História Damn Ex-Boyfriend - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Youngjae
Tags 2jae, Amém Yoonseok, Hoseporn, Minjoon, Nammin, Seokjin O Mais Alone, Sope, Taekook, Vkook, Yoonseok
Visualizações 143
Palavras 3.956
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Alô pra quem ainda se lembra de mim e pra quem não se lembra também sjhdjlsdfg
Saí do mini hiatus e tô feliz por ter voltado a escrever szszszsz
Tava na maior dúvida: volto com Yoonseok, Vkook ou Hopekook? Deus me ajude! Decidi Yoonseok, mas tô ansiosa pra postar as outras hhohkhl só Deus na causa mesmo.
Tanto tempo sem postar que tô sem rumo, mas ok rs
O capítulo tá grande porque não consegui fazer menor mesmo, mas não garanto que os outros serão do mesmo jeito.
Eu falo demais pqp

Boa leitura sz

Capítulo 1 - Maldito Ex


Fanfic / Fanfiction Damn Ex-Boyfriend - Capítulo 1 - Maldito Ex

Diferente das outras tardes, Hoseok não estava tão animado e sorridente. Sua perna esquerda balançava para lá e para cá pelo nervosismo e ansiedade, odiava ficar daquela forma, mas infelizmente não podia evitar.

Na verdade, até tinha escolhas: se resolvesse desistir daquela coisa maluca ele não precisaria passar por aquele absurdo¸ mas era a única forma de entrar na fraternidade em que tinha se inscrito.

De longe, o garoto de madeixas vermelhas alaranjadas, observava o loiro sentado sozinho em uma mesa mais afastada da que estava, tinha a atenção completamente voltada para o celular em sua mão, nem ligando para o que acontecia em seu redor, nada parecia importar mais do que aquele aparelho.

Hoseok bufou, passou a mão no rosto o esfregando levemente e colocou os dois braços sobre a mesa, deitando sua cabeça neles segundos depois.  

Estava há uma semana na Keimyung University, não era bem ali onde havia planejado se formar em arquitetura, mas infelizmente a separação de seus pais o obrigou a mudar de cidade e, consequentemente, ser transferido de universidade.

Não adiantava ficar chorando em um canto em posição fetal pela mudança de rotina, de lugar e mais alguns detalhes, teve que aceitar que agora estudaria ali até se formar.

— Eu tenho apenas uma coisa para te falar: você se fodeu, se fodeu feio, Hoseok — o ruivo pôde ouvir a fala muito reconfortante de seu amigo, Im Jaebum, que havia conhecido no mesmo dia em que chegou ali, Jae era um cara legal e simpático, foi fácil para o Jung criar uma boa relação com ele em tão pouco tempo de convivência. — E isso tudo não vai dar certo.

— Você me disse duas coisas, Jae — Hoseok voltou a levantar o rosto, escorando-o em uma de suas mãos. — E não acrescentou nada na minha vida, pois eu já sei muito bem disso — suspirou.

— Então por que não desiste disso logo?

— Eu quero muito entrar naquela fraternidade, Im — Jung voltou a encarar o loiro largado no banco daquela mesa afastada. — O que custa tentar?

— Tempo, sua dignidade e seu rostinho bonito que pode não sair do mesmo jeito depois disso — Hoseok bufou alto, Jaebum riu fraco. — Aquela fraternidade vale tanto esforço assim?

— ‘Pra mim sim, estava em meus objetivos entrar em uma fraternidade quando eu chegasse na universidade, Jae.

Im suspirou derrotado e deu de ombros em seguida. Ok, se Hoseok queria mesmo se foder o problema não era seu, já havia feito sua parte como amigo em alertá-lo e tentar fazê-lo desistir da ideia, não falaria mais nada, até porque Jung não desistiria mais daquela ideia.

Alpha Sigma era o nome do motivo da preocupação de Hoseok, ela era a fraternidade mais famosa e requisitada do lugar. Para entrar não era nem um pouco fácil e foi exatamente por isso que o Jung se inscreveu nela, havia várias outras com formas mais fácil de se conseguir uma vaga, mas Hoseok não queria nada na mão tão fácil, queria algo mais difícil — ou se foder bem delicinha sem muito esforço, como Jaebum falava —, e por isso teria aquele desafio pela frente.

Não acreditou muito quando Jimin, o líder da Alpha, lhe deu seu desafio: Conquistar e depois chutar um veterano, ou seja, enganá-lo. Era o mesmo desafio todo ano, mas mesmo assim alguns caras e garotas desinformadas caíam facilmente.

Hoseok, no começo, até pensou que seria bem fácil, era bonito — um pitelzinho, como ele mesmo dizia —, tinha um corpo atraente e boa lábia, seria fácil conquistar quem quer que fosse.

Só que, infelizmente, ele tropeçou no “mas”, ah, o “mas” tão odiado por muitos.

Mas para sua infelicidade, a pessoa que deveria enganar não era nem um pouco fácil de lidar.

E ele sabia muito bem disso.

— Para de olhar, Hoseok, ele vai perceber — Jae sussurrou, mesmo que não fosse preciso, já que o loiro estava longe deles. — Você ainda pode desistir.

— Não, eu vou lá agora — Hoseok se levantou, pegou sua mochila, que estava sobre o banco, e a apoiou em um de seus ombros. Passou os dedos pelos fios lisos, fechou os olhos e respirou fundo. — Me deseje sorte.

— Que Deus te guie nesse caminho de trevas, Hoseok — Jaebum gargalhou e Hoseok parou, pois já estava se distanciando da mesa onde estavam, e o encarou, apontando-lhe o dedo do meio.

Se virou novamente para frente e encarou o loiro, que permanecia do mesmo jeito, praticamente jogado no banco.

Desmaiar pela ansiedade naquele momento não seria uma má coisa, pelo menos assim adiaria sua conversa com o loiro e teria mais tempo para pensar no que dizer quando estivesse de frente para ele. Mas também não queria chamar a atenção, o que aconteceria se caísse todo mole ali no meio do caminho.

Hoseok já estava quase desistindo, quem precisa de fraternidade? Alpha Sigma? Tsc, ela não é a única fraternidade daqui, posso muito bem entrar em outra — o garoto pensava. Se perguntassem ele não negaria que suas pernas estavam bambas e não fazia ideia de como ainda estava de pé.

Era meio exagerado, mas o drama queen tinha esse jeitinho de pensar desde novinho, e não conseguia mudar, era um tanto pessimista em situações como aquela, não negava, mas odiava isso.

— Perdeu alguma coisa aqui?

Hoseok engoliu em seco ao ouvir a voz levemente rouca do loiro. A vergonha fez com que sua cara queimasse, estava tão distraído com seus pensamentos que nem percebeu quando parou na frente da mesa onde o loiro estava e ficou lá, parado, encarando-o. A forma seca dele falar lhe deixou angustiado, mas não se surpreendia mais.

— Não, eu... Posso me sentar aqui? — perguntou, tentou esconder o nervosismo atrás da expressão mais fofa que conseguiu fazer, sempre dava certo com as outras pessoas, esperava que desse certo ali também, apesar de pensar sempre que não, nada daria certo.

— Tem várias outras mesas livres por aí — seu sorriso fofo sumia a cada palavra dita pelo loiro. — Senta em uma delas e me deixa sozinho aqui de boa, ok? — o loiro voltou a encarar seu celular, como se visse algo realmente interessante nele.

— Mas... — Hoseok mordeu o lábio inferior, visivelmente nervoso. “Droga, o que eu faço agora?”, ele pensava observando o loiro do mesmo jeito. — E-eu não quero me sentar sozinho, não conheço ninguém aqui, então... — engoliu em seco quando o garoto lhe encarou indiferente. — Eu pensei que, bem...

— Não é porque me conhece que significa que pode se sentar ao meu lado — o loiro voltou a encará-lo, Hoseok suspirou derrotado. — Tsc, era o que me faltava — revirou os olhos e retirou a mochila, a contragosto, da cadeira. Hoseok permaneceu parado, esperando alguma palavra do outro. — Senta logo, Jung — esbravejou.

Hoseok se assustou com a fala alta, mas rapidamente colocou a mochila sobre a mesa e se sentou. Sentia-se nervoso por estar tão perto do loiro, não era normal para si se sentir daquela forma, normalmente era uma pessoa bem espontânea, mas o mais velho tinha um ar de superioridade que fazia o Jung ir se encolhendo sem nem perceber.

— Eu mudei ‘pra cá há uma semana — disse baixo.

— Ah, eu queria muito saber disso — Hoseok sorriu animado com a resposta do loiro, mas o sorriso foi se desmanchando ao encarar o outro e notar sua ironia.

— E você? O que ‘tá cursando, Yoongi? Mudou o que queria antes ou continua com os mesmos planos?

— Olha, você me pediu para sentar aqui e não para fazer um interrogatório — se levantou rapidamente, deixando o Jung assustado, pegou sua mochila e jogou sobre seu ombro.

— Espera! Por que está saindo? — Hoseok espalmou as duas mãos na mesa, observando Yoongi se virar para si com uma cara não muito boa. — Eu achei que nós poderíamos conversar — sorriu sem graça. — Já faz muito tempo que não nos falamos.

Yoongi bufou, olhou para o lado direito como se buscasse ou procurasse por algo. Respirou fundo e colocou as mãos na mesa, da mesma forma que Hoseok, inclinou seu corpo para frente se aproximando de Hoseok, esse que se encolheu um pouco, mas tentou ser discreto com isso.

— ‘Tá me achando com cara de palhaço?

— O que?! Claro que não, por que eu acharia isso? — perguntou querendo entender a reação de Yoongi.

— Porque ‘tá parecendo — Yoongi respondeu com a voz mais alta. — Sabe, Hoseok — disse o nome do garoto com certa ironia. — Acha mesmo que eu não sei qual é a sua? Chega aqui na minha mesa parecendo um bobinho sem amigos, se achando o calouro perdido — riu sem humor. — Eu não sou idiota que nem os outros, sei bem o que você ‘tá tentando fazer, e não vai rolar — riu com gosto da cara de surpresa do garoto ruivo. — Vai procurar outro ‘pra enganar e manda aquele filho da puta do Park e o bando de cadelinhas que cheiram o rabo dele virarem gente — bufou e deu um tapa na mesa, fazendo Hoseok dar um pulo de leve no banco. — Eles podem ter feito 70 por cento dos caras desse lugar de trouxa, mas eu... — riu. — Eu não caio na conversinha de nenhum deles, e muito menos nessa sua carinha bonita — deu dois tapinhas leves na bochecha de Hoseok e se afastou. — Vê se deixa de ser babaca, aquela merda de fraternidade não vale o esforço de ninguém.

O loiro deu às costas deixando um Hoseok completamente perdido para trás.

Queria afundar a cabeça em um buraco e mandar jogarem terra por cima; mesmo que ninguém tivesse presenciado aquilo, o garoto se sentia envergonhado e muito frustrado, sua primeira tentativa de se reaproximar do Min havia sido completamente falha e vergonhosa, além de ter sido tratado com tamanha grosseria.

Mas ok, Yoongi sempre foi daquela forma com as pessoas que não gostava, então não estava nem um pouco surpreso.

Agora tinha um problema, Yoongi havia corrido de si depois de toda aquela conversa, que deixou Hoseok meio abalado pela forma com que ele se referia à Jimin e os demais, e agora não sabia o que fazer. Queria porque queria entrar naquela fraternidade, tinha que ser nela, não pegou interesse por nenhuma outra, mas para isso tinha que enganar aquele coitado.

Como?

Yoongi era esperto, havia entendido suas intenções e Hoseok nem havia começa a jogar seu charme.

— E então, querido Hoseok? — Jung foi tirado de seus pensamentos pela voz de Jaebum. O Im se sentou, deixou sua mochila jogada sobre a mesa de qualquer jeito e deitou a cabeça sobre os braços.

— E então o quê? — Hoseok balançou a cabeça, pegou sua mochila e a abriu, retirando de lá um pacote de salgadinho.

— Eu não sei, me diz você — Im riu. — Yoongi saiu daqui com uma cara não muito boa...

Jung revirou os olhos. — Tentei conversar com ele, mas não deu muito certo.

— Muito? — Im arqueou uma sobrancelha e franziu o cenho.

— Ok, não deu nem um pouco certo — bufou.

— Deixa eu ver... — Jae se ajeitou na cadeira, animadinho, colocou uma mão no queixo e olhou para o lado, tentando parecer sério, Hoseok gargalhou e lhe jogou um salgadinho no rosto. — Ele te mandou cair fora e xingou sua mãe?

— Bem, ele não xingou minha mãe, e no começo até me mandou ir embora, mas insistente como só eu, fiquei e me sentei — encarou a direção em que o loiro havia saído e bufou mais uma vez. — Mas aí as coisas desandaram e eu acho que não vou conseguir entrar na fraternidade.

— Que merda, hein — Jaebum gargalhou. — Mas eu te disse, não disse? Yoongi não deixa nem um inseto se aproximar dele, parece até doente — disse debochado.

— Não fala assim — riu sem humor. — Mas ele é bem estressadinho mesmo.

— Não só estressadinho, Hoseok, por isso ‘tô dizendo ‘pra você não ficar perto.

— Olha que fofo, todo preocupado comigo — deixou o pacote de salgadinho sobre a mesa e fez um coração com a mão, apontando para Jaebum, Im lhe deu um tapa e pegou o pacote sobre os resmungos do Jung. — Relaxa, Jae, sei muito bem o que eu ‘tô fazendo.

 

 

 

[...]

 

 

 

Sala 2, 7 e 5. Era essa a ordem de onde Hoseok deveria ir para ter suas primeiras aulas. O garoto havia acabado de chegar no prédio, estava atrasado e a culpa era de Jaebum, o garoto que não passou a noite do quarto, o ligou às dez da noite e chorou até às duas e meia da manhã pelo término com Youngjae.

Era cansativo e o namoro nem era seu.

Pegou os três livros de dentro de seu armário, estava com pressa, teria que correr ou perderia a primeira aula, e como o bom aluno que era — talvez o melhor de sua turma —, não poderia cometer aquela falha. Mas mesmo sem tempo, Hoseok arrumou os livros nos braços, cuidando para que ficassem organizados, em ordem alfabética, do jeito que sempre fazia.

Arrumou alguns papéis que deixou cair lá dentro e enfim ajeitou a alça da mochila nos ombros. Levantou o braço encarando o relógio de pulso, tinha exatos seis minutos para chegar até a sala.

Ótimo, era fácil.

Colocou a mão livre na beirada da portinha do armário e a fechou, mas antes que pudesse trancá-la, outra mão fez seu serviço, virando a trinca, fazendo com que somente a senha pudesse abri-la novamente.

— Está atrasado, Jung.

Sendo sinônimo de pé no saco, pedra no sapato e babaca, Min Yoongi não perderia a oportunidade de encher a paciência de Hoseok.

Os corredores já estavam vazios e pelo que seu relógio marcava, a primeira aula começaria em questão de minutos, pouquíssimos minutos; e como Hoseok ainda estava ali, fora de sala, não poderia deixar de tentar atrasá-lo e fazer com que ele perdesse aula.

— Nesse exato momento tenho cinco minutos e quarenta e cinco segundos para chegar na sala, então não, eu não estou atrasado — Jung deu seu melhor sorriso para o loiro e começou a andar com pressa, passos largos e rápidos.

Até daria mais atenção para Yoongi, não poderia perder a oportunidade de ficar mais perto e ir se aproximando de leve, mas teria aula e não a perderia para isso.

Yoongi seguiu atrás, não para pegar a primeira aula — estava pouco se lixando para ela —, mas sim para atazanar e encher o pobre Jung como sempre fazia antes. Adorava deixá-lo irritado.

— Ah, Hoseok, sua forma de falar me dá sono — Yoongi forçou um bocejo alto o suficiente para que Hoseok o escutasse. Apressou os passos ficando bem atrás do ruivo, quase pisando na traseira do tênis azul escuro que o garoto usava.

Hoseok andava tão rápido e com tanta vontade de chegar logo na sala de aula, que seu tronco estava à frente dos pés, não seria um exemplo ‘pra ninguém se perdesse logo a primeira aula do dia.

— Você continua todo estabanado — Yoongi disse rindo, encarando o garoto mais novo de joelhos no chão.

Hoseok havia tropeçado nos próprios pés pela pressa e se amaldiçoava por isso.

Maldito seja Im Jaebum.

Maldito seja Yoongi.

Hoseok acabou deixando os livros caírem de suas mãos, olhou para o lado e observou Yoongi revirar os olhos. Não entendeu o que o Min fazia ali, e muito menos o porquê que falava consigo. Voltou sua atenção para os livros e os pegou, ajeitou a mochila em um dos ombros e se levantou.

— Precisa de alguma coisa? — tentou ser indiferente, jogaria o mesmo joguinho que Yoongi, se era isso que ele queria, se era ‘pra ser bipolar tudo bem, seria também. Mas esse papel não combinava consigo, tanto que Yoongi riu debochado, um risinho alto, fazendo Jung revirar os olhos e dar às costas, já estava aguentando desaforo demais daquele idiota.

— Preciso, e você também — Yoongi andou rápido e se colocou ao lado de Hoseok.

— Uhm... — resmungou parecendo desinteressado, quando na verdade estava quase gritando de tanta curiosidade.

— Eu pensei um pouco e cheguei à conclusão de que se eu te ajudar, nós dois sairemos ganhando — dizia sem olhar o garoto ao seu lado.

— Como? — Hoseok continuava andando em direção ao prédio. Yoongi, que já estava ficando irritado com a falta de atenção do garoto, segurou no braço esquerdo dele e o fez parar, ficando na sua frente. — Eu vou chegar atrasado, Min — Hoseok disse mais alto que o normal, se soltou do aperto do mais velho e seguiu seu caminho novamente.

— Me escuta, caralho! — Yoongi bufou, seguiu até Hoseok e o fez para novamente, segurando-o com mais força para que não conseguisse se soltar. — Eu vou te ajudar a entrar naquela fraternidadezinha de merda, mas você terá que fazer alguns favores para mim, o que acha?

— Espera, espera... — Hoseok riu sem humor. — ‘Tá me dizendo que vai me ajudar a entrar na Alpha Sigma? — perguntou curioso com uma pitada de descrença. — Mas...

— Mas nada, garoto. Aceita ou não? — Yoongi o soltou. E já impaciente revirou os olhos notando a expressão indecifrável do Jung.

— Eu... — Hoseok balançou a cabeça e piscou os olhos mais vezes que o normal, ajeitou a mochila no ombro, mesmo que não precisasse, e encarou o mais velho. — Que tipo de favores seriam esses?

— Simples, você só precisa fazer meus trabalhos e alguns deveres, isso vai depender da minha disposição diária — Min respondeu simplista, deu de ombros e colocou o peso do corpo na perna direita, cruzou os braços e suspirou alto.

— Você ‘tá falando sério?! Quer que eu faça o que é seu dever? Me poupe, Yoongi — revirou os olhos e voltou a andar novamente. — Idiota — quis sussurrar, mas saiu mais alto que o previsto, Yoongi cerrou os punhos e o segurou novamente, fazendo-o bufar e bater o pé no chão. — Caralho, me deixa!

— Olha só, ele sabe falar palavrão — Yoongi riu com deboche. — Não achou a proposta boa? ‘Pra mim está ótima — permanecia com aquele sorrisinho debochado no lábios.

— Ah, mas é porque não será você que ficará com a parte pesada... — suspirou. — Ok, mas... De que forma pretende me ajudar? — Hoseok já havia desistido da ideia de chegar no horário certo para a primeira aula, culpa de Jaebum, culpa de sua curiosidade, culpa daquele babaca na sua frente, poderia espancá-lo a qualquer momento, mas sabia que, infelizmente, não conseguiria realizar tal ato.

— O que Jimin te mandou fazer?

— Eu... Não sei se deveria te contar isso... — coçou a nuca desconcertado.

— Fala logo, caramba.

— Era ‘pra... ‘pra mim te con-conquistar e...

Yoongi riu. — Tsc, a mesma coisa de sempre — revirou os olhos. — Ok, já que é assim, eu vou te ajudar a me conquistar.

— Oi? Desculpa, mas eu não ‘tô entendendo — Hoseok tombou um pouco a cabeça para o lado, apertou mais os livros contra o peito e sorriu sem graça.

— Ah, paciência, Deus do céu. Não é bem nesse sentido, Hoseok — bufou. — Você vai andar junto comigo por um tempo, depois eu vou fingir que ‘tô a fim de você, vamos fingir um namoro e depois você me dá um pé na bunda, não é isso que você precisa fazer? — dizia simplista, Hoseok estava surpreso com a naturalidade que Yoongi levava o assunto.

— Quer mesmo me ajudar com isso? — encarou o Min com o cenho franzido, aquela sugestão do mais velho era um tanto estranha, quer dizer, Hoseok nunca imaginaria que ele pudesse propor algo do tipo.

— Se eu ‘tô aqui gastando meu tempo com você, pode ter certeza que sim.

Hoseok revirou os olhos. Teria que suportar Yoongi por uma fraternidade, algo que duraria um tempo e logo já não precisaria mais. Tudo bem que as pessoas da fraternidade eram legais, havia gostado de todas, principalmente de Jimin, o garoto era realmente bacana, mas valia a pena passar um tempo com o senhor arrogância por eles?

— Eu aceito.

— Certo — Yoongi arrumou sua postura e colocou as mãos nos bolsos da calça, Hoseok suspirou alto. — Você é muito estranho, Seok... — Yoongi sussurrou ao pé do ouvido do moreno, já que aproveitou o corredor vazio para prensá-lo na parede, deixando o Jung completamente surpreso e sem ação. — Se eu te conheço bem, pelo seu orgulho, você nunca aceitaria se aproximar de mim novamente — ficou com o rosto na frente do outro encarando-o nos olhos. Hoseok permanecia meio sério, deixando apenas um sorrisinho debochado no canto dos lábios. — Eu diria que está querendo ficar sozinho comigo, não é? — riu soprado, fazendo seu hálito quente se chocar contra os lábios fininhos do Jung. — ‘Tá com saudades da minha rola?

Hoseok riu, balançando a cabeça em negação. Yoongi era sempre tão idiota, achava que todo mundo deveria lamber o chão para ele passar, e que todos estavam abaixo de si. Manter um relacionamento com um cara como o Min era complicado, Yoongi era muito mesquinho quando falava com as pessoas, cínico e até mesmo mal-educado; muito diferente de Hoseok, e isso os impossibilitava de continuarem juntos.

Hoseok até pensou que Jimin estava à par de seu rolo — que não terminou nem um pouco bem com o energúmeno barra ignorante que agora odiava —, quando ele disse que Yoongi seria o bobinho enganado por si. Sua surpresa foi grande, sabia que o Min estava estudando ali, mas não pensou que teria que voltar a conversar com ele.

Haviam terminado o namorou um mês antes da formatura do terceiro ano do ensino médio, e depois disso não se encontraram mais, e isso faria dois anos se Hoseok não tivesse se mudado.

— Você não muda mesmo, ‘né?  — Hoseok dizia com todo o seu desprezo, ou o que achava que era desprezo digno do que Yoongi merecia, querendo mostrar ao Min toda a decepção que sentia em relação a ele.

Yoongi se afastou, largou o mais novo e colocou suas mãos de volta aos bolsos. — Será legal ficar te chateando pelo tempo em que passarmos juntos. Quero só ver se vai me aguentar quando chegar ao seu limite.

— Simples, não é complicado para mim, já lidei com pessoas piores que você — disse debochado, Hoseok mentia, não estava nem um pouco acostumado a conviver com pessoas com personalidades como a de Yoongi, mas ele não precisava saber disso. — Você não vai conseguir me fazer chegar ao limite.

Yoongi riu fraco, tirou uma embalagem de chiclete do bolso e abriu, jogando o lixo por ali mesmo, Hoseok apenas o observava. Jogou o chiclete na boca e o mastigou lentamente, sem cortar o contato visual com o Jung, sabia bem que ele queria sair correndo de sua presença, o nervosismo de Hoseok era perceptível e admirava o sacrifício que ele fazia permanecendo ali sem nem se mover.

Fez uma bola mediana com o chiclete e esperou a mesma estourar por conta própria, antes de se aproximar de Hoseok, ficando mais perto do que deveria, mas sem um pingo de más intenções no momento. — Não me subestime, calouro.


Notas Finais


Opa, rsrs como ceis tão?
Yoonseok de ex namoradinhos, hmm interessante, já se pegaram antes rs
Me digam se gostaram ou não, vou ficar muito feliz com isso, ok?
Saudades de vocês szsz

Xoxo ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...