História Daisy - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Naruto, Romance, Sasusaku, Universo Alternativo
Exibições 38
Palavras 1.372
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


(^.^)\_
Desculpem pela demora, eu estava em um lugar que não pega internet muito bem e também eu acabei empacando em um capítulo mais à frente da história, pretendia postar quando conseguisse sair desse bloqueio, mas não obtive resultados, haha!
Espero que gostem.

Capítulo 5 - 4



Daisy
NinaCanee

"Que desperdício ficar tanto tempo com uma pessoa, só para descobrir que ela é uma estranha."
Capítulo IV

Sasuke inspirou o ar gélido provocando coceira em suas narinas, ele riu suavemente, era quase meia-noite e ele ainda estava ali em frente ao bar encostado no mesmo poste de sempre, tragando o mesmo cigarro de sempre. Levantou o olhar para admirar às estrelas, mas dá li mal dava para ver sete. Respirou fundo fechando os olhos, apagou o toco do cigarro e começou a andar em direção a praia.
Em vinte minutos exatos seus pés tocaram a areia gelada e macia.
00:00
O relógio em seu pulso apitou.

Sentou-se sem se importar em se sujar, hoje era sua folga, não iria trabalhar e aproveitaria para lavar roupa. Fitou o céu e sorriu tão alegre vendo às milhares de estrelas. Ele morria de medo do fundo do mar, aliás tudo o que representava a escuridão lhe fazia sentir medo, mas amava a noite, amava as estrelas, amava olhar para a única escuridão que possuía pequenos pontos de luz.


— Nunca entendi o por que de você amar às estrelas, você me dizia que era porque a noite era à única escuridão com luz, que observar essa escuridão lhe acalmava, pois lhe fazia pensar que ainda existe paz no mundo. "A escuridão é como o nosso mundo, amargo, obscuro, cheio de dor e sofrimento. Os pontos de luz representam a esperança, a fé, o amor e a felicidade há qual poucos de nós ainda acreditam. São essas pessoas que espalham cores neste mundo cinza." Era isso o que você sempre dizia, mas você esqueceu que essas estrelas já explodiram há muito tempo, ou seja, é tudo apenas uma ilusão, às estrelas, às pessoas... Nós — Ele encarava as costas da mulher à sua frente, ela segurava às mãos cruzadas atrás do corpo e o seu longo cabelo ruivo balançava com a brisa.
Ele começou a chorar sentindo uma enorme dor no peito — Por quê? — sussurrou — Você sabia como eu odeio a escuridão, um medo infantil e bobo, mas... Isso é o que nos torna humanos, certo? Sentir! Não importa se é algo idiota, mas desde que possamos sentir saberemos que ainda estamos vivos, que ainda temos um coração, que ainda somos humanos... — Às lagrimas não cessavam — Mas você... Você não se importou com quem deixaria para trás, não se importou em me destruir... VOCÊ NÃO SE IMPORTOU SE ISSO ME JOGARIA EM UMA ESCURIDÃO HORRÍVEL, VOCÊ FOI UMA PESSOA TÃO EGOISTA, SÓ PENSOU EM SI MESMA E NAS MERDAS DOS SEUS MOTIVOS — ele puxou os cabelos enquanto a raiva o consumia — E... E quando aquela garota apareceu e-eu pensei que poderia, talvez, recomeçar, mas acabei descobrindo que era tudo por você, você era a razão dela ter me procurado, ela te odiava e queria mostrar que roubaria tudo de você, ela foi tão fingida quanto você. EU TE AMAVA TANTO. EU AINDA TE AMO! — Sasuke arranhava a areia e seus dedos começaram a sangrar.
A mulher se virou e seus olhos se encontraram com o do Uchiha — Eu sinto muito — seus lábios apenas se mexeram e nenhuma voz saiu.
— Não... Não... NÃO! DAISY VOLTE, POR FAVOR VOLTE — ele correu em direção à ela, mas não havia ninguém — DAISY!!! — Sasuke correu para dentro do mar chamando por ela e indo cada vez mais fundo — VOLTE, DAISY! Por favor, volte.

 

Quando abriu os olhos se deparou com um teto branco, piscou algumas vezes, olhou paro os lados sem entender direito. Havia sido apenas um sonho? Olhou para o relógio na cómoda marcando 6:45 da manhã, levou a mão até a testa, estava queimando em febre.


— Ótimo — revirou os olhos — Peguei um maldito resfriado — jogou às cobertas para o lado e com muito esforço levantou — ATCHUM!!! — O espirro atingiu até o pobre gato parado em frente à porta.
O felino encarou o dono com repulsa, "Humanos são tão sem classe!", e então saiu abanando o rabo de indignação.

Sasuke procurou remédios, mas os únicos que haviam ali eram os para depressão. Vestiu uma blusa fina de capuz e saiu indo até a farmácia, não dava 10 minutos até lá e o local abria às 6:30.

Ao entrar seguiu direto para às prateleiras de remédios contra gripe, pegou 3 caixas diferentes e se dirigiu para o balcão.
— Ei. Olá, Uchiha — O rapaz atrás do balcão lhe sorriu — Está com uma cara péssima!
Sasuke encarou o loiro sem expressão nenhuma — Há, há. E qual seria o motivo de eu estar aqui há está hora?
O outro coçou a nuca — Talvez tenha sentido a minha falta? Afinal, faz um tempinho que não lhe vejo por aqui.
— Vocês parecem se dar muito bem — A garota que apareceu do nada sorriu para os dois.
— ... — O Uchiha encarou a menina ao seu lado e seus olhares se encontraram.
— A-ah, que nada. Esse aí me odeia — O loiro riu e apontou para Sasuke.
— Você é a menina do bar!
— Haruno Sakura, muito prazer — ela sorriu lhe estendendo a mão.
Ele apertou. Como era delicada — Uchiha...
— Eu sei quem você é. É sua culpa eu estar aqui — ela riu.
— Hã?
— Ah, não, não exatamente aqui. Quero dizer, nesta cidade.
—... — Sasuke lembrou da loira de antes — Tem haver com aquela loira, não é? 
— É, tem sim.
—... — O rapaz do balcão observava tudo em silêncio. Diabos, o Uchiha parecia ter um imã para garotas bonitas — Então... Senhorita Haruno você não é daqui? - ele resolveu entrar no meio.
— Certamente que não.
— É claro, se fosse eu saberia. Não tem como não ver uma moça tão bela assim.
—... — A garota corou.
— Quanto dá? — Sasuke retirou a carteira do bolso.
— O quê?
— Os remédios! Quanto dá?
— Ah, sim, claro. Só um instante — ele mexeu no computador à sua frente — R$135,00.
— Jesus Cristo! O quê tem nesses remédios, ouro? — A garota ao seu lado riu. Ele a fitou por alguns instantes — Vou levar apenas este.
— R$35,00 — disse o loiro. Ele retirou uma pequena quantia de dinheiro e entregou ao rapaz.
— Vou levar estes — ela colocou três caixas de remédios sobre o balcão, o atendente corou quando viu os nomes. Sasuke identificou que um deles era anticoncepcional, mas não fazia ideia do pra que serviam os outros dois.
— Bem, até logo — O Uchiha fez um sinal com a mão para o loiro e saiu.

Caminhou em passos super curtos, sua cabeça parecia que iria explodir. Abriu a caixa e mastigou um dos comprimidos, torcia para chegar em casa logo para que pudesse voltar a dormir. Fechou melhor o ziper da blusa e enfio às mãos nos bolsos, estava prestes a acelerar os passos quando ouviu chamarem seu nome.
A garota correu em sua direção sorrindo — Eu não estou te seguindo. Eu juro! — Ele nada disse — A casa que estou hospeda fica nessa direção, então... — Sasuke deu de ombros e voltou a andar, ela andou do seu lado.
Não demorou muito para que chegassem em frente aonde o Uchiha morava — Eu fico por aqui — ele apontou para o prédio.
— Ah, claro — ela sorriu enquanto ele se afastava — HEY! — Gritou. Sasuke se voltou para ela — S-sabe, a Ino não é uma garota fútil ou algo assim — ela parecia procurar às palavras certas — Ela só é meio... Complicada.
— Eu não me importo — Sasuke encarou a garota, ela não parecia chocada, mas tinha uma expressão esquisita na face. Eles se olharam por mais um tempo até que o Uchiha lhe deu às costas.


18:23

Ele estava deitado no sofá assistindo há um filme qualquer e o gato dormia tranquilamente sobre o seu abdómen, observou o bichano, sua respiração estava calma, mas às vezes arranhava o Uchiha quando sonhava com algo. Sasuke acariciou de leve atrás de sua orelha, ele se mexeu e abriu a boca mostrando os dentes finos e pontudos enquanto bocejava. O bichano pulou para o chão e foi em direção à sua tigela de água, Sasuke observou cada movimento do animal e pensou que talvez gostaria de ser um gato.
— Tudo parece mais fácil — sussurrou.

Voltou seus olhos para o filme que ainda estava na metade e após mais alguns minutos adormeceu. E então seu dia de folga chegou ao fim, e como de costume ele ficou em casa.


Notas Finais


Que espirro esquisito, não? Haha
E aí, um loiro. Está mais do que na cara de quem é, não é? ^.^
Juro que apartir daqui nosso casal começara a se aproximar mais... Aos poucos, mas vão :3
Se quiserem dar uma olhadinha na minha One-Shot são muito bem vindos!
Link : https://spiritfanfics.com/historia/storm-7072360

Xoxo (°3°)\_ ( Ah, sim, esqueci de mencionar: O anticoncepcional não era pra Saky ( ͡° ͜ʖ ͡°) )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...