História Daddy I Need You - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Baby, Baby Boy, Daddy, Daddy Kink, Jikook, Sexting, Sugar Baby, Sugar Daddy, Texting, Vhope
Exibições 1.605
Palavras 617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAR ARMY!
Como prometido estou aqui 💖
Tem mais um na madrugada de hoje
Boa leitura 😘

Capítulo 10 - Daddy <3


Fanfic / Fanfiction Daddy I Need You - Capítulo 10 - Daddy <3

Hoseok Pov

- Como assim, Tae? - perguntei apertando sua mão um pouco mais.

- Digamos que.. Você já falou comigo e bem, não foi uma conversa muito agradável.

- Quando foi isso? - perguntei com medo da resposta.

- Quando eu entrei na faculdade, no trote. - sentia seu aperto em minha mão morrer aos poucos, me enchendo de culpa. Eu sabia exatamente do que ele estava falando.

Ano passado, o trote para os calouros havia sido um completo desastre. Eu estava extremamente nervoso e puto com o que estava acontecendo nas dependências do ginásio, nas quadras ao ar livre, onde o meu time de basquete treinava naquele momento. Garotos e garotas eram cobertos por tintas de todas as cores possíveis, alguns até tinhas seus cabelos raspados. O lugar estava um inferno.

Meu time passava por momentos difíceis de adaptação, já que alguns membros haviam saído, e outros entrado. Não saber as reais habilidades dos novatos me enchia de repulsa, e eu não poupava palavras para xingá-los ou peitá-los quando erravam um passe simples. Eu era, em outras palavras, um cuzão.

Naquele dia em específico, eu estava pior que o normal, e toda aquela gente próxima à quadra me irritava profundamente. Algumas garotas sujas de tinta gritavam e davam pulinhos quando algum jogador as olhava. Eu não lembro um dia que revirei tanto os olhos como naquele. O treinador nos chamou para uma pequena reunião ali na quadra mesmo, sua cara não era das melhores. Ele viera anunciar que perdemos a chance de jogar nas finais do campeonato estadual, já que a universidade estava passando por momentos difíceis. Algo sobre ser uma instituição pública e a verba estar direcionada para manutenção dos laboratórios em vista da quantidade de calouros ingressando naquele semestre. Eu quis morrer quando ele terminou de falar, se desculpando mas dizendo que nada poderia fazer.

Saí da quadra como um furacão, chutando ou empurrando tudo a minha frente. Isso incluía pessoas.

Eu não tenho como lembrar quem daqueles foi o Tae, mas eu passei por aquelas que assistiam ao jogo, aos gritos e empurrando-as para que saíssem do meu caminho. Estava irado. Na época eu era muito explosivo e me irritava por qualquer coisa.

Lembro vagamente de ter esbarrado com um garoto, todo coberto por tinta, que andava distraído olhando para o celular. Ele foi ao chão com a ombrada que lhe dei, ele protestou e eu só lhe respondi com algo do tipo “olha por onde anda, otário!”. Teve outros episódios desse mesmo dia. Até briguei com um cara alto e loiro, que depois fiz amizade quando o mesmo entrou no clube.

- Eu estava virado no capeta aquele dia. O que eu fiz com você, meu Baby? - apertava sua mão fortemente.

- Você me derrubou, Daddy. - ele soltou um risinho amargo.- E ainda quebrou meu celular.

- Baby, eu... - só podia ser brincadeira do destino. - Eu não acredito que era você aquele garoto, eu... Eu era um completo otário naquele tempo, eu não sou mais daquele jeito. Me desculpe, Baby. Me desculpe ter te empurrado e te machucado.. - senti seu corpo me abraçar.

- Tudo bem Daddy, eu te perdoo.

- Baby, o que eu posso fazer pra me redimir? - se pelo menos eu lembrasse do rosto dele, mas eu vasculhava minha mente e nada vinha.

- Hm.. Acho que não ser tão mau com os novatos já é um bom pedido de desculpas. - ele riu e eu resmunguei como se dissesse que não fazia mais esse tipo de coisa escrota. - Estou brincando, Daddy. Mas tem algo que você pode fazer para se redimir.

- O que é? - perguntei cheio de esperança.


Notas Finais


Não é sexo só pra constar 😂
MUITO OBRIGADA A TODOS ESSES FAVS que eu juro que não entendo de onde vêm 😱
Obrigada tbm aos que foram dar uma lida nas minhas outras fics 😍💖
E obrigada ~Minsai por ser você mesma 😂💖🌸
Amo vocês e até mais tarde 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...