História Damn Sweetness - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, Monsta X, VIXX
Personagens Hyung Won, I'M, Jennie, Jisoo, Joo Heon, Ki Hyun, Leo, Lisa, Min Hyuk, N, Personagens Originais, Ravi, Rosé, Show Nu, Won Ho
Tags Black Pink, Blackpink, Boygroup, Changkyun, Drama, Estrupo, Girlgroup, Hentai, Hyungwon, Jennie, Jennie Kim, Jisoo, Jooheon, Kihyun, Kpop, Lisa, Minhyuk, Monsta X, Otp, Ravi, Romance, Rose, Shipps, Shownu, Violencia, Vixx
Visualizações 48
Palavras 3.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, iai como vocês tão ?

Capítulo 19 - CAPÍTULO 18


Fanfic / Fanfiction Damn Sweetness - Capítulo 19 - CAPÍTULO 18

— Por que está tão inquieta ? — Glenda Perguntou, sem tirar os olhos do seu espelho enquanto retocava o batom.

— Ah, é que Onew sumiu... — falei olhando as ruas da cidade.

— Oh, ele é filhote, deve estar se aventurando pela a casa! — deu um sorriso reconfortante.

e disso que eu tenho medo... — sussurrei voltando a observar as ruas.


Chegamos em uma grife, e fomos muito bem recebidas, me sentei em um dos puffs do salão enquanto tomava refrigerante. Estava esperando Glenda aparecer com seu vestido e comecei a pensar: será que o casamento, a vida a dois e com nos doramas ? " Perfeito " ? Ficava me questionando olhando as predarias dos vestidos brilharem em seus manequins.


— Estão prontas ? — A consultora apareceu animada, a mãe e tias de Glenda suspiram, os olhos da mãe lacrimejantes sem ao menos tê-la visto.

— Sind wir spät? / Chegamos tarde ? — três garotas, falando uma língua esquisita, todas ruivas ( alemãs... ) também apareceram correndo com salto alto.


As tias responderam algo, que também não entendi nada, foquei no Chic provador que escondia Glenda. A consultora foi Feliz e lentamente puxando o longo Pano de cetim dourado do provador, Revelando Glenda. Seus olhos tinham carreiras pretas, suas lágrimas escuras por conta do lápis de olho mancharam seu rosto, seu vestido simples levemente bufante, Luxuoso, trabalhado em rendas, com uma abertura decotada nas costas, que deixava muita pele exposta. Alças finas, deixando suas salientes clavículas a mostra.

— Então, Como estou? — Falou entre soluços.

— É tão bonito... — Falei me aproximando tocando a barra do seu vestido.


Ela conversou com sua família e amigas no seu idioma, eu só observava a beleza do seu vestido.


(...)


— Jennie cadê, achou seu vestido ? — ela perguntou saindo do provador com uma roupa normal.

— ahh, hm, não!

— O que ? O que ficou fazendo ?

— Sentada...

— já deveria ter escolhido seu vestido, tolinha! Vem vamos ver por aí. — saiu me puxando.


Andamos pelos corredores da loja,encontrando várias modelos, que agradavam Glenda...


— Esse é muito justo ao corpo... — falei ao provar outro que ela havia escolhido.

— Meu Deus você não gosta de nada... — resmungou. — quer ir de moletom ?

— Não é má ideia..

— Ha-ha Engraçadinha, só vamos sair daqui quando encontrarmos seu vestido!


(...)

— Ele... É lindo. — eu estava perplexa olhando no espelho.

— Parece que foi feito pra você...

Seu comprimento era acima do joelho, rosado opaco com flores clássicas estampadas, alças caídas nos ombros. Uma pegada anos 80.

Ficou lindo em mim, era incrível como caiu bem e contrastou com meu tom de pele.

— Você vai levar ou não vai ? — Glenda Perguntou tirando minha atenção do espelho.

— Mas é claro! — dei um largo sorriso e ela retribuiu com um abraço forte.



(...)


— Marge! Marge! — entrei correndo em casa, agora sim eu podia estravazar o que sentia.

— O que foi menina ? — respondeu com a mesma calma de sempre.

— Onew, onde está ele ? — falei. Ela parou de fazer o que estava fazendo. — Te fiz uma pergunta Marge!

— Eu não sei menina!

Sai correndo da cozinha, subi as escadas indo em direção ao quarto de Ravi.

— Ravi! — Gritei ao entrar.

— Isso são modos ? — se assustou, porém não se exaltou já que Glenda estava ali.

— Cadê o onew ? — ele Respirou fundo e esperou Glenda entrar no box.

— Quem é onew ? — Perguntou enquanto acendia um cigarro.

— você sabe.

— Aquela bola de Pelo ? Haha

— O que você fez ?

— Adivinha?

— V-você...

— Dei veneno pra ele, quando começar a feder você o acha. — se deitou na cama.
Meus olhos lacrimejaram e não pude controlar.
— Ah Jennie, você é muito ingênua. Qualquer um te engana! Você não serve pra viver em sociedade, é muito burra.

— Do que está falando ?

— Não fiz nada com aquele cão, a última vez que o vi ele tava correndo no jardim. Agora vaza, sai da daqui.

Sai Frustada do quarto, me encostei na parede e tirei o tênis, desci a escada e sai de casa. O jardim é tão grande, onde será que ele esta?


(...)


— Onew! — dei um suspiro de alívio quando o vi.


Ele estava embaixo de um dos carros no estacionamento subterrâneo. O peguei no colo voltando pra casa.


Na cozinha coloquei comida pra ele, lavei as mãos e esquentei dois pedaços de pizza,enfim um copo de suco. Comi enquanto observava Onew tentar destruir uma planta na quina da cozinha.

— Encontrou a bola de P... — parou de falar quando viu Onew. — Ah achou. - rolou os olhos.


Ravi encheu um copo com água e olhou diretamente pra mim.

— Você sabe que devia ser Castigada né ?

Fingi não ouvir.

— Acusou seu irmão mais velho de fazer mal a um animal. Eu devia fazer algo sobre essa falta de respeito, mas como sou um irmão muito Bom, vou deixar pra lá! Boa noite... — pegou um pedaço da minha pizza e saiu.


(...)



Entrei no quarto e me tranquei, olhei para a cama e vi a caixa em que estava meu vestido, a levei pro closet e a guardei em um local protegido. Me despi e entrei no box, passamos quase o dia inteiro naquela grife e nem me dei conta de que já era tão tarde, me vestir é me joguei na cama pegando o Notebook.


Acessei o Kakao, e não havia mensagens do Jooheon.


Kakao


— Me esqueceu ou ainda está sem celular ?


Desliguei o not, vi que o Onew estava acordado mordendo a cortina, desliguei o abajur pra enfim dormir.



(...)



— Oi Oppa! — me sentei do lado do Shownu no jardim da escola.

— Olá unnie — bagunçou meus cabelos. — Tudo bem?

— Tudo sim, você vai amanhã,né?

— Claro! Acha mesmo que eu vou perder tanta comida boa?

— É, acho não kkk.

— OOOOOOIE — Lisa apareceu atrás de nós gritando, e se jogou nas nossas pernas que estavam estiradas na grama.

— Aí lisa. — Shownu pressionou o joelho.

— Sua louca! — bati a bolsa nela.

— Isso é agressão! — lisa jogou a bolsa de volta.

— Já estão brigando logo cedo? Se aquietem! — Hyungwon apareceu.

— Oppa, sabe o que houve com o Jooheon ?

— Ah, além da senhora Lee ter confiscado o celular dele,está resfriado, ele não esqueceu você! Se é isso que está pensando. — Hyungwon se deitou pondo sua mochila em baixo da Cabeça.


Sorri fraco, em resposta.



(...)



Depois das aulas, que pra mim foram legais como Sempre e para outros não, fui até a diretoria saber da biblioteca, mas disseram que depois da reforma não precisariam mais de mim. Fiquei triste,mas superaria, já que Ravi vai embora não terei mais problemas.

Sai de cabeça baixa da escola, mas levantei o olhar quando alguém parou na minha frente.


— Oi amor, por que essa carinha Triste ? — Wonho acariciou meu rosto, mas me afastei logo. — Arisca como sempre, tenho que te educar— ele sussurrou.


Tentei desviar porém ele segurou meu braço.

— Me larga!

— Tava pensando em passarmos a tarde juntos... Só eu e você. — sussurrou novamente piscando o olho.


— Me soltar agora!

— Vem vamos! — apertou mais meu braço e começou a andar. — sugiro não gritar! — outro Sussuro.


Eu tremia, tremia de medo, suas ameaças leves e olhar maníaco me assustava e lembravam Ravi. Não tive coragem de gritar ou fazer qualquer coisa. Se ele foi capaz de me torturar uma vez ele faria novamente
Forcei o braço pra trás o puxando na tentativa de conter seus passos, mas ele era forte demais e seu olhar assustador.


— Solta ela agora! — ouvi a voz de Jooheon.

— Por que você sempre estraga meus momentos? — respondeu irritado continuando a me arrastar.

— larga ela Hoseok, Agora! — Jooheon estava com raiva, como eu nunca vi.

— E se eu não quiser ? — apertou mais forte meu braço e tirou a chave do carro do bolso. — Não chora meu amor. — tentou tocar meu rosto mas dei um tapa em sua mão.

— Se você não soltar, seu pai vai adorar saber que você vendeu as jóias da sua mãe pra comprar maconha.

— Não Teria coragem... — apontou o dedo pra ele.

— Não ? Quer testar ?

— O que está acontecendo aqui? — um vigia surgiu batendo o cacetete na parede fazendo um estrondo, que ecoou.


— Nada! — Wonho respondeu rápido me empurrando e cai no chão, Jooheon veio correndo até mim, e Wonho saiu em alta velocidade no carro.


Jooheon me abraçou, e senti Conforto e proteção, como sempre.


— Tudo bem ? — ele perguntou e secou minha lágrimas.

— Sim... — me ajudou a levantar do chão.

— Nunca mais vou te deixar sozinha, certo ?

— Promete ?

— Prometo!! — beijou minha testa.


Caminhamos devagar até o ponto do ônibus..

— Não devia ter vindo, você está doente. — nos sentamos pra esperar o ônibus.

— Eu queria ter ver...

— Como você está ?

— Bem agora que você tá aqui... — me abraçou. — Ainda bem que eu vim!

— Obrigada.

— não precisa agradecer. Eu ia te fazer um convite, mas depois disso, você vai querer ficar em casa.

— Vá em frente!

— Quero te levar pra um lugar, especial.

— Que lugar ?

— É segredo.

— Me conta!

— Se eu contar vai deixar de ser segredo..

Bufei

— 07:30 tá bom pra ir te buscar ?

— Uhum, quero saber que lugar é pra escolher o que vestir adequadamente.

— Vista o que quiser!


Nosso ônibus chegou e Jooheon me deixou até a entrada de casa.


(...)


Eu não sabia o que vestir, não sabia do que se Tratava. Estava confusa e se eu for toda de preto? E se eu for de tênis e calça ? Vestido de festa ? Meu Deus! Bufei sentando no puff do closet olhando uma montanha de roupas.


Peguei uma saia que ficava até pouco mais da metade da coxa e uma camisa listrada com mangas, era infalível saia e camisa caem bem em qualquer ocasião.

Tomei banho, passei reparador de pontas e sai do banheiro. Olhei novamente para ver se aquela roupa era legal, estava tão nervosa, que segredo era esse?...

Vesti a roupa e ficou muito fofa, penteie os cabelos e coloquei um brinco pequeno, só uma pedrinha de brilho mesmo, passei um perfume leve meio adocicado, nada de maquiagem apenas um gloss.


Me sentei na varanda e fiquei o esperando chegar.


(...)


~~~~


— Jennie ? — Marge bateu na porta e entrou.


— Hm ?

— O rapaz chegou!

Sai do quarto trancando a porta descendo correndo as escadas em direção a saída de casa.


— Como você consegue ser tão linda ? — Jooheon falou assim que me viu.


Sorri e abaixei a cabeça tentando esconder a timidez, ele se aproximou e levantou meu rosto pra olhar meus olhos.

— Você fica mais linda quando fica vermelha..

Sorri e olhei pra trás dele.

— De quem é esse carro ?

— Ah, meu pai...

— Hmmm... — falei andando e com o silêncio na rua e o seu era possível se ouvir nossos passos.

— Vamos ? — me estendeu-lhe a mão, e eu segurei.

— Me conta que segredo é esse? — perguntei quando entramos no carro.

— Se contar vai deixar de ser segredo.

Bufei ele apenas sorriu.


(...)


Paramos em frente uma casa, Jooheon mantia o sorriso no rosto, saímos do carro ele abriu a porta, observei o quanto era aconchegante.

— Jooheon ? Já chegou ? — Ouvi uma voz Feminina.

— Omma. cheguei! — um largo sorriso se formou em seu rosto, um frio na barriga me envolveu. Arregalei os olhos surpresa quando a senhora apareceu com um sorriso acolhedor

— Omma, essa é a Jennie! Minha Namorada. — Jooheon me puxou para perto, e eu não sabia o que fazer.

Me curvei como o costume.

— É um Prazer conhecê-la Lee Sshi! — sorrir timidamente.

— O prazer é todo meu querida, Que bom que finalmente nos conhecemos, Jooheon fala de você todos os dias. — ela sorriu e acariciou o rosto dele.

— Então você anda falando de mim ? — o olhei.

— Mas, é falando bem! — sorriu segurando minha mão.

— Então foi Por ela que você Sumiu naquele dia ? — um Senhor apareceu.

— Sim pai...

— Valeu a pena, ela é muito Bonita! —

— Obrigada.. — me curvei novamente.

— Nós estávamos muito ansiosos para conhece-la! — senhor Lee apertou minha mão.

— É a Primeira garota que ele trás aqui. Estou tão feliz, logo logo vou ter netos! — senhora Lee saiu sorrindo atoa me deixando assustada.

— KK perdoe por isso! Fiquem a vontade, vou ajudá-la a terminar o jantar.


— Jooheon, me apresentou prós seus pais... — sorrir entre um suspiro.

— estou mais tranquilo quanto a isso agora.

— Mas, você não devia fazer apenas com a garota que pretende se casar ?

— É com você que pretendo passar o resto da minha vida... — me deu um selinho.

— Sério ? Tem certeza ? Eu sou tão pro...

— Você é maravilhosa você é perfeita e linda por dentro e por fora é um anjo, você é o amor da minha vida!


Quando o ouvi meu coração se encheu de um alegria, por um momento esqueci de todo os maus momentos que passei. Ficamos abraçados por uns minutos.Reparei o colar que ele ainda mantinha no pescoço.

— Vamos subir ?

— Okay.


Segurou a minha mão e entramos em um corredor. A última porta era seu quarto, relativamente pequeno, com uma cama de solteiro, tudo bem organizado.

— Não repara, não é uma mansão como seu quarto. — ele se sentou na cadeira que ficava em frente ao computador.

— Você exagera... — olhei um retrato que estava na escrivaninha, a foto que tiramos na nossa viagem, eu ele e os meninos.

— Você está bem ? — me puxou para perto de si.

— Claro, Por que não estaria ?

— O que aconteceu hoje...

— Não foi nada... — coloquei uma mecha de cabelo atras da orelha.

Me sentei na sua cama, observando umas prateleiras cheias de livros.

— Quer voltar a ler nosso livro ? — perguntou se sentando ao meu lado.

— Quero sim! Onde está ?

— Acho que tá dentro da minha bolsa, procura que eu vou pegar salgadinhos pra gente.

— Tá bom.


Ele saiu e fui até sua mochila, mas não estava lá, olhei nas gavetas e nada, por impulso olhei debaixo da cama, crendo que óbvio não estaria lá, mas pra minha surpresa estava. Peguei e coloquei na página que paramos.


— Achou ? — perguntou de boca cheia.

— Sim... Por que estava debaixo da cama ?

— Ahn? Debaixo da cama ?

— Sim! Estava.

— Eu não sei como foi parar ali.

— Okay...

— Por que está assim ?

— Assim como ?

— Estranha. O que houve ? — soltou os pacotes de salgados e segurou meu rosto me analisando.

— Nada!

— Conta logo!

— Estou... nervosa, nunca tive um namorado, e nunca fui apresentada pra ninguém, nunca fui amada ou tão bem tratada assim.

— Acostume-se, omma gostou tanto de você.

Suspirei.

— Quero saber se seu Amor é Amor mesmo, então me diga agora que eu não perguntarei novamente. Você me ama ? Ainda me amará amanhã ? — Jooheon segurou minha mão e tocou meu colar.


— Eu te amo.


— Vou te dizer como quero te amar, Pra te mostrar a minha intenção.Te atender se for me chamar e jamais te abandonar na solidão. O teu silêncio vou saber respeitar, Não vou sequer perguntar a razão e caso a tristeza venha te dominar, Te darei o meu carinho e atenção. Compreensão nunca vou te negar, o meu perdão jamais te faltará. Essa é a minha forma de te amar, sem condições! — o senti apertar minhas mãos e beijar as duas. Me deu um largo sorriso, fazendo seus olhos pequenos sorrirem também, sorri olhando o como ele ficava fofo.


— Nós não íamos ler ? — passei as mãos pelo o seu cabelo e olhei pro livro já aberto.

— Ah verdade, kkkk eu esqueci por um instante.


(...)

~~~

— Queridos, o jantar está pronto! — omma do Jooheon bateu na porta e logo abriu nos chamando.


— Estamos indo omma. — Jooheon logo se alevantou.

— Ei calma, vai perder a página. — falei pegando o livro que ele já ia fechar.

— Desculpa, tem marcador aqui. Espera! — ele vasculhou umas gavetas na escrivaninha. — ah, aqui. — me deu.

Marquei a página e saímos do quarto onde seus pais já estavam.

— Então Jennie, fale mais sobre você. Sua família! — Sra. Lee Perguntou enquanto colocava Kalgooksu no meu prato.

— Oh, minha família... São só meu pai e irmão. — falei esfriando a comida.

— E sua mãe ? —

— Faleceu...

— Meus pêsames.

— Obrigada...

— Do que eles trabalham ? — pai de Joo Perguntou.

— Meu irmão e executivo e meu pai empresário. — coloquei uma quantidade dá comida na boca

— De qual empresa ?

— Hyundai.

— Uau... — o senhor arregalou os olhos.


(...)


Depois do jantar Lee Sshi me mostrou algumas fotos de quando o Jooheon era criança, porém ele não deixou, então ficamos assistindo Dorama das dez.


— Já está tarde, vou me recolher agora. — a mãe de Joo falou entre um bocejo.

— É, eu já vou indo também. Foi um prazer conhecê-la Jennie! — o pai de Jooheon se espreguiçou me estendendo a mão para comprimenta-lo.

— O prazer Foi Meu Lee Sshi! — me levantei se curvando formalmente. — Tenha uma boa Noite Lee Sshi. — dessa vez me curvando para a mãe.

— Obrigada, Tenham uma Boa noite e Juízo! — ela cerrou os olhos em Jooheon e saiu da sala.

— Já estou indo filho, não se esqueça de trancar a porta quando for dormir! — O pai de Jooheon deu um beijo em sua testa e Saiu.

— Por que ele foi embora ? Ele não mora aqui ? — Perguntei me sentando no sofá novamente.

— Eles são separados... — falou Pondo as mãos no bolso.

— Oh...


Ele sentou-se do meu lado e ficou acariciando meu cabelo, eu fiquei prestando atenção no que passava na Tv.

— Amor ? —

— Hum ?

— Vamos Jogar ?

— Não sei jogar...

— Eu ensino! — me olhou animado.

— kkk okay então.


Ele levantou ligando o Xbox, Abriu um capa pondo no aparelho, olhei a capa, era jogo de luta.

Me deu o controle e me ensinou cada movimento do jogador, como atacar é defender, rasteira, chute, murro, depois disso iniciou a partida de ww2k17.


— Ei pega leve Jooheon! — assim que o jogo começou ele me derrubou.

— Kkkk vai Jennie faz o que te ensinei!!!

— Se fosse Fácil...


(...)


— Um dia eu vou ter vencer nisso! — falei largando o controle e me jogando no sofá, bufando.

— Aaah, vem cá meu bebê! — me abraçou forte. — Na próxima eu deixo você ganhar.

— Vamos voltar a ler o livro ? Estava no ápice onde paramos.

— Verdade. Vamos!


Voltamos pro quarto dele.

Ele foi ao banheiro e me sentei na cama adiantando minha leitura. Quando voltou sem camisa, não deixei de perceber teu corpo definido que eu nunca havia reparado.


Ele se jogou na cama e me puxou para si, ficamos bem perto um do outro, e iniciamos onde havíamos parado o livro.
Ele me abraçou forte me fazendo perder a atenção no livro e observa sua pele abdominal tão próxima de mim.
Nunca havia ficado assim com um homem, não por livre e espontânea vontade, nas vezes que fiquei foi a força recebendo murros e ameaças, senti um desconforto mas lembrei que quem estava ali era Jooheon, a pessoa que eu mais amo e logo o mal estar deu lugar a tranquilidade.

Quando estou do lado dele, quando me aconchego em seus braços, é quando me encontro no melhor lugar do mundo, porque é exatamente onde sonho estar todos os dias, até o fim de nossas vidas.


Anoiteceu, Todos se foram, Somos só eu e você. Em um universo só nosso deitados, com um livro interessante a nossa frente, qual tínhamos o mesmo interesse. Sinto sua respiração no meu ombro Minhas mãos Quase soltaram o livro quando Um arrepio percorreu meu corpo. Sua boca beijava meu ombro rumo ao meu pescoço, Com ternura, Com amor, Com carinho, Com doçura, Sem palavras, Apenas gestos. Nada mais é necessário Quando dois corpos se juntam.
É instinto.
Um compreende o outro, Descobrindo o que se promove nos demais instantes, entrelaçamos nossas mãos, e foquei em sentir coisas que nunca senti, uma coisa tão boa em mim, que deseja que ele não parasse, nunca senti isso, não conseguia compreender o que era aquilo que me consumia. Ouvi sua respiração e seu beijo em minha orelha, que me fez rir com a cosquinha.
Soltei um gemido, coisa que só soltava quando eu estava sendo abusada, por conta da dor, mas dessa vez ele veio involuntariamente sinto que ele veio por conta do que eu sentia, a coisa que era nova pra mim, e eu não sabia como se chamava. Jooheon me olhou, sorriu levemente me fazendo fazer o mesmo.

— Eu te amo tanto... — sussurrou. Selando nossos lábios em mais um beijo que até um cego conseguia ver o amor ali transbordar.

Jooheon passou sua mão em minha cintura, a pressionando levemente contra seu corpo, meu cérebro entrou em combustão, o susto daquele toque e a paixão do beijo se chocaram.


— Jennie ? — em selos terminou nosso beijo.


— O que ? — abri meus olhos lentamente.


— Faz amor comigo ? — acariciou minha barriga, olhando profundamente em meus olhos. A intensidade de seu olhar me paralisando.


Notas Finais


Estarei respondendo os comentários...

Até o próximo capítulo...

💛

( Sshi - significa, Senhor, Senhora )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...