História Dançar e Brincar… É só esperar! [BTS - Jungkook] - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 79
Palavras 1.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI! TERÁ ATUALIZAÇÃO DUPLA HOJE!

Espero que gostem! Boa leitura!

Capítulo 23 - Capítulo 21 (Part.I) - Se eu não lembro, nada aconteceu!


Estela. - Dia seguinte.



Acorda, praga, já é de manhã.


— Bom dia pra você também, Godofredo… — reclamei ainda com os olhos fechados.


Acorda pra cuspir! Levanta garota! O dia está lindo!


Dei um gritinho de preguiça e me contorci na cama, para me espreguiçar. Sentei na cama e peguei meus óculos.


— É… parece que o dia ta bonito mesmo. — encarei a janela e percebi que o dia estava ensolarado, com poucas nuvens no céu.


Me levantei da cama, indo em direção ao banheiro para me trocar e fazer a higiene pessoal. Saí do banheiro e coloquei a minha maravilhosa saia de galáxia com a minha blusa baby look branca, que tinha a inscrição:


Play with Faires

Ride a Unicorn

Swim with Mermaids

Fly to the Moon.


Que significava, brinque com fadas, monte um unicórnio, nade com sereias e voe para a lua.


— Bom dia, jagi (querida).


— Bom dia… — passei rápido para pegar o remédio de dor de cabeça. — Jagi? Eu tô ficando louca, só pode.


Jungkook se aproximou de mim e ficou me olhando de um jeito esquisito.



Ok… O que aconteceu aqui?


— Você tá bem? Tô com alguma coisa esquisita na minha cara?


— Não. Estou só te olhando, lagartixa. — desviou o olhar pra outro canto.


Fechei a cara e dei as costas pra ele, pegando a infeliz dipirona. Bebi água com o gosto horrível do remédio e fiz uma careta.



Odeio essa coisa. — resmunguei em português.


— Bom dia família! — Taehyung gritou entrando na sala, junto com os outros meninos do BTS.


— Bom dia… — resmunguei. — Onde tá a Clara?


— Eu acho que vi ela deitada na mesa da piscina. — Mark falou entrando na sala, com a mão atrás da cabeça, coçando a nuca. — Bom dia, gente.



Fui para a varanda de casa para gritar por Clara. Puxei o ar e o segurei quando vi Jackson se aproximando dela.



Awwwn que amorzinho! Shippo muito!



Continuei observando os dois em silêncio. Vi quando ele sorriu a chamando e quando ela retribuiu o sorriso, ela se sentou em cima da mesa, endireitando o corpo e ele se sentou ao seu lado.



— Estela! Eu…


— Cala boca! — sussurrei brava e empurrei a pessoa na parede, tampando sua boca com a mão.


Ouvi Clara dando uma gargalhada e sorri vendo o jeito que Jackson olhava pra ela.



QUE BONITINHO!  AI GENTE! Virei diabético depois disso!


Eu virei também! Estou morrendo!


Sim! Lembra de quando ela nos contou sobre o que aconteceu entre os dois?!


Sim, sim! Você acha que ele se lembra?


Olha…



— AI MEU DEUS! — ouvi Taehyung gritando e olhei pra o lado.


— Você tem problemas?


— VOCÊS DOIS ESTÃO NUMA CASA DE FAMÍLIA! JIMIN AINDA É UMA CRIANÇA, MAIS RESPEITO POR FAVOR! — TaeTae continuo gritando.


— Amigo, você tem probleminhas...


Mas do que ele tá falando?


De repente eu sinto mãos apertarem a minha cintura e lábios sorrindo contra a minha mão. Olhei para frente percebendo que eu e Jungkook estávamos muito próximos.


Ele tinha as suas mãos em minha cintura, me puxando para perto, e a cabeça estava levemente inclinada para baixo, me encarando com um olhar travesso.


Minha mão esquerda estava tampando sua boca, enquanto a direita segurava sua blusa e o empurrava na parede.


Para quem visse de fora, era uma típica cena de anime Shoujo. Os meninos começaram a chegar, espantados pelo barulho que Taehyung estava fazendo.



— AH DEMÔNIO! — gritei levando um susto e pulei pra trás.


— Foi você que me puxou… eu só vim te perguntar que horas vai ser o vôo.


— Eu não te puxei coisa nenhuma! — gritei colocando o dedo em sua cara.


— Puxou sim!


— Puxei não!


— Sim!


— Não!


— Sim, senhora!


— Não, senhor!


— Puxou não!


— PUXEI SIM! GAROTO IDIOTA!


— Vocês estão de prova! Viram que ela declarou que me puxou! — ele falou olhando para os meninos, que estavam contando dinheiro.


— Eu não… argh! Eu desisto de você!


— Casal, por favor, briguem mais baixo. Estamos tentando contar o dinheiro. — Suga falou concentrado.


— Dinheiro de que? — eu e Jungkook falamos juntos.


— Da aposta… — J-Hope falou.


— Que aposta?


— UMA APOSTA QUE EU GANHEI! — Jimin chegou gritando e pulando.


— Você só ganhou porque chegou próximo da data. Eles foram muito rápidos. — Jin falou emburrado.



— Data de quê, gente?!


— A data de quando vocês iriam começar a namorar. — Namjoon disse olhando para os amigos emburrados.


— Eu já falei que isso tá errado. Eles não começaram a namorar. — Clara entrou na varanda com Jackson, ele discretamente soltou a mão dela.



Discretamente para os outros não é?


Amigo, a gente tem que reunir os dois.


Sim! Virou missão de vida.



— É claro que eles começaram a namorar! — a voz do J-Hope me tirou do diálogo com o Godofredo.


— Epa, epa, epa! Quem começou a namorar quem? — falei irritada.


— Você e o Jungkook. Ontem, você não se lembra?


— Lembrar do que?


— Você estava bêbada. — Jungkook riu e se aproximou de mim, bagunçando o meu cabelo.



Flashes da noite passada me vieram à cabeça. Me lembrei da dança, das bebidas… do telefonema que eu fiz para o Jungkook. Tinha um homem bonitão me encarando na praia.



“— POR QUE VOCÊ É UM BURRO QUE NÃO PERCEBE QUE EU TE AMO!


Eu também amo você.




Que merda eu fiz?! Jesus! Eu não podia ter falado isso! Não mesmo. Isso não foi verdade!



— Você disse que me ama. — Jungkook sussurrou apenas para mim.



— Não, não falei nada! Não lembro de nada! Se eu não lembro, nada aconteceu. Não tem provas, a não ser o garoto lindo que tava me encarando na praia, mas eu não tenho o número dele! Queria mas não tenho! Se não tem provas, nada aconteceu! — disparei a negar tudo.


— Estela… Amanda, Júlia e Duda filmaram. — Clara disse e pegou o celular, procurando o vídeo. Quando encontrou, ela mostrou para todo mundo.


— Isso deve ser tudo Photoshop, entendeu? Essas coisas aí, que vocês que entendem de internet e tecnologia fazem. Atenção nada aconteceu bando de doido, eu hein, falar um negócio desse.


— Então você não lembra do beijo? Tem certeza? Quer que eu te lembre? — Jungkook falou se aproximando de mim.


— Não! Não encosta em mim! — corri para trás do BamBam, que ria com a cena.


BamBam me segurou pelos braços e me colocou de frente para o Jungkook.


— Seu traidorzinho, espero que você tenha consciência de que você está morto!


— Só estou te ajudando!


— Vai Jungkook! Vai Jungkook!


Um coro de idiotas começou a falar, sendo puxado pelo Suga. Jungkook se aproximou de mim cada vez mais e quando chegou bem perto de me beijar e gritei.


— Eu lembro! Eu lembro! Me larga, BamBam!


— TEMOS UMA ADMISSÃO, POVO! — Jackson e Yugyeon gritaram.


— Ou seja! Eu ganhei! — Jimin exclamou rindo.


— Isso não significa nada! — falei de braços cruzados. — Não vai ser uma coisinha dessas que vai me fazer namorar com um garoto. Além do fato de que o garoto tem que ser o mais lindo, mais incrível, mais famoso, mais poderoso e mais divoso o mundo; ele tem que fazer um pedido estelástico! Tem que ser incrível! A altura de uma mulher, uma menina tão incrível como eu.


Todos me encaravam calados, exceto a retardada da minha irmã, que ria da cena.


— Então não estamos namorando?


— Não mesmo. Primeiro você tem que me fazer um pedido decente.



[...]



Jungkook. - Dois meses depois. [Coreia do Sul]



— Você tem certeza de que isso vai dar certo? — Perguntei pela décima vez para minha futura cunhada.


— Sim, pode ter certeza. Ela vê esse filme desde que tinha 13 anos, pelo menos uma vez por mês.


— Ela é louca… — sorri enquanto andava pela escola abandonada.


— É sim, portanto, cuide muito bem dela. — Clara parou no meio do caminho, me encarando com um olhar muito ameaçador.


— Pode deixar!


— Acho que já está na hora de ir buscar ela. Vai lá que eu fico aqui organizando tudo. — Ela me empurrou para sair da escola.


— Não deixe o Jin comer toda a comida.


— Ele nem vai chegar perto. Anda logo!



Me despedi de todos com um aceno e corri até o carro do táxi que me esperava na porta da escola.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Vejo vocês no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...