História Dangerous - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon, Sam "Wilk" Wilkinson
Exibições 55
Palavras 1.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Pact with Demond


Fanfic / Fanfiction Dangerous - Capítulo 25 - Pact with Demond


                      Ana POV 
Acordei ainda nos braços de Cole e vi que a porta estava se abrindo, não me mexi, caso tirassem eu ou ele de la seria o meu ultimo momento de quem me fez feliz nessa poha de cativeiro.
Olhei para porta e vi Sammy ali deixado comida e uma caixinha com remédios. 
-Cole... Acorda para eu limpar seus machucados!!!- eu disse e vi o mesmo acordar fazendo careta, por causa das dores, peguei as coisas na caixa de remédios que Sammy deixou.
-Vira...- eu disse e comecei a limpar seus machucados ele não gritava, nem se mexia, parecia que já tinha acontecido isso com ele antes, mas não vou fazer ele se sentir mal com alguma história de seu passado, terminado de limpar sentei de seu lado e comecei a observar ele comer.
-Ana você precisa comer, já faz três dias...- ele disse levando até minha boca um pedaço de pão.
Comemos, sinceramente eu estava faminta. 
-E o Dylan como está? - perguntei já com medo da resposta de Cole. 
-Ele também acha que você está morta... Quando sai da sala onde estava, eles estavam o torturando, mas não sei agora...- ele disse me levantei e dei um soco na parede. E sentei frustrada no chão. 
Não era pra isso estar  acontecendo. Preciso dar um jeito de não saírem mais machucados daqui, só a um jeito de ninguém mais morrer.
-VALAK, QUERO UM ACORDO!!!- eu berrava sabia que podiam nos ouvir, os tubos de ventilação levavam para  o interino da casa. 
Depois de um tempo vi Mad abrir a porta e colocar Dylan dentro da mesma, ele estava machucado, limpei seus machucados.
-Eu tenho um plano...- eu disse bem baixo para Valak não ouvir.
-Ana o que você decidir faremos também.- Dylan disse olhado em meus olhos.
-Tudo bem, vamos nós aliar a Valak... E depois ....- apontei uma arma imaginaria em minha cabeça e fingi um tiro. 
-Tudo bem...- ambos falaram juntos então me levantei a comecei a berrar.
-VALAK, QUEREMOS UM ACORDO!!!- eu berrei e pude ver a porta se abrir, Sammy, Nate e Cam cada um puxar um de nós três. 
Chegando em sua grande sala, pude sentir olhares de todos afinal estava apenas de calcinha e sutiã, Cole tirou seu casaco e me cobriu vesti o mesmo e ele se afastou de mim.
-Ana, ficou sabendo da grande perda que tivemos?- Valak perguntou e não me movi. Já não sentia nada, remorso, vontade de chorar, nada, apenas uma... Escuridão, frieza.
-Vamos direto ao assunto... O que você pode propor para mim? - perguntei já sabendo sua resposta.
-Que você se junte a nós...- ele disse e vi as meninas com cara de preocupadas, já não ligava, apenas queria salvar, quem ainda amo: Cole e Dylan.
-Tudo bem...- disse e fui surpreendida pela cara de todos ali presentes. 
-Você sabe que está fazendo um pacto com o  demônio  não sabe?- Valak pergunta chegado mais perto de mim.
-Eu já tenho um pacto com ele desde quando toquei em uma arma...- eu disse e me levantei e cheguei perto de Cole e Dylan.
-Tudo Bem... Sammy e Nate te levaram para sua antiga casa pegar suas coisas e vocês moraram com eles...- Valak disse e sai porta a fora com Cole e Dylan entramos no carro e começamos nosso caminho até em casa.
Senti uma mão segurar a minha e olhei para Cole que me olhava com proteção. 
Chegado nos portões de casa Nate e Sammy não entraram, graças a deus, assim posso fazer umas coisinhas antes de me aliar com o inimigo.
-Cole arruma as minhas malas, preciso fazer uns negócios ainda...- eu disse e o mesmo assentiu e eu fui para o escritório de meu pai. 
Sentei em sua mesa e comecei a dividir o dinheiro de seu império pelas várias contas nos paraísos fiscais( bancos) do exterior, suíça, Dinamarca... 
Saindo da sala encontrei o chefe da segurança.
-Ana sabemos que seu pai morreu e que esse império é todo seu...- ele disse mas não deixei o mesmo terminar de falar.
-Eu me aliei a Valak para vingar meu pai, vocês podem tirar um tempo de folga , mas quando eu voltar quero vocês como meus seguranças de novo...- eu disse e vi o mesmo saindo, mas se virou.
-Tome cuidado Ana, Valak não é o único que te quer...- ele disse e saiu dá-la me deixando com meus pensamentos.
-Ana estamos prontos...- Cole disse e deixou a mala do meu lado no final da escada.
-Que o inferno comece...- digo pego minhas malas e saio porta a fora, com os meninos atrás de mim, coloco as minhas coisas em um de meus carros e os meninos também, entramos no mesmo e sai cantando pneu de minha casa, os meninos vinham atrás de nos.
Passamos pelo grande portão.
Peguei minhas coisas, os gêmeos as deles e entramos naquela grande casa que agora me trazia raiva, sede de vingança...
-Vou mostrar os quartos de vocês...- Mad disse e  pegou uma de minhas malas mas puxei da mão da mesma e comecei a subir as escadas.
-Bom eu e Jake, estamos dormindo no mesmo quarto e Mad e Jack....- Lox ia dizendo mas não agüentava mais ouvir sua voz.
-Qual a merda de quarto? Chega de enrola o que vocês fazem ou deixam de fazer não me interessa...- eu disse seca e a mesma abriu a porta de dois quartos, um meu  e o outro dos gêmeos e saiu de la cabisbaixa.
Entrei no quarto e vou falar até que era bonito, branco com árvores desenhadas na parede e um closet que só por deus, peguei minhas 5 malas, e as coloquei dentro do closet, comecei a arrumar tudo, sim três horas se passaram, decidi ir tomar um banho pois estava ainda com apenas o moletom que Cole me dera para vestir hoje de manha. 
Entrei no banheiro me despi e senti a água quente descer por meus ombros, estava relaxando até ouvir batidas na porta, não me pronunciei.
-Ana o jantar está na mesa!!!- ouvi a voz de Cam berrar do outro lado da porta, senhor não se pode tomar banho em paz nessa bosta. Sai do box com meus pensamentos. Peguei uma calça de moletom cinza e um top da moschino, não estava conseguindo colocar blusa por causa dos cortes em minhas costas. 
Sai do meu quarto e ouvi a porta dos meninos destrancar também e estão apenas de calça de moletom, desço as escadas com as mãos de Cole em minha cintura. 
Vejo eles sentados a mesa de jantar e como não quero sentar com eles, pego um prato coloco a comida e vou até a cozinha vendo a empregada jantar sozinha, sento me ao seu lado e Cole do outro ela nos olha assustada e começa a levantar.
-Pode ficar... - eu digo e a mesma volta a se sentar no meio de nós.
-Eu sou a Diana...- ela fala e nos cumprimenta com um beijo na bochecha me fazendo sentir falta de Estela. 
-Sou Ana e esse esfomeado ai é o Cole...- eu digo e é o único momento que Cole para de comer para olhar para nós.
-Ta muito bom o que eu posso fazer? - eu e ela rimos e ele volta a comer após dar língua pra mim.
Eu e Diana voltamos a comer e realmente estava muito bom.
Mas Ana e aquela coisa de coração frio, calculista e tals? Então eu sou assim com quem merece, Sammy, Nate, Mad e esse povo ai. Mas Diana não tem culpa de nada, eu sou fria com quem me fez mal, por exemplo Cole, não fez nada e ajo normal com ele. 
Pensando nisso nem percebi que estavam todos na cozinha, terminei de comer e coloquei as minhas coisas na pia e subi para o meu quarto.
Estava deitada mexendo no celular, quando a porta de meu quarto se abre e Cole entra no mesmo e deita do meu lado.
-Cole posso te fazer uma pergunta?- eu perguntei ao mesmo por que aquilo não saia da minha cabeça.
-Pode claro!!!- ele diz e se senta na cama e o acompanho.
-Por que quando limpei seus machucados no cativeiro, você não sentiu dor nem nada e seu irmão também não?- perguntei e vi ele virar de costas para mim e apontar uma cicatriz que parecia que já estava ali por tempos.
-No meu treinamento e de meu irmão, nosso pai cortava nossas costas com a faca, caso errássemos os alvos, por isso não sinto dor em limpar...- ele disse e virou para mim, estávamos muito perto, puxei sua nuca e colei nossos lábios, não durou muito, por que entraram em meu quarto nos atrapalhando.
-Ana... Suas armas chegaram...- Sammy disse e saiu do quarto, puxei Cole pela mão e descemos. 
Cole e Dylan, pegaram suas facas e armas e eu peguei meu arco e minhas flechas e minha arma. 
Pedi para que o chefe da segurança, levasse as armas para casa de campo e as escondesse de novo no estábulo perto de Spirit. 
Assim vieram as minhas armas e as dos gêmeos e algumas a mais apenas por precaução, levamos para cima, não deixaria com eles, nem que Jesus pedisse. 
Levei para cima e as escondi em meu closet e os gêmeos também esconderiam algumas pelo quarto e uma em seu corpo, também fiz isso mas coloquei, uma de baixo do travesseiro.
Cole deitou do meu lado e envolveu seus braços em minha cintura e assim dormimos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...