História Dangerous Call - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Lily Collins, Nina Dobrev
Personagens Justin Bieber, Lily Collins, Nina Dobrev
Tags Ação, Ameaça, Assassinato, Criminal, Justin Bieber, Lily Collins, Morte, Nina Dobrev, Prisões
Visualizações 111
Palavras 1.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLO, IT'S ME!!

Não vou falar muito, porque não tem muito o que falar, então, BOA LEITURA!

Capítulo 3 - Bitch's!


Atlânta, April 08, 2016

17:05 P.M.

Point of View - Justin Bieber

Vadia!

Vadia!

Vadia!

Mil vezes vadia!

Quem essa garota acha que é pra desligar na minha cara dessa maneira?!

Pior!

Me chamar de idiota?!

Eu quero a cabeça dela! - isso não vai ficar assim.

– O que? Não, claro que não, nós precisamos dela! - o encarei sério e ele explodiu na gargalhada outra vez.

Já tô de saco cheio disso.

– Cala a porra da boca! - gritei e joguei o celular na cara dele. – Eu quero a cabeça dela e ponto.

– O que você acha que tá fazendo, Bieber? - disse, passando a mão pelo nariz, tirando os resquícios de sangue. – Agindo desse jeito, acha que vai conseguir a confiança dela?

– Tô pouco me fodendo pra confiança daquela estúpida. - dei de ombros. – Ela me tirou como otário, e não vai ficar por isso mesmo. - levantei e caminhei até a grade, enroscando os meus braços nela.

– Para de agir feito um idiota e pensa no que você tá fazendo, Bieber - vai começar o blá blá blá. – Nós precisamos dela viva pro plano da certo, se ela morrer agora, vai tudo por água abaixo, você sabe que ela é a "jóia rara" do papai, né?! - assenti. – Então brô, pensa direito nesse negócio aê de ‘quero a cabeça dela’.

– Quero saber tudo sobre ela. - virei o rosto para encará-lo. – Se não posso ter a cabeça da "jóia rara" do papai, - revirei os olhos. – quero a de alguém próximo dela.

– Tudo bem, - suspirou e eu voltei a encarar o nada do outro lado da sela – pelo menos já é alguma coisa. Vou mandar o Somers investigar sobre ela.

– Ótimo, quero isso pra hoje. - virei e fui até a cama. – Vou dormir um pouco.

April Katherine Campbel del Blunck, 19 anos, cursa o segundo semestre de psicopedagogia, namora com um tal de Chad Alcanett Villages. Ela é fruto do segundo casamento de Richard An del Blunck com a sua atual mulher, Sabrinnie Campbel del Blunck, - deu uma pausa virando a folha que estava em suas mãos. – ah, tem uma meia irmã, por parte de pai, Abbie Victória Detrokn del Blunck, 21 anos, cursa o penúltimo semestre de direito, namora com o irmão mais velho de Chad, Emmitt Alcanett Villages. Ela é fruto do primeiro casamento de Richard e Angelina Detrokn Fidhag, uma prostituta alemã que deu o famoso “golpe do baú” nele. - bem esperta essa aí – April tem duas melhores amigas, Edith Rincks Dants e Hanna Berarin Hews, elas cursam o mesmo curso de April…

– Tá, tá, tá, já chega, - o interrompi. – só falta você dizer qual é o tipo sanguíneo dela! - ironizei revirando os olhos.

– “O” negativo. - o encarei incrédulo. – O que? Você mesmo que disse que queria saber tudo sobre ela. - ergueu os braços em forma de rendição.

– Idiota. - revirei os olhos. – Tem o número do Beadles aí?

– Huh… Se “chefe da porra toda” for ele, acho que tem. - gargalhou.

– Onde foi que você achou essa merda, pelo amor de Deus? - perguntei negando com a cabeça.

– O retardado do Chaz ficou responsável por colocar os contatos aqui, - tinha que ser. – eu só fiz a encomenda. - se defendeu e voltou a vasculhar o aparelho.

– Esse bosta não tem um pingo de juízo. - fechei os olhos e, instantaneamente, lembranças daquele dia me atingiram.

Flashback On

– Adianta aí, galera, eles estão alcançando vocês! - Will gritou pela escuta e eu afundei ainda mais o pé no acelerador. – Virem na segunda entrada à direita, depois de uns duzentos metros, vocês vão ver um terreno baldio, passem por dentro dele, logo acharam uma rua sem saída, voltem por ela com a velocidade máxima, depois dobrem a esquerda e encontrarão um prédio abandonado, ao lado dele haverá outro terreno baldio, dêem a volta nele, escondam os carros no matagal atrás do prédio e entrem.

– Ok! - todos concordaram.

O barulho de todas aquelas sirenes estava me deixando nervoso, eu suava frio e apertava o volante com uma força sobrenatural. Eu não posso ser preso, não agora.

– Já estou vendo o primeiro terreno! - Logan avisou.

– Estamos logo atrás de você. - Antonny e Thomas responderam.

– Onde está o babaca do Ian? - acho que o Thomas perguntou.

– Se fuder, Thomas. - Ian rebateu.

Que idiotas.

– Parem de picuinha vocês duas, e adiantem. - os apressei e pude ouvir umas risadas, logo todos se calaram.

Já podia ver o primeiro terreno, acelerei mais, passei por ele virando por onde Will tinha falado.

Avistei o prédio abandonado no final da rua e um arrepio intenso passou pelo meu corpo.

Deve ser a adrenalina!

O barulho dos motores potentes roncando a cada acelerada e o cheiro de borracha queimando no asfalto era inebriante, eu adoro tudo isso.

– Rápido! Eles estão na cola de vocês! - Will avisou.

– Eu trabalho melhor sobre pressão! - me gabei

– Nem se acha essa bicha platinada! - Ryan se pronunciou.

– Se ferrar, Butler.

Passei pelo segundo terreno, indo em direção aos fundos do tal edifício, logo em seguida avistei o matagal. Estacionei o carro de qualquer jeito atrás de uma grande moita sendo seguido por mais quatro carros pretos idêntico ao meu.

– Vambora cambada de arrombado! - os apressei.

- Calma aê, apressadinho, vai casar é? - revirei os olhos com a piadinha sem graça do Klenty.

- Deixa o Bieber em paz, Logan. - Ryan avisou dando tapinhas nas costas dele.

Apertamos o passo em direção a entrada dos fundos daquele lugar, mas, assim que entramos na ala principal fomos surpreendidos por centenas de armas sendo destravadas.

– Mãos para o alto, estão todos presos!

– Desculpa galera, mas eu escolhi ficar no lado dos mais fortes! - a voz do Will ecoou pelo meu ouvido e foi aí que eu entendi tudo.

Era uma emboscada!

Flashback Off

– Esquece isso, Bieber.

– Como você sempre sabe no que eu estou pensando? - franzi o cenho.

– Sabendo ué, somos parceiro à tanto tempo que sei até o que sonhou… - arregalei os olhos e ele gargalhou alto. – Você estava gemendo o nome da servente gostosa, deduzir que… E... Agora, com a cara que você fez, acabo de ter a certeza que foi exatamente isso. - explodiu na gargalhada.

Peguei a pequena adaga que estava escondido num buraco secreto debaixo do meu colchão e joguei na direção do seu rosto.

Tá maluco, Bieber? - gritou.

– Na próxima, eu não erro.

– Idiota! - reclamou, puxando a adaga da parede. – Se essa adaga pegasse em mim, Bieber, você seria um homem morto.

– Não tenho medo da morte, meu caro amigo. - fechei os olhos.

– Você é um babac- um barulho de celular apitando o interrompeu. – Olha, mensagem do Beadles! - abri meus olhos para encará-lo.

– Como você sabe que é dele? - arqueei a sobrancelha.

Chefe da porra toda! - revirou os olhos.

– Mas é um pal no cu mesmo! - neguei com a cabeça. – O que tá esperando pra ler esse caralho?

– Tá com pressa?

– Não, mas a adaga esta na minha mão, quer perguntar pra ela se ela está com pressa?

– “Não façam besteiras, garotos, sei que estou devendo algumas informações pra vocês, mas estou com outros problemas e eles estão tomando o meu tempo. Sei também que o Somers já deu o número da garota pra vocês, então tenham cuidado, o pai dela esta muito bem protegido, descobrir que ele coloca escuras escondidas nos telefones das filhas sem o consentimento delas, uma medida de segurança bem posta, então pensem bem no que vão dizer e fazer. Em duas semanas eu estarei voltando pra ir, e espero não encontra nenhum problema ou reclamações dos outros carcereiros em relação ao Bieber. Ryan, cuida direito desse cabaça dura, eu conheço o gênio da garota, e sei que ela não é dessas que abaixa a cabeça pra qualquer um, então já sabe, né? Qualquer decisão impulsiva que o Justin tomar, tipo, querer a cabeça da garota, não a execute, isso multiplicará os meus problemas por mil. É isso. Qualquer coisa eu entro em contato com vocês.


Notas Finais


Tá aí mais um capítulo, espero que gostem, e obrigado pelos 14 favoritos, fiquei muito feliz!! Amo vocês sz.

ATÉ A PRÓXIMA! !

COMENTEM O QUE VOCÊS ESTÃO ACHANDO! ! É MEGA IMPORTANTE.

Minha outra fic: https://t.co/LMm9jE2YOv
Meu tt: @TRUSTITUEI
Dêem rt/fav aqui pra ajudar na divulgação da fic criminal: https://twitter.com/TRUSTITUEI/status/747120696849989632
Dêem rt/fav aqui para ajudar na divulgação da fic cliche: https://twitter.com/dallaswoIf/status/701781437578665984


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...