História Dancing with the Devil in the city of God - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 5
Palavras 976
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 2


 

-Eu ouvia você esmurrando a porta do quarto enquanto você dormia tranquilamente ao meu lado. 

 

Enquanto eu limpava meu quarto minha mãe fazia pipocas na cozinha. Particularmente, eu não gosto muito de pipoca, sempre me engasgo. Mas hoje tinha um motivo especial: tia Marye estava vindo para cá e hoje era seu aniversário. Aproveitarei para desejar felicidades, já que eu esqueci de mandar mensagens de manhã. 
Eu montava distraidamente um possível diálogo com a minha tia, na cabeça. Eu sempre faço isso, tenho uma mania de montar esses diálogos. Peguei meu celular em cima da escrivaninha para ver as horas. 17:39. Disquei para Belle, para dizer que eu não poderia ir ao Ice Cream Scream - sorveteria na qual ela trabalhava dás 18:00 às 21:00. Para ela, 18:00 horas era considerado noite, mas para mim, era tarde.
Ela atendeu na quarta chamada.
-Belle - falei. Quando eu ia continuar minha frase, notei um barulho estranho vindo de trás da ligação. - Tá me ouvido? 
-Oi, Kay - respondeu normalmente. Os barulhos me deixaram com uma pontada de medo. Eram sussurros, coisas desconexas.
-Você está ouvindo isso? - perguntei.
-Do que você está falando? Só estou ouvindo sua voz.
-Esses sussurros - tentei parecer despreocupada, mas não funcionou.
-Kay, eu estou ouvindo a sua voz - disse ela, impaciente. - Pra quê você ligou? Estou saindo de casa para ir à sorveteria, você vem que horas?
Eu tentava prestar atenção em pelo menos uma palavra do que ela dizia, mas os barulhos da linha não me deixavam. Tentei ir direto ao ponto.
-Eu não vou poder ir hoje, minha tia está vindo para cá - expliquei. Senti que ela ficou um pouco ressentida.
-Tudo bem, entendo.
-Belle, fique mais um pouco na linha - pedi enquanto me concentrava para ouvir o que falavam. Ela não disse nada, apenas fez o que eu pedi.
Você... Conhece... Ele?... Não... Ela... Não... Está... Pronta para... Morrer - me assustei com a última fala, talvez elas não estivessem direcionadas à mim. Mas mesmo se não estivessem, seria algo muito sinistro.
-Posso desligar? Estou dirigindo... - Belle já estava impaciente. 
-Tudo bem. Tchau - falei, ouvindo ela murmurar um "até".
Deixei meu celular em cima do móvel e desci as escadas cuidadosamente.
-Filha! - minha mãe chamou. - Sua tia não virá mais, ela está com problemas no trabalho. Vou ao mercado, já volto. - Assim que falou, foi embora.
Eu tive um pouco de dó da tia Marye, é triste ficar presa no trabalho justo no dia do seu aniversário. Como eu já disse para Belle que eu não irei na sorveteria, eu não vou mesmo. Estou com preguiça.
Fui para a sala e liguei o vídeo-game, jogar um pouco não me faria mal. Até porque, eu estou precisando relaxar um pouco. O som do jogo invadiu minha cabeça em um volume desnecessariamente alto, abaixei um pouco. Peguei o controle do Wii e parti para um novo jogo. Após uns trinta minutos, a campainha tocou, despertando-me das brincadeiras. 
Corri até a porta e a abri, dando de cara com quem eu não esperava. O cabelo negro jogado no rosto, os olhos mais negros ainda, que me penetravam a alma. Olhá-lo era hipnotizante, mas ao mesmo tempo, assustador. Abri a boca para protestar sua chegada, mas fui interrompida antes de começar a falar.
-Vim estudar, espero que não esteja ocupada - falou Sam, me deixando irritadíssima.
Como ele sabia onde eu morava?
-Quem te passou meu endereço? - perguntei.
-Vi no computador.
-Como você achou? Eu nunca coloquei meu endereço na internet - disse eu, o encarando de olhos semicerrados.
-Não me pergunte o óbvio, Kylle - continuou. - Não irá me convidar para entrar?
-Não.
-Que feio! Uma garota tão linda como você, não deve deixar uma visita para fora - falou colocando suas mãos no batente da porta.
-Eu não sou linda. 
-É sim. Muito.
Aquela palavras entraram em meu coração me deixando extremamente corada. 
-Pare de se fazer de difícil - disse Sam, sorrindo.
-Entre - mandei, secamente.
-Tem que falar as palavras certas. - Ele parecia nervoso, pingos de suor aterrizavam em seu casaco de couro preto.
-Que palavras? - perguntei confusa. 
-"Você está convidado para entrar em minha casa" - falou imitando minha voz, o que me fez rir.
-Eu não falo assim! - falei sorrindo.
-Pode apostar que fala. - Sorriu de volta.
-Você está convidado para entrar em minha casa.
-Obrigado. 
Ele deu um passo a diante e olhou a casa, com um sorriso misterioso nos lábios. Naquele mesmo momento, um frio percorreu minha espinha, e eu me arrependi profundamente de ter o convidado. Suas mãos posaram em meu casaco, o tirando. Logo o sorriso misterioso se transformou em um sorriso perigoso. E os olhos, que antes eram apenas hipnotizantes, agora estavam famintos. Um frio se apossou de minha barriga. Meus pelos se arrepiaram, e o ar que eu antes aspirava, agora estava quase extinto. Uma forte corrente de vento entrou pela janela, quase me derrubando. Estranhei tudo aquilo.
Sam se aproximou de mim, me tocando nos ombros. Deslizou suas mãos até meu pescoço, e o esticou. Eu tremia de medo, não sabia o que estava acontecendo.
-Sam, o que você está fazendo? - perguntei ainda trêmula.
-Nada, meu anjo. Logo estaremos longe daqui. - ele sorriu lindamente. 
De repente uma capa cresceu da camiseta preta dele. Era dourada, com detalhes em púrpura. Aquela capa me envolveu, nos deixando com os corpos colados e deixando tudo ao meu redor em plena escuridão. Foi tudo o que aconteceu antes de eu não me sentir mais nesse mundo, foi tudo rápido demais. Eu apenas apaguei. 

 

Eu estava tento um sonho bom quando o som de um martelar me acordou. Depois disso, eu mal conseguia ouvir o som da terra cobrindo meu caixão sobre os meus gritos. 
 

 


 


Notas Finais


Críticas? Elogios? Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...