História Dama de Aluguel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Babyboy, Crossdresser, Daddykink, Jikook, Jimin Seme, Jungkook Uke, Menção Namjin, Menção Taegi, Menção Vhope, Prostituição, Romance Erótico
Visualizações 519
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~É inspirado em 50 tons - eu amo demais e já estava pensando em um Jimin Grey a anos, porém, só resolvi iniciar, mesmo não podendo, agora - mas garanto que são contextos diferentes.

Espero q gostem!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Dama de Aluguel - Capítulo 1 - Prólogo

Sádico

1. adjetivo - referente a ou próprio do sadismo*

2adjetivo substantivo masculino - que ou aquele que é dado à prática do sadismo.


Park Jimin é um grande diretor executivo (CEO), a pessoa com maior autoridade na hierarquia da empresa Jihyani Holdings, Inc.

É frequentemente respeitado e admirado por todos que o conhecem - é raro alguém não o conhecer sendo que possuí a maior multinacional de seu país -. Também é demasiadamente desejado, não só sua extrema beleza, grana, fama e poder, mas também pela sua simpatia, generosidade e atenção gigantesca com as pessoas.

Por ser um homem aparentemente perfeito, em todos os aspectos de acordo com todas as pessoas, muitas mulheres, homens, jovens e até pessoas mais velhas flertavam consigo, porém, Park sabia que nada passava de interesse. A maioria dessas pessoas geralmente não lhe atraíam, era muito exigente nesse assunto, os os poucos em que conseguia ver além de puro interesse e lhe agradavam, tanto fisicamente quanto emocionalmente, nunca conseguiram ir até o ápice consigo (casamento), sempre fugiam quando o conheciam de verdade, quando ficavam cientes todas suas atitudes e gostos peculiares. Todavia, não os culpava, afinal, deveria ser assustador ser amante de um cara que tem duas facetas - sendo uma delas considerada insana.

Jimin não era bipolar, ele não mudava de sentimentos de uma hora para outra, não possuía nenhum trauma ou tranatorno, apenas tinha certas atitudes dentro de suas preferências que contrapunham sua personalidade. 

Sempre fora um garotinho meigo, cativante e simpático. A medida que fora atingindo sua maturidade, vida adulta, crescendo profissionalmente, continuou dessa forma. Tratava todos com igualdade e respeito, acabando por conquistar milhões de pessoas. Mas não pense que por ser gentil ele não era firme e autoritário - isso estava no seu sangue -. Park apenas sabia que cada pessoa tinha um jeito de lidar, porém, todas tinham algo comum que era gostar de educação e respeito, além de odiar gente prepotente, então era isso que ele oferecia em toda situação. De novo, não se engane, quando necessário ou quando queria, chegava ao limite do arrogante. Todavia, preferia ser pacífico e educado para evitar qualquer tipo de problema.

Seu jeito - intrigante - de CEO, de lidar com as pessoas sendo dominante mas pacífico, sempre foi um sucesso e atraía muitos empresários para os negócios, afinal, eles gostavam de gente que tinha muitos argumentos, que eram educadas, e não apenas abusavam de seu poder.

 Esse era um fato em que era hiper bom, fechar todos os negócios de seu interesse. Só não era assim nos relacionamentos, esses sim davam problemas, ao grande Park Jimin, que não podiam ser evitados e era o único negócio que não conseguia fechar.

Começou a namorar na adolescência, cerca de 14 anos, a primeira foi uma menina para provar para sua família, e para si mesmo, que gostava da fruta. No fim, ão deu certo pela simples questão de não serem compatíveis.

Alguns meses depois arrumou outra, Hannah, essa durou por mais tempo. Perdera a virgindade com a mesma e surpreendeu-se consigo mesmo ao ver o quão era selvagem entre quatro paredes, mas não era nada que a garota não gostasse. Ambos aprenderam juntos o lado intenso de BDSM* e descobriram amar. Estava tudo a mil maravilhas, formavam um casal em tanto, Jimin sempre que aprendia a usar algo diferente praticava com ela, porém, a garota precisou se mudar de país. Foi uma grande tristeza, a primeira decepção amorosa de Park, mas conseguiu superar, principalmente após cair a ficha que, de fato, não curtia mulheres.

Por uns anos só focou na empresa de seu pai, dessa forma, não tinha tempo para romances - apenas para diversões em boates e futuramente casas de programa -, não se importava com isso, até conhecer Haneul.

O primo de seu melhor amigo era lindo, fofo, lhe trazia paz, se viu apaixonado logo de cara, por isso, quis ocultar seu lado obsessivo e sádico, não queria machucá-lo emocionalmente nem fisicamente, mesmo que lá no fundo desejasse o último fato.

Mas às vezes deixava seu lado possessivo vir à tona, o que ocorria em desavenças. Em uma das discussões se viu obrigado a compartilhar seus segredos sujos. Haneul não se assustou, conhecia amigos que eram daquele jeito, apenas ficou surpreso pois foram poucas vezes que Jimin mostrou esse lado que era totalmente contrário de seu atencioso e gentil. Park não queria perdê-lo então fora sincero, contou que mesmo tentando se segurar, por vezes, não conseguia porque tudo aquilo era parte dele, de suas satisfações pessoais - por mais bizarro que poderia parecer -. Haneul foi um dos raros que lhe entendeu e se permitiu tentar. Em uma certa noite decidiu que queria experimentar dar aquele tipo de prazer ao Park mas como esperado, após o ato, ele afirmou não conseguir seguir em frente. Chegou o fim, mas tudo bem, o platinado já esperava por isso.

Os próximos namorados reagiram de formas diferentes ao descobrirem que rapaz mais gentil e atencioso que conheceram, era totalmente o oposto quando estava em um relacionamento, era possessivo, controlador e sádico. A maioria foi embora de sua vida, poucos tentaram mas ninguém conseguia lhe entender, ninguém conseguia lhe suportar, ninguém lhe dava o que ansiava.

Com seu sucesso na empresa e com os "problemas" que tinha, era difícil ainda mais procurar alguém para fins românticos. Os pouquíssimos que lhe agradaram e aderiram a um romance consigo também não foram até o fim porque sempre se descobriam incompatíveis, ou ambos perdiam o interesse, ou surgia planos que os separavam.

Em determinado momento cansou de procurar por amor e colocou um basta, afinal, todo esse tempo não deu certo e já não acreditava que existia uma metade por aí que iria lhe completar. Fez o que deveria estar fazendo desde o início: dedicar somente ao trabalho.

Atualmente faziam anos que estava sem dar e receber atenção especial de alguém, porém, não ligava para isso. Nunca precisou de ninguém e não seria agora que iria precisar. Era melhor se manter focado apenas no trabalho que gostava e lhe rendia diversas e infinitas coisas do que se preocupar em ser entendido, em não decepcionar, ou ser chutado, por alguém.

A empresa era a coisa mais importante, e a mais satisfatória também, então nunca se cansava de ficar horas ali fazendo diversos trabalhos. Se ocupava tanto com a Jihyani que mal saía dos escritórios, tanto da empresa quanto da sua casa. Mal via os familiares, mal se divertida e mal fazia sexo também. Como mencionado antes, a empresa era mais satisfatória que qualquer coisa do mundo e lhe dava prazer extremo - outra coisa que ninguém entendia.

Park Jimin, para todos à sua volta, poderia estar exagerando, mas para si, aquilo era sua vida e nada nem ninguém seria capaz de lhe tirar dela.



Notas Finais


-> Sadismo: perversão caracterizada pela obtenção de prazer sexual com a humilhação ou sofrimento físico de alguém. Satisfação, prazer, com a dor alheia.
-> BDSM:  é uma sigla que representa várias práticas e expressões eróticas: Bondage e Disciplina (B/D), Dominação e submissão (D/s), e, Sadismo e Masoquismo (S/M). Aliás, o BDSM agrega toda uma subcultura, incluindo não apenas o ato fazer sexo algemado ou dar e levar tapas, mas também roupas, costumes e dinâmicas de relacionamento, mesmo que não se encaixem estritamente nas categorias da sigla.

~Devia estar estudando e terminando as outras fanfics mas EU NÃO ME AGUENTO :')
~Aguardo vossas críticas. Beijinhos e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...