História Damnation - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JB, Jinyoung, Yugyeom
Tags Got7, Jinyeom, Jinyoung, Yugjin, Yugyeom
Visualizações 228
Palavras 8.862
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláa pessoaaas lol

Nossa eu demorei mesmo pra atualiza isso, mas sabe oq eh ter q revisar mais de 6 mil palavras? Eh mto cansativo kkk e além disso da muita preguiça ;-; Então eu acabei adiando mto mesmo e como eu vou apresentar meu tcc daqui dois dias eu to SURTANDO MESMO kkkkkk
Mas enfim consegui e aqui finalizo essa 2SHORT, espero que gostem u.u

Ah, um aviso é q, os apetrechozinhos que eu colocar, alguns deles eu vou colocar algumas imagens ilustrativos nas notas finais okay? Então é interessante vocês darem umas olhadinhas lá as vezes ewe kkkk E eh só isso.

Boa leitura :3

PS: Sim, esse capítulo é puro sexo, me desculpem.

Capítulo 2 - The punishment


 

 

 

A casa era grande com cômodos espaçosos e móveis luxuosos, sendo a maior parte deles feito de madeira escura ou de granito negro, estando totalmente em contraste com o piso bege claro e as paredes de mesmo tom. O local era bem conhecido, os corredores eram familiares e enfim o quarto no fim do corredor também.

A casa de Park Jinyoung era recheada de cômodos aconchegantes, mais de dois quartos, mais de uma sala de televisão e jantar, uma cozinha grande e bem iluminada também. E, além disso, existia um quarto reservado à somente uma coisa, era um quarto aparentemente normal, visto inicialmente a única diferença eram as luzes mais fracas, os lençóis mais escuros e um grande espelho posto no teto.

Contudo aquele era o quarto onde o Park gostava de ficar para exacerbar de seus desejos e prazeres, por algum motivo do qual ninguém sabia, era somente naquele quarto que ele guardava apetrechos de jogos de prazer. Afinal, o moreno sempre fora muito organizado e não queria em seu quarto coisas como tais.

Yugyeom adentrou o quarto cautelosamente, sendo seguido por Jinyoung que ainda segurava sua mão, e quando as mãos se desencostaram a porta se fechou. Jinyoung estava calmo como sempre, afinal, aquela não era a primeira vez que àquela situação acontecia, na verdade, muitas vezes o próprio Kim pedia para que fossem até àquele quarto.

- Yugyeom. – o mais velho chamou-o, fazendo Yugyeom girar até que estivesse na posição correta, bem de frente com o moreno. – Ajoelhe-se. – ditou o moreno com a mesma expressão calma e séria ao mesmo tempo.

Yugyeom acatou o comando, sabendo que não deveria e nem ao menos queria hesitar muito. Ajoelhou-se sob o carpete cinza escuro, sentindo a leve maciez do mesmo, direcionando seu olhar para Jinyoung que ainda lhe encarava. Contudo logo em seguida o contato fora quebrado. O Park afastou-se indo na direção do armário de madeira escura, o abriu e com os olhinhos atentos Yugyeom viu todos os apetrechos que há algumas semanas não via.

Jinyoung pegou apenas uma coisa e voltou até onde o mais novo estava, ainda ajoelhado. Contornou o corpo esguio do namorado e enfim colocou o apetrecho inicial. A tira de couro maleável envolveu o pescoço do mais novo, tendo o Park logo atrás com um de seus joelhos apoiados no chão para poder abotoar a tira. Automaticamente Yugyeom remexeu os lábios e nos mesmos se formou um leve bico, ele não gostava de usar coleiras, apesar de saber que ficavam bonitas em si.

Quando a tira já estava bem posta, Jinyoung levantou-se novamente e foi até à frente de Yugyeom, encarando-o novamente e por fim encaixando a guia na coleira. Não era uma guia muito longa, mas longa o suficiente para que Jinyoung o arrastasse se fosse essa a sua intenção. Contudo não era, o mais novo recebeu um sinal para que se levantasse e então foi puxado.

Caminhou até a grande cama bem arrumada no centro do quarto e, sem nem mesmo que Jinyoung mandasse ou pedisse, ficou de frente com a mesma, entre o colchão macio e Jinyoung. A diferença de altura entre os dois era um pouco grande, cerca de cinco centímetros, porém Jinyoung não se importava e muito menos Yugyeom, que ainda parecesse maior, obedecia a qualquer comando.

Finalmente o primeiro contato foi findado, Jinyoung levou a mão até os cabelos de fios lisos e sedosos de Yugyeom, entrelaçando os dedos finos por entre as mechas e por fim deslizando os dígitos pela pele leitosa e macia. Sentindo a textura e o calor que emanava do outro. O polegar passando pela bochecha fofa e logo depois descendo até os lábios delineados, contornando os mesmos e deixando-os levemente abertos.

Logo a outra mão já estava em Yugyeom, que se mantinha parado a todo instante, era assim que os dois queriam, era assim que Jinyoung queria, ele gostava de tocar onde quisesse e como quisesse. Os dedos habilidosos foram até a blusa de tecido fino, retirando-a lentamente enquanto os orbes profundos de Yugyeom lhe observavam.

Depois da primeira peça Jinyoung acabou por fazer tudo mais rapidamente, porém ainda sem perder toda a sua sutileza. Tirando a camisa de Yugyeom com calma e logo depois desafivelando a calça jeans que o mais alto usava. O tecido mais grosso desceu pelas pernas longas e torneadas, deixando exposto todo o restante do corpo de Yugyeom.

O mais novo tinha toda a pele bem branquinha, com algumas veias à mostra em alguns pontos. Seus braços e pernas eram levemente torneados, pois gostava de fazer atividades físicas no colégio, sua cintura não era muito fina, mas ainda assim combinava perfeitamente com seu tórax. Possuí varias pintinhas espalhadas pelo corpo, principalmente nos braços e peito, e Jinyoung as adorava, admirava-as sempre que podia, perguntando-se como poderia pintinhas aparecerem em lugares tão perfeitos.

Logo após as calças de Yugyeom já estarem no chão, Jinyoung tratou de retirar lentamente a boxer preta que o garoto usava, presenciando inclusive o inicio de uma ereção ali. Compreendia o leve descontrole do mais novo, e compreendia mais ainda, pois sabia que o amado gostava de seus toques superficiais e calmos. Porém nada daquilo era para agradá-lo, por isso logo que o corpo mais novo ficou completamente nu ele fora empurrado contra o colchão macio.

Dos lábios delineados saíra um grunhido de surpresa, mas logo o garoto já estava se posicionando no centro da cama, onde sabia que deveria ficar. Jinyoung, sem mais olhar para Yugyeom, caminhou até uma das pontas da cama, abaixando lentamente e enfim alcançando um tipo de pulseira que era conectada á cama por uma corrente de prata cintilante. A pulseira de tira de couro e por dentro aveludada, foi levada até um dos calcanhares do mais alto e ali ele foi preso. Logo depois Jinyoung prendeu o outro calcanhar. A corrente de prata dava uma certa liberdade, Yugyeom conseguia abrir e fechar as pernas, mas não conseguiria nem sair da cama e nem virar-se de barriga para baixo.

Yugyeom apenas observava Jinyoung, agora caminhando até o criado-mudo ao lado da cama, e de uma das gavetas tirando um par de algemas. Elas eram como as pulseiras postas nos pés, mas a corrente que as ligava era mais curta tendo cerca de dez centímetros. O Park se aproximou do garoto e por fim prendeu as pulseiras em seus dois punhos. Agora, Yugyeom estava preso e exposto, Jinyoung fazia questão de olhar para todo seu corpo, analisando as partes mais íntimas e todo o resto também.

Porém logo se afastou, indo até o armário novamente e voltando com uma maleta. Sentou-se na beira da cama e tirou os sapatos bem lustrados, deixando-os de canto. A maleta fora colocada de lado já aberta, porém Yugyeom nem ao menos olhou o que havia ali dentro, apenas continuou encarando os próximos movimentos do Park.

Jinyoung então finalmente olhou para Yugyeom novamente, encarando as pupilas já dilatadas. Com as duas mãos, fechou abruptamente as pernas do mais novo e colocou cada um de seus joelhos ao lado dos quadris do mais novo, fazendo com que o mesmo ficasse por baixo de seu corpo. Uma breve mordida no lábio inferior carnudo fora a ultima coisa que Yugyeom viu antes que seus braços fossem colocados para cima com brutalidade, tendo seus punhos segurados com precisão e consequentemente tendo Jinyoung muito mais perto de si.

Os olhos estavam tão conectados que o mais novo nem ao menos percebeu quando Jinyoung retirou sua gravata, que agora era colocada envolta da corrente da algema e amarrada no encosto da cama. A respiração estava pesada, o clima parecia que ficava mais quente para o Kim, tendo Jinyoung tão perto, mas ao mesmo tempo tão inalcançável, era torturosamente bom.

- Por que você foi embora Yugyeom? – Jinyoung questionou utilizando de um tom levemente rouco e baixo. Yugyeom fora pego de surpresa, sua mente pareceu ter acordado de um transe e seus olhos percorreram toda a face de Jinyoung que agora lhe encarava avidamente.

- Porque eu estava confuso... – respondeu em baixo tom, desviando o olhar, com receio de ser tão sincero.

- Olhe para mim! – ditou o moreno. Yugyeom atendeu de pronto, voltando a olhar para o mais velho.

- Por que foi embora Yugyeom? – perguntou novamente, porém agora um pouco mais alto.

- Porque duvidei de seus sentimentos. – confessou, sendo completamente sincero e transparente.

Como resposta recebeu os dedos finos do mais velho em seus fios, colocando-os para trás, puxando-os de forma dolorosa. A cabeça se ergueu levemente e o queixo e pescoço ficaram mais à mostra, contudo fora na lateral do rosto afinalado que Jinyoung chegou tão perto, fazendo o mais novo estremecer. A respiração quente tocou a pele levemente fria, causando um pequeno choque no corpo do mais alto.

- Não faça mais isso. – sussurrou o Park, mas ainda de forma severa e, agora, inclusive, de forma mais severa ainda.

Yugyeom apenas maneou a cabeça, sentindo seu corpo todo estremecido e trêmulo. Era incrível como Jinyoung tinha um enorme efeito em si.

O rosto do mais velho então ficou de frente com Yugyeom, agora deixando que os lábios cheios tocassem suavemente a pele do rosto, logo depois os lábios delineados e em seguida o queixo. Jinyoung continuava descendo, deslizando seus lábios levemente úmidos, atiçando e provocando todo o corpo á baixo de si. Aquilo era divertido para Jinyoung, ver o mais novo tão entregue e trêmulo, completamente exposto aos seus toques, era isso o que ele mais gostava.

Agora os lábios chegavam às clavículas protuberantes, deixando ali uma mordida mais forte que consequentemente deixaria uma marca futura. Em seguida os lábios foram até os mamilos do Kim, uma área muito erógena e sensível no mais novo, fato que Jinyoung conhecia bem. Com apenas algumas lambidas Yugyeom já se sentia mais quente, seu baixo ventre já dava leves fisgadas e seu coração já batia de forma mais acelerada ainda.

Um grunhido mais alto saiu pelos lábios do mais novo quando Jinyoung abocanhou o botão, encaixando-o entre os lábios carnudos, sugando ali de forma entretida, enquanto a língua vez ou outra tratava de umedecer o local. Jinyoung sabia que aquilo faria Yugyeom excitar-se ainda mais, e isso era tudo que o mais velho queria.

O Kim já sentia seu membro teso, pulsando para que fosse tocado, porém ainda sendo negligenciado, sem receber toque algum. Jinyoung ficou um tempo a estimular os mamilos enrijecidos do mais novo, deleitando-se com os grunhidos de prazer, enquanto sentia o volume bem à baixo de si crescendo pouco a pouco. Afinal, as mãos tratavam de explorar o corpo alheio, deslizando os dígitos pelos braços, pela cintura, pelas laterais das coxas e até mesmo voltando a estar entre os fios escuros.

Yugyeom estava sendo explorado, e estava gostando completamente daquilo.

Contudo o garoto sabia que aqueles toques tão bons não durariam para sempre, e fora isso que aconteceu. Seu membro já estava completamente rijo, a glande estava inchada e da fenda saía um fio de líquido pré-seminal. Ele estava fodidamente excitado. E quando Jinyoung permitiu o garoto sentir o primeiro toque, Yugyeom soltou um gemido mais alto e afinado. Gemendo pelo prazer que um simples toque poderia fazer em si.

Jinyoung segurou cautelosamente o membro de Yugyeom, sem apertar demais e ainda tendo firmeza. O olhar de Yugyeom era carregado em desejo, porém todo o seu mundo quase caiu ao finalmente ver o que Jinyoung estava fazendo.

Na outra mão do Park tinha um pequeno apetrecho, um tipo de sonda que poderia ser colocada na uretra, impedindo que qualquer outra coisa passasse. Os olhos do mais velho estavam atentos para que o outro não se machucasse, mas ainda assim aquilo era completamente desconfortável para Yugyeom, afinal a partir dali ele não poderia gozar de maneira nenhuma e seu pênis doeria se sua excitação fosse muito extrema.

Após colocar a sonda em Yugyeom, a mesma foi presa na extensão do membro, deixando assim a mesma bem presa, mantendo Yugyeom completamente impune e impossibilitado. Jinyoung então se afastou um pouco mais, retirando suas pernas dos locais que estava e enfim se sentando mais para a beira novamente, bem ao lado da maleta.

- Esse é só o início do preço que você vai pagar por ter ido embora Yugyeom. Entende? – Yugyeom olhava atentamente para o mais velho, sentindo em suas entranhas o quanto ele estava falando sério. Mas apenas maneou a cabeça positivamente, sentindo que não teria força alguma para responder. – Você nunca deve ir a não ser que eu mande. - completou Jinyoung.

Yugyeom mordia o lábio inferior em nervosismo, sentindo aquela sonda lhe invadir onde não era devido, mas ainda assim excitado por conta dos reflexos de todos os toques que havia recebido. Jinyoung se levantou afastando-se da cama e levando consigo a maleta. Fora até o armário e voltou com outras coisas na mão, coisas que fizeram os olhos de Yugyeom se arregalarem. O Park não era fã de brinquedinhos, sempre preferia utilizar as próprias mãos, apenas usava coisas assim quando realmente queria punir Yugyeom, e somente em punições severas, pois há anos aquelas coisas não eram usadas.

Contudo ali estavam, Jinyoung colocou cada uma delas em cima da cama e o Kim nem ao menos quis olhar para elas, continuando a olhar de forma fixa para a face do amado. Jinyoung novamente lhe tocou, contudo agora para abrir rapidamente as pernas leitosas, deixando o corpo de Yugyeom ainda mais exposto. Logo pegou o primeiro dos apetrechos, um plug anal com uma pequena joia azul na extremidade que ficaria para fora. Yugyeom sentiu seu corpo estremecer.

- Jin-Jinyounggie hyung... – o garoto chamou de forma manhosa. – Por favor...

Jinyoung lhe olhou rapidamente, e ao contrário do que o Kim poderia imaginar, ele abriu um sorriso ladino, contudo um sorriso que o mais novo não gostou em nada.

- Este não é o pior dos seus problemas Yugyeom, não comece as reclamações agora, ainda existem muitas coisas que vão me obrigar a calar sua boquinha linda.

Os olhinhos de Yugyeom se apertaram, depois daquilo ele sabia que não adiantaria em nada pedir, então teria de aguentar e se manter firme. Contudo foi impossível não soltar um gemido de dor e incômodo quando o plug fora colocado em sua entrada de forma rápida e bruta. Mordendo o lábio inferior com força logo em seguida e não tendo tempo algum para respirar já que Jinyoung já tratava de envolver seu membro rijo com um tipo de vibrador. Este era diferente, simulando um canal que preenchesse todo o membro do homem.

A sensação era boa, de sentir o pênis envolvido com algo tão macio e quente, mas Yugyeom foi pego de surpresa novamente, já que aquilo começou a vibrar de forma insistente e rápida. Um gemido esganiçado saiu pela sua garganta, fazendo Jinyoung sorrir novamente com aquele som que tanto gostava.

- Hy-Hyung... isso... – mais um gemido tomou conta da boca de Yugyeom, fazendo-o cessar a própria fala e ficar quieto novamente.

- Foi comprado especialmente para você Yugyeom, não está feliz com seu hyung? – provocou o Park, vendo nos olhos e na expressão de Yugyeom que ele já estava em um nível alto de excitação, com os lábios sendo mordidos e com os olhos marejados. – Me responda Yugyeom! – ordenou.

- Si-Sim hyung... e-eu gostei... – falou com certa dificuldade, sentindo o membro ser estimulado em várias regiões de forma simultânea.

- Que bom que gostou. – falou em tom sarcástico, logo levantando-se novamente.

Aproveitando o fato de que Yugyeom tinha a cabeça apoiada em um travesseiro, podendo assim olhar bem para Jinyoung em pé, o maior fez questão de provocá-lo ainda mais. Levou as mãos até seu terno, retirando-o lentamente e o colocando em uma das poltronas dispostas pelo quarto. Logo depois começou a desabotoar os botões da camisa social, observando o olhar atento de Yugyeom.

Ao ter todos os botões abertos exibindo seu peito e seu abdômen levemente definido, levou as mãos até o cinto, abrindo-o e retirando logo em seguia, ouvindo um gemido sôfrego vindo de Yugyeom. A calça foi retirada em seguida, deslizando por entre as penas do Park e pairando no chão. A boxer era vermelha, a cor preferida de Yugyeom, caindo perfeitamente com o tom claro da pele do moreno.

Yugyeom não entendia porque Jinyoung estava se despindo de forma tão provocante, e então uma esperança se acendeu em si, sua mente pensou rapidamente que o moreno se juntaria a si, pensou que estar ali com aquele vibrador diferente não seria o fim, apenas o começo das brincadeiras de Jinyoung. Contudo logo seus pensamentos foram cortados ao ter a visão de Jinyoung abaixando sua boxer, deixando seu corpo perfeitamente esculpido todo á mostra. O mais novo não conseguiu conter um gemido rouco e uma mordida forte em seu lábio inferior.

Jinyoung se aproximou um pouco mais, retirando a camisa já aberta e por fim a jogando por cima do peito de Yugyeom. A visão do mesmo não fora tampada, mas o cheiro amadeirado de Jinyoung lhe atingiu, fazendo todo seu corpo tremer em expectativa, afinal o Kim simplesmente amava o cheiro de Jinyoung, era um cheiro entorpecedor e viciante; e o Park, aparentemente, sabia disso, pelo ato feito.

- Vou tomar um banho, bom proveito, Yugyeom. – falou por fim o mais velho, dando as costas para o Kim e caminhando daquela mesma forma até o banheiro logo ali ao lado.

- Q-Que!? – Yugyeom questionou incrédulo, vendo o mais velho se retirar e ficando ali, sozinho, com um maldito vibrador lhe estimulando de todas as maneiras e o cheiro do outro lhe tirando completamente a sanidade.

 

 

<( ̄︶ ̄)>

 

 

Aquele banho estava deveras demorado, Yugyeom já tinha sua visão turva, seu corpo estava em completo torpor pelos estímulos, sentia como se seu membro fosse simplesmente explodir pela impossibilidade de deixar que seu sêmen saísse. Os gemidos sôfregos e roucos ecoavam pelas paredes, ele estava no limite, os estímulos eram fortes demais e quando, involuntariamente, ele se remexia o plug em seu ânus se remexia também, fazendo-o ter mais um estímulo.

A cabeça do garoto estava apoiada no travesseiro, os fios escuros estavam colados em sua testa pela quantidade de suor que saía pelos seus poros. Estava quente demais ali, porém o calor era sentido somente pelo Kim, já que a excitação não deixava que seu corpo esfriasse.

O barulho do chuveiro parou de repente, Yugyeom não estava atento o suficiente para aquilo, mas pouco tempo depois Jinyoung já estava saindo do banheiro, com uma toalha lhe envolvendo a cintura e uma outra apoiada em seu pescoço. O corpo ainda estava levemente úmido, algumas gotículas de água escorriam pelo peito desnudo ou até mesmo pela lateral do rosto bem delineado e marcado.

O olhar de Yugyeom foi diretamente para o mais velho após ouvir a porta se abrindo, e a visão que o Park tivera fora uma das melhores que já teve. Yugyeom estava com as pernas bem abertas, deixando seu membro coberto pelo vibrador bem à mostra, o plug em sua entrada se remexia quase que entrando completamente no canal do garoto. Os braços eram constantemente repuxados como se tentasse se soltar, mas era apenas a excitação altíssima que fazia o mais novo ter espasmos. A expressão sôfrega, os olhos se fechando e abrindo novamente, o lábio já totalmente avermelhado por conta das mordidas.

Yugyeom estava incrivelmente lindo.

Jinyoung ficou poucos instantes parado, terminado de se secar com a toalha pequena, passando o tecido felpudo pelo peito e logo depois pelos cabelos molhados. Yugyeom tentava manter seu olhar no mais velho, mas não conseguia fazê-lo por muito tempo, então apenas apreciava a vista parcial. Instantes depois Jinyoung voltou a se aproximar, agora ficando bem de frente para o garoto, olhando-o atentamente como se apreciasse a cena.

- Como está sendo, pequeno? – questionou, com um sorriso ladino brotando em seus lábios cheios e apetitosos.

- Hy-Hyung... n-não aguento... ma-mais... – tentou falar o mais novo, tendo uma enorme dificuldade em pronunciar as palavras, já que os gemidos e o cansaço lhe atingiam fortemente.

- Como assim não aguenta mais, meu amor? Estamos apenas começando, hm?

O sorriso sarcástico, a voz calma e tranquila, Yugyeom odiava Jinyoung por ser assim, mas ao mesmo tempo o amava exatamente pelo mesmo motivo.

- Hy-Hyuungg... – gemeu o mais novo, num tom manhoso e ávido.

Jinyoung não disse mais nada, maneou a cabeça negativamente e se aproximou mais da cama, retirando sua toalha e ficando somente com uma boxer preta lhe envolvendo, deslizando para cima para poder ajoelhar-se bem à frente do corpo do amado. Os dedos deslizaram pela pele das coxas, apalpando e sentindo a textura macia. Yugyeom sentiu espasmos correndo pelo corpo após os toques, gemendo em resposta e fechando os olhos com força.

Os dígitos foram até a virilha, uma mão continuava apalpando e dando leves beliscadas no interior da coxa alheia, a outra agora envolvia o vibrador, um dedo foi usado para desliga-lo e então foi lentamente retirado. O Kim soltou um gritinho descontrolado após sentir, finalmente, seu membro ser liberto daquele calor, contudo ainda estava completamente duro, a sonda fazia seu trabalho impedindo que o menor tivesse seu orgasmo.

O membro teso de Yugyeom tinha a glande completamente inchada, já tendo tons mesclados entre o vermelho e o arroxeado, demonstrando o quanto ele estava excitado. Jinyoung ainda completamente calmo admirava seu namorado tão entregue, agora com a cabeça bem apoiada e os fios bagunçados, respirando pesadamente e suspirando forte. Ele simplesmente amava vê-lo desta maneira, impotente e no limite.

Os dedos deslizaram novamente até a região íntima do mais novo, agora ficando entre as nádegas macias, retirando lentamente o plug que num determinado momento quase fora jogado para fora pelas pregas ainda resistentes. Jinyoung mordiscou forte seu lábio inferior, deleitando-se com a cena daquele botão avermelhado praticamente piscando para si. Contudo se conteve, deixou o apetrecho de lado e olhou para as outras coisas que havia trazido, postas perto da beirada da cama distantes das pernas leitosas do menor.

Pensou com cautela e escolheu um em especial e pegou outro vibrador de tom azulado, este com bolinhas em auto relevo, não era muito grande, mas ainda assim preencheria bem a entrada apertada que o Kim possuía. Já com o apetrecho nas mãos Jinyoung se aproximou mais da face de Yugyeom, ficando um pouco acima do maior. Mostrou-o, o apetrecho e então sorriu de soslaio.

- Talvez seja melhor você chupar um pouco isto antes, não acha? – falou o moreno, mantendo seu tom sarcástico e o olhar fixo, encarando e analisando as expressões de Yugyeom.

O mais novo maneou a cabeça positivamente e então tentou se aproximar mais do vibrador, colocando sua língua para fora a fim de molha-lo o suficiente para que sua entrada não fosse completamente arrombada. O apetrecho foi aproximado um pouco mais, Yugyeom o chupou avidamente, deixando o máximo de saliva que pode, já que ele sabia que Jinyoung não o prepararia devidamente.

O tempo se finalizou, Jinyoung afastou o aparelhinho dos lábios de Yugyeom e o levou até a entrada do mesmo. Primeiramente tocando apenas a ponta nas pregas bem fechadas, fazendo o mais novo ter um pequeno espasmo. Porém logo depois adentrou toda a extensão azulada no garoto, fazendo o mesmo soltar um grito alto de dor, afinal, fazia dias que aquele lugar não era tocado. Ele não se machucou realmente, mas ainda assim doía muito.

O Park alargou mais seu sorriso vendo o quanto Yugyeom estava sensível. Deixou o apetrecho ali, sendo sugado e apertado pelas pregas do garoto. Com uma das mãos se apoiou no colchão macio bem ao lado do tórax de Yugyeom, com a outra mão desfez o nó que prendia as algemas na cama, enfim libertando o movimento dos braços do mais novo. Yugyeom sentiu-se novamente aliviado, mas um tranco em sua garganta o surpreendeu, Jinyoung o puxava de forma bruta pela coleira, fazendo o garoto involuntariamente se sentar, e sentar exatamente por cima daquele vibrador que lhe invadia, fazendo o mesmo ir ainda mais fundo.

- Yugyeom. – chamou o moreno com um tom sério, o Kim olhou para a face alheia, vendo que o moreno estava de joelhos, apoiando o corpo em seus próprios calcanhares. – Faça o que um bom servo tem que fazer. – ditou, ainda segurando a guia da coleira e a puxando levemente para baixo.

Yugyeom mordeu levemente o lábio inferior, sabendo exatamente o que deveria fazer. Deslizou seu olhar por todo o corpo do mais velho, sentindo seus pelos da nuca se eriçaram somente por ver o volume ainda pequeno dentro daquela boxer apertada. E seu maior desejo era se deliciar com o membro tão conhecido. O olhar do garoto estava carregado em desejo, as pupilas dilatadas, a língua umedecendo os lábios delineados, os cabelos bagunçados.

Um último puxão na coleira fora suficiente para Yugyeom simplesmente atacar, levando suas mãos agora livres até o corpo do amado, deslizando os dígitos pela pele aveludada e leitosa. Mais um puxão, só que agora mais forte.

- Não foi isso que falei para fazer. – repreendeu o Park.

Yugyeom entendeu de pronto, já percebendo que não poderia tocar demais, levou então as mãos até o volume ainda adormecido. Tocando calmamente e sentindo o calor que emanava do corpo de Jinyoung. Seu próprio membro pulsava ainda mais, tendo seu interior preenchido. Contudo teria que resistir, e a saliva já se acumulava dentro da cavidade bucal.

Abaixou-se mais, levando o próprio rosto até a região íntima do namorando, se deliciando com o cheiro do mesmo. Colocou a língua para fora e lambeu lentamente a glande, Jinyoung respondeu com um suspiro forte. E então Yugyeom continuou, lambeu mais algumas vezes deixando o tecido da boxer úmido e enfim decidiu abaixar a peça de roupa. Libertando o membro que se enrijecia bem lentamente, o que incentivava ainda mais o mais novo.

As mãos um pouco trêmulas seguraram a base do membro alheio, e os movimentos a seguir foram mais rápidos, Yugyeom não tinha o mesmo autocontrole de Jinyoung. Abocanhou o falo levemente amolecido, chupando fortemente a glande rosada, ouvindo um grunhido contido como resposta positiva. Com a língua ele adornava a cabeça do membro, sentindo o mesmo se enrijecendo mais rapidamente.

De repende Yugyeom sentiu seus cabelos serem puxados para cima, sua cabeça automaticamente se ergueu e seu olhar fora até o mais velho, que lhe encarava com uma expressão de puro desejo.

- Olhe para mim! – ordenou.

Yugyeom fizera de tudo para sustentar aquele olhar, ver o quanto Jinyoung ficava excitado com sua boca era inexplicavelmente bom. A boca envolvia o membro com maestria, sugando e lambendo com ferocidade. Os sons de sucção preenchiam o quarto silencioso e Jinyoung sentia-se cada vez mais excitado, olhando seu falo sumindo entre os lábios delineados e, agora, vermelhos e inchados.

A língua habilidosa fazia um bom trabalho, recolhendo todo o líquido pré-seminal que saía pela fenda de Jinyoung, deliciando-se com o gosto levemente adocicado, o gosto que tanto gostava, o gosto do seu dono.

Contudo seu cabelo fora puxado novamente, fazendo seus lábios deixarem o membro alheio e, inclusive, fazendo um som alto e oco soar até os ouvidos do Park, fazendo o mesmo se arrepiar levemente. Jinyoung lhe afastou, já tinha o membro completamente enrijecido e brilhante pela saliva que o mais novo deixara ali.

- Oh, olhe como meu garotinho é bom, enquanto não sai por ai sem minha permissão. – provocou o mais velho, ainda deixando claro, os motivos pelos quais tudo aquilo estava acontecendo. – Deixou seu hyung tão excitado... – continuou, fazendo uma breve pausa para olhar no fundo dos olhos de Yugyeom, adorando vê-lo daquela maneira. – Hm, mas acho que você está pior, hm? – insinuou, olhando para o membro de Yugyeom que estava visivelmente pulsando em excitação.

- Não vou mais desobedecer meu hyung... – murmurou Yugyeom, tendo sua voz muito fraca para que qualquer frase saísse em melhor tom. Jinyoung lhe olhou atento, levando os dedos até o queixo do garoto, fazendo-o lhe olhar fixamente.

- Ah, verdade? Isso é uma promessa Yugyeom? – questionou com a expressão séria. O mais novo maneou a cabeça positivamente, mas aquilo não era o suficiente para o moreno. Seu rosto foi segurado de forma mais brusca, sendo quase esmagado entre os dedos. – Acho que você não esta sendo sincero, hein. Não está empenhado em me convencer, precisa sentir dor para aprender a lição? – questionou firme, usando um tom alto e rouco para questionar, contudo não esperou uma resposta.

Os dedos soltaram o rosto de Yugyeom, que agora tinha os olhos arregalados e os lábios inchados levemente abertos. Jinyoung se levantou logo em seguida e retirou sua boxer por completo, deixando seu corpo exposto novamente. Caminhou até uma das pontas da beira da cama e segurou a corrente que mantinha Yugyeom preso, ao puxa-la mais um pedaço da corrente se soltou, fazendo com que os movimentos de Yugyeom fossem mais libertos.

Fez o mesmo do outro lado e voltou a olhar para Yugyeom que estava sentado em seus próprios calcanhares, fazendo de tudo para que sua bunda não tocasse o colchão e consequentemente o vibrador entrasse ainda mais em si. Afinal, ele ainda estava sendo preenchido, contudo como não haviam movimentos ali, sua excitação tinha diminuído levemente.

- Fique de quatro Yugyeom. – ordenou Jinyoung enquanto levava seus dedos finos até os fios escuros os colocando para trás, sentindo-os levemente gelados por conta do banho que havia tomado.

O mais novo acatou prontamente, utilizando do pouco de liberdade à mais que tinha recebido para ficar apoiados pelos joelhos e mãos no colchão. A posição fez com que o vibrador escorregasse mais para dentro de si, contudo não emitiu som algum, ele sentia que Jinyoung estava ainda mais irritado pela falta de palavras que tivera.

Enquanto Yugyeom se ajeitava lentamente Jinyoung ia até o armário novamente, de lá pegou uma pequena cinta com a ponta feita de couro. Analisou o objeto e logo em seguida pegou uma pequena caixinha preta também. Voltou para a cama com as duas coisas na mão, porém nem ao menos olhando diretamente para Yugyeom, que já estava na posição correta.

O moreno deixou a caixinha no criado mudo e então ficou por trás do mais novo, apoiado em seus joelhos e enfim tendo a deliciosa visão da parte traseira do namorado. Com o objeto azul completamente enterrado em seu canal e com as nádegas ainda branquinhas. Ainda tinha em sua mão a pequena cinta e sem mais demoras a fez chocar contra a nádega direita de Yugyeom, causando um estalo alto e consequentemente também, fazendo o garoto soltar um grunhido de dor.

Yugyeom gostava de levar tapas em sua bunda, mas gostava apenas quando Jinyoung o fazia com as próprias mãos, ter aquele objeto gelado indo contra sua pele era desagradável e dolorido. Mas, afinal, Jinyoung não queria realmente agradar o garoto, queria apenas causar dor. A cinta bateu novamente contra a mesma nádega, fazendo reverberar o som estalado e o gemido rouco do mais novo. As batidas foram em sequencia, cinco de cada lado e no final, Yugyeom já tinha a pele leitosa completamente avermelhada. Os choramingos ainda eram presentes e o Kim não conseguira conter as lágrimas que preencheram seus olhos, contudo elas não escorreram até então.

Jinyoung deixou a cinta de lado e levou as mãos até a pele maltratada, sentindo a quentura que se instalava ali e fazendo Yugyeom se contorcer com o contato frio das palmas. Ele alisou cuidadosamente ali, sabia que o garoto não era acostumado àquilo e inclusive sabia que ele provavelmente estaria com os olhos marejados. Contudo não poderia parar. Após alisar por instantes, os dígitos começaram a apertar as bandas da bunda macia, sentindo a textura e a fartura que havia ali.

Depois lentamente o consolo foi retirado, lenta e dolorosamente. Quando finalmente Yugyeom estava liberto sentiu um estranho vazio, mas ao mesmo tempo um grande alívio. Porém o alívio durou pouco já que Jinyoung não demorou a colocar o apetrecho novamente, contudo agora envolto com sua saliva. O objeto entrou com facilidade, deslizando pelas paredes agora já lisas e indo fundo no canal do garoto, que obviamente soltava um gemido de surpresa.

O membro de Yugyeom pulsava dolorosamente, tendo aquela sonda o pressionando e uma vontade imensa de poder ter seu orgasmo lhe invadindo. Jinyoung maltratava sua entrada com o consolo, colocando-o para dentro e retirando em seguida, por diversas vezes. Quando ele finalmente parou por um instante, fora somente o suficiente para ele pegar a caixinha preta no criado-mudo e de lá tirar algumas bolinhas brilhantes. Dentro delas havia um tipo de gel estimulante, que quando em contato com o calor derretiam.

O Park colocou exatamente três bolinhas dentro de Yugyeom, logo depois colocando novamente o objeto azulado. As bolinhas derreteram e no mesmo instante Yugyeom sentiu um calor tremendo dentro de si, seu membro deu uma fisgada forte e um gemido sôfrego saiu pelos seus lábios. Todo seu interior fora preenchido com aquele líquido, líquido o qual, fez seu corpo todo praticamente acender, parecia que fogo corria por suas veias.

Então os movimentos voltaram, rápidos, insistentes e rítmicos, Yugyeom era fodido por um maldito consolo nas mãos da pessoa, na qual, ele realmente queria que o estivesse fodendo. Aquilo era agonizante, era delicioso, mas ainda completamente irritante, o mais novo não queria estar tão entregue assim à algo que não fosse o mais velho dentro de si, mas ele não tinha mais controle algum. Seu corpo respondia e seus gemidos simplesmente saiam, gritando palavrões, gritando por Jinyoung e gritando para que aquilo parasse, mas ao mesmo tempo gritando para que continuasse. Dentro do garoto só havia uma grande confusão de sentimentos.

Quando já se sentira satisfeito, Jinyoung retirou o consolo de dentro do amado, o deixando no canto e enfim fazendo algum outro tipo de movimento. Seu próprio membro estava completamente duro e necessitado, e obviamente ele não o negligenciaria. Os dedos percorreram a extensão com calma, sentindo o toque e as sensações que vinham com ele, era bom, mas com certeza o interior do Kim seria muito melhor.

A outra mão do moreno foi ate a guia da coleira que Yugyeom ainda usava, passou-a por cima dos ombros do moreno e o puxou para trás sem ser muito bruto, afinal o corpo do garoto estava completamente mole, praticamente jogado em cima do colchão com lençóis escuros. Yugyeom sentiu o puxão e foi indo para trás, apoiando-se nos joelhos e se sentando com as costas bem à frente de Jinyoung. Sua cabeça estava pendendo para frente, sentia seu corpo extasiado e sem forças. A bochecha agora tinha os rastros das lágrimas que soltara e os cabelos estavam ainda mais emaranhados.

Jinyoung via o estado do garoto e entendia, sabia o quanto aquelas bolinhas afetavam o corpo das pessoas e exatamente por isso que havia as usado. Com um dos braços, o qual antes tinha a mão segurando seu próprio falo, ele envolveu Yugyeom o trazendo para mais perto. Os corpos se chocaram e enfim Yugyeom sentiu o membro rijo do Park, batendo contras costas. As pernas de Jinyoung estavam um pouco mais fechadas, Yugyeom, ao contrario, as tinha abertas para se sustentar e assim eles se encaixaram, com o moreno entre as pernas longas do mais novo.

A cabeça do Kim estava pendida para trás, consequentemente se apoiando no ombro de Jinyoung que o olhou atentamente. A expressão era agora calma, mas estava evidente o quanto se sentia cansado, contudo seu membro ainda pulsava e seu sangue ainda corria como louco por suas veias. Jinyoung levou seus lábios até o pescoço alheio, sentindo o gosto do suor eminente se misturando com sua própria pele e logo depois com sua saliva, pois não resistiu em passar o músculo quente por ali mesmo. Dando uma mordida logo em seguida e alisando a cintura do mais novo, acariciando a pele cálida.

- Será que agora você está aprendendo Yeonnie? – sussurrou carinhosamente, contudo ainda com o seu fundo de sarcasmo, um fundo, inclusive, que Yugyeom sentia muito bem.

Porém novamente ele não tivera tempo algum para responder algo, seu corpo recebeu um tranco o puxando para cima e o membro de Jinyoung se encaixou perfeitamente entre as nádegas avermelhadas. O Park segurava bem o namorado em seus braços, e aos poucos deixou que o corpo descesse, fazendo com que seu membro entrasse lentamente pelas paredes, que agora eram ainda mais esticadas, já que o falo era bem maior que o objeto anterior. Yugyeom abriu a boca, dando um grito mudo já que nem para isso tinha forças mais. Quando finalmente o membro teso de Jinyoung estava completamente envolto pelas paredes quentes e apertadas, ele sussurrou contra o ouvido do mais novo.

- Não quer me mostrar como você é devoto Yeonnie? Dê prazer para o seu dono.

E fora o que Yugyeom vez, reunindo todas as suas últimas forças e juntando-as com sua força de vontade em agradar Jinyoung, ele se moveu. Utilizando seus músculos da coxa para subir seu corpo lentamente, sentindo o membro o Park deslizando em seu interior, o esticando cada vez mais. Logo após descendo novamente, primeiramente, de forma lenta, deixando que seu corpo descesse e fizesse pressão contra as pernas de Jinyoung, e inclusive, fazendo seu ponto mais sensível ser tocado.

O gemido foi languido, mas ainda assim, longo e manhoso o suficiente para fazer os pelos de Jinyoung se eriçarem, fazendo-o sentir ainda mais excitação no curto movimento do mais novo. Afinal, mesmo que o Park se mantivesse calmo e tranquilo em seu interior ele estava em estado de torpor, com a excitação em nível altíssimo, já que Yugyeom conseguia excita-lo de uma forma inimaginável.

As mãos do moreno foram até a cintura de Yugyeom, segurando o corpo do garoto enquanto o mesmo ainda se acostumava com os movimentos. Quando Yugyeom já havia se acostumado, seu corpo subia e descia rapidamente, fazendo o falo lhe atingir diversas vezes à próstata, o ponto que lhe fazia gemer alto de prazer, que fazia seu membro latejar e chegar a doer de tamanha vontade que ele tinha de expelir o sêmen. Contudo Jinyoung, mesmo que soltasse grunhidos de puro prazer, ainda não havia mandado-o parar, Yugyeom teria de resistir.

Resistir mesmo quando os dedos habilidosos de seu amado foram até seus mamilos, beliscando-os lentamente, os roçando entre os dedos finos, e consequentemente fazendo o menor entrar em um estado de completo êxtase, movendo-se apenas por impulso, deixando-se levar mesmo que seu ápice ainda não fosse possível.

As mãos de Yugyeom seguravam-se em suas coxas, assim tendo mais sucesso em seus movimentos, mas aos poucos as forças lhe faltavam e quando elas iriam finalmente fazerem com que ele caísse, Jinyoung lhe segurou com força, fazendo-o parar instantaneamente. Os dedos finos percorreram todo o tronco de Yugyeom, apalpando a pele já avermelhada pelo calor e pelos toques variados que recebera durante o ato. Segurou o rosto o garoto com certa delicadeza, deixando-o de lado para enfim findar o primeiro beijo mais profundo.

A língua quente e molhada de Jinyoung adentrou a cavidade bucal do Kim, buscando a língua alheia rapidamente e iniciando um beijo intenso. Yugyeom não demorou em corresponder, deixando que o gosto já conhecido e amado lhe invadisse e lhe ditasse os movimentos. O beijo era carregado de desejos, mas ao mesmo tempo de sentimentos, Yugyeom beijava com paixão e sentia a mesma paixão vinda de Jinyoung.

Contudo o beijo não durou tanto quanto o garoto gostaria, pouco tempo depois já sentira seu lábio ser mordido com certa força, fazendo o mesmo doer levemente. Porém não se importou, até porque seu corpo foi empurrado para frente. Jinyoung ficou novamente de joelhos e ainda sem retirar seu membro do interior do Kim deixou o mesmo de quatro novamente. Com os joelhos e braços trêmulos ainda tendo que sustentá-lo.

- Você fica tão lindo quando está assim Yeonnie... – Jinyoung deixou as palavras dançarem pelos seus lábios, usando um tom luxurioso e calmo. Com os dedos deslizando pelas costas de Yugyeom, sentindo a pele macia e ao mesmo tempo segurando ao lado a guia da coleira. – Tão excitado, tão necessitado... mas o que você quer realmente, hm? Porque não me diz? – provocou, puxando levemente a guia para fazer a cabeça do mais novo ficar mais para cima, fazendo Yugyeom soltar um grunhido sôfrego.

Jinyoung queria que ele pedisse, ou até mesmo que implorasse. Yugyeom tinha completa noção disso, mesmo que sua mente estivesse turva em prazer, mesmo que quase não conseguisse pensar direito. Ele sabia o que seu amado mais queria, e ele daria, ele daria qualquer coisa.

- Quero você, quero meu dono, meu Jinyoung... – iniciou, tentando fazer com que sua voz não fosse tão esganiçada e manhosa. – Quero você me fodendo.

Com o aparente final da frase de Yugyeom, o moreno não hesitou e nem ao menos pensou em hesitar. Seus movimentos voltaram e a felação foi iniciada, com movimentos ritmados, acelerados e certeiros, certeiros, pois Jinyoung jamais recusaria um pedido tão sôfrego, jamais deixaria de acertar no ponto que Yugyeom tanto queria.

O corpo do Kim ia para frente e voltava para trás, as mãos seguravam o quadril do mais novo com afinco, tão forte que a marca dos dedos ficavam ali avermelhadas na pele leitosa. Jinyoung investia de forma levemente bruta contra a entrada ainda apertada de Yugyeom, sentindo todo seu corpo tremer pela excitação. Era quente, apertado e deliciosamente gostoso de sentir, Yugyeom era perfeito. Mesmo que seu corpo estivesse quase ao ponto de cair, ele ainda gemia alto, chamava por Jinyoung, clamava por mais velocidade ou por mais força.

O Park não poderia se sentir mais satisfeito, podendo ver seu pequeno tão entregue, tão quente, lhe chamando e sentindo tanto prazer somente por abrigar seu membro teso. Uma das mãos ainda segurava o quadril esguio, enquanto a outra deslizava os dígitos pela pele cálida, sentindo como o outro se arrepiava com o toque mais frio, estremecendo conforme o toque ia subindo, até chegar entre os cabelos já umedecidos pelo suor.

O corpo de Jinyoung se aproximou mais do de Yugyeom, levando seus lábios para o ombro, depositando ali alguns beijos lentos e mordidas fracas, como se quisesse provocar mais ainda a pouca sanidade que o garoto poderia ter. O falo deslizando para dentro do corpo do Kim não parava, lhe atingindo a próstata diversas vezes, fazendo o mais novo sentir seus olhos lacrimejarem e seus lábios dormentes de tanto que haviam sido maltratados. E o contato singelo dos lábios de Jinyoung em seus ombros só o fazia ficar ainda pior, causando-lhe arrepios fortes.

- Jin-Jinyoung hyung... por favor... – uma breve pausa foi dada pelo Kim, para que respirasse um pouco e tentasse continuar sua frase. – N-Não aguento... ma-mais... dói... – a voz do garoto era tão manhosa e sôfrega que Jinyoung quis mesmo aconchega-lo, mas ainda não poderia. Contudo impressionou-se ao ouvir as próximas palavras vindas do mais novo. – Eu ju-juro que... nunca mais vou... ir embora, ou te deixar... E-Eu juro! – os movimentos de Jinyoung foram desacelerando gradativamente conforme ele ouvia aquelas palavras que tanto queria ouvir. – Juro... po-porque eu te amo de-demais.

Quando Yugyeom terminou de falar aquelas palavras tão bonitas Jinyoung já havia parado completamente, mas ainda com seu membro dentro do interior do Kim. Um sorriso suave adornou os lábios cheios e avermelhados, os fios escuros grudavam na testa levemente suada e Jinyoung sentia um conforto cada vez maior. Foi afastando seu corpo lentamente, retirando-se do interior do mais novo.

Ao se ver mais livre, Yugyeom rapidamente se sentou apoiando-se nas próprias pernas, completamente cansado e, ainda, excitado. Sentindo seu membro latejar e sua mente aos poucos voltar à mesma órbita que deveria ficar. Contudo quando achou que poderia respirar melhor, sentiu seu queixo sendo erguido pelos dedos finos de Jinyoung. Seu olhar foi de encontro com o do mais velho e logo depois eles se fecharam, sendo tomados por um beijo calmo, com Jinyoung lhe acariciando a língua lentamente e explorando sua cavidade sem pressa.

O beijo foi sendo finalizado lentamente, com Jinyoung ainda acariciando a língua alheia e com Yugyeom suspirando entre os lábios cheios do outro. Quando os olhos se abriram novamente, o Kim presenciou um lindo sorriso vindo do namorado, sorriso que só via em momentos mesmo especiais. Seu coração acelerou automaticamente, sentindo todo seu corpo tremelicar também, e tudo só piorou quando, Jinyoung já sentado à sua frente, levou as mãos até seu membro ainda rígido.

Os olhos do mais novo ficaram focados nos movimentos de Jinyoung, observando atentamente enquanto ele delicadamente retirava a sonda de sua fenda tão sensível. Uns grunhidos foram inevitáveis, a sensação de estar finalmente liberto foi indescritível e logo depois um gemido manhoso saiu pela garganta do mais novo, já que o Park havia assoprado aquela região, e com o arsinho frio tocando sua pele quente, Yugyeom não conteu o gemido.

- Espero que nunca quebre este juramento. – a voz tão calma e conhecida preencheu os ouvidos de Yugyeom, fazendo-o, agora, prestar toda a sua atenção no mais velho, olhando-o nos olhos e maneando a cabeça positivamente.

- Eu vou hyung... não consigo ficar longe de você... mesmo nesta última semana eu já não aguentava mais... – confessou o garoto, olhando para o colchão entre suas pernas e sentindo suas bochechas mais e mais quentes, só que agora, por conta da vergonha que sentia em dizer aquelas coisas.

Jinyoung não disse mais nada, deslizando seus dedos pelos cabelos do outro, acariciando o couro cabeludo e sentindo a maciez entre os dedos. Ainda sem dizer nada se aproximou de Yugyeom, com as pernas abertas sentou no colo do Kim, que lhe olhou assustado, estranhando a aproximação, além de repentina, estranha. Pois Jinyoung tinha cada uma de suas pernas de um lado do quadril do mais novo, deixando suas nádegas fartas bem apoiadas nas coxas definidas.

Tudo ficou ainda mais diferente quando Jinyoung pegou uma das mãos de Yugyeom e o libertou, deixando que o mesmo se apoiasse com elas no colchão já que estava sentado.  E finalizando o contato envolveu o pescoço do Kim com os braços, deixando-os ainda mais próximos. Yugyeom não sabia o que pensar com aquilo e muito menos sabia como deveria agir, então apenas observou o que seu amado iria fazer.

Contudo nada o prepararia para sentir o que sentiu. Após um pequeno movimento de Jinyoung para cima, Yugyeom sentiu um aperto em seu membro. O mais velho estava investindo o próprio corpo conta o falo teso de Yugyeom, deixando suas pregas apertadas esmagarem o mais novo de uma forma incrível. E tão incrível que Yugyeom simplesmente não conseguiu soltar algum gemido que fizesse jus ao que sentia, era quente, apertado, delicioso, entorpecedor. Jinyoung não fazia coisas assim, não deixava que aquele lugar tão escondido fosse tocado, contudo naquele momento, havia aproveitado os líquidos pré-seminais que o corpo de Yugyeom expelia para finalmente lhe entregar seu próprio corpo.

Os dedos do Kim seguravam com força os lençóis, seus lábios estavam completamente inchados e levemente abertos por conta de tudo que sentia e quando finalmente teve toda sua extensão coberta, respirou fundo e abriu os olhos lentamente. A visão que tivera era de um Jinyoung de pupilas dilatadas, lábios vermelhos, cabelos levemente bagunçados e respiração descompassada. Ele estava lindo, lindo como sempre e mais lindo ainda por estar daquela maneira. Contudo ainda assim parecia levemente incomodado, mesmo que instantes depois seu corpo já estivesse se movendo, utilizando os ombros de Yugyeom como apoio.

Mas Yugyeom estava sensível, tanto tempo tendo estímulos e tanto tempo sem poder ter seu orgasmo fizeram com que o mais novo não aguentasse muito daquilo. O interior apertado lhe pressionando, os grunhidos do moreno misturados com seus gemidos, o calor dentro do quarto, tudo ajudou para que seu orgasmo viesse rapidamente e com força. Sua mão foi rapidamente até a coxa de Jinyoung, lhe apertando entre os dedos e por fim soltando um sussurro, que aparentemente fora muito difícil de ser pronunciado.

- Não aguento hyung... eu vou gozar... você... – os lábios delineados deixaram sair, indo de encontro com a pele cálida de Jinyoung que mantinha seu rosto bem ao lado do outro.

Nenhum segundo a menos se passou e Yugyeom finalmente teve seu ápice, deixando todo seu sêmen acumulado sair pela sua fenda, preenchendo todo o interior do corpo de Jinyoung. Os jatos quentes duraram um tempo considerável e Yugyeom automaticamente ficou ainda mais mole, praticamente deitando seu próprio corpo por cima de Jinyoung que ainda se mantinha em seu colo.

O moreno alisava os cabelos umedecidos, com o sorriso ainda adornando os lábios e um calor diferente dentro de si crescendo. Quando percebeu que a respiração do mais novo estava um pouco menos descompassada ou acelerada, foi saindo do colo do mesmo e se sentando logo ao lado, sentindo o líquido viscoso escorrer por entre suas nádegas. A sensação não era muito boa, já que obviamente, não gostava nada daquilo, mas seu membro ainda clamava por atenção e claro que não iria se aliviar sozinho.

Yugyeom estava deitado com a barriga para cima, a guia estava bem ao seu lado e o moreno não hesitou em puxa-la fazendo com que o mais novo se sentasse novamente e ainda por cima fosse para cima do corpo de Jinyoung. O mais velho levou a mão até os cabelos macios e segurou o garoto com firmeza, levando o rosto do mesmo até sua virilha, lhe expondo o falo rígido.

- Não vai me deixar assim, não é, Yugyeom? – questionou deixando seu tom mais ríspido voltar à sua voz.

Yugyeom acatou de pronto, levando sua mão até o membro de Jinyoung e o levando diretamente até seus lábios maltratados e vermelhos. Seu corpo agora permanecia praticamente de quatro e o Park de joelhos, tendo seu membro entre os lábios delineados. Yugyeom chupou o falo com afinco, ouvindo os grunhidos de prazer do amado e palavras de incentivo. Seu corpo estava cansado, contudo nada faria sentido se Jinyoung não tivesse seu prazer também.

A língua afoita deslizava pela extensão rija, sentindo o gosto levemente amargo e as veias protuberantes pulsarem. As chupadas eram longas, com estalos ao serem finalizadas com os lábios se chocando ao se desvencilharem do membro alheio. A masturbação vinha em seguida e eram nestes momentos que o olhar entregue de Yugyeom ia até Jinyoung, lhe encarando com desejo, lhe incentivando a deixar o orgasmo vir. Fato que não demorou tanto assim.

Jinyoung segurava a base de seu membro enquanto Yugyeom tinha a língua para fora em submissão, deixando que o outro lhe batesse com o pênis duro, não só no músculo molhado quanto nas bochechas e nos lábios. Contudo quando o Park sentiu que finalmente teria seu orgasmo, ordenou.

- Chupe.

Yugyeom o fez, sentindo seus fios serem ainda mais puxados e logo em seguida o primeiro jato veio de encontro com sua língua. A boca se abriu e a mão do moreno mantinha a glande na direção do rosto de Yugyeom, fazendo por consequência que todo seu sêmen jorrasse contra a pele leitosa das bochechas e os lábios inchados e avermelhados.

A visão era incrivelmente excitante, de Yugyeom com a língua para fora, tendo a mesma quase toda esbranquiçada, enquanto parte de suas bochechas e queixo também haviam recebido do líquido viscoso. Jinyoung sentou nas próprias pernas e viu Yugyeom se deitar novamente, ainda muito cansado. Enquanto o mais novo tratava de limpar o próprio rosto, recolhendo todo o sêmen e o engolindo logo em seguida. Os dedos foram até os cabelos já não tão molhados os colocando para trás e por fim indo até o mais novo.

Sentou-se com as costas apoiadas na cabeceira e Yugyeom automaticamente foi até suas pernas, apoiando o rosto já limpo na coxa do Park e permanecendo ali com os olhos fechados e com a respiração acelerada. Recebendo afagos carinhosos findos do Park enquanto seu corpo ia se acalmando. Jinyoung apenas observava o mais novo, refletindo como conseguia ficar tão feliz com alguém tão simples, pois Yugyeom era simples, sorria quando feliz, chorava quando triste e quando irritado fugia. E mesmo que aquele garoto trouxesse tantos problemas ele ainda assim era aquele que lhe deixava mais feliz, com o coração batendo rápido apenas com um olhar e com o corpo quente apenas com um toque.

Kim Yugyeom era sua calma, sua tranquilidade, sua maior paixão.

- Por que fez isso hyung? – a voz ainda cansada fez com que Jinyoung voltasse seu olhar para o garoto ainda de olhos fechados. Yugyeom não pôde ver, os olhos do moreno se reviraram, mas suas bochechas também coraram levemente.

- Nunca mais duvide dos meus sentimentos.

Fora a única coisa que Jinyoung disse, contudo foi o suficiente para que Yugyeom soubesse que tudo poderia ficar bem. Mesmo que Jinyoung fosse tão sério e muitas vezes sádico ele ainda o amava e mesmo que o mais novo tentasse não ver isso por conta das atitudes mais cruéis, ele ainda sentia em cada toque mais simples, em cada beijo mais calmo e em cada carícia mais suave, como aquela que recebia naquele momento e como todas as que recebia nas manhãs que era acordado pelo moreno, e em todas as manhãs que novamente receberia.

Porque Jinyoung era sua perdição, sua maldição, sua maior paixão.

 

 

 


Notas Finais


Geeeentee me desculpem mesmo pela quantidade absurda de palavras kkk Espero que no fim tudo tenha valido a pena kkkk Antes de qualquer coisa, vou colocar alguns links aqui, das imagens.

Plug usado no Yugyeom: http://g01.a.alicdn.com/kf/HTB1yRRVHVXXXXX1XFXXq6xXFXXXy/Chrome-plated-Crystal-Jewelry-Metal-Wedge-Anal-Sex-Toys-Anal-Plug-Butt-Plug-Size-100X37mm-Adult.jpg
Coleira: https://http2.mlstatic.com/kit-bondage-9-chicote-algemas-gag-venda-coleira-corda-bdsm-D_NQ_NP_600721-MLB20835836675_072016-F.jpg
Pulseiras/algemas: https://http2.mlstatic.com/algemas-regulaveis-couro-pelucia-sadomasoquismo-bdsm-D_NQ_NP_556111-MLB20475573779_112015-F.jpg

Espero q isso ajude voces a imaginar as coisas ewe kkkk

E então pessoal o que vocês acharam dessa reconciliação com direito a punição bem bdsm ? ewe Eu tentei ao máximo deixar tudo bem dinâmico e ficou tao dinâmico que ficou enorme kkk Mas espero que nao tenha ficado tão cansativo e q mesmo com a reviravolta no fim, tenha ficado bom do mesmo jeito.
A vdd é q eu queria mostrar que mesmo em uma relação mais severa como as relações no bdsm, ainda existe o amor e a compreensão, pq realmente existe e bdsm não serve só para aqueles que querem abusar do passivo sem qualquer julgamento, não é um 50 tons de cinza da vida [apesar de haver alguma semelhanças aqui ;-;], não é como de o dominante nao tivesse sentimento e coisas assim. Enfim, espero que tenham gostado e espero que perdoem minha grande demora kkkkkkrindo de nervoso mesmo.

E é isso ai, nos vemos na minha próxima fic u.u
Jya nee o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...