História Dangerous Destination- Delena - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Andie Star, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Jenna Sommers, Klaus Mikaelson
Tags Damon Salvatore, Delena, Elena Gilbert, Ian Somerhalder, Nian, Nina Dobrev, Paul Wesley, Stelena, The Originals, The Vampire Diaries
Visualizações 53
Palavras 1.498
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Home


Sou uma fênix na água

Um peixe que aprendeu a voar

E sempre fui uma filha

Mas as penas são feitas para voar

Então estou desejando, desejando ainda mais

É só que eu preferiria estar causando o caos

Que a animação venha

A deitar-me sobre a ponta afiada desta faca

Leve-me a algum lugar real

Com cada pequeno desastre

Deixarei as águas se acalmarem

É onde você vai quando está sozinho

Porque dizem que lar é onde o coração se grava em pedra

É onde você vai

para descansar seus ossos

Contanto que estejamos juntos, importa aonde vamos?

(Home-Gabrielle Aplin)

Ao colocar os pés para fora do aeroporto de sua cidade natal, ela deveria se sentir bem por estar de volta, não é? Para Elena também seria o certo, mas oque sentia era o receio de saber oque estava lhe esperando aparti de agora naquela pacata cidade. Sem contar que vinham novamente todas as lembranças que ela se obrigou a esquecer, pois não a trazia bons sentimentos e as deixou cair no “esquecimento. Sua cabeça estava a pensar em várias possibilidades, mas nenhuma fazia algum sentido naquele momento.

A ventania gélida e macia que acariciava seu rosto como se quisesse dizer “Bem vinda de volta à casa, pequena” e bagunçava seus longos e castanhos cabelos. Tanta saudade daquele local que não cabia em seu peito. Por que não havia voltado para ver como estavam seus pais se estava a sentir tantas saudades ?

A explicação era óbvia, não queria relembrar o seu passado igual estava fazendo agora. O sentimento de tristeza e humilhação vinham à tona, como se tudo que tivesse acontecido há anos atrás estivesse acontecendo novamente diante de seus olhos. Balançou a cabeça ao perceber como estava perdida em seus pensamentos e olhou para trás vendo Stefan que acabara de terminar um telefonema da empresa, vindo em sua direção. Logo parando em sua frente dizendo:

- Tudo bem com você?

-Sim, claro! Só que este lugar me traz lembranças boas demais e tristes demais ao mesmo tempo, sabe disso.

-Se estiver se sentido mal, me diga ok ? Pegaremos o primeiro vôo com destino à nossa casa.- disse segurando a face da morena carinhosamente.

-Tudo bem, Stefan. Não se preocupe, qualquer coisa irei te avisar. Eu estou bem com tudo isso, certo?- acariciou as mãos grandes que estavam em seu rosto e roubou um beijo do esposo.

-Me espere aqui, irei chamar um táxi para nos levar ao hotel!


Viu o homem de costas largas se distanciar, indo em direção à um senhor que aparentava ter uns 60 anos e falando algumas coisas, provavelmente negociando a corrida. Elena estava admirada com o quanto que a cidade havia mudado, não era assim desde a última vez que havia vindo. Foi tirada de seu pensamento por um assobio de Stefan como forma de a chamar para adentrar o táxi.


Ao entrar no veículo prestou atenção em todos os detalhes daquela tarde de inverno em Mystic Falls através da janela. Pessoas tão ocupadas e apressadas atravessando a faixa de pedestre, tão desligadas de tudo. Aquilo sim era um grande erro da atualidade, a tecnologia havia tornado as pessoas em robôs, que suas vidas eram sempre uma constante rotina. Aliás, sua sobrevivência dependia daquilo, o trabalho. Visualizando ainda a imagem da cidade pela janela, passaram por uma pracinha onde Elena focou a atenção em um casal que brincavam de uma forma descontraída com sua filha. Esta simples cena fez os olhos de Elena marejarem e só assim então percebeu o quanto de saudades que estava a sentir sua família, seus pais e seu irmão.

Como se tivesse acendido uma lâmpada em cima de sua cabeça, a morena se sentiu na obrigação de atrapalhar a conversa de seu amado com o motorista de uma forma afobada:

-Senhor, por favor pare o carro!

Automaticamente Stefan virou sua atenção à morena que escrevia algo em um pedaço de papel enquanto o carro estava parado em uma esquina. Acabando de escrever, entregou o papel ao motorista dizendo:

-Nos leve a este endereço, por favor!

-Para onde está nos levando, Elena?

-Para casa, Stefan! Lugar de onde nunca deveríamos ter saído.- disse convicta de sua escolha.

-Tínhamos combinado que só iríamos voltar quando tivéssemos acabado com nosso problema.

-Mudança de planos!




(...)

Já parados e com as malas nas mãos em frente a casa branca de dois andares, Stefan olhou para Elena perguntando:

-Tem certeza disso?

-Já estamos aqui, não tem mais como voltar atrás.

Pegou na mão do marido e foi caminhando em direção à porta de madeira que ao lado tinha um campainha prateada. Elena com toda coragem que havia tomado desde que estava em frente a casa, apertou-a e apertou os olhos esperando que alguém a abrisse.

-Já estou indo- disse uma voz doce.-Você não tinha me dito que voltaria de viagem apenas...- A mulher ruiva que acabara de abrir a porta estava parada no mesmo lugar com os olhos arregalados, como se estivesse vendo um fantasma.

-Mamãe?- disse Elena com os olhos marejados e estendendo o braço para um abraço à sua figura materna.

-Minha filha!- falou se entregando ao abraço de sua filha.

-Jenna, pensei que não estivéssemos esperando visitas... Filha ?

-Pai!- disse se jogando nos braços de seu pai, o abraçando com toda a saudade que guardou no peito diante todos estes anos.

-Onde esteve por todo esse tempo? Oh céus, como estava com saudade de você. Como cresceu!

-Bom, isto posso explicar depois. Mas queria “apresentar” a você meu marido, Stefan!

-Marido? Então foi por isso que fugiram? Rapaz, eu lhe juro que minha vontade e de te da um soco no meio da sua cara. Elena, se quisesse ficar com ele bastava nos dizer, entenderíamos. Mas fugir? Nunca te ensinamos e nem te damos motivos para fazer isso!

-Pai, eu lhe juro que depois que souber da história completa, não é do Stefan que irá ficar com raiva. Mas primeiro, posso abraça-los novamente ?- disse estendendo os braços.





(...)

-Então quer dizer que fugiu de casa por causa de Damon?- disse Jenna entregando à filha uma xícara de chocolates quente.

-Sim, mamãe. Mas eu era muito jovem e não tinha noção do que estava fazendo. Hoje percebo que foi a pior coisa que já fiz. Mas tenho sem essa escolha, não teria me transformado no que sou hoje.- Deu um gole considerável na bebida- Peço perdão por tudo que os fiz passar!

-Filha, se tivesse nos dito teríamos resolvido isso- disse Alaric apertando a mão livre da filha.

-Mas e você e Stefan, como aconteceu? Nunca que iria imaginar os dois juntos.

-Nem eu, mamãe! Mas aconteceu de um forma mágica e incomparável. Stefan é o homem que toda mulher deseja!- disse dando um sorriso carinhoso ao esposo.

-Que lindo, filha. Fico muito feliz por vocês dois, mas quando pretendem me dar um neto?

Nessa hora Elena ficou vermelha, havia jurado nunca falar sobre esse assunto que tanto mexia com sua cabeça: FILHOS.

-Ah mamãe, ainda está cedo para isso. Mas me diga, como está Caroline? Faz tempo que não vejo a loira!

-A mesma de sempre, uma ótima pessoa. Sempre vem me visitar, e todas as vezes fala o quanto sente sua falta.

-Céus, como me arrependo de fazer isso com vocês!

Nesse momento a campainha toca e Elena se levanta dizendo:

-Deixem que eu atendo-Falou indo em direção à porta.

Chegando lá e abrindo a porta deu de cara com uma pessoa que não estava em seus planos ver tão cedo.

Sem reação alguma, Elena ficou parada na porta com cara de tacho observando atentamente a figura à sua frente. Esta pessoa certamente estava bem mais linda do que como se lembrava.

Stefan que estava conversando animadamente com seus sogros, foi espantado por um grito agudo vindo da sua porta. Como reflexo se levantou tirando a arma do bolso, indo em direção à porta. Sendo surpreendido ao não ver ninguém na frente da casa, olhou para os lados e viu Elena deitada no chão abraçada com uma loira que a apertava cada vez mais. Deu para perceber que estavam chorando.

-Elena?

A morena e a loira se levantaram do chão com os rostos vermelhos de chorar e olharam para o rapaz sorrindo.

-Stefan, esta é Caroline!-A abraçou novamente.

-Como estava com saudades de você, Elesma! Nunca mais me faça passar por isso! Não foi um pedido e sim uma ordem! Se fizer novamente, juro que arranco teus cabelos.

-Céus, Elena. Você me assustou com esse grito, pensei que tivesse acontecido algo!

-Relaxa, Stefan. Nunca faria nenhum mal à minha melhor amiga!- deu uma piscadela e entrou na casa logo após Elena, deixando Stefan sozinho parado na porta.













“Um dia você aprende que as verdadeiras amizades continuam a crescer, mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem tem na vida. Aprende que não temos que mudar de amigos, se compreendermos que os amigos mudam.”

Veronica Shoffstall


Notas Finais


Desculpa por esse mini infarto aí gente kjkjkjkjkjkjkji
O encontro tão esperado está quase para acontecer, esperem mais um pouco kjkjkjkjkjkjkji
O friendship que você respeita está de volta sz
Até o próximo capítulo amores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...