História Dance for Me - Min Yoongi Hot - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 97
Palavras 3.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores! Desculpem pela demora, mas vocês sabem que quando eu demoro é por que eu estou preparando algo bem massa né?
então pronto!
Eu gostei bastante deste capitulo, e a musica consagrada dele é Happier- Ed Sheeran. e quando aparecer o aviso para vocês colocarem a musica ai vcs coloquem, por favor? vai ser bem importante esse momento. Eu trouxe o link direto para vocês baixarem e vai estar nas notas finais.

Não se esqueçam de comentar, pois mesmo doente pensei em algo bastante legal para esse capitulo, e quero saber se vocês estão gostando.
é isso, Boa leitura.

Capítulo 20 - Happier


‘’A minha semelhança com ela era bastante grande, os olhos negros, o cabelo, a pele, meu pai dizia que eu lembrava ela, que quando ele me viu a primeira vez, pensou ser uma réplica da minha mãe... Minha família era uma familia feliz, meus pais se conheceram na faculdade, namoraram por três anos e logo se casaram, sem ao menos trem construído uma casa, meus avós diziam que eles eram loucos. Depois d alguns anos tiveram eu, uma surpresa inesperada e jamais planejada... a única filha, que depois de alguns anos ficou só. E durante algumas horas... ficou vagueando pelas ondas.

Eu ainda me lembro do frio que foi estar nas águas geladas do mar, foi uma sensação que eu nunca pude esquecer, desde então, sempre que ia a praia, nunca deixei a água subir da cintura, a sensação era de morte, de novo. Como se tudo tivesse voltando, o sorriso da minha mãe, entrelaçada nos braços do meu pai, enquanto eu fui na borda sentir o vento o mar. Depois disso, desse sorriso, nunca tive outra despedida.’’

 

— Filha! – Minha mãe acordou-me ponto a mão na minha testa, fixando seus olhos negros em minha pele. – Tudo bem? – ela falou, mesmo sem entender nada.

—  Tudo... eu acho. Por que...

—  Você estava tendo um pesadelo... não se lembra? Bem, de toda forma. – ela se afastou de mim. – Você vai fazer algo de especial? – balancei a cabeça dizendo que não. - É certo que, você já tem vestidos ai... mas eu e seu pai conversamos e decidimos que iríamos comprar algumas coisas para você hoje...

—  Uau! Obrigada mãe! – puxei-a para um abraço, por um segundo esquecendo a única cena que me lembrava do tal pesadelo... Era terrível... e era sobre meus pais... o acidente do barco.

‘’Maldito Min Joon Suk’’ Guardei para mim essa maldição.

‘’Ele era quem havia levado meus pais, com certeza sabia que aquele passeio não seria bom, por causa das nuvens... Maldito!’’

Quando finalmente minha mãe saiu de dentro do quarto, eu pude me levantar, olhei no despertador de cabeceira, onze da manhã... no meu telefone, inúmeras mensagens das minhas amigas, e no grupo a sala.Ignorei-as caminhando para o banheiro com o celular em mãos, mal peguei minha escova de dentes e o celular tocou.

—  Ola!! – Channel falou alegre.

—  Olá! – falei colocando o celular entre a orelha e meu ombro, pegando a escova e a pasta.

—  Adivinha com quem seu ex vai! Acabei de descobrir por uma amiga.

—  Não quero saber! – disse colocando bruscamente a escova nos dentes e escovando.

—  Não quer mesmo saber?

—  Não Park Channel! – falei meio embolada com as palavras por causa da pasta de dente.

—  Ok... Vai com que cor hoje a noite?

—  Ainda não sei, vou escolher o vestido.

—  Quando escolher mande a foto! – ela falou em tom de cobrança.

— Tá mamãe! – enxuguei a boca após cuspir e lavar. – Tchau! – avisei desligando.

Se eu estava curiosa sobre o Min Yoongi? Estava, e muito. Mas não queria demonstrar. Nem pra a Channel, que mais me conhecia.

Meio dia, Uma calça destroyed, uma blusa cinza de grife. Um relógio Chanel, e um óculos escuros. Look completo.

‘’Ah, faltou o batom.’’ Pensei voltando direto a minha penteadeira e passando um batom nude, bastante discreto enquanto meus pais resmungavam besteiras pra que eu descesse logo para termos mais tempo para as compras. Saímos de casa em busca de uma loja ‘’decente’’ de acordo com meu pai, rodamos várias lojas, e vi, provei, diversos vestidos... até chega numa loja da cidade, escondida por alguns becos atrás de uma praça. A loja era bastante estilosa. E lá eu achei um que me serviu, não só em tamanho como em gosto. E eu decidi a cor, ia ser preto. Meu lindo vestido era preto, tomara que caia, longo com causa sereia trabalhada em transparência, coisa que aparecia também na cintura. Me deixava elegante sexy.

Minha mãe, boa, e sem igual, ao perceber brincos que também estavam a venda, decidiu comprar um par, um par triangular preto, grande, era um preto verniz no triangulo suspenso, e a parte que pendia na orelha, um circulo coberto por pedras brilhantes.

Finalizamos as compras, e já mortos de fome, no carro, meu pai entusiasmado resolveu ir conosco á uma lanchonete das ruas e comprar algumas besteiras mega matadoras, com dizem os médicos.

Enfim, chegamos em casa, 14;00 horas, mortos, os pés doendo, mas com uma sacola linda em mãos.

18:00

Depois de horas conversando sobre nossa futura noite, as meninas e eu combinamos o local onde nos encontraríamos, eu estava me aprontando, terminando a maquiagem trabalhada no preto e glitter. Com um destaque em um batom vermelho escarlate. Os sapatos, eram saltos vermelho da mesma cor do batom. O vestido coube certo no meu corpo... marcava cada detalhe especial em mim. Eu estava nervosa, por vezes olhei o chat do Min Yoongi, ele não entrava há uma hora no Whatsapp. Ás 18:40 desci do meu quarto, meus pai abraçados na sala, assistindo Tv, arregalaram os olhos quando me viram descer.

—  Uau! Quem é a borboleta que saiu do casulo? – meu pai falou se levantando, reparei uma caixa branca de tamanho pequeno nas mãos de minha mãe, que se levantou e seguiu em minha direção.

—  Você está Linda meu amor! – minha mãe olhou para mim de cima abaixo. Isto é para você. – falou ela me entregando a caixa branca. Dentro dela havia uma rosa de pulso, comum entre estudantes. – Ganhei da minha mãe, e agora estou repassando para você. – ela sorriu abrindo a caixa para mim e envolvendo a pulseira no meu pulso.

18:45.

Eu estava sentada no terraço, esperando meu príncipe encantado chegar, olhei no relógio, 18:45...

—  Senhorita Katterine! A senhorita vai vir se apresentar ou quer que eu suba até seu quarto? – Ele me viu e sorriu, de pé, com um buque de flores nas mãos e envolvido num paletó, quando a voz do Jimin ressoou até mim, meus pais logo saíram para a porta.

—  Aish que escândalo! – sorri para ele pegando minha bolsa e me levantando.

—  Você veio a pé? – meu pai perguntou enquanto me acompanhava até ele, sempre superprotetor.

—  Não... estou esperando há dez minutos.... o carro está mais em baixo. – assim que cheguei ao portão pude avistar. – Não foi fácil convencer meu pai a me deixar tomar conta essa belezinha mas vale. – ele disse apontando pra uma BMW branca.

—  UAU! – sorri para ele.

—  Cuide bem da minha menina! – ele sorriu, e jimin fez um cumprimento em continência.

Assim que atravessei o portão baixo, ele ergueu as flores para mim, eram rosas vermelhas gigantes, envoltas num papel branco.

—  Obrigada.  – sorri, ele sorriu também.

—  Vamos... – ele disse pegando na minha mão, sem pudor algum, e me levando pacientemente até o carro. Mal entrei na BMW e já me surpreendi, no largo porta-luvas, uma garrafa de champanhe, champanhe caro.  Ele entrou logo depois de fechar minha porta.

—  Gostou? – ele perguntou enquanto dava partida no carro, vendo meu olhar surpreso para o champanhe.

—  Amei, mas por que está fazendo isso por uma festa que nem é sua?

—  Por que se você estiver feliz eu estarei. – ele em um impulso jogou seu corpo quase que contra o meu, fazendo nossas respirações se tocarem, e ele deve ter percebido a vermelhidão do meu rosto e sorriu bobo. – O sinto de segurança. – ele se afastou e o atacou para mim.

—  A-Ah, obrigada. -  tossi para limpara  garganta.

 

Assim que chegamos á frente da Juliard’s, as meninas que me esperavam no local combinando do estacionamento  estavam em circulo, cada uma com seus pares. Descemos do carro, eu e Jimin, ele veio até mim, e me olhou de perto.

—  Você é uma deusa em pessoa Katterine. – ele sorriu. – e como vai seu real súdito? Rainha.

—  Cala a boca Jimin! – disse rindo. – súdito nada! Você é além de meu primo, um dos meus melhores amigos.  E você está lindo. – ajeitei o cabelo dele, fio por fio. – Pronto. Disse-me virando para as meninas.

— Uau! Vocês realmente combinam! - Emmy se atreveu primeiro.  Jimin curvou a cabeça agradecendo.

—  Park Jimin. – ele se apresentou.

—  Nome bonito. – Channel disse, e Talita concordou coma  cabeça.

—  Vamos entrar e curtir? – Talita perguntou.

—  Vamos! A noite é nossa pessoal! – Channel anunciou.

 

O som da festa já ressoava alto, o baile reunia alguns convidados especiais, os ex alunos, e seus pares,era incrível como 70 coreanos podiam animar tanto um lugar. Sentamos eu e as meninas, cada uma com seus pares numa mesa recuada do palco, um lugar mais distante... Eu sequer conseguia parar de olhar para a porta.

—  Bebida? – O garçom ofereceu, peguei uma mistura de lima com vodka.

—  Uau! Essa noona tem coragem. – um dos pares riu, estava escuro então se tornava difícil ver quem era, ainda mais por que nunca tinha visto antes.

—  É só para começar. – ergui o copo e todos nós brindamos a noite.

Depois de trinta minutos, as meninas toas se retiraram, a musica alta, eletrônica, fazia a cabeça de todos que dançavam ardentemente. Algumas meninas que inda chegavam, me cumprimentavam e iam ao bar. Assim que vi o relance de Min Yoongi beirar a porta meu coração acelerou, engoli seco, ele deu o braço para uma moça de cabelos negros, longos e lisos, o vestido vermelho escarlate longo e a pulseira de diamantes no braço denunciavam que ela era abastada.

—  É ele? – Jimin pronunciou dando um gole na sua bebida rosa.

—  Quem é o que?

—  Aquele é Min Yoongi? – ele apontou um dedo e logo abaixou, levantei o olhar lentamente, torcendo para todos os deuses que ele não olhasse para o fundo do salão de festas. Ele olhou. Um olhar certeiro e demorado para mim, me fazendo ficar totalmente desconfortável, mas depois a mulher ao lado dele, quase que literalmente o arrastou para uma mesa vazia.

—  é. – respondi quase como num sussurro, mas ele pareceu ouvir bem o que eu dizia. Abaixei a cabeça e observei meu copo vazio. – vou pegar mais. – me levantei tentando desviar os olhos do Jimin, mas assim que levantei ele puxou meu braço.

—  Se, se sentir desconfortável, me diga. – assim que terminou de falar, soltou meu pulso e eu acenei que sim com a cabeça.

 

Fui direto ao bar, me sentando num dos assentos e sorrindo para o barman.

—  Seu pedido? – ele sorriu de volta colocando um copo em cima do balcão.

—  algo forte.

—  o quanto forte?

—  bastante forte. – Ele sorriu ao me ver dizer isso. Arecia bvem novo para trabalhar em bufes.

—  sempre foi de Seul? – ele falava tentando vencer o som alto que vinha o palco, o cabelo cortado como americano, uma tatuagem de uma águia no pulso esquerdo e um sorriso bonito no rosto.

—  Sim. – ele foi rápido, logo o copo estava sobre minha mesa. Levei-o até a boca e provei, o gosto era amargo, doce, cítrico, e descia quente pelas minhas entranhas. – o que tem aqui? – disse após um gole e uma cara feia.

—  é um combo que o bufe não oferece. – ele se aproximou sussurrando para mim. Sorri de volta e dei outro gole fazendo uma careta. Motivo de riso pra ele.

—  Um desses seu combo não disponibilizado no bufe. – a voz conhecida chegou até meu lado, era Min Yoongi, sentado no assento ao meu lado, desatacando  o paletó negro.

—  Ahn, senhor, não disponibilizamos esse tipo e combo aqui, NE sabemos do que o senhor está falando. – eu sorri para o barman, que olhou de volta.

—  Eu também não sei. – Dei uma risada baixa.

—  Agora você flerta com barmans pra ganhar bebidas não cardapeadas? – ele me alfinetou, logo meu rosto queimou.

—  Agora você dorme com ricaças pra ganhar joias? – me levantei brutamente da cadeira tomando meu copo nas mãos.

—  Eu durmo com quem eu quero.

—  E eu flerto com quem eu quero. – fechei o rosto para ele, mas fiz de propósito um sorriso para o barman ainda de nome desconhecido que me olhava atenta enquanto limpava os copos que vinham para ele. – Katterine. – estendi a mão sorrindo para ele, ignorando o rancor que eu estava do Min Yoongi.

‘’Pelos deuses, esse garoto quer morrer?’’

—  Ho Bang Ah. – ele apertou minha mão, um rápido aperto de mãos.

—  Vou aproveitar. – levantei o copo e ele acenou com a cabeça.

Assim que cheguei na mesa, Jimin disfarçou o olhar que ele jogou sobre mim o tempo em que estive lá.

—  Vamos dançar? – perguntei fingindo uma alegria.

—  Tudo bem? – ele perguntou se levantando.

—  Claro... – sorri deixando o copo  na mesa. Peguei a mão do jimin e o arrastei para  pista de dança. Tocava uma musica agitada, parei de tentar acha-lo na pequena multidão e me concentrar na minha noite.

Horas depois...

Depois de conversar um pouco em um canto com Chung Hee, conhecer a prima dele, que por conhecidencia quis conversar com Jimin, acho que no fundo, os dois se gostaram, pois foram dançar juntos. Eu, me distanciei um pouco, e pare para pensar, me isolando sozinha na mesa. Parei para ouvir atentamente o começo das musicas lentas tocarem, fechei meus olhos, tocava Love me like you do. Era uma musica bonita, alegre, mas que dava pra dançar juntos. Quando abri os olhos, prestes a pegar meu copo com a tal bebida forte e não cardapeada , no meu campo de visualização apareceu Min Yoongi, ele estava sentado ao meu lado, e eu mal percebi, pois estava em outro mundo, com os olhos cerrados.

—  Dance comigo. – ele foi direto, como sempre, sem desculpas, sem prévias... sem pudores.

 —  Por que eu deveria? – perguntei dando um gole na bebida.

—  Por que você quer. Por que você quer ouvir o que eu tenho a dizer.

—  E por que não quer dizer agora?

—  Por que eu sou assim, você sabe.

—  uma dança?

—  Só uma, dance comigo esta noite.

—  Eu não vou ceder, diga o que quer dizer agora, ou levante-se para ir embora e não chegue perto de mim nunca mais. – arrisquei que ele quisesse falar.

‘’ó céus, que ele queira falar, por que eu estou doida para ouvir. Mas não vou abrir mão, não desta vez.’’

— Eu estava com  ciúmes, No bar, e... aquela não é uma puta abastada com quem eu durmo. Ela é minha amiga.

—  Eu era sua amiga.

—  Porra Katterine! Não quando um coração está ocupado! Eu preciso te falar coisas que não se falam em bailes. Eu estou a  ponto de explodir caralho!

— Agora você se sente como eu me senti.

—  Uma dança. Por  favor.

—  Por que terminou? – apelei para que ele me dissese a verdade.

—  Eu errei com isso.

—  Por que terminou?! – levantei a voz.

—  Eu já disse que foi um erro! Já basta! Fique comigo esta noite.

—  E todas as outras, onde eu estarei?  Estou cansada de ser a sua mulher só por uma noite. – me levantei, e caminhei rapidamente para fora do salão, indo em direção ao corredor principal, onde ficavam os armários. Que estava quase que completo em escurião.

—  Katterine. – ele gritou antes que eu pudesse chegar ao meio do trajeto, era difícil andar segurando aquele vestido longo e ainda por cima de saltos. Mas ao ouvir a voz dele, minhas mãos deixaram o vestido cair, meu coração acelerado. Eu sabia por que ele tinha terminado.

—  Apenas quero que você me diga a verdade. – uma lágrima desceu, as mãos dele tocaram meus ombros, só havia nós dois ali, no corredor vazio.

              [Autora: Coloque a música.]

—  Está ouvindo? – ele sussurrou. Eu calei minhas lágrimas para ouvir a musica de dentro do salão de festas, que chegava claramente fora do corredor. Era Happier, uma letra que eu bem conhecia, que me fez chorar mais. Me virei lentamente para ele, eu estava agora, com os saltos, do tamanho dele. – eu vou dizer a verdade... – ele sussurrou.

—  Por que não diz agora? – choraminguei.

—  Por que dói. – ele me abraçou, nossos pés balançando ao som da letra da música. Finalmente com ele. – Me desculpe... eu não sei mais como agir na sua frente, se rio por que vejo você feliz com outro, mas se choro, por que esse outro não sou eu.

—  Eu não tenho outro.

—  Muito menos eu. – Ele se afastou, me dando a mão, a musica estava ainda no inicio...

Que idiotas... diriam se nos vissem, dançando sozinhos no corredor, uma música triste.

Mas a nuvem que nos rodeava, era tão intensa... Eu podia sentir naquele momento, a entrega dele para mim...

—  Volte pra mim Katterine. – ele sussurrou nos meus braços, perto ao meu ouvido.

— Por que agora?

—  Alguém me disse hoje o que eu precisava ouvir. Eu não vou mais fugir por causa de problemas vãos... – eu acho que ele falava da cirurgia, e do câncer... – Você quer voltar comigo? Depois de eu ter te difamado pra o barman? – ele sorriu bobo, mas entre lágrimas. – eu preciso de você.

—  Eu não ligo pra o barman. – sorri.

—  Nem eu. – ele se afastou de mim. E me beijou, lentamente, sem pressa, devagar, delicadamente. Um sorriso no meio do beijo brotou nele. – é um sim? – ele perguntou.

—  Se você prometer nunca ir...

— Eu prometo ficar. – as duas hematites me olharam profundamente, não havia mentira em seu olhar.

Mais Feliz - Ed Sheeran

Andando pela rua 29 e pelo parque

Eu te vi nos braços de outro

Só faz um mês desde que nos separamos

Você parece mais feliz

Te vi entrando em um bar

Ele disse algo que te fez rir

Vi seus sorrisos, eram duas vezes maiores que os nossos

Sim, você parece mais feliz, parece mesmo

Ninguém nunca te machucou como eu te machuquei

Mas ninguém te amou como eu

Prometa que não vai levar para o lado pessoal, querida

Se você está seguindo em frente com alguém novo

Pois você parece mais feliz, querida, parece mesmo

Meus amigos dizem que um dia também vou estar assim

E até lá, vou sorrir para esconder a verdade

Mas eu sei, era mais feliz com você

Sentei no canto da sala

Tudo está me lembrando você

Segurando uma garrafa vazia

Repetindo para mim mesmo que você está mais feliz

Não está?

Ninguém nunca te machucou como eu te machuquei

Mas ninguém precisa de você como eu

Eu sei que tem outros que te merecem

Mas querida, ainda estou apaixonado por você

Mas acho que você parece mais feliz, parece mesmo

Meus amigos dizem que um dia também vou estar assim

Poderia tentar sorrir para esconder a verdade

Mas eu sei, era mais feliz com você

Querida, você parece mais feliz, parece mesmo

Eu sei que um dia você se apaixonaria de novo

Mas se ele partir seu coração, como amantes fazem

Saiba que estarei aqui esperando por você.


Notas Finais


O link para baixar a musica é este aqui: https://www.onlinevideoconverter.com/pt/success?id=b1c2d3d3h7g6f5j9e4

Não se esqueçam de comentar! <3

Até a próxima vez! ( Eu prometo que da próxima vez será mais tiro!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...