História Dangerous Friendship - Capítulo 70


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Hentai, Romance
Exibições 18
Palavras 1.150
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oieeeee, voltei...
Agora começa o jogo desses dois, o Jorge e Stacy....

Capítulo 70 - Efeito Stacy


2 semanas depois…

POV Stacy on

As sessões de fisioterapia tinham começado e o Jorge parecia completamente obcecado para que eu desse um pouco de atenção na sua presença. Ele apareceu na nova sessão de fisioterapia. Eu estava fazendo sessões todos os dias e ele cada vez parecia mais desesperado por um pouco da minha atenção. Eu era fria com ele, muito fria.

- Eu hoje posso fazer a sessão de hoje. – o Jorge disse calmo, aparecendo na salinha da fisioterapia.

- Eu não quero você, me fazendo nenhuma sessão. Eu não quero a sua ajuda, já disse isso na sua cara. – eu disse séria.

- Stacy, o Jorge é muito bom na reabilitação. – o Diogo disse me olhando.

O Diogo era o meu fisioterapeuta, que estava cuidado de mim.

- Diogo, eu confio no seu trabalho. Não preciso desse cara me dando sessões de nada. – eu disse fria.

- Eu vou dar hoje a sua sessão, já disse isso. – o Jorge insistiu.

- Não vai me tocar nem com um dedo. – eu disse.

- Vai gritar!? – ele disse rindo.

Eu acho que quase o queimei com o olhar. Ele se aproximou de mim, pedindo ao Diogo para sair.

- Diogo, volta aqui. – eu pedi séria e furiosa.

- Você fica sexy, furiosa. – ele disse baixo e riu divertido.

- Você não tem noção de nada, Jorge! – eu disse e joguei uma garrafa de água gelada na cara dele. – Eu já disse, que você não tem qualquer chance mais comigo! – eu disse. – Essa água foi só o começo. – eu disse baixo no seu ouvido.

- O que aconteceu aqui!? Doutor Jorge! Tá todo molhado! – a ajudante dele disse aparecendo preocupada.

Eu fingi começar a chorar.

- Ai, escorregou. Me desculpa! Eu não tive i-intenção…molhar…-eu disse soluçando e o Jorge me olhou chocando não acreditando no que eu estava fazendo.

- Stacy…- ele disse chocando vendo a garota sair preocupada para pegar uma toalha.

Naqueles minutos ficamos sozinhos de novo e ele me olhou chocado.

- Isso não foi nada. Foi só uma amostra pequena. – eu sussurrei para ele. – É bom, não encostar em mim. Não sabe o que fez e com quem se meteu. – eu disse e ele parecia incrédulo.

- Eu não quero a sua pena! Eu não quero que encoste em mim. – eu disse com raiva. – Isso é o começo. – eu disse.

- Não vou desistir. Eu vou fazer essa sessão! – ele disse sério e bravo.

- Você não aprende! Só vai se queimar mais. – eu disse rindo.

- É bom que se concentre nos exercícios. Eu amo me queimar, Stacy. Amo me queimar com você. Ainda não percebeu, que eu amo me queimar mas só quando é com você. Com quem vale a pena, vale a minha atenção. Eu só descobri tarde demais, isso. Essa verdade. – ele disse.

- Doutor Jorge, sua toalha. – a garota disse entrando preocupada.

- Obrigada. – ele disse sério e puxou a minha cadeira.

- Vamos treinar seu equilíbrio e sua força hoje. – ele disse e tentou me sustentar de pé quase colados.

Ele me apertava tão forte contra ele, segurando tão firme a minha cintura com as suas mãos grandes e fortes.

- O que está fazendo!? Precisamos estar tão juntos!? – eu disse muito brava e ele parecia se divertir.

Filho da mãe! Ainda fica se divertindo com a minha cara.

- Eu posso não ter ainda força nas pernas, mas eu tenho nos braços, Jorge. – eu disse irritada.

- Você não vai conseguir fazer nada. – ele disse baixo. – Adoro você brava, fica com um brilho. Me deixa maluco, sabia!? – ele sussurrou.

- Eu sei que eu te deixo bem louco, né!? – eu disse bem baixo me aproximando mais dele.

Vamos jogar, então! Adoro esse jogo!

- Muito e com essa atitude determinada, me deixa louco. – ele disse e eu ri sarcástica.

- Eu sei. – eu disse e me apoiei melhor nele e baixei a minha mão, entrando com a mão dentro da calça dele, estimulando bem o seu amiguinho.

Eu escutava os gemidos do Jorge bem descontrolado no meu ouvido.

- É isso que você gosta, né!? – eu disse sedutora e ele inclinou a cabeça para trás fechando os olhos.

- Hum…mais – ele sussurrou. – Não sabia que você era assim. – ele sussurrou e eu ri sarcástica.

- Eu não sou, seu idiota. – eu disse apertando forte, tirando o seu prazer e o transformando em dor e choque.

Ele quase perdeu a voz de dor.

- Quando eu digo que não quero, eu não quero, entendeu!? – eu perguntei séria apertando ainda mais.

- Entendeu!? Eu não escutei, seu filho da mãe!? – eu disse séria.

- Sim. – ele sussurrou baixo com dor.

- Sim, o que!? Sim, o que!? Eu não escutei nada! – eu disse séria apertando mais com força.

- Sim, eu entendi. Entendi. – ele sufocou com as próprias palavras.

Eu o soltei e ele me soltou, me deixando cair no chão.

- AIiiii, aiiiiii…..- ele tentando massajar, aliviar a dor de qualquer jeito.

- Eu tenho vontade, Jorge. Acho bom começar a entender isso, direitinho. – eu disse.

- Você está com muita raiva de mim, eu sei disso. – ele disse. – Eu vou ajudar você. Eu quero ajudar você. – ele disse irritado.

- O que aconteceu aqui, Jorge!? – o Diogo disse surpreso quando me viu caída no chão.

- Ele não me segurou, eu caí no chão. Diogo, me ajuda por favor. Acho que machuquei a minha perna. Tá doendo. – eu disse e o Diogo correu se ajoelhando do meu lado.

- Eu vou fazer uma massagem na sua perna. Eu vou te levar para ali para a maca para deitar. Cara, como você deixa ela cair!? Ela não tem força nas pernas! Que irresponsabilidade! Machucou muito, Stacy!? – o Diogo disse preocupado e eu fuzilei o Jorge com os olhos.

- Não, muito. Eu levei um susto, não esperava que o Jorge me deixasse cair no chão. Me assustei. – eu disse e ele me olhou incrédulo.

- Passou, eu vou levar você. Não se assusta, minha linda. Você estava indo tão bem. – ele disse sorrindo para mim.

- Eu só me assustei. – eu disse e o Diogo me deitou na maca com cuidado.

- Diogo, não precisa de massagem. – o Jorge disse furioso.

- Como não precisa Jorge!? Tá louco, ela se machucou. Stacy, vai machucar um pouquinho no começo. – ele disse e eu assenti.

O Diogo pegou um creme passou nas mãos. Ele começou a passar creme e a massajar as mãos na minha perna suavemente.

Eu escutei um barulho e vi os dois quase se matando ali, se batendo. Eu tentei me levantar, mas eu não tinha muito equilíbrio. Aqueles dois se matando ali na minha frente.

- DÁ PARA PARAR DE SER IDIOTA! – eu gritei irritada.

O Jorge parecia descontrolado, batendo no Diogo sem parar. Ele parece estar explodindo de raiva. Ele estava furioso e descontrolado.

POV Stacy off


Notas Finais


E agora gente!? Será que a Stacy deve parar com essa vingança!? Será que o Jorge vai mudar ou isso é jogo dele também!? Gente, me contem tudoooooooo......
Bjs, :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...