História Danganronpa - The Return Of Despair - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Danganronpa The Animation
Personagens Personagens Originais
Tags Danganronpa, Desespero, Monokuma
Exibições 48
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Despair Side - Episode 3


Fanfic / Fanfiction Danganronpa - The Return Of Despair - Capítulo 6 - Despair Side - Episode 3

Despair Side

Episode 3: Our Worst Nightmare - Part III

"Espere, algo não parece certo. Não, algo parece errado"
- Nightmare, Set it Off

Ainya me acompanhou alegremente pelo navio. Era enorme e a brisa marítima era agradável. Em determinado momento, chegamos num cassino.

Lá nos encontramos com três pessoas: dois garotos que riam alegremente e uma garota, que desenhava alguma coisa num caderno.

Me aproximei deles.

- Olá! - cumprimentei, com Ainya em meu encalço.

- Oi - um sorriso predador nasceu nos lábios do de cabelo azul.

Ele tinha, como já disse, o cabelo azul. Usava óculos e uma blusa branca, com a gravata frouxa. Jeans e sapatos comuns.

O que estava ao seu lado era musculoso. Tinha um moicano vermelho e olhos escuros. Fumava um cigarro.

- Quem são? - ele perguntou, depois de um trago.

- Sou a Ainya e ela é a Natsumi-nyan - Ainya sorriu e agarrou meu braço, dando pulinhos.

- Que gracinha - o sorriso do de cabelo azul era irônico. - Sou Azuma Kingatsu e esse é meu namorado, Dominik Tsuraka. Essa que está ali, é minha melhor amiga, Aya Fujitsuji.

Olhei-a, surpresa.

- A famosa estilista? Uau - sorri.

- Sim. Natsumi...Natsumi...a jornalista, presumo - a garota de cabelos roxos falou, batendo o lápis no queixo. - Sora Natsumi?

Aya Fujitsuji - Super High School Level Stylist

- Uhum. Então, qual o talento de vocês? - Ainya respondeu por mim e virou-se para Azuma e Dominik, que voltaram a conversar.

- Sou detetive forense - Dominik tragou o cigarro novamente. 

Dominik Tsuraka - Super High School Level Forensic 

- Bom eu...sou dançarino - Azuma pareceu meio desconfortável.

- Dança de salão? - Ainya tombou a cabeça.

- Não esse tipo de dança exatamente - mexeu os ombros.

Azuma Kingatsu - Super High School Level Dancer

- Ahn...Ainya, vou continuar a andar pelo navio. Quero conhecer a compositora - disse, assim evitando que ela insistisse.

- A Natalie? - Azuma sorriu. Parecia agradecido pela mudança de assunto.

- Acho que é ela mesmo - dei de ombros.

Ele riu e Dominik sorriu de forma provocativa.

- Boa sorte. Ela é muito dispersa, vive viajando entre suas letras - Aya mordeu o lápis, depois rabiscou mais algumas coisas. - Mas poderá encontrá-la numa sala lá embaixo.

- Me falaram - abafei uma risada com a mão.

- Vou ficar por aqui, Natsumi-nyan. Parece ser divertido - Ainya sorriu e se aproximou de um dos jogos. 

- Certo, certo. Até depois - acenei para eles e ouvi os sussurros baixos de até logo.

°°°

Encontrar a sala foi fácil. 

Estava, afinal, no andar mais baixo do navio. Não tinha porta, e um tapete vermelho se estendia de diversos lados. Haviam, no total, dezesseis pódios com o rosto de cada um de nós.

E, no cadeirão, uma garota branca de cabelos vermelhos, presos num rabo de cavalo longo estava sentada. Anotava algo em seu bloco de notas. As unhas estavam pintadas de vermelho e, seus olhos, tinham o mesmo tom do cabelo. 

Sua blusa era negra e sem mangas, e usava jeans.

- Olá? - chamei, ainda confusa em relação aos pódios e ao piso xadrez.

- Olá - respondeu, concentrada em seu bloco. Seu tom não era frio e nem grosseiro, muito menos gentil. Era indiferente e distraído. - Este lugar é silencioso.

- Eu percebi. Mas muito estranho também - disse, conseguindo desviar o olhar da minha própria foto.

Ela deu de ombros.

- Pode ser. Você é a jornalista, não é? Sora Natsumi? 

- É, sou - sorri, mas ela não viu. 

- Meus pais te vêem na TV. E sua voz é fácil de ser reconhecida - lançou um rápido olhar para mim, antes de voltar a atenção para o bloco. - Sabe, você é mais bonita pessoalmente.

Sorri, com vergonha.

- Obrigada. Você deve ser a Natalie, não? Compositora? - me aproximei mais do cadeirão.

- Sim, sou eu. Natalie Wood - por fim, a garota guardou seu bloco de notas e o lápis no bolso. Seus olhos se encontraram com os meus e eu poderia jurar que um sorriso nasceria em seus lábios.

Natalie Wood - Super High School Level Composer

- Natalie? - ouvi alguém chamar.

Era uma garota de cabelos azuis curtos. Seus olhos eram verdes e ela tinha alargadores pequenos nas orelhas. Usava uma camiseta meio larga e botas pretas, junto com uma saia que ia até acima dos joelhos.

- Oi, Morgi - cumprimentou a ruiva, com um aceno da mão. - Conhece a Natsumi? - apontou para mim.

Morgi sorriu.

- Sora Natsumi? Já a vi sim na TV! - pegou minha mão e a apertou.

- Isso. Morgi...seu nome é conhecido para mim - sorri.

- Ah, Morgi Izumi. Arqueira de nível super colegial - soltando minha mão, aproximou-se do cadeirão de Natalie.

Morgi Izumi - Super High School Level Archer

- Venha, Natalie. Não pode ficar aqui o tempo todo - ela suspirou.

- Tudo bem. Quem sabe eu não me inspire mais? - saltou do cadeirão e se direcionou para a saída, cantarolando uma música qualquer.

Olhei para Izumi. Rimos, não tardando a seguir a compositora.

°°°

O resto da tarde foi divertido. Me recusei a nadar com Jirou, por já saber das brincadeiras que fazia com Sho. E eu realmente não queria vomitar metade da água da piscina. Havia uma sala com jogos, de tabuleiro e eletrônicos, onde gastei umas duas horas com Minoru e Raiden - este parecia ter sido forçado por Minoru a ir até lá. Ainya, Kim e Momoka insistiram em me levar até a sala de vídeo para vermos algum filme. Takaeshi, seguido de Haru, ficou conosco para ver alguns dos filmes de Harry Potter - os três primeiros.

Na hora do jantar, Ainya e Minoru juntaram algumas mesas para que nós 16 sentássemos juntos. Poison hesitou, mas concordou em se sentar conosco - visto que o resto das mesas pareciam ter sido jogadas no mar. Na verdade, eu jurava que era isso que eles tinham feito.

- Ei, Poison, pare de ficar isolada! - Jirou, que estava sentada ao lado dela, passou seu braço pelo pescoço dela. Com a outra mão, segurava uma coxa de frango parcialmente comida.

- Eu estou bem assim - ela respondeu, com indiferença. 

Jirou riu e tirou seu braço dali, bebendo um gole de refrigerante. Arrotou, fazendo com que a mesa se soltasse em risadas.

- Jirou-kyun, olhe os modos! - Ainya fez um bico de falso aborrecimento.

- Relaxe, Ainya - Aya passou o dedo pela borda de seu copo vazio. - Não estamos num jantar de gala, estamos? 

Azuma e Dominik riram.

- Não, não, Aya. Definitivamente - Azuma balançou-se um pouco na cadeira e a fez pousar com um estalido seco. - Mas acho que a Ainya não esteja acostumada com isso, não é?

- Definitivamente não - Dominik girava um garfo entre os dedos. - É uma empregada de café, afinal. Ela é fofinha, educada - sorriu com deboche.

Ainya pareceu levemente irritada.

- Ei, ei, menos. Jirou, tente controlar-se um pouco - Sho disse, em tom apaziguador. - E vocês não encham a Ainya.

Ainya, Dominik, Azuma e Aya se entreolharam. Caíram na risada pouco tempo depois.

- Não se preocupe, Sho-kyun. Eles são legais! - Ainya sorriu e deu uma mordida numa tortinha de morango.

- A Aya é terrível, na verdade. Mas a gente ama ela assim - Dominik sorriu de lado.

- E você é um príncipe encantado - o tom sarcástico na voz dela fez o amigo rir.

Subitamente, as luzes se apagaram. No escuro, só era possível reconhecer as vozes dos meus novos amigos.

- Mas que merda é essa? - Jirou exclamou.

- Relaxe, deve ser só um problema na iluminação - Takaeshi disse em tom extremamente calmo.

- Upupu...que tolinhos! Realmente, acho que prefeririam se fosse "só um problema na iluminação" - uma voz cheia de escárnio, aguda e levemente irritante falou. 

As luzes se acenderam e, em cima da mesa que agora só era coberta pela toalha branca, havia um urso em pé. Se ele fosse inteiramente branco, sem a metade negra que sorria de forma assustadora, eu provavelmente adoraria abraçar. 

Gemidos e gritos de surpresa foram ouvidos. Eu estava confusa, mas o terror começava a pesar sobre mim. 

- Onde estão as palmas? Pensei que meus amados passageiros gostariam de conhecer o capitão deste navio! - o seu olho vermelho brilhou. Percebi um chapéu azul escuro de capitão em sua cabeça.

- Quem é...? - Azuma fuzilou o urso com confusão e irritação.

- Eu sou o Monokuma! O capitão deste navio. Oh, os bastardos não sabem o nome dele? - o urso, o tal Monokuma, colocou as patas no rosto com evidente surpresa.

Minha boca ficou seca. O urso...ah, não.

- O nome dele é Seguidor do Desespero.

Então eu soube que o pior pesadelo de todos nós havia se tornado realidade. 

Não era necessária a explicação do urso sobre o porque dele estar ali. Isso já era óbvio.

Estávamos num jogo de matança mútua.

Sobreviventes restando: 16/16


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...