História Dangerous Love - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Flavia Pavanelli, Justin Bieber, Magcon, Matheus MoriMura Jordão, MC Biel, Ryan Butler
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Chaz Somers, Christian Beadles, Flavia Pavanelli, Hayes Grier, Jack and Jack, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Justin Bieber, Matheus MoriMura Jordão, Matthew Espinosa, Mc Biel, Nash Grier, Nate Maloley, Ryan Butler, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Flavia Pavanelli, Justin Bieber, Magcon, Mc Biel, Morimura
Exibições 73
Palavras 1.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem<3
Continuem comentando isso me ajuda muito.
Beijos e boa leitura *3* *3* *3*

Capítulo 30 - Não sentirei saudades


Fanfic / Fanfiction Dangerous Love - Capítulo 30 - Não sentirei saudades

 

Pov’s Madison

- Nós iremos viajar. – Como assim eles irão viajar?

- Como assim? E vocês iriam como? Iriam sem avisar? – Perguntei.

-Desculpa, a gente planejou isso quando vocês não estavam aqui, porque é coisa do trabalho e porque vocês não vão, vai ter um carregamento de armas e drogas que nós vamos levar lá para um traficante do Canada, ele é terceiro mais famoso e mais procurado no Canada.

- Hum. Por que nós não vamos? – A Ashley perguntou.

- Por que alguém tem que cuidar dos negócios aqui e como a Madison é a subchefe ela vai ficar e para ajudar ela ninguém melhor do que vocês duas e esses dois. – O Justin falou apontando para o Gah e o Mori.

- Ebaa a casa só para gente. – Comecei a pular, junto com as garotas.

- Vamos fazer festa do pijama? – A Nath perguntou fazendo a gente concordar e pular mais ainda.

- Hey. Não vão sentir saudades? – O Cameron perguntou.

- Quanto tempo vocês vão ficar fora? – Perguntei.

- Uma semana. – O Ryan respondeu.

- Então não. Eu pelo menos não irei sentir saudades. – Falei continuando a pular.

- Nossa. Aí você vê o carinho que as pessoas têm pela gente. – O Samuel falou me fazendo parar de pular.

- Acho que você não teve nenhum carinho comigo ontem. – Falei saindo do escritório. Ouvi passos atrás de mim, achei que fosse o Justin, mas quem era? Samuel. Droga, comecei a correr. Até que sai de casa e fui parar na floresta. Fiquei sentada em uma pedra.

- Madison. – Escuto a voz do meu irmão. Não ligo, fico olhando para o meio daquelas arvores. O vento estava mais forte que antes, então deixava a floresta mais sombria do que ela já é. O vento continuava balançando meus cabelos, sinto pingos de chuvas sobre meu braço. Logo começa a chover muito forte, ainda fico parada só olhando para o nada, quando sinto duas mãos no meu ombro, olho para ver quem era. Meu irmão.  

- O que você quer?

- Madison, vem, vamos entrar. Está frio e ainda por cima chovendo.

- Gosto de chuva. E amo frio.

- Mad, por favor. Você vai ficar doente. – Falou se sentando na minha frente, virei o rosto e fiquei olhando os pássaros tomando banho de chuva nos galhos da arvore, eles pareciam muito felizes.

- Desde de quando você se importa comigo? Acho que ontem não vi nenhuma preocupação quando você me bateu! – Falei ainda olhando para os pássaros que agora estavam indo para suas casas, pois estava começando a trovoar.

- Eu me importo com você. E muito. Me desculpa por ontem. Eu fui um babaca…Mas eu me arrependi. Pois não isso não iria ajudar e sim piorar. Mas no momento eu não pensei direito. Só que eu estava descontrolado. Não sabia o que fazer. Eu te amo, e não queria te perder para o Justin, na hora que você falou aquilo da mamãe eu…. Eu não aguentei e acabei te batendo.

- Não tem desculpa para isso. O que você fez não tem justificativa. Você me agrediu. Ninguém tem esse direito. Mesmo que eu tivesse feito a coisa mais idiota, ridícula você não teria esse direito. Eu fiz muitas coisas ruins, mas mesmo assim eu nunca bati em alguém pois essa pessoa transou com tal pessoa. Não, eu tenho 19 ANOS, 19. TENTA ENTENDER 19, não tenho mais 11 anos. Eu cresci e agora eu posso muito bem cuidar da minha vida. Sinceramente você foi mesmo um babaca, idiota, escroto, burro e muito mais.

- Eu sei que você é já uma adulta. Você já cresceu, mas quando eu te vi lá com o Justin. Eu...eu perdi a cabeça, fiquei muito bravo. Eu sei que nada que eu falar aqui vai adiantar. Mas por favor, me perdoa. Eu faço qualquer coisa para ter minha irmã de novo. Eu não quero te perder de novo. Por favor. A única coisa que eu te peço, me perdoa. – Falou segurando minhas mãos, nesse momento me lembrei do último momento que falei com minha mãe.

Flashback On

Estávamos no hospital eu e o Alex. Estava esperando os exames dela serem feitos. Eu não parava de andar de um lado para o outro. Até que o Alex me segura.

- Amor, calma, sua mãe vai sair daqui viva, melhor do que nunca. Ela só precisa fazer alguns exames. Senta aqui comigo e vamos esperar o médico nos chamar para vê-la. – Falou me puxando para me sentar com ele. Me sentei e dei um selinho demorado nele. Ficamos esperando.

[...]

Já faziam uma hora e meia que eu estava esperando minha mãe. Eu já tinha ido pegar agua umas trezentas vezes. Até que o entra um médico na sala.

- Acompanhantes de Julie Wilkinson? – Eu e o Alex levantamos.

- Somos nós. Como ela está senhor? Minha mãe está bem?

- Calma minha jovem. Ocorreu tudo bem nos exames, mas o tumor não era só nos seus seios. Também existia um tumor no seu cérebro. E por isso ela...ela pode falecer a qualquer momento, sinto muito mais a sua mãe irá falecer. O câncer de mama já foi retirado, mas o tumor cerebral infelizmente está no seu estágio final. Por isso não a nada que possamos fazer. – Nessa hora eu já chorava feito um bebe.

- Não. A minha mãe está muito bem. Isso é só um sonho. Eu vou acordar e ela vai continua me xingando por eu ter chegado tarde em casa. – Falei. – Alex. A minha mãe está bem, não é?

- Sinto muito meu amor, mas sua mãe não está nada bem. – Comecei a chorar mais ainda. – Doutor, nós podemos vê-la? – O Alex perguntou.

- Claro, me sigam. – Seguimos ele até uma sala onde minha mãe se encontrava cheia de fios.

- Mamãe! Por favor fica comigo, por favor. Não me deixe sozinha. – Falei a abraçando, mas logo a soltei pois ela urrou de dor.

- Oh meu amor. *Cof Cof* - (Aut: Gente isso é para ser uma tossida, quer dizer duas). – Você nunca estará sozinha, você pode voltar para o seu irmão e você ainda terá o Alex. – Falou pegando a mão do Alex. – Alex você promete que sempre cuidara da minha menina? – Perguntou.

-Prometo Julie. – Falou dando um beijo em sua testa. – Agora eu vou sair para deixar vocês conversarem em paz. – Falou dando mais um beijo na minha mãe e logo saindo.

- Minha filha precisamos conversar. Mais cedo eu sei que briguei com você mais cedo pois você não veio para casa como combinado. Eu só queria que você passasse mais tempo comigo. Eu só tenho você. Mas agora você precisa se virar sozinha no mundo, me perdoa? Eu te amo muito e não quero te perder, que nem perdi seu irmão.

- Eu...- Não tive tempo de terminar pois percebi que já tinha perdido minha mãe. O aparelho de seus batimentos estava apitando avisando que seu coração não batia mais. Perdi minha mãe, minha única família. A única pessoa que sempre esteve comigo. E eu não pude nem dar um TCHAU direito par ela. Não consegui dizer que a amava. Não pude a perdoar. Ponde seja que ela esteja. Mãe me perdoa por não passar todo o tempo necessário com a senhora. Mãe me perdoa por todas as brigas que tivemos. Me desculpa por tudo que eu já fiz de ruim para você. As lagrimas não paravam de sair do meu rosto. Logo foram entrando médicos e enfermeiras.

- Moça você tem que sair. – Uma enfermeira disse me levando para porta.

- Eu posso dar um beijo nela? – Perguntei. A mulher suspirou e concordou. Fui até ela e a beijei. – Eu te amo mãe. – Foi a última coisa que saiu da minha boca antes de sair daquela sala.

Flashback Off


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Percebi que tem algumas pessoas que tem dúvidas sobre a fic.
Se quiserem me perguntar algo estarei aqui para responde-las.
Mas obvio que se for pergunta que tenha spoiler da fanfic não irei responder.
Beijos, meus amores *3* *3* *3*
Até o próximo capitulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...