História Dangerous Games - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Bad Boy, Cantor, Criminal, Drama, Hentai, Ídolo, Justin Bieber, Romance, Sexo
Visualizações 144
Palavras 3.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


To impressionada como as visualizações aumentaram. Espero que estejam gostando. Deixei suas críticas, sugestões .. tenho muitas idéias para essa história. Por favor ignorem os erros, não tenho muita paciência para ler o que eu mesmo escrevo e revisar o capítulo. Tive que dividir novamente para não ficar muitooooooo grande. O próximo será a última parte do capítulo 14 finalmente haha Prestem atenção em tudo que está acontecendo na noite, esses acontecimentos iram render no futuro..

Capítulo 15 - Capítulo 14 - parte 2


Fanfic / Fanfiction Dangerous Games - Capítulo 15 - Capítulo 14 - parte 2

 

POV’S JUSTIN

Aquela garota era pirada, completamente louca. Mas por algum motivo mais louco ainda, eu estava começando a gostar. Talvez, depois que eu ganhasse essa aposta, poderia me aproveitar mais um pouquinho dela. Tá certo que tive que respirar muito fundo pra não quebrar ela inteira, mas vai valer a pena. Ela consegue me deixar excitado só me beijando, filha da puta!

Eu estava sentado numa das poltronas espalhadas por ali fumando e tratando algumas coisas com os muleques. Estávamos pensando em qual mansão seria a próxima a ser atacada. Alice estava na outra ponta do camarote, num banco alto junto com suas amigas e olhando lá pra baixo. Ela era a mais vestida, mas conseguia ser a mais sexy. Ela segurava um copo de um drink qualquer nas mãos e ria de alguma coisa que as meninas falavam, suas pernas estavam cruzadas, deixando a saia caída e elas quase totalmente de fora. Suas amigas também estavam lindas e gostosas, a ruiva tinha um vestido justo, curto e frente única preto, a morena estava com um vestido tomara que caía vermelho e branco, ambas de salto. Mas não sei porque, mas a minha preferência anda era por Alice.

-Broo, tu vai acabar babando, para com isso.

-Si fuder vai Ryan

-Aaah vou mesmo, mas com a Nichole

-Eu já teria até ganhado a aposta se você não tivesse atrapalhado né

-Ah qual foi, queria dar mais uma chance pra garota pensar bem nisso, eu gosto dela. Aliás, quando chegamos ouvi um segurança com um dos barmans falando o quanto ela é gostosa.

-Esses caras perderam a noção né? Falando de mulher minha. Tão fodidos.

-Ui, Bieber ta com ciuminho.

Ficamos conversando e nos provocando mais um pouco. Depois começamos a falar sobre algumas idiotices que nos fazia ri. Foi quando o Dj residente começou a falar. Dj Tay James era bem conhecido por aqui e a boate, já lotada, gritava e batia palmas. Mas agora era que ia começar a surpresinha que eu tinha preparado. Eu e os garotos nos levantamos e fomos para a grade do camarote, perto das meninas.

-E aí galeraaaaa, prontos para mais uma noite! – e se ouviu muitos gritos – Muito obrigado! Vamos detonar essa noite. Temos a presença ilustre dos caras do momento: Chaz, Ryan, Chris e claro o Grande Bieber – nessa hora ouvimos várias vadias gritando altas coisas indecentes. Olhei para Alice e ela revirava os olhos – Mas mais que isso essa noite temos uma surpresa especial. Sinto muito em dizer meninas mas Bieber hoje não está disponível – as mulheres faziam um coro de “aah” fazendo com que meu ego aumentasse ainda mais – Eu sei., eu sei .. estamos todos chocados! – ele falou engraçadinho olhando pra minha cara e lhe mostrei o dedo do meio – Então ele hoje resolveu fazer uma surpresinha para sua mulher. A gos .. – o encarei arqueando as sobrancelhas pra ver se ele realmente teria coragem de dizer aqui – A menina linda e intocável, Alice – melhor assim. Nessa hora puder ver ela arregalar os olhos e olhar pra minha cara, enquanto as amigas dela tapavam a boca em sinal de choque – Pra quem não sabe ela é brasileira, então mais tarde quem irá comandar essas pick ups será o grande Dennis Dj. Por enquanto se contentem comigo – por mais que eu não estivesse muito familiarizado com as músicas que esse cara tocava, já tinha ouvido muito o nome dele. Ele parecia ser realmente bom.

Por que eu fiz isso tudo? Também não sei. Mas eu sou o grande Bieber, sou exibido e gosto de ser imprevisível. Gostei de ver a expressão de choque de Alice, até sua boca estava aberta. E bem, já que era pra fazer essa palhaçada, era melhor fazermos direito.

-O que foi isso? – ela parou na minha frente com os braços cruzados

-Ué, achei que fosse meio óbvio né.

-Tava putinho mas gostou mesmo de me rotular como sua mulher né.

-Já que é pra fazer, vamos fazer direito não?! Estou sendo bonzinho, você pode lembrar bem disso amanhã quando for a sua vez.

-Nada que você faz é de graça, não é mesmo?

-My lady, uma mão lava a outra – disse dando uma piscadinha enquanto ia a porta do camarote atender o segurança que me chamava.

Ele me informou que Khalil já havia chegado. O mandei subir imediatamente. Ele era um poderoso traficante de armas. Ninguém se atrevia a mexer com ele. Mas depois daquela armadilha que o exército tinha feito pra mim, precisava melhorar meu estoque de armas.

Ele subiu fazendo um famoso toque comigo e sentamos numa mesa próximo a entrada. Acertamos bem o que eu queria e ele foi anotando no celular o meu pedido. Depois de acertados os valores e a forma que faríamos a transação começamos a conversar enquanto bebíamos.

-Quem diria ein Bieber, ta amarrado?

-Acha mesmo? Que nada .. apenas uma longa história – falei dando uma risadinha sarcástica

-Mesmo assim, por essa valia a pena ein. Escolheu bem. Importou essa? – perguntou apontando com a cabeça Alice. Ela estava sentada com Chris e Ryan jogando algum tipo de jogo, que a julgar pelo estado bêbado de Ryan, ele estava perdendo. Ela gargalhava alto, de forma tão contagiante que dava vontade de ri também. Mas acima de tudo, cada vez que ela se inclinava pra frente, dava pra ter uma visão privilegiada do decote dela. Khalil pareceu perceber também, porque a olhava totalmente malicioso, o que me deixou meio puto. Respeito, isso sempre tem que ter.

-Qual foi, vai ficar olhando minha mina com essa cara de tarado?

-Poo foi mal cara, mas você não falou que não ta amarrado?

-Eu não to amarrado, mas isso não quer dizer que ela não seja minha.

-Não seja tão possessivo Bieber , Deus ensinou a dividir o pão.

-Falou bem, o pão .. não as mulheres

-Ok, ok – ele levantou as mãos como se estivesse se rendendo – Mas quando cansar, pode me dar um toque

-Querendo pegar resto? Se respeita cara! Mas pensarei no seu caso!

-Poderia pelo menos me apresentar a ela – pensei por um tempo e decidi me exibir um pouquinho.

-Alice! – chamei a fazendo parar a brincadeira e me olhar – Pode vir aqui? – ela me olhou com uma cara de que “não esqueceu de nada?”. Vadia marrenta! – Por favor. – me dei por vencido trincando o maxilar. A vaca deu um sorriso tipo “agora sim” e veio andando na minha direção. Fazendo questão de rebolar e jogar o cabelo no processo. Khalil não tirava os olhos dela. Ela parou do meu lado e colocou a mão nos meus ombros se apoiando um pouco em mim, já que eu estava sentando

-Então essa é a famosa mulher do Bieber? Fiquei sabendo que ganhou um racha com ele um dia desses mesmo

-Hm .. a própria – ela falou estendendo a mão pra ele – Alice D’Este

-Muito prazer, Khalil, ao seu dispor – ele ia beijar a mão dela mas ela rapidamente puxou a mão, o que me fez olhar pra ela com as sobrancelhas um pouco arqueadas

-Desculpe, mas esse tipo de palhaçada não me convence – ele ia responder mas as amigas dela apareceram na hora

-Mana, vamos descer, Dennis vai começar a tocar!

-Oba! Bora

-Ah, mas você não vai mesmo – falei segurando no seu pulso e a puxando de volta, ela quase caiu sentada no meu colo no processo.

-Relaxa benzinho. Só vou dançar. Não precisa ficar com ciúmes – vadia debochada. Soltei ela deixando ela descer a escada antes que eu a fizesse o favor de jogá-la daqui de cima.

-Garota de personalidade. Fica de olho ein Bieber. Sabe que só gosto do melhor. Talvez a pegue pra mim.

-Tenta a sorte parceiro – falei me levantando e dando aquela conversa por encerrada. Eu gostava quando queriam o que eu tinha, mas não quando ameaçavam me tirar.

 

POV’S ALICE

Desci rindo da cara de tacho que o Justin ficou e desci com as meninas para dançar. As músicas bem conhecidas por mim começaram a tocar alto fazendo meu corpo vibrar em reação. Peguei um copo de algum drink qualquer que tinha na bandeja de um garçom que passava e por um momento fiquei parada na pista lembrando de outros momentos. Momentos que agora pareciam ter sido a séculos, mas momentos em que fui muito feliz. Me lembrei de pessoas extremamente importantes e senti uma saudade imensa de casa. Eu daria tudo a ter minha vida no Brasil de volta.

-Eu sei o que ta pensando. Também sinto falta de tudo, de todo mundo.

-Já aprontamos muito né mana? – olhei pra morena ao meu lado com um sorriso travesso

-Oh, e como! – rimos e voltamos a beber, começando a dançar com a batida da música. Peguei meu celular que estava no bolso da camisa e comecei a gravar um vídeo pra mandar no grupo do whatsapp dos nossos amigos do Brasil. Postei também alguns no snap e nas stories do intagram. Sim, era super viciada em redes sociais.

Por não estarem acostumadas com esse tipo de música, poucas garotas dançavam direito. Emma que já parecia meio alterada por conta da bebida, prestava atenção nos momentos que eu a ensinava e te falar.. ela levava o maior jeito. Era muito engraçado a ver daquela forma tão solta. Eu rebolava até o chão sem o menor pudor e sentia vários olhos sobre mim. Nesse momento um garçom me cutucou no ombro e me ofereceu uma taça de champagne que estava sobre sua bandeja, no mesmo momento indicando com a cabeça para o camarote em que eu estava pouco tempo antes.

Levantei meus olhos dando de cara com aqueles olhos cor de mel. Ele estava apoiado na grade com um copo de whisky na mão e um sorriso maroto. Peguei a taça e levantei na direção dele em sinal de brinde, em seguida, bebendo do o seu conteúdo de uma vez e já devolvendo a taça ao garçom. Nesse momento fui virar novamente na direção das minhas amigas e passei os olhos ao redor. Puder perceber que alguns homens que até então olhavam, tiram virado de lado e procuravam não olhar na minha direção. Que filho da puta! Agora entendi. Aquele bastardinho fez de propósito. Ele fez aquilo em forma de aviso pra que ninguém chegasse em mim.

Ignorei o acontecido e dei até um sorrisinho, eu amava esse joguinho de posse. Me lembrava até um carinha por quem eu fui louca. Ele era um estúpido ciumento e tínhamos tudo a ver, mas eu estraguei tudo. Enfim, voltei a dançar com as meninas e virei uma tequila gold, a mais forte. Logo eu já estava gargalhando sobre qualquer coisa e minhas amigas me acompanhavam. Já estávamos levemente alteradas, aliás, já estávamos bêbadas. Foi aí que meu deu vontade de ir ao banheiro. Sentia minha bexiga aperta em vontade.

-Meninas, preciso ir ao banheiro.

-Ok, vai lá – Nichole falou, eu e ela nunca tivemos muito essa palhaçada de ir ao banheiro juntas.

-Eu preciso de vocês. Eu to bêbada, essa saia cumprida, salto alto. Vai dá merda – falei gargalhando e cruzando as pernas pro xixi não sair. Emma gargalhou mais alto que eu.

-Vamos amiga. Vamos com você – falou passando o braço ao redor do meu pescoço. Nick passou o braço também pelo outro lado fazendo que nós três fossemos caminhando juntas. O que rendeu vários trancos, trombadas e banhos de bebidas mas finalmente chegamos.

Nós trancamos as três dentro da cabine minúscula no banheiro. Gargalhávamos o tempo todo. E enquanto uma segurava a minha saia para não cair no vaso e nem arrastar no chão nojento, a outra me dava um apoio me segurando pelos braços para que eu não caísse de bunda. Enfim .. missão cumprida. Íamos sair daquele lugar apertado mas ouvimos três mulheres entrando no banheiro. Quando ouvimos a parte “a tal mulher do Bieber”, acabamos uma tampando a boca da outra e ficando em silêncio absoluto. E daí? Somos fofoqueiras mesmo.

-Vocês viram? A tal mulher do Bieber, a tal vadiazinha ta toda se querendo. Coitada, é bom aproveitar. Daqui a pouco ele vai está dando um chute naquele traseiro gordo dela – uma delas falou rindo maldosamente e se não fosse a Emma me segurando firme, eu teria saído naquela hora pra arrebentar aquela vagabunda.

-Meninas, vocês não sabe o que aconteceram. Essa piranha me tirou do colo dele me jogando com tudo no chão. E ele deixou a vaca fazer o que ela queria. – com certeza devia ser a vagabunda que joguei nua no chão assim que chegamos

-Eu sinceramente não sei o que ele viu nela. Viu aquelas roupas? O que ela tem que nós não temos? Ele nunca posou assim com ninguém – mais uma das recalcadas falou. Nessa hora nem Jesus Cristo conseguiu me segurar e eu dei uma porrada na porta com toda o ódio que eu estava sentindo, saí da cabine do banheiro pisando firme, de braços cruzados e com um sorriso sarcástico. Duas delas me olharam com os olhos arregalados, a outra, a vadia que tava se sentindo humilhadazinha me olhava com ódio.

-Bom, é bem simples. O que eu tenho que vocês não tem? É só olharem pra mim – falei colocando uma das mãos na cintura enquanto a outra apontava para todo o meu corpo – Eu sou tudo aquilo que vocês jamais serão. Eu não preciso andar por aí quase nua para conseguir um homem e muito menos preciso vender meu lindo corpinho para ganhar uns trocadinhos no final da noite. Eu tenho uma coisa chamada cérebro. Agora se vocês querem falar mal de alguém, aconselho a ver se tem alguém por perto. Aliás, ver se a pessoa de quem vocês estão falando está por perto. E mais um conselho, já que é de graça e vejo que vocês são bem precisadas. Não brinquem comigo. Quando eu jogo, jogo pra valer. E vocês não tem nem noção de que cú saí, sigam o exemplo dela – apontei pra umas das garotas que engoliam em seco. Emma e Nick encaravam a situação com caras divertidas já perto da porta – e sintam medo. Eu sou realmente alguém que deve ser temida – eu já estava virando para sair mas lembrei de algo – Ah, e mais uma coisa queridinhas. Pode deixar, eu vou aproveitar muito bem essa noite. Não só essa como todas as outras eu quem eu serei a mulher do Bieber enquanto vocês, continuaram sendo as mesmas vadiazinhas descartáveis não só pra ele, mas como pra qualquer outro homem necessitado que tenha algum dinheiro em mãos. E pensem melhor antes de falar, não é legal aborrecer a patroa – falei piscando, saí rebolando e gargalhando debochada. Eu poderia está bêbada, mas nenhuma vadia ia tirar graça com a minha cara.

Voltamos pra pista e eu estava ainda mais animada que antes. Sim, eu sou muito exibida e sim, amava esse tipo de coisa. Peguei uma garrafa de água e dei um gole para logo depois voltar para a minha tequila gold. Não satisfeita com uma dose, peguei logo a garrafa inteira. Nichole bebia vodka sem parar e Emma já quase não acertava mais a boca.

-Então era esse o compromisso que você tinha? – virei pro lado encarando um Zayn que me olhava de forma divertida

-Claro! Quer compromisso melhor? – eu ri totalmente embriagada. Eu estava de costas para o camarote e de frente para o Zayn. Depois de algumas palavras eu voltei a dançar sensualmente com as meninas ao som de algum funk vulgar. Malik tentava a todo tempo me beijar e eu fugia. Já estava até me sentindo sufocada com isso.

Tentei disfarçar e já estava pensando em sair dalí quando percebi Emma em alguma discussãozinha besta com o Chaz e Ryan quase comendo a Nick ali mesmo. Agora sim que pensei em sair dali, segurar vela não rola. Mas quase no mesmo instante enquanto eu fugia de mais um beijo do moreno, senti mãos fortes me puxarem pela cintura para trás e me choquei com alguém. Não precisei nem virar para saber quem era, conhecia muito bem aquele perfume.

-Tentando se aproveitar de uma mulher embriagada Malik. Eu esperava mais de você. Ou não .. na verdade não esperava. Isso soa tão deprimente quanto sua pessoa em si – ouvi aquela voz rouca bem perto do meu ouvido. Perto até demais para o meu próprio bem. Esse era o grande problema quando eu bebia demais. Ficava tarada e com vontade de dá e digamos que o Bieber já era tentação o suficiente.

-E posso saber o que você tem a ver com isso Bieber? Que eu saiba a Ali não precisa que falem por ela.

-Zayn, por favor .. – falei já prevendo que aquilo ia dar merda. Não só eu como quem estava ao redor já havia percebido, pois as meninas e os meninos pararam o que estavam fazendo e se encontravam em estado de alerta.

-Eu sei que ela não precisa que falem por ela. Mas ela está comigo hoje Malik. E você está em meu território então pense com cuidado no que vai fazer. Não me dê ainda mais motivos para tirar esse seu sorriso debochado da cara.

-Ok ok – ele falou se rendendo, parecendo entender bem meu olhar que o fuzilava – eu vou nessa, afinal de contas ela está com você hoje, mas está comigo todos os outros dias – que viadinho, ele falou como se tivéssemos algo – Ah propósito. Você está tremendamente gostosa nessa roupa Ali – Justin ia pular em cima dele mas consegui o segurar forte pela cintura. Zayn de propósito saiu dali em pequenos passos ainda rindo. Antes que ele pudesse falar qualquer coisa preferi me adiantar, não queria que ele entendesse errado e atrapalhasse todo o trabalho de aproximação que eu estava tendo.

-Antes que você diga qualquer coisa, eu não tenho nada com ele. Só fazemos algumas aulas juntos na faculdade e ele só fez isso pra te provocar – ele me olhou sério por um tempo parecendo pensar e depois relaxou. Coloquei meus braços em volta do seu pescoço aproximando meu rosto do dele – Não resistiu a mim e desceu porque me queria ou desceu simplesmente por causa do Zayn?

-Quem sabe um pouco dos dois – sabia, ele jamais daria o braço a torcer. Ignorei e dei maior beijão nele. Daqueles de tirar o fôlego. Ele pareceu surpreso por um tempo mais depois me puxou pela cintura com vontade, mordendo de leve meu lábio inferior e me fazendo deixar escapar um gemido baixo.

Estava muito bom e por mim ficaria ali durante horas o beijando. Ainda mais quando sabia que aquelas vadias do banheiro estavam olhando, pois eu tinha aberto um dos olhos discretamente quando me senti observada e dei de cara com elas, o que me fez intensificar ainda mais o beijo. Mas tive que nos separar, além de precisar de ar, ouvi uma voz alterada e conhecida. Justin pareceu notar também e olhamos para onde vinham as vozes.

Emma discutia com uma garota sobre não sei o que. Como as amigas da garota não haviam se metido, por enquanto permaneci só observando. Você nunca deve se meter num mano a mano. Fora que eu já sabia do que a ruiva era capaz, se rolasse briga ela sairia sem nenhum arranhão e se eu fosse tentar segurá-la, a arranhada certamente seria eu. Percorri meus olhos por ali e não vi Ryan e Nick por lugar nenhum. Apenas Chris que ria sem parar, Chaz que olhava coçando a cabeça sem saber o que fazer e Justin que olhava confuso tanto quanto eu tentando entender. Foi quando a garota que estava discutindo com a minha amiga simplesmente gritou “VOCÊ NUNCA VAI CHEGAR AOS MEUS PÉS SUA ÁGUA DE SALSICHA. SE CONFORME. VOCÊ NÃO PASSA DE UMA PATRICINHA MIMADA E RUIVA DE FARMÁCIA.” Ok. Patricinha beleza, mimada até passa, mas agora água de salsicha e ruiva de farmácia?! Fudeu, aquela vadia assinou a própria sentença de morte.

 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...