História Dangerous - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Naruto, Ordem Assassina, Sakura, Sasuke
Visualizações 40
Palavras 1.559
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência, Yuri

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capitulo novo saído direto do forno❤

Capítulo 6 - Professor Willian


Fanfic / Fanfiction Dangerous - Capítulo 6 - Professor Willian

Os corredores estavam abarrotados de gente que iam para a mesma direção que a minha. O diretor da Universidade havia passado em todas as salas anunciando que precisava falar com todos no pátio central. Que estranho, ele nunca faz esses pronunciamentos e olha que estou a quatro meses na faculdade. Todos murmuravam suas teorias, mas na verdade ninguém tinha a menor ideia do que estava acontecendo.

-O que será que aconteceu?- Um garoto perguntou para seu amigo.

-Sei lá, acho que o diretor vai dispensar a gente das aulas.

-Ou talvez ele vai pagar pizza pra todo mundo!- Exclamou como se tivesse tido uma ideia brilhante. O garoto do seu lado gritou e os dois fizeram um toque bem ridículo.

Suspirei batendo a mão em minha testa, eu tentava manter a calma mas com esse punhado de idiotas na minha frente era impossível encontrar a paz. Absorta em meus pensamentos homicidas nem percebi quando Naruto chegou passando o braço em volta dos meus ombros.

-Eae Sakura.- Naruto me cumprimentou animado- Esse lance está muito estranho, o diretor mal aparece aqui ainda mais para fazer um pronunciamento.

-Verdade, isso realmente está estranho- concordei pensando no assunto.

Quando olhei para o lado quase levei um susto de ver Sasuke e a turminha da alegria. Ele sorriu para mim de um jeito estranho e isso me encomodou, parecia que ele estava achando ruim Naruto estar com o braço em volta do meu ombro. Como gosto de provocar as pessoas, passei meu braço em volta da cintura de Naruto e enterrei meu rosto em seu pescoço.

-Você tem um cheiro bom- Digo fungando em seu pescoço.

- E meu cheiro natural gata- Naruto brincou fazendo charme.

Não consigo conter uma risada e sou obrigada a tirar minha cabeça de seu ombro. Encaro Sasuke com uma expressão sacana e ele me olha com os olhos completamente cheios de ódio. Rio daquilo e para instigar mais um pouquinho dou um beijo no rosto do loiro. Sem esperar ver a expressão do moreno, saio rebolando. Ah mas eu amei ver a raiva expressa em seu rosto, nem sei porque ele ficou tão ofendidinho com minha atitide, somos apenas parceiros de crime e não amigos e peço a Deus que ele saiba diferenciar isso. Não preciso de um riquinho rancoroso caindo de amores por mim.

Finalmente cheguei ao pátio e olha, tinha tanta gente que estava difícil se locomover. Avistei Hinata e fui até ela. Quando a morena me viu apenas sorriu e me abraçou. Não consegui me mecher, eu estava estática. Ela me abraçou. Ninguém me abraçava, nem minha mãe. Hinata sorriu para mim e eu sorri de volta. Eu... eu me senti amada, mesmo que seja por míseros segundos eu senti que alguém se importava comigo.

-Bom dia. Eu não estaria aqui se não fosse algo de extrema importância.- Disse o diretor me tirando dos meus pensamentos.- Venho informar que o professor Willian morreu essa madrugada.

Metade dos alunos presentes gritaram de surpresa e eu quase gritei também. Ele não era meu professor mas sei bem para quem ele dava aula: Ino Yamanaka. Procuro pela dita cuja por toda multidão inquieta e a encontro ao lado de Sasori, um dos integrantes do Quarteto Fantástico. Ino apoiava sua cabeça no ombro do ruivo e vi que ela olhava direto para mim. A loira abriu um largo sorriso para mim e fez um gesto com as mãos, como se cortasse o próprio pescoço.

- É como ele foi morto diretor?- Ino perguntou com uma expressão de pesar e desespero. Aquela cobra merece o Oscar por ser tão fria. Acho que ela é até mais fria que eu.

-Algum ser humano desprovido de humanidade decepou sua cabeça. Ele foi encontrado em seu quarto semi-nu com a cabeça em cima da virilha.- O diretor explicava tentando conter a expressão de repulsa.- Quem e que tenha matado ele queria fazer um trocadilho.

- Agora ele passou a pensar com as duas cabeças ao mesmo tempo.- Ino sussurrou em meu ouvido.

Quase dei um pulo para trás quando a vi do meu lado. Como aquela criatura tinha chegado tão rápido aqui? Ela estava seria e não entendi o porque, estava tão sorridente até alguns minutos atrás.

-Porque você fez isso com o cara?- Questionei tentando entender a situação.

-Não foi a mulher dele que mandou mata-lo, foi uma aluna do meu curso.- Respondeu-me seria, só pela sua expressão era possível saber que era algo muito mais sério do que pensávamos.- Ele a estuprava.

-Estuprava uma aluna? Isso é errado independente da pessoa! Todos merecem respeito.- comentei indignada. Ainda não conseguia acreditar que um professor aparentemente alegre e extrovertido fazia a vida de uma aluna um inferno.

-Pelo que ela me contou, no primeiro semestre ela tirou uma nota muito baixa na matéria dele. Para que não ficasse de recuperação ela pediu para que ele passasse um trabalho para que recuperasse a nota mas o professor sugeriu outra coisa.-Ino contava séria. Era possível ver que por dentro ela estava cheia de ódio.- Ele a chantageou dizendo que se ela não ficasse com ele, iria reprovar em todas as matérias porque ele tinha poder para fazer isso.

-Caraca, esse professor era um mala.

- Sim e olha, ela já está no quarto periodo então quer dizer que tem quase dois anos que isso acontece. A garota já estava com depressão pois não aguentava mais ser submetida a tal ato deplorável, então preferiu matar ele ao invés de se matar.

-Então foi por isso que fez o trocadilho.

-Sim, e o fiz sofrer bastante.

A expressão de Ino era impassível,não revelava nada. Concordei é a abracei sem nenhum aviso prévio. No começo ela ficou estática sem mecher nenhum músculo, depois de alguns minutos Ino me envolveu em um abraço e apoiou sua cabeça em meu ombro.

-Eu sei que você passou por isso também, mas não se preocupe agora eu estou aqui.- Disse passando as mãos em seu cabelo.

- Meu próprio tio tirou minha inocência, alguém que eu considerava como um segundo pai.- Sua voz não revelava nada, era fria como um iceberg.- Por isso sou tão fria e impiedosa. Ele tirou tudo que tinha de bom em mim quando fez aquilo.

Ino me soltou e sem olhar em meu rosto saiu andando rumo aos dormitórios. Não vou pertuba-lá, sei que precisa ficar um pouco sozinha. Nunca imaginei que ela havia passado por isso, muitas vezes é só questão de conhecer as pessoas a fundo para ver que nem tudo que parece é.

~~~~~~~~~~~~~~♤~~~~~~~~~~~~

A cafeteria não se encontrava muito movimentada e eu estava achando isso ótimo. Estava com um trabalho enorme para fazer e em pouco tempo. Ainda lendo uma tese, levei meu café expresso aos lábios e quase o joguei longe, pois estava quente e queimou minha língua. Forte do jeito que eu gosto, só assim para me dar ânimo para fazer esse trabalho gigantesco.

Meus olhos passavam por cada linha daquele texto tentando analisar tudo, todo detalhe era crucial para minha própria tese. Estava tão absorta em minha leitura que nem percebi quando alguém sentou ao meu lado.

-Oi Sakura.- A pessoa me comprimentou.

-Cai fora.- Respondi sem tirar os olhos do papel.

-Nossa Sakura, e assim que você trata seu parceiro de crime.- Ironizou ofendido. Só foi preciso ele dizer isso para eu saber de quem se tratava.

-Ah e você Sasuke. Desculpe meus modos, vou tentar ser mais gentil.- Disse sarcástica.- Você por favor poderia dar o fora daqui?

-Você e muito grossa menina, seu pai não te ensinou bons modos?

-Hm não mas ele me ensinou a matar, será que isso é o bastante para você?

-É.- foi a única coisa que em me disse.

Sasuke me olhava de um jeito estranho, como se fosse admiração e fascínio. Aqui realmente me deixou sem palavras. Eu estava fazendo de tudo para afasta-lo e parece que cada tentiva o trazia para mais perto de mim. Suspirei cansada e prestei atenção no que ele ia me falar.

-So vim aqui perguntar a hora em que vamos nós encontrar para observar Itachi.

-Quando for 17:30 me encontre naquela mesma praça.

Ele concordou com a cabeça tomando um gole do meu café. Quem aquele atrevido pensava que era? NINGUÉM toca no meu café! Sasuke olhou para o copo e fez cara feia, provavelmente o MEU café estava muito forte para a florzinha do campo.

-Você e linda sabia?- admirou ainda olhando para o copo.

Olhei para ele pasma, Sasuke Uchiha estava me cantando? Isso com certeza era estranho. De subto uma ideia invadiu minha cabeça e tive que me segurar para não rir. Olhei para ele da forma mais provocativa possível e me aproximei, encostando minha boca em seu ouvido. Respirei no mesmo e pude perceber que ele arrepiou com meu gesto.

-Sou é?- sussurei provocativa.

      Sasuke apenas balançou a cabeça concordando. Comecei a deixar uma trilha de pequenos beijos em sua bochecha e a cada momento eu me aproximava mais de sua boca. Quando eu estava chegando em seus lábios, dei uma pequena mordida em sua bochecha e me afastei. Peguei meus livros e me levantei indo em direção a porta. Curiosa com tudo isso, me virei e olhei na direção de Sasuke e tive que me segurar para não rir. Ele estava com a maior cara de bobo, como se não acreditasse no que tinha acontecido. Fiz uma cara de safada e mandei um beijo em sua direção. Com certeza eu me divirto muito quando estou na presença do Uchiha.


Notas Finais


Espero que tenham gostado*-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...