História Dangerous Castle - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Clace, Malec, Sizzy
Visualizações 115
Palavras 1.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Dangerous Castle - Capítulo 4 - Capítulo 3

 

Capítulo 3

Temos um chamado.

 

Logo pela manhã Magnus recebeu um e-mail de Luke, era sobre um processo sobre desmembramento de uma parcela de polícias que vende yin fen, é óbvio que havia mais membros, mas eles prenderam boa parte dos cabeças, o que faria diferença caso eles soubessem manejar o caso.

Depois de ler sobre o caso, ele seguiu para o distrito.

Magnus já havia trabalhado com Luke, mas não nessa divisão, era um trabalho mais calmo, depois Luke foi transferido para o esquadrão suicida, ou como era conhecida a corregedoria e Magnus para a unidade de vítimas especiais.

Ninguém sabia ao certo qual era o motivo do afastamento de Magnus, ele nunca deixou que a bebida atingisse o seu trabalho, por isso não era considerado um alcoólatra, mesmo assim, ele estava no limite e não queria passar por ele. Quando viu que estava num caminho sem volta, quando se pegou querendo beber no trabalho, ele se afastou.

Ao adentrar o lugar, ele seguiu em direção à sala de Luke.

- Graymark. –Cumprimenta, adentrando a sala de Luke.

-Bane. –Cumprimenta, levantando-se.

-Yin Fen? –Pergunta, deixando a sua pasta em cima da cadeira. –Posso indicia-los por formação de quadrilha, homicídio e trafico, mas vocês estão longe de acabar com isso. –Afirma, olhando-o nos olhos.

-O que precisa? –Pergunta, suspirando.

-Ir mais afundo... Descobri quem é a fonte e se é da policia ou se é de fora. –Comenta, apontando em direção a Luke.

-A parte da narcóticos diz que começou fora, mas policiais acabaram com os cabeças e estão manipulando toda a produção e distribuição. –Revela e Magnus concorda com a cabeça.

-Vou indiciar os que têm na mão, mas vão a fundo... Bem mais fundo, senão vai ser como cortar a cabeça de uma hidra... Corta uma, aparecem três... Há um chefe e nós temos que encontrar quem é. –Aconselha, recolhendo a sua pasta e saindo da sala, porém um loiro impede, fazendo-o parar de andar.

Magnus lança um olhar para o loiro, que o faz recolher a mão e encarar Luke.

-Você deveria estar de folga. –Acusa Luke, encarando o loiro.

-Não tenho vida. –Afirma, debochado. –Ok, estou fugindo de Imogen, ela está preocupada com o neto dela. –Diz, sarcástico, recebendo um olhar descrente de Luke. –Na verdade, estou aqui para entregar o resto do relatório, já que Alec tem um almoço em família. –Resmunga, sentando-se e colocando os pés em cima da mesa.

Magnus encara Luke e o mesmo nega com a cabeça, voltando o seu olhar para Jace, que estava encarando Magnus atentamente.

-Jace, este é Magnus Bane, promotor. –Apresenta Luke, apontando em direção a Magnus.

-Eu já o vi antes... Na casa de Imogen, eles estavam discutindo. –Revela, cruzando os braços. –Precisa ter muito peito para enfrenta-la, ela não é do tipo que perdoa, é do tipo que prende por desacato. –Garante, divertido.

-Você deve ser Jonathan Herondale, o neto rebelde de Imogen. –Revela e Jace coloca um sorriso debochado nos lábios.

-Óbvio que já ouviu falar de mim... Não sou do tipo que se esquece com facilidade. –Afirma, descontraído.

-Modesto ele, não? –Pergunta Magnus, encarando Luke, que ri.

 

***

 

Alec se encarava no espelho, ainda conseguia sentir o cheiro forte de tinta de cabelo, mas estava agradecido por ter a cor do seu cabelo de volta, assim como não precisar mais usar lentes de contato.

-Você está mesmo se encarando no espelho? –Pergunta Izzy, divertida.

-Tive que pintar o cabelo dessa vez. –Responde, resmungando, arrancando uma risada da irmã, porém Alec observa a sua mão tremer.

-O que aconteceu? –Pergunta, pegando a mão de Izzy e a observando engolir em seco.

-Não foram meses fáceis. –Responde, suspirando.

-Vai me contar o que está acontecendo? –Pergunta, analisando-a.

-Não hoje. –Responde, beijando a bochecha do irmão, no segundo que ouve os saltos de Maryse na escada.

Maryse e Robert estavam numa bolha só deles, fazendo com que Alec prestasse atenção na conversa.

-Magnus está na cidade? –Pergunta Maryse, surpresa.

-Voltou ontem e já está trabalhando. –Responde, animado.

-Mags voltou? –Pergunta Izzy, animada.

-Conhece? –Pergunta Alec, confuso.

-Óbvio que sim, é o colega de trabalho mais interessante do papai. –Responde, animada. –Agora que ele está solteiro, pretendo conhecer intimamente se é que me entende. –Comenta, maliciosa.

Alec a encara confuso, sem entender o que havia acontecido para o amor entre Izzy e Meliorn acabasse desse jeito.

-Isabelle. –Repreende Maryse, com uma expressão fechada.

-Você não tinha namorado? –Pergunta Alec, chamando a atenção de todos.

Foi nesse momento que Robert e Maryse perceberam que ele estava em casa e se aproximaram do filho mais velho, abraçando-o.

-Fico feliz que esteja em casa. –Comenta Maryse, alisando as suas costas e beijando a sua bochecha.

-Também, mas... Eu ainda quero saber o que aconteceu. –Afirma, encarando Izzy e fazendo Maryse suspirar.

-Vai por mim, estou tentando tirar delas há meses, mas infelizmente não poderei estar aqui para presenciar a sua tentativa... Tenho uma audiência. –Avisa, saindo de casa e Alec vira-se em direção as duas.

Alec sabe que não pode cobrar nada de Isabelle, não quando ele sempre está ausente e ela sabia que era só uma ligação que ele largaria qualquer coisa para socorrê-la.

-O que aconteceu? –Pergunta, cruzando os braços atrás do corpo.

-Hum... Ele não me ajudou, eu acabei... Perdendo o bebê e estou tentando superar isso. –Responde Izzy, coçando a garganta, quando Alec sente o seu celular vibrando, mas a revelação foi tão chocante que Alec não conseguiu se mexer.

-O quê? –Pergunta, irritado. –Por que não... Por que não me ligou? –Questiona, aproximando-se de Izzy, alisando o seu rosto.

-Não queria atrapalhar o seu trabalho. –Responde, suspirando.

-Não atrapalharia, sabe disso. –Diz, puxando-a para um abraço.

O celular de Alec voltou a tocar, mas ele continuou ignorando, até que o de Izzy tocou e ela atendeu.

-Jace, o quê... Ok. –Sussurra, passando o telefone para Alec.

-Não é um bom momento, Jace. –Avisa, alisando o rosto.

-Triplo homicídio... Envolvendo Clarissa Morgenstern, uma policial das vitimas especiais e como havia indícios de Yin Fen, Luke nos quer no caso. –Revela, sério. Sério demais, normalmente, Jace faria uma piada sobre o assunto, mas essa piada não foi contada.

-Por que está tão sério? –Pergunta, direto.

-Ela é irmã do Sebastian. –Responde, direto, no segundo que Max entra e se aproxima de Izzy, cumprimentando-a animado.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...