História Daddy I Need You - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Baby, Baby Boy, Daddy, Daddy Kink, Jikook, Sexting, Sugar Baby, Sugar Daddy, Texting, Vhope
Exibições 1.600
Palavras 626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAR ARMY! 💖
UM CERTO ALGUEM MUITO AMORZINHO ME OBRIGOU E AQUI ESTOU EU
Leiam e nem tentem conter o ataque de fofura 😘

Continuação do pov do Hoseok ~

Capítulo 11 - Baby Tae


Fanfic / Fanfiction Daddy I Need You - Capítulo 11 - Baby Tae

- O que é? - perguntei cheio de esperança.

- Um beijo. - me surpreendi, soltando um riso. - Quer dizer, se não quiser, não precisa, eu só-

- Shh. Acha mesmo que eu não quero te beijar desde o momento que entrou por aquela porta? - segui o caminho de seu braço até seu rosto com a mão, já que eu não enxergava nada. - Posso? - estava próximo ao seu rosto e pela altura da minha voz, acredito que ele pôde perceber a proximidade, já que assentiu positivamente diversas vezes.

Tornei inexistente a distância que ainda havia entre nós, selando seus lábios de forma casta.

Permanecemos nesse pequeno selar até o momento em que eu pedi permissão com a língua na fresta que unia seus lábios, sendo prontamente atendido. Iniciamos um beijo mais profundo, mas ainda sim calmo, cheio de sentimento. Eu poderia beijar Tae até o meu último suspiro de vida. Praguejei internamente quando o ar se fez necessário, nos separando. Demos vários selinhos antes de nos separarmos realmente. Ouvi uma risada gostosa vindo de Tae.

- O Daddy beija tão bem. - me abraçou, me fazendo cair de costas no sofá. Ri com isso, e ele também, se ajeitando em cima de mim quando estiquei as pernas no estofado. - Eu quero mais um, Daddy! - dizia animado, e eu não pude recusar, colando nossos lábios mais uma vez, explorando o ambiente há tão pouco tempo conhecido, e já adorado por mim. Abracei Tae pela cintura, me sentindo tentado a apalpar sua bunda, que eu sabia ser grande e redondinha, mas me contive. Ele acariciava meus cabelos, e eu não queria pensar que aquele momento estava acabando.

Ficamos nos beijando abraçados deitados naquele sofá durante um tempo. Já tinha vontade de começar as preliminares, mas respirei fundo e me amaldiçoei por ser tão pervertido. Entretanto, Tae parecia tão desesperado quanto eu. Já sentia sua recém formada ereção chocando-se com a minha, e a pequena fricção que isso estava causando, me deixava cheio de vontades.

- Ba-baby... - não queria agir por impulso, queria fazer as coisas certas com ele.

- Eu tenho que ir, Daddy... - ele parou os movimentos, afastando seu corpo de mim. Segui seus movimentos, o prendendo em um abraço, com ele sentado agora no meu colo com uma perna de cada lado do meu corpo. - Assim você dificulta isso ainda mais, Daddy.. - choramingou, e eu suspirei.

- Não quero te deixar ir. Vamos ficar aqui, Baby. - apertava seu corpo magro junto ao meu com mais força, fazendo-o rir.

- Eu bem que queria, Daddy... Mas não podemos perder aula, você sabe.. - ele não via, mas meu bico era enorme por ele ter razão.

- Tá bom, você venceu. Te deixo ir. Hoje. - ele riu mais uma vez, e eu dei um dos últimos abraços que poderia naquele momento.

- Foi muito bom ter esse momento com você, Daddy. Vou sentir saudade... - ele abraçava meu pescoço, e eu conseguia sentir seu coração acelerado. Separou-se de mim, tomando meus lábios de forma calma. - Até mais, Daddy.

- Até, Baby. - antes que eu pudesse lhe impedir, ele saiu do meu colo rapidamente. Ouvi seus passos se distanciando.

- Não olhe. - assenti com a cabeça, mesmo sabendo que ele não veria.

Assim que a luz inundou o ambiente e ele se foi, eu senti vontade de correr atrás dele e vocalizar a confusão que eu sentia naquele momento. Mas me contive, afinal isso seria nada mais que um maldito impulso vindo de mim.

Eu tinha muitas incertezas, mas uma coisa era incontestável, eu mal poderia esperar para beijar meu Baby novamente.

Fiquei alguns minutos inerte, acompanhado somente por meu celular, e uma ereção. 


Notas Finais


EU NÃO SEI QUEM EU QUERIA SER DESSES DOIS, PQ OLHA....
Gente oq acharam desses dois caps com narração?
Próximo volta as textings 🎉🎉
E talvez eu ainda poste mais um hoje :3

Amo vcs e amo a ~Minsai 💖 obrigada por existir 😍
Até o próximo 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...