História Dancing Love. - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Amor, Chaz, Dança, Justin Bieber, Mel, Possessivo, Ryan, Sexo
Exibições 841
Palavras 7.278
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meninas, UM capitulo pro fim de DL.
#Vem DLII
Meninas, depois de DL I vou tirar uma pequenas ferias mas estarei no grupo de DL então se quiserem manter contato é só mandar nome e número.
Como dia Eduarda PELO BIEBER AMADO!

Capítulo 40 - Elastic Heart.


Fanfic / Fanfiction Dancing Love. - Capítulo 40 - Elastic Heart.

 

- Você vai voltar pra casa comigo, agora! - César disse ordenando e puxando Clara pelo braço, ela despertou de seu transe e desviou seu olhar que seguia Khalil com um olhar de mágoa e arrependimento.

- Solta ela -falei puxando, ou tentando puxar, Clara que piscou os olhos com força como se quisesse eliminar seus pensamentos que eu sabia onde e com quem estavam.

-Não se intrometa - César cuspiu as palavras frias em cima de mim e eu trinquei os dentes com odio, de todos os amigos de meu pai César nunca me desceu, nosso santo nunca bateu eu sempre cismei com ele, sempre tivemos esse bloqueio, porque eu sei que é reciproco.

Clara foi puxada levando um tranco e Ryan não sabia o que fazer, eu tentei avançar quando Bieber tocou em meu braço.

- Não me toca! - disse girando o meu corpo e o empurrando de perto de mim, Justin bufou irritado - sai de perto de mim - rosnei e ele já mostrava a sua irritação.

- Clara eu não to pra brincadeira - César avisou e então Clara se virou me olhando e entregando um cartão.

- Mel vai pro hotel, deixa que com ele eu me resolvo - me falou e olhou Bieber e Ryan atrás de mim - não se esquece que apesar de tudo é arriscado ficar de cara lavada na rua...

- Não, não vou sem você! - disse firme batendo pé

- Ouve essa barata e vamos logo Mel, para de ser teimosa - Justin disse nervoso atrás de mim mas eu o ignorei quando ele tentou tocar em mim

- Não vou sem você - avisei e ela revirou os olhos

- Vai logo Mel - respondeu nervosa - e veste uma blusa. 

Clara seguiu acompanhando os passos de seu pai até sumir de vista, fiquei um pouco preocupada mesmo sabendo que César não pode obrigar ela a nada... Mas mesmo assim, eu devia ter ido com ela. Entrei em um dos carros beeeeem longe de Bieber, Ryan ficou me encarando até que tirou sua blusa.

- Veste - disse e eu suspirei vestindo - não seria legal Dude cometer uma chacina

- Eu que vou cometer uma chacina na cara dele - disse e ele riu, mas não falei pra ter graça falei por tá com raiva mesmo, assim que o carro parou de frente aos fundos do hotel eu desci, a frente do hotel não passava nem mosca de tanta fã dele se elas soubessem o quanto ele é um idiota nem pensariam em passar aqui. Quase soquei o botão do elevador quando abriu eu entrei, sem olhar na direção de Biber, Ryan ficou entre nós dois meio sem graça enquanto Justin se mostrava irritado e sem paciência, acho graça que ele começa tudo e não aguenta, se ele não sabe brincar não descia pro play! Assim que a porta do elevador se abriu eu sai.

- Onde pensa que vai? - Justin perguntou surpreso andando atrás de mim - seu andar é lá em cima - disse puxando meu braço me fazendo bater contra seu peito, eu gargalhei alto com suas palavras.

- Você achou mesmo que eu ia por acaso dormir com você? - perguntei retorica - porque não chama aquela sua amiga, como é mesmo o nome dela? É... - fingir lembrar - Tati! - respondi - ah esqueci que ela não pode... Tá com a cara quebrada - fiz que estava amuada com aquilo e vi o castanhos dos olhos de Justin escurecerem, ele estava com raiva

- VOCÊ TÁ ACABANDO COM MINHA PACIÊNCIA - gritou mas dessa vez eu não dei pra trás eu continuei firme o encarando

- Acabou com o show? - perguntei olhando sua irritação - ótimo, porque eu to com sono - bocejei e ele me encarou. Ele estava puto mas pois bem eu estava o triplo.

- Quer saber? Vai, fica ai mesmo Mel. Porque eu to de saco cheio - disse se virando pra sair mas não, isso não ia acabar assim

- Me diz como é possivel hein Justin? - perguntei cruzando os braços, Justin se virou me encarando com certa confusão no olhar, estavamos no limite um com o outro. - me diz como uma hora você faz de tudo pra eu esquecer aquela aposta idiota a ponto de me trazer de volta a minha maior alegria, o meu maior desejo. Você me levou até Mateus, você pediu pra ficar comigo e é só uma coisa não sair como você quer que você surta e vai pra balada, você esperava o que Justin que eu te esperasse nua na cama? - eu estava com aquilo engasgado, precisava pôr pra fora a qualquer custo - você não pode me arrastar pra essa confusão que é seu mundo e ainda esperar que eu aplauda a tudo, tem muita coisa que não esta conversada entre nós mas o que eu fiz? Eu passei por cima, eu deixei tudo pra lá só pra te satisfazer Bieber. O que Nicolas representou lá embaixo? N.A.D.A - sibilei já nervosa e alterando a voz mas diferente de todas as outras vezes eu não vacilei pra chorar, eu me mantive firme, muito firme - aquilo que você fez foi só porque a presença dele confrontou seu - apontei pro seu peito - ego, nada mais. Você não gosta de mim, você apenas tomou posse! - terminei de falar e ele me olhava atônico mas sem expressão, minha respiração estava ofegante e meu peito sufocava o desejo de bater nele ali mesmo por ser tão sacana e machista - reza Justin, reza pra Mel que eu era antes não voltar seu idiota porque ai nunca mais você me faz de palhaça - cuspi as palavras nele que apenas passou a língua pelos lábios e soltou um riso pelo nariz meio debochado o que me deu mais odio. Como ele consegue ser assim?

- É isso que você acha? - perguntou rouco mas agora ele parecia... Esconder algo talvez um certo medo - depois de tudo você pode achar isso? - se aproximou mais, eu sentia sua respiração guerrilhando com a minha e dessa vez isso não estava me deixando sem ação, pelo o contrario, Justin tem um ar superior que me irritava que me deixava possessa de raiva. Me virei na intenção de sair dali e peguei o cartão que abre a porta do quarto quando Justin me virou de forma brusca - você acha que é assim? Você acha mesmo que tem a opção de não ser minha? - perguntou entre dentes e eu dei uma risada amarga me soltando dele - você para de birra e sobe agora! - ordenou e eu empurrei seu peito

- Eu não QUERO e você NÃO VAI ME OBRIGAR! - gritei entrando no quarto quando ele empurrou a porta me impedindo de fechar, eu bufei irritada e ele me encarou tentando manter a calma, ele parecia baixar sua guarda mas eu não, eu estava a pior felina que ele já conheceu. Quando fez menção de falar já mudando a sua feição pra cachorro sem dono eu fui mais rápida - péssima noite Bieber - bati a porta em sua cara, ouvi Justin ainda a esmurrar umas vezes enquanto eu caminhava para o banheiro, por mim ele perde a mão ai que eu nem vou ligar por mim ele quebra a sua cara inteirinha Bieber idiota do caralho. - manipulador - murmurei comigo na frente do espelho, Justin era exatamente isso! Manipulador, ele fazia as merdas dele e não gostava da retórica e manipulava a situação deixando parecer que ele era apenas um bom menino mal compreendido e você Mel é uma burra! - como pôde se apaixonar dessa maneira? - perguntei pra minha outra face na frente do espelho - logo Bieber - bufei olhando por teto, não era amor, amor não machuca tanto assim. Paixão também é exagero mas de uma coisa eu sei, eu nunca mais quero sentir isso. 

Alguém bateu na porta quando eu estava já pronta e de banho tomado pra dormir, pensei e hesitei bastante antes de dormir já que Justin tinha feito vinte e sete chamadas pro meu celular eu sentia que ele era capaz de acampar ali na porta a qualquer momento.

- Mel, sou eu, Clara - ouvi um murmuro e corri pra destravar a porta, Clara ficou uns segundos parada do lado de fora e eu a puxei pra dentro. Seu rosto estava inchado ela chorou. A puxei até a cama e me sentei de frente pra ela que me olhava de soslaio mas não me encarava de maneira alguma. 

- Me conta como foi lá - pedi com cautela e ela suspirou segurando seu choro.

- O meu pai não foi a pior parte de tudo, ele sabe que não pode me prender em lugar nenhum, eu recebo a pensão que era da minha e sou maior de idade. O que ele pode fazer? 

- Mas porque tá chorando então? - perguntei um pouco com receio, Clara nunca foi de desmoronar assim. Ela me abraçou fungando e eu afaguei seus cabelos.

- Eles são uns idiotas Mel, todos eles! - me soltou e limpou seu rosto com a palma da mão - parece que eles combinam de fazer de merda... - já sabia de quem ela estava falando e meio que soltei um suspiro em concordancia 

- Eu vi - murmurei me referindo a cena dele saindo com seis mulheres da boate - posso te dar um afago de que ele não vai dar conta de todas - brinquei e ela soltou um riso que ficou muito feia com sua careta e rimos fraco.

- Ele é um idiota, pelo o menos eu acertei o seu braço - disse meio com vitória e eu ri

- Clara - fiz uma careta, não sei se era o certo mas eu precisava dizer aquilo - tudo bem que eu vou dizer que ele foi um idiota só porque você é a minha amiga mas... - rolei os olhos pelo quarto procurando um apoio moral em algum canto e voltei a olhar pra ela - mas você sabe que a culpa é sua né? 

- Como minha Mel - se alterou um pouco - eu não acredito que minha amiga tá contra mim

- Shiu - pedi a puxando de volta pra sentar - eu não to contra você mas eu posso te afirmar várias coisas entre elas uma é que ele correu atrás de você muito antes de você chegar de fato a Los Angeles - falei lembrando de como ele me enchia o saco - dois é que ele de cara quis ficar com você e você com ele - contei nos dedos - três é que ELE sempre quis algo com você, ele nunca foi filho da puta como Bieber, muito pelo o contrario, Khalil passou por cima das implicancias de Bieber e quando eu falei sem pensar que eles também poderiam ter feito apostas ele e Ryan trataram logo de fazer vocês notarem que não eram assim. Khalil não deixava Justin te chamar de barata cascuda nem por um decreto e ele quis ter algo sério com você mas você o rejeitou por sei lá o que e agora tá arrependida  - falei a olhando e ela abaixou a cabeça - era só aceitar o que sente e pronto!

O silêncio se fez rei ali, Clara levantou sem me encarar e foi pro banheiro, fiquei pensando se eu peguei pesado com as palavras, eu e meu jeito idiota de fazer as coisas. Não deveria dizer nada disso meninas apenas apoiam e eu acho que nasci errada. Mas é que ela não entende, só ela que não via que Khalil babava nela. Sai do meu transe com meu celular tocando e eu bufei pra jogar ele longe quando vi o nome de Mônica no visor e atendi.

- Eu vou matar vocês! - foi a primeira coisa que ela disse assim que eu atendi

- Boa noite gatinha - brinquei mas ela não quis saber.

- Mel me diz como em menos de vinte e quatro horas vocês conseguiram brigar no saguão do hotel, bater em uma prostituta, dançar nua no Pole Dance e ainda pixa um muro na zona...

- Ei, ei essa versão tá errada ok? - a interrompi - quem te contou? 

- Eu ouvi ele e Chaz conversando - explicou

- Eu estava de sutiã - falei e parei um pouco pra pensar - como assim pichou? 

- Eu que te pergunto - disse agoniada - Mel, Justin bateu em Nicolas no saguão do hotel. Tem noção do quanto isso foi insano? 

- Tenho mas ta ai, me diz que culpa eu tenho? - perguntei bufando 

- E ainda tem mais - me ignorou - o que Khalil foi fazer com cinco mulheres?

- Eram seis - a corrigi - Mônica, na boa mesmo? To cansada...

- Mel eu juro que quando vocês chegarem eu vou puxar a orelha de vocês tanto - eu já pudia imaginar como Mônica devia ta puxando os cabelos de nervoso e ri de lado com isso - eu tenho que desligar porque Chaz e eu vamos comer

- Chaz passa a doença dele pra todo mundo! - comentei dando e risada 

- Você precisa ver como eu to gorda, já faz quantos meses que ta fora? 

- Dois... - me afundei no colchão

- Dois meses é muito tempo... Mas bom, agora deixa eu eu e PELO AMOR DE DEUS, não se metam em mais encrencas...

Ri, ou melhor, gargalhei com Mônica que desligou logo em seguida. Eu nunca ia entender como ela consegue ser nossa amiga, sério eu, ela e Clara somos opostos.

Me virei pra dormir já sentindo meu corpo pesar, amanhã de manhã temos ensaio no Maracanã e parece que não durmo a seculos, senti o meu lado afundar e sabia que era Clara.

- Sabe Mel, você tá até certa nisso... Eu realmente quis camuflar o que sentia mas agora, nem se ele subir as escadarias da Penha de joelhos eu o quero. - Clara disse e eu ri assentindo e falando que ela estava certa.

Justin POV 

- Dude qual o seu problema? - Chaz perguntou do outro lado da linha 

- Ah Charles eu não tive culpa, ela sabe que sou impulsivo pra caralho e ainda fica conversando com o ex na minhe frente - bufei irritado. Eu estava puto demais com Mel, ela acertou meu pau em cheio e fora que não quis dormir comigo, como se ela tivesse opção. - e ela ainda por cima dançou nua naquela porra de boate, eu quis matar ela quando vi aquelas mãos passando por ela - rosnei, eu ficava puto demais quando alguém olhava para ela, eu odiava Ed por que sei que ele quer algo com ela, imagina a filha da puta rebolando nua no Pole Dance? 

- Como é possivel ser tão burro, será que você não percebe? - Chaz dizia num tom impaciente

- Perceber o que? - perguntei com as mãos na cintura parado no meio do quarto, eu ainda observava a cama vazia.

- Dude faz alguma coisa, olha ela tirando o time de campo e se despedindo da torcida, você precisa fazer alguma coisa pra convencê-la de que vale a pena ficar. Corre até lá e segura o braço dela, diz que você é um completo idiota e que não merece nenhuma outra chance, mas que precisa que ela confie novamente porque cê não vai conseguir ser feliz se ela for embora agora. E a gente sabe Dude, você não vai conseguir mesmo, ainda que se esforce e que resolva cair na farra e encher a cara com bebidas caras em baladas mais caras ainda e tente arrumar por ai alguma outra mulher pra substituir o vazio que ela vai deixar. Cê não vai conseguir... - Chaz acabou de falar como se tivesse desabafando e eu suspirei cobrindo o rosto, ficamos em silêncio e eu me lembrei o que ela me disse ontem a noite. "reza Justin, reza pra Mel que eu era antes não voltar seu idiota porque ai nunca mais você me faz de palhaça " 

- Eu vou atrás dela... - murmurei me sentindo derrotado. 

- Sugiro que vá logo e ah, tente não agir por impulso. 

Desliguei o telefone e por instantes fiquei encarando o nada, Mel surgiu em minha vida da pior maneira no pior momento, eu queria tirar aquela imagem de mim e nessa minha transformação eu acabei exagerando, minha mãe saiu de Londres muito puta comigo mas além disso, ela estava decepcionada demais, quando eu procurei por Mel naquela noite eu senti a necessidade de ter seu corpo ao meu, eu não sabia explicar os efeitos de Mel em mim, eu acha que o que eu senti um dia por Selena foi o ápice de um sentimento até conhecer Mel.

- Tá pensando na morte da cabrita? 

- Não Ryan - murmurei fechando a cara, ele me analisou por alguns segundo e ia falar alguma coisa quando Khalil entrou no quarto com uma cara pior que a minha - já vi que não deu conta...

- Não enche! - respondeu puto com Ryan e eu dei de ombros, aquilo não era problema meu.

- Cara é impressionante como vocês só fazem merda - Ryan disse negando com a cabeça e eu travei o maxilar com raiva

- Ah claro, e Mel só descobriu onde eu fui porque você deixou ela te seguir

- E desde quando você... - Khalil não completou sua frase e me olhou pensando - não me diga que vocês...?

- Acho que isso agora é passado.

- Não! - disse ríspido - não é como se ela tivesse a opção de me rejeitar - eu surtaria só de pensar nessa possibilidade, Mel não pode fazer isso comigo.

- Ah é? Então eu nem vou te contar quem era o gavião que estava cercando ela lá embaixo - Ryan disse me olhando, levantei respirando fundo e sai batendo a porta pronto pra quebrar aquele hotel se fosse preciso. Entrei no elevador já muito puto quando parou em um andar e Scooter também entrou.

- Que bom que te achei - ele disse e eu já sabia que vinha esporro por ai e eu não estava nem afim de escutar nada

- Scooter agora eu preciso falar com...

- Mel - ele completou me interrompendo e eu assenti com certo tédio, quando a porta do elevador se abriu eu sai no saguão do hotel a sua procura - tá na piscina - Scooter me disse vendo que eu a procurava, estranhei sua tranquilidade mas sai pisando firme até a area da piscina pra ver a pior cena da minha vida, Mel estava de costas com o filho da puta do Ed, ele segurava a sua cintura forte, eles estavam se beijando! 

Mel POV

Nenhuma palavra, não trocamos nem olhares desde que chegamos aos bastidores do show, eu já estava me trocando no camarim dos dançarinos que era separado do dele, ainda bem! Estava na maquiagem enquanto mexia no meu celular pra tentar passar o tempo, quando acabou a maquiagem tinhamos que ir pra reunião que sempre fazemos antes de todos os show, Justin passou por mim e não cruzamos olhares novamente mas eu percebi que ele me olhava com algo estranho.  Khalil estava ali mas Clara decidiu visitar uns amigos e ir direto pra Los Angeles, o clima estava pesado demais em todos os sentidos.

- Posso falar com você?  - Ed me barrou quando eu ia passar colocando seu braço na frente do meu corpo, eu o encarei cruzando os braços, ele entendeu que era um sinal para continuar - eu não fiz por querer...

- Mas fez! - o interrompi irritada - Ed eu não entendo, você nunca demonstrou interesse em mim e me agarra do nada? - perguntei retórica e ele abaixou o olhar - eu não quero saber desde quando troca as bolas comigo eu só quero que se sente algo por mim, se afaste porque eu não to afim de mais um problema - falei irritada e gesticulando

- Me desculpe - murmurou como se sentisse um peso nas costas mas atrás daquele murmuro tinha muito mais que desculpa - me perdoe Mel - pediu com os olhos perdidos e eu não entendi nada, Ed se aproximou e me encarou, eu não entendi nada.

- Você é rapida - ouvi uma voz soar atrás de mim e me virei vendo Justin com o maxilar travado e nos encarando. Ele não me deu tempo de perguntar o que aconteceu ele apenas me deu as costas e saiu andando obedecendo a chamada de Alison.

- Mas o que foi isso? - murmurei retórica e Ed me olhou e depois abaixou a cabeça saindo dali, girei meu corpo e vi Scooter rindo de lado me encarando, trinquei os dentes, não gosto dele! 

- Mel, última chamada - Victor parou ao meu lado avisando, eu e Scooter ainda nos encaravamos, Victor me deu mais um sacolejo e eu segui andando pra entrar na fila, fiquei atrás de Lauren porque não queria ficar entre ela e Savana, se eu pudesse eu quebrava a cara dela.

- Meninas eu preciso da atenção de vocês - Damon disse batendo palma pra chamar a atenção e acabar com o falatório, aos poucos elas foram se calando e eu respirei fundo com um pouco de falta de ar

- Você tá bem? - Lauren murmurou só pra eu ouvi

- Sim - respondi fática e ela assentiu, não que eu não goste de Lauren até porque ela é muito diferente de Savana, fura olho ficou com Justin e eu sinto ciumes dela até hoje por isso.

- Meninas atenção - Damon pediu pela terceira vez e todas pararam pra olhar - houve uma pequena mudança, Savana vai trocar de lugar com Mel na música Boyfriend - disse e me mandou um lugar triste, mas por que ele fez isso? Savana me olhou sorrindo e eu senti uma vertigem pela noticia e dei dois passos pra trás fechando a mão de odio. 

- Tá passando bem Mel? - Savana perguntou provocando

- Não me provoca se não você não entra nesse palco porque eu quebro sua cara todinha - rosnei dando um passo em sua direção quando Parris se meteu no meio

- Desde quando virou barraqueira? - me perguntou autoritaria - isso foi um pedido de Justin, não desconte em Savana a briga de vocês - me deu uma bronca severa e eu voltei pro meu lugar sem ter opção, Savana continuou com seu olhar em mim e sorriu já que tinhamos que mudar de posição eu já sabia bem o que fazer. Damon me olhou atento até eu parar perto de Savana, quando ela passou por mim eu puxei o fino tecido de sua roupa que rasgou por inteira na lateral.

- Dez segundos - Alison avisou e abriu a boca num perfeito O quando viu a roupa de Savana 

- Eu vou te matar - rosnou vindo pra cima de mim mas Thomas a segurou - me solta - gritou nervosa, Alison fez cara de desespero e Damon me olhou com receio mas ele fez uma cara de decepção que me destruiu por dentro 

- Porque fez isso? - Jade perguntou nervosa - ouviu o que Damon disse? JUSTIN quis te trocar

- Ok - Damon me chamou - Mel volta pra sua posição de antes e agilizem! 

- Pois agora digam a Bieber que eu quem não quero! - decretei me virando e pronta pra entrar no palco, primeiro entravam os dançarinos e depois a grande estrela vulgo Justin Bieber! 

A batida dessa música era envolvente, chamava-se Right Here (Feat. Drake), As Long As You Love Me (feat. Big Sean), All Around The World (feat. Ludacris) e Beauty And A Beat com Nicki Minaj com já falei que não gosto dela? Pois bem, não gosto dela. Os meus planos eram que quando chegasse a música boyfriend Justin ficasse com cara de tacho esperando, estavamos na sétima música do show quando Justin tirou a camisa e as meninas gritavam, o estadio inteiro só voltou ir abaixo de tanta histeria dos fã, Justin sorria feliz mas com certa marra, estava tudo indo bem. Até a hora que tinhamos que ir lá na frente ao lado dela, quase escorreguei na escadinha e notei que foi por causa de Savana que já estava de roupa trocada, se eu caísse eu ia empurrar ela que ela ia parar lá no Morro da Mangueira. Justin estava no meio de Take You quando jogaram uma garrafa, estava vazia e era de água mas Justin achou aquilo o cúmulo e mandou o olhar mais severo que ele tinha para o público e ABANDONOU o palco, eu e os outros dançarinos ficamos perplexos, Justin jogou o microfone no chão perto de Scarlet e entrou pro backsteage, ninguém teve reação, nenhum dançarino sabia o que fazer. Mais um escandalo para a Believe Tour mas todos foram fora do palco, ninguém esperava por essa de Justin, pisquei meus olhos várias vezes na esperança que ele voltasse ou que Scooter que ama mandar e manipular o mandasse voltar mas não, ele não voltou e o público que parecia ter acabado de sair do transe começou a vaiar. Sai do palco nervosa e correndo por todo backsteage, Damon estava junto com Parris falando com Justin que andava de um lado para o outro nervoso e de cabeça baixa, Scooter estava gritando com ele, berrando e pela primeira vez eu dava razão a ele.

- Volta pra lá - chamei atenção falando, Damon descruzou os braços mudando a postura quando me viu, Ryan apareceu atrás de mim surpreso - volta pra lá agora Bieber, para de ser esse menininho mimado e volta pra lá - falei nervosa, ele levantou a cabeça de forma lenta e me mandou o olhar mais gelido que ele tinha e riu ironico.

- Eu não parecia um menininho mimado quando você gemia meu nome - disse com deboche e eu gelei, como ele pode ser tão baixo? 

- Justin eu acho mel... - Parris começou a falar mas todos os dançarinos entraram formando um circulo ali, Justin não devia ter ido tão longe a esse ponto.

- O que você acha que ta fazendo? - perguntei nervosa - você se ouviu? 

- Ouvi, ouvi e não vou voltar pra lá, jogaram uma garrafa em mim! - disse como se aquilo fosse um atentado e foi a minha vez de ri ironica 

- Bieber talvez tenham feito de você uma maquina de dinheiro - joguei a indireta pra Scooter e voltei a olhar pra Justin, Parris parou ao meu lado tocando meu braço querendo acabar com aquilo. Mas eu não ia acabar com aquilo, eu o avisei que ele devia rezar pra Mel de antes não voltar - só esquecerem de te contar uma pequena coisa - respirei - O MUNDO NÃO GIRA EM TORNO DO SEU UMBIGO - berrei nervosa com ele, Justin tinha perdido toda sua noção de realidade. Todo mundo ali se assustou com o meu grito e mais uma vez eu e Bieber estavamos nos confrontando - você vai voltar pra lá AGORA. Você deve respeito a todos que estão ali, sabe quantas horas ficaram na fila pra pagar em um ingresso? Sabe que acamparam aqui pra pegar um bom lugar e você dá um ataque de histeria por causa de uma garrafa? - eu estava indignada demais aquela situação - Você deve respeito a todos eles que estão lá, VOLTA PRA LÁ, A.G.O.R.A - mandei apontando pro final do backsteage que dava no palco, todos olhavam atônicos pra reação de Justin que primeiro pareceu processar cada palavra e depois de segundos de tensão ele deu três passos lentos que o fizeram cara a cara comigo, sua respiração batia contra meu rosto, seu maxilar estava travado, seus punhos fechados e um olhar que me mataria ali.

- Eu não recebo ordens de vadias - cuspiu ríspido em mim, cada palavra sua foi como um tapa, um soco, eu não entendia o que estava acontecendo

- Não me ofenda - rosnei mas ele riu, riu na minha cara

- Não ofender - riu alto - essa foi boa - parou de ri me olhando seco - vamos lá Mel, o que você acha que faria eu te escutar? Quem é você? - perguntou ríspido, Justin tinha raiva e mágoa no olhar - eu te digo quem é você, você é só mais uma vadia que passou pelo meu camarim, só mais uma que eu comi e se apaixonou. Mas eu abri meus olhos com você a tempo, tempo de te tirar de minha vida - cuspiu em mim respirando ofegante, suas palavras me perfuraram a alma - voc... - não deixei que ele terminasse e minha mão rodou em sua cara, senti meu corpo ser puxado quando Justin passou a mão pelo lugar onde eu bati, estava vermelho! - sua vagabunda - rosnou vindo na minha direção quando Ed se colocou entre nós.

- Chega! - Damon gritou - Justin já deu - disse irritado

- Para você é louco? - Ed empurrou seu peito pra trás e o que eu previa aconteceu, Justin o acertou no rosto

- Você tá defendendo ela porque foi mais um de sua lista - Justin disse descontrolado, Scooter até Scooter olhava aquilo abismado e minha mente só raciocinada uma coisa, ele viu! 

- Segurem ele - Scooter ordenou quando viu que ele andava de volta em minha direção, Thomas me puxou colocando-se na minha frente na intenção de me defender mas eu não liguei, meus olhos ardiam e eu lutava contra o bolo na minha garganta e as lágrimas

- Dude cara, para! - Ryan disse desesperado quando ele começou a dar ataque e quebrar tudo, Ryan o segurou pelo rosto na intenção de parar o amigo quando os seguranças o seguraram, ele me olhou com os olhos cheio.

- Eu te odeio - foi tudo que ele murmurou em minha direção, olhei pra todos ao redor e eu me senti mais enraivada que tudo, os olhares que eu recebi eram de piedade, eu odeio isso!

- Eu te odeio muito mais - murmurei e sai batendo em todo mundo que estava a minha frente, eu já não enxergava direito meus olhos ardiam e eu já não segurava as lágrimas, Justin Drew Bieber foi o meu pior pesadelo, pior pessoa que já passou em minha vida.

- Mel espera - Ryan me gritou correndo atrás de mim, corri um pouco mais rápido mas ele me alcençou - espera - me puxou de frente e viu que eu estava chorando - você tá chorando? - perguntou confuso 

- Me deixa - pedi num sussurro e vi Khalil entrando no acesso dos fundos nos olhando confusos

- O que foi dessa vez? - Khalil perguntou. Aproveitei a brecha da falta de atenção de Ryan e me soltei voltando a correr. 

Sai do estadio do Maracanã abraçando o meu corpo, estava frio na rua mas estava mais frio dentro de mim, eu estava partida por dentro. Eu sentia que desde o momento que Justin foi embora ele levou o meu coração junto com ele, por que tinha que ser assim? Porque ele tem que ser um animal? Eu odeio amar ele, eu queria matar esse sentimento dentro de mim. Dizem que Deus escreve certo por linhas tortas, dizem que nada nessa vida é por acaso. Mas eu não entendo que acaso é esse que me tira meus pais, meu irmão, esse acaso me deixou em Los Angeles e agora esse mesmo acaso me deixou aqui sem rumo. Estendi a minha mão pra um táxi e entrei, pedi pra que ele me levasse para o hotel. Me sentia dentro do Tumblr porque o meu melhor ombro amigo foi a janela do táxi, quando parou na frente do hotel eu entrei de cabeça baixa e segui correndo pro quarto na esperança de achara Clara mas ela não estava lá, lembrei que minhas malas ainda estava no andar de cima no quarto dele e eu não tinha o que fazer além de pegar meus documentos, voltei pra pegar outro táxi e segui para o Galeão, sabia que Clara devia tá lá, peguei o celular ainda tremula e nem me perguntei como eu disquei o numero de Clara

- Por favor me diz que ainda ta no Rio - perguntei me sentando em um dos bancos de espera do aeroporto

- O que aconteceu? - perguntou preocupada, minha voz saiu chorosa e mais uma vez eu não me controlei, o choro tomou conta de mim de uma forma que eu só sabia soluçar - Mel, por Deus o que foi que aconteceu? - eu não conseguia responder, havia uma menina ao meu lado me olhava surpresa, inclinei meu corpo escorregando na cadeira e soluçando feito uma criança.

- Moça você tá bem? - a menina me perguntou e eu neguei com a cabeça, ela pegou com cautela o meu celular e atendeu Clara, não escutei o que elas falaram mas ela desligou e se virou pra mim espantada, eu só sabia chorar eu precisava aliviar essa humilhação que havia passado - ela já tá a caminho - a menina disse tocando de leve a minha mão - qual o seu nome? 

- Mel - sussurrei e limpei com as costas da mão meu rosto e funguei

- Sou Jaqui - falou solidaria - pra onde é seu voo?

- Pra bem longe dele - murmurei com odio e a menina não entendeu a minha mudança repentina mas me mandou um olhar triste.

- Seja lá o que tenha acontecido, Deus tem um plano pra todos nós - apertou mais a minha mão como um conforto - eu não sei de onde você veio nem o que aconteceu com você mas tenha fé! 

Suspirei assimilando suas palavras e por incrivel que pareça eu me sentia melhor com elas, um amor me destruiu com palavras e uma desconhecida me conforta, que ironico. Clara apareceu entre as pessoas correndo e eu me levantei num subito da cadeira quase derrubando a menina que me acolheu sem nem me conhecer e eu já considerava. Abracei Clara forte, como se eu pudesse abraçar a minha mãe e por instinto bateu saudade dela me fazendo chorar novamente.

- Não chora - Clara pediu afagando o meu cabelo.

- Só me tira daqui, por favor! 

Dias depois...
 

And another one bites the dust
(E outro vai por água abaixo)

Oh why can I not conquer love
(Mas por quê não conquistar o amor?)

And I might have thought that we were one
(
E eu posso ter pensado que éramos um)

Wanted to fight this war without weapons
(Queria lutar nessa guerra sem armas)

And I wanted it I wanted it bad
(E eu queria isso, eu queria muito isso)

But there were so many red flags
(Mas haviam tantas bandeiras vermelhas)

Now another one bites the dust
(Agora outro vai por água abaixo)

Yeah let's be clear I'll trust no one
(Sim, vamos ser claros, não vou confiar em ninguém)

Desliguei toda as televisões, troquei de número e quase me mudei. A minha vida já estava quase traçada. O nome dele era definitivamente proibido e eu nem precisava pedir por isso, Khalil também não era bem vindo por Clara. Minhas únicas prioridades eram buscar meu irmão e esquecer que um dia eu vivi isso em Los Angeles, Brian não me negou meu direito.

Flashback

Estacionei a BMW na entrada da casa de meu avô, fazia tempo que eu nem fazia questão de vê-lo eu estava magoada mas decidi passar por cima do meu orgulho, Mônica e Clara vieram comigo e nós sabiamos que tinha mais gente ali pelos carros parados do lado de fora e já sabia até de quem eram. Entrei sem cerimonias e Suzan quase deixou o vaso cair de sua mão.

- Mel? - perguntou boba

- Não, uma miragem - disse debochada passando por ela 

- Mel! - Mônica me repreendeu - desculpe, como vai Suzan? - fez a educada quando eu continuei a caminhar até a sala chamando atenção de Brian, Tej, Jonh e Stênio, eles me olharam bobos e eu cruzei os braços.

- Gostaram da surpresa? - perguntei sem querer saber da resposta - então...

- Mel? - meu avô fez algo que eu não esperava, ele me interrompeu e correu pra me abraçar, eu não reagi por não esperar - por onde você estava? 

- Na turnê - falei dando de ombros fingindo não ter lembranças. Jonh me olhava com um certo brilho nos olhos

- Clara você cresceu - meu avô disse indo falar com ela, eu e Brian sustentamos um olhar de guerra enquanto Mônica e Tej eram o apaziguadores, inutil!

- Oi tio Stênio - ela respondeu sorrindo

- Vamos ao que importa - chamei a atenção deles - vim aqui porque eu quero que você - me virei pra meu avô - quero que vá buscar Mateus comigo, SÓ você - deixei Claro mandando um olhar pra Brian que não se intimidava - você não pode me negar mais isso! - meu avô rolou seus olhos até a reação de Brian, ele era seu filho e claro que sua opinão contava mas eu não estava aqui pra perder! Meu avô voltou seu olhar pra mim suspirando

- Isso é perigoso - Jonh murmurou me olhando e logo recuou com o olhar que eu mandei

- Eu falei com você? - perguntei e ele negou - então, por favor só fale quando eu falar e eu te garanto que isso não vai acontecer - Jonh travou o maxilar mas não irritado, ele recuou alguns passos e Tej me olhou com pena de minhas palavras, voltei a olhar pro meu avô

- Essa é sua forma de conversa? Você impõe o que quer... - Brian disse e eu tombei a cabeça pra trás rindo

- Advinha com quem eu aprendi? - o mandei um olhar severo e nós tinhamos o mesmo sangue nas veias porque ele me mandou um pior

- Tudo bem Mel - meu avô finalmente tomou as rédeas - voltaremos pra buscar Mateus!

Flashback
 

You did not break me
(Você não me destruiu)

I'm still fighting for peace
(Eu ainda estou lutando pela paz)

 

- Onde vai? - Mônica perguntou quando me viu arrumada na sala

- Encerrar um ciclo! - respondi saindo.

Suspirei quando cheguei na frente da West, recebi vários olhares e fiz o contrario do costume, eu não ia pra sala ou algo do tipo. Eu passei direto pra sala de Damon, abri a porta sem cerimonias e ele arregalou os olhos quando me viu.

- Olá Damon - sorri, de verdae, quando o vi

- Darling! - ele estava sem entender nada - voltou? - perguntou meio bobo, a Believe Tour ainda ia pro Japão e alguns países asiáticos.

- Não! - respondi categorica

- O que veio fazer? - ele estava confuso e cauteloso, acho que depois de todos os incidentes da Believe Tour eles deviam tá reformulando muita coisa, mas antes deviam tratar dos problemas mentais de seu astro POP.

- Encerrar o contrato! 

I've got thick skin and an elastic heart
(Tenho uma pele insensível e um coração de elástico)
But your blade it might be too sharp
(Mas a sua lâmina pode ficar muito afiada)

I'm like a rubberband until you pull too hard
(Sou como um elástico até você puxar bem forte)
I may snap and I move fas
(Posso estourar e agir rápido)

Justin POV

Entrei na West com Chaz, eu e ele estavamos mais afastados mas mesmo assim ele volta e meia me falava sem querer de Mel, ele tocava em seu nome e isso me deixava com um sentimento que eu desconhecia, eu admito que peguei pesado com todas as palavras naquele dia como também admito que meu ciume me cegou mas pela primeira vez fui orgulhoso e decidi que eu não errei só.

Nos sentamos na cantina e vi Jade bufar e levantar, era assim agora. Por onde eu chegava ela saia tomando as dores da amiga, até Lauren não me olha direito. Levei esporro de Scooter por causa dela, eu tentava enterrar que um dia ela existiu mas a verdade que eu omitia era que eu sentia muita falta dela.

- Dude você me ouviu? - Chaz estalou o dedo na frente do meu rosto, ajeitei a minha postura na cadeira

- Uhum - murmurei sem interesse, meus olhos passaram pelo salão quando uma pessoa fez meu coração disparar, era ela! Mel estava com uma jaqueta preta e uma calça colada, usava um oculos escuro e mesmo sem abaixar a cabeça evitou as pessoas. Não pude negar que meu olhar vidrou nela eu me sentia agoniado por tá no mesmo ambiente que ela e não poder toca-la 

- Você quer aquilo né? - Chaz perguntou apontando pra Mel e por impulso eu assenti com a cabeça - Não assiste ela saindo, não assiste ela escorrendo pelos seus dedos sem sequer tentar fechar a mão. Se ajoelha, grita, implora! Tenta alguma coisa, qualquer coisa, só não deixe ela ir. Faz uma serenata na janela dela sem se importar se os vizinhos vão reclamar ou não, desmarca seus compromissos e a convida pra um piquenique no parque no tarde qualquer. Encomenda um carro de som mesmo que ela morra de vergonha de chamar atenção, compra umas rosas vermelhas e espalha pelo seu apartamento no dia em que você preparar um jantar romântico. Só não fica parado. Vai a pé até o outro lado do mundo pra prova que você merece esse perdão, vira a terra do avesso, transforma a noite em dia, rouba uma estrela do céu, só não fica aí estático acompanhando ela cansar de você. Me escuta Dude, porque depois não vai ser fácil sobreviver todos os dias vendo que não dá mais pra voltar atrás e tentar fazer o que você não fez.

Escutei as palavras de Chaz e vi Mel passar pela porta giratória, ela não tinha me visto mas seu perfume tomou conta da minha consciência, ela era minha!

- Não sei se ela vai me escutar dessa vez - falei derrotado - nem eu me perdoaria pelas coisas que eu disse a ela.

- Não deixa ela passar por aquela porta e perceber que lá fora é bem melhor do que ai dentro, porque não faz frio e nem venta e nem é tão solitário. Não deixa ela encontrar em outros braços o conforto que não achou nos seus porque cê nunca teve coragem de abraçá-la de verdade. Não deixa ela aprender a gostar de outras bocas e de outros corpos e de outras almas muito mais do que aprendeu a gostar de você. Não deixa ela se dar conta de que existe um mundo cujo você não faz parte e que este pode ser o mundo dela se ela quiser. Não deixa ela querer. Não deixa moreno, porque quando ela for embora você vai olhar ao seu redor e perceber que tudo fica sem graça sem aquele sorriso iluminando o seu dia. Então vai, mas vai agora, vai enquanto ela está aqui, faz alguma coisa, só não deixa ela aprender a ser feliz sem você, porque cê nunca mais vai conseguir ser feliz sem ela.
 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...