minha mãe me abraçou de lado — espero que tenha se divertido.

Assenti me lembrando dos acontecimentos da noite anterior. Tudo bem que não acabou como eu esperava, mas eu me diverti, mesmo não saindo da cozinha.

— com quem estava ? - meu pai estava mesmo interessado em saber como foi a minha noite.

— com a Ste - não era uma completa mentira, e também ele não precisava saber sobre o batman— bom, oque estão fazendo aqui ?

— como assim ? Aqui é nossa casa - meu pai me olhava com o cenho franzido.

— eu sei, pai - revirei os olhos — só que hoje é sábado, mas mesmo assim vocês trabalham.

— uhum - minha mãe balançou a cabeça — estávamos achando que você passa muito tempo sozinha, então resolvemos colocar alguns dos nossos funcionários para cuidar dos negócios, assim poderíamos te fazer mais companhia.

— isso é bom - sorri boba — em quais dias vocês iram ficar em casa ?

Por mais que meus pais não fossem muito presentes na minha vida, eu ainda os amava, e gostaria muito de passar um tempo junto com eles, como quando eu era mais nova.

— duas vezes na semana, sem contar com os finais de semana - meu pai respondeu parecendo contente.

— ai que bom - sorri — tem algo pra comer ? estou com fome.

— eu não sei, pergunte a Elisabeth - minha mãe respondeu.

— mas vocês não comeram nada ? - cruzei o cenho.

— já querida, mas ja faz algumas horas - mimha mãe explicou.

— tudo bem, então - me levantei e caminhei até a cozinha, encontrando Elisabeth lavando a louça — Bom dia - sorri alegremente chamando a sua atenção.

— Bom dia, menina Kelsey - ela me olhou por cima do ombro, logo depois voltou a lavar a louça.

— sabe... eu to com fome,  tem algo pra comer? - passei as mãos na barriga, mesmo sabendo que ela não via os meus movimentos.

— diga oque quer e eu preparo - ela terminou de lavar os pratos, e virou por completo, agora me vendo por completo.

— oque for melhor pra você - sorri com sua gentileza.

— tudo bem - ela retribui o sorriso e foi até a geladeira pegando algumas coisas, que provavelmente iria usa-las para o meu café — dormiu bem?

— sim - dei de ombros.

— espero que tenha gostado da festa - ela conversava comigo, enquanto fazia o meu café da manhã.

— eu gostei - disse sentando na cadeira, e lembrando da festa

— e esse sorriso ai? - ela riu.

Eu nem reparei, mas estava com um sorriso idiota estampado no rosto.

— não é nada - sorri sem graça.

Era incrível como o Justin me faz sorrir, eu sei que oque ele fez foi errado, mas eu não posso apenas olhar o erro, eu também devo olhar os acertos, e não posso juga-lo sem saber os seus motivos.

Eu acho que a bebida mexeu com meu emocional, porquê sinceramente não entendo o porquê, de eu ter lhe tratado daquela forma. Não era pra tanto.

Eu sei que é um pouco cedo pra dizer, pois a primeira vez que vi o Justin foi ontem, mas eu acho que talvez eu sinta algo por ele.

A forma como ele me tratou ontem foi tão carinhosa, que até os seus beijos tinham um toque de carinho. Senti meu corpo se arrepiar ao lembrar dos lábios dele nos meus, era tão bom...

— Kelsey ? - Elisabeth estalou os dedos na minha frente, me fazendo piscar e ter minha atenção para ela — você deve mesmo ter gostado dessa festa, faz um tempo que estou te chamando e você não me responde.

— desculpe, estava apenas me lembrando, e sim eu realmente gostei muito da festa - sorri boba.

— não precisa se desculpar - ela passou a mão em meus cabelos — coma, vai acabar esfriando.

Só agora percebi que ela já havia preparado o meu café da manhã. Lambi os labios ao ver que ela havia feito panquecas, com suco de laranja.

— obrigada - disse e dei a primeira de muitas garfadas.

(...)

— como está se sentindo? -  Ste perguntou, enquanto ela olhava o album de fotografias dos meus 15 anos, onde haviam mais fotos dela do que minhas.

Eu não gostava muito de tirar fotos. Ainda não gosto, pra falar a verdade.

— bem - dei de ombros.

— achei que estivesse chateada por causa do professor - ela cruzou o cenho, agora me olhando.

— não estou, acho que foi a bebida que me fez ser tão dramática - ri.

—  mas ele te usou - ela me olhou com os olhos arregalados.

— eu sei, mas nós não sabemos os motivos dele, e mais, se ele estivesse realmente afim de fazer... aquilo comigo, ele não teria me deixado ir numa boa - baguncei um pouco meus cabelos  — pelo ou menos é oque eu acho.

— verdade - ela passou mais uma das fotos.

Passei as mãos pelo colchão a procura do meu celular, após encontrar o mesmo em baixo das cobertas que me cobriam - pois o tempo estava fechado, e estava sentindo um pouco de frio - peguei o mesmo, e comecei a jogar um joguinho.

— meu Deus, olha essa foto - Ste começou a rir, atraindo a minha atenção.

Peguei o album da mão dela. Era uma foto de nós duas, enquanto comíamos, eu estava sentada na mesa com as mãos sobre a barriga, e a boca cheia de comida, e Ste sorria, com os olhos fechados, e também com a boca cheia.

— olha a sua cara - ri alto.

Como eu nunca tinha visto essa foto ? Da última vez que olhei esse álbum essa foto não estava, eu poderia jurar.

— eu estou linda - a ruiva jogou os cabelos pra traz, se gabando.

— não está não - eu ri - está parecendo um... - parei quando ela jogou o travesseiro no meu rosto.

— eu estava linda, você que estava com cara de cu - ela riu.

Olhei pra ela fingindo estar indignada, com o modo que ela se referiu a mim. Antes que pudesse responder algo, o celular dela começou a tocar, ela pegou o mesmo e atendeu a ligação.

— oi amor - deu uma pausa — ah claro - outra pausa — ok, estaremos ai.

Ela desligou o celular, e juntou as mãos como estivesse me implorando por algo.

—  não - disse antes dela falar alguma coisa.

—  você nem sabe oque é - ela colocou as mãos na cintura.

— fala então - revirei os olhos.

— hoje a noite vai ter outra festa, e nós estaremos la - ela bateu palminhas.

— fale por você - sorri falso.

— por favor, Richard disse que vai levar um amigo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Esse é o último capítulo por hj.

😚😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...