História Danger - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Jiminned

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Lemon, Namjin, Vhope
Exibições 250
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


NK: A gente tá tipo bomba e o capítulo tá granada. -qq
K: Oii Sweets! É, eu não sei dar apelido ao povo, sorry! Desculpem a nossa demora, mas... qual é o autor que não demora, né nom? Espero que curtam o capítulo e sofram com esse Namjin lindo, pq eu sofri -qq
NK: Que exagero. :') Bem, tenham boa leitura.

Capítulo 4 - Three.


Seul, Coréia do Sul.

10:59 A.M.

 

P.O.V. SeokJin

Ficamos a observar o jardim, em perfeito silêncio. Até que Namjoom pegou-me pela mão, levando-me até o balanço.

-Sente-se. – Sorriu para mim.

-Oh, não. Não devo. – Neguei com a cabeça, enquanto um pequeno sorriso brotava em meus lábios.

-Claro que deve. – Olhou-me.

-Certeza? – O encarei, com uma das sobrancelhas arqueadas.

-Sim. – Riu soprado.

-Ok, já que insiste. – Soltei uma risadinha e sentei-me no balanço.

Logo senti suas mãos em minhas costas, empurrando-me levemente, fazendo o balanço se mover. Sorri e ele passou a empurrar com um pouco mais de força. –

Lembrei-me de quando eu era criança e ia ao parque com os meus pais.  Enquanto minha mãe arrumava a toalha de piquenique ao chão, meu pai me empurrava no balanço. Era tão bom. E eu me sentia tão feliz. Pena que isso não acontecerá mais.

Se eu soubesse que os perderia desse modo, teria aproveitado mais a presença de ambos. Ou simplesmente congelado o tempo, para nunca mais vê-los partirem. Mas o que me resta agora são apenas lembranças. Lembranças felizes de todos os nossos belos momentos juntos.

-Jin? – Escutei Namjoom me chamando.

Só então percebi que o balanço estava parado e que ele estava agachado à minha frente.

-Ah, desculpe-me. Estava distante, falava comigo? – Perguntei.

Vi sua mão ir ao encontro de meu rosto, passando o polegar no mesmo, limpando lágrimas que só notei agora, já que meus pensamentos fizeram-me chorar e não ter percebido que as lágrimas escorriam em meu rosto.

-Não chores. – Ele olhava-me. – Estava a pensar nos seus pais, não é? – Mantive-me calado e o ouvi respirar fundo. – Eles não gostariam de te ver assim. Tenho certeza. – Sorriu reconfortante, enquanto fazia carinho em meu rosto.

-Eu sei. Me desculpe, acabei deixando-me levar com algo que lembrei. – Fechei os olhos, aproveitando o seu carinho de lado.

Senti um beijo ser depositado em minha testa, de forma demorada. Abri meus olhos sentindo seus lábios quentes de Namjoom deixarem o local, o mesmo havia se afastado de mim, ficando de pé.

-Venha, vamos entrar. – Estendeu-me sua mão.

-Sim. – Assenti, levantei-me do balanço e segurei sua mão.

Seguimos até a casa. Assim que entramos na mesma, Lee vinha em nossa direção, sorrindo.

- Queres comer algo, meu menino? – Questionou-me.

-Não, obrigado, Lee. – Dei um sorriso. – Se precisarem de mim, estarei em meu quarto. – Virei-me para o outro Kim. – Obrigado por hoje, Namjoom. – Sorri, um pouco envergonhado.

-De nada, Jin. – Ele sorriu para mim.

“Namjoom tem um belo sorriso.” Pensei.

Logo sai rumo às escadas, destino ao meu quarto.

 

[...]

22: 19 P.M.

...

A Mansão estava um verdadeiro silêncio, alguns guardas passeavam ao redor da mesma a vigiando. –

Enquanto isso, SeokJin estava em seu quarto, tentando dormir. Mas não conseguia, mexia-se na cama, trocava de posições, mas o sono não lhe viera. Sentou-se na borda da cama, usou suas pantufas e logo se pôs de pé. Andara até a porta e a abrira, saíra e a fechara novamente. Respirou fundo, tirou a mão da gélida maçaneta e virou-se, acabando por se deparar com Namjoom. Este estava sem camisa, em uma das mãos tinha um livro e estava prestes a ver como estava o outro. Já  o outro, tinha suas bochechas ganhando o tom rubro pela visão do outro que estava em boa forma. 

Sua mão acabou por ser colocada no abdômen do outro, sentindo os nítidos gominhos. Praguejou-se por ter feito isso. Levantou a cabeça, para encarar o segundo Kim, viu que esse o olhava surpreso.

- O que faz fora de seu quarto? – Namjoom questionou-o.

-E-Eu... – Tirou a mão de onde a mesma se encontrava e virou o rosto. –... Eu iria na cozinha. – Disse em um tom baixinho.

- Você não pode sair sozinho pela Mansão, seu avô me mataria se o visse por aqui. – Sentiu seu queixo ser segurado pelos dígitos gélidos do outro. Seu rosto foi virado para Namjoom, que o olhava sereno . – Preciso me assegurar que você tá bem, não podes ficar perambulando pela Casa, sem minha companhia. – Ele ficou apreciando o outro por alguns segundos e sentiu que deveria o abraçar, assim fez.

O loiro estava em seu abraço, seu olhar surpreso por ter sido tomado pelo verde-ciano. E assim que retribuiu, passando seus braços por debaixo dos deles e colocando as mãos nas costas nuas  do outro. Sentiu este apertá-lo contra si. E  ambos soltaram-se depois de minutos, se afastaram-se. O de cabelos esverdeados colocara a mão na cabeça do outro, bagunçando os cabelos loiros do mesmo. Este teve seus lábios tomando a forma de bico, que na visão do outro, era adorável demais.

- Namjoom! – Exclamara, com uma expressão irritada.

- Vamos à  cozinha. – Sorriu, ignorando o que o outro havia o chamado com a voz alterada de forma forçada.

Em menos de alguns minutos, já estavam na cozinha. –

Jin bebia um copo de água que Namjoom serviu-lhe, um pouco envergonhado já que este parecia certificar que iria tomar o líquido do copo por inteiro. Assim que terminou largou o copo no balcão.

- O meu avô já está aqui? – Perguntou, assim que viu o outro pegar o copo e deixar na pia. 

-Ainda não, ele está resolvendo os negócios dele. – Este, voltara para perto da balcão, ficando do outro lado da mesma, como antes.

- Do quê se trata esses “negócios”?

- Lá sei, seu avô é um homem ocupado, não está muito pra conversas com funcionários como eu, a Sr. Lee e o restante.

- Desculpe pela inútil pergunta. Eu já deveria imaginar. – Sorriu, sem graça ao de cabelos esverdeados.

- Você parece uma ‘Princesa’.  -  Namjoom comentou. – Delicado e gracioso como uma, faltava ser uma garota e usar o vestido longo e elegante talvez cor-de-rosa. – Finalizou.

-“Princesa”!? – Jin arregalou os olhos, tendo suas bochechas coradas com o que o outro dissera sobre si.

-Sim, uma Princesa. -  O outro Kim cruzou os braços, rindo do loiro.

- Pode parar. – Apontou o indicador para o outro, tentando ficar sério. Assim que este parou de rir, deu uma risada baixa e logo parou.

Ambos estavam em silêncio, fitavam-se sorrindo de canto um para o outro. Namjoom virou o rosto, encarando um nada ao seu lado e isso deixou Jin confuso. O esverdeado sentia sua boca atrever-se em fazer uma pergunta da qual nem fazia ideia do por quê de fazê-la.  O loiro apenas ficara a observá-lo.

- Você já namorou, SeokJin? – Voltou a encarar o outro, vendo que este ficara com de boca aberta com a pergunta, falando ‘E’  em gaguejo.

- Não. – Jin ficou corado facilmente.  -  E v-você?

- Já. – Namjoom disse. -  A garota que você vira com a Sr. Lee e as outras mais cedo, Hyeong Chang , mas não deu muito certo, então... Você já sabe.

-Oh. Entendo. – Jin sentiu um desconforto ao saber de tal coisa. – Talvez não era para ser, até porque ela parece não ser o seu tipo , Namjoom. -  Disse ao outro.

- O meu “tipo”?

-Desculpe-me, acho que eu fui longe demais.  – O loiro se pôs a andar rumo a outro cômodo, mas sentira seu pulso ser segurado.

Olhara para o outro e este o olhava também. -   

Antes que ambos pudessem dizer algo um ao outro, um estrondo ecoou na Mansão. Namjoom soltara o pulso branco do outro, fora até o armário e abrira uma gaveta, tirando de lá uma arma, depois foi até  Jin  e  o colocou atrás de si, a manuseou a arma de forma correta, preparado para atirar. O loiro sentiu um pouco de medo, mas com o esverdeado ali, parecia estar protegido. Agarrou-se ao mais velho, abraçando e escondendo seu rosto entre o pescoço e o ombro deste.

Sentiu o perfume amadeirado do outro, que era incrivelmente bom e que fragrância combinava muito com ele. Jin continuara com seu rostinho escondido ali, praguejando-se por ter feito aquilo, mas sentia-se seguro daquela forma. Namjoom segurava a arma firmemente, enquanto olhava um pouco para o lado, tendo a visão do outro ali. Voltara seu olhar para frente, suas bochechas tinham ficado rubras.

Estava determinado a proteger o outro.

...


Notas Finais


NK: Espero que vcs estejam com vida, pq a Kai não resistiu ao capítulo. ~sorrindo~
K: K: Não é não. Calada, Mô. No wifi tem céu! Pera, é ao contrário... NO CÉU TEM WIFI E PÃO! -qq
NK: ~rindo~ OUSHE, bem, nos vemos brevemente, amores, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...