História Dangerous Love - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rose, Suga, Tae
Visualizações 42
Palavras 2.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Hentai
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá galerinha! Ta aí mais um capítulo para vocês! Espero que gostem! Favoritem e comentem! :)

Capítulo 12 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Dangerous Love - Capítulo 12 - Capítulo 11

Cheguei na aula hoje e a primeira coisa que eu vi foi que o Jimin continuava sentado perto da Yuna. Senti uma coisa meio ruim por dentro, realmente eu gostava de tê-lo por perto... fiquei lembrando do dia em que a gente se conheceu.

Era meu terceiro dia no colégio novo. A única pessoa que conversava comigo na sala era a Rosé, mas ainda não éramos "amigas", apenas simpatizávamos uma com a outra. Era o primeiro horário, e lembro perfeitamente que o professor estava explicando sobre o cronograma anual e eu estava desenhando umas florzinhas no caderno, lamentando o fato de não terem me colocado na sala da Jisoo, que -- além dela que eu já conhecia -- parecia ter muito mais gente legal e menos "panelinhas" como na sala que eu fiquei.

Foi quando, quinze minutos depois da aula começar, bateram na porta, em seguida, um menino que não tinha vindo nos dois primeiros dias de aula, com o cabelo todo atrapalhado, parecendo que tinha vindo pro colégio de moto ou algo assim, colocou só a cabeça pra dentro da sala e falou: "Da licença professor?", com um sorrisinho meio sem vergonha.

Ele nem parou de falar, só fez sinal para que ele entrasse, e eu pensei que fosse normal todo mundo entrar na hora em que bem entendesse... mas, para minha surpresa, um minuto depois chegou um outro menino e ela passou o maior sermão nele sobre como os alunos atrasados atrapalham a aula por desviar a atenção da sala inteira e falou que ele ia ter que esperar o próximo horário para entrar. Eu fiquei meio admirada pela diferença do tratamento dele em relação aos dois alunos, mas aos poucos eu fui percebendo que não só os professores, mas todo mundo tratava aquele menino do cabelo atrapalhado (que depois descobri que era o normal do cabelo dele) meio diferente, como se ninguém conseguisse brigar com ele por motivo algum.

No intervalo entre a primeira e a segunda aula, nesse mesmo dia, eu estava conversando com a Rosé, quando o tal menino chegou por trás. 

"Não vai me apresentar pra sua nova amiga não, Rosé?", ele perguntou.

"Como se você não fosse se apresentar de qualquer jeito...", a Rosé falou. E, virando pra mim, disse: "Jimin -- Lalisa, Lalisa -- Jimin".

Eu, na mesma hora, fiz uma careta quando ouvi aquele "Lalisa", mais aí o Jimin disse: "Esse nome é meio grande, tem algum apelido?".

"Lisa!", eu respondi aliviada.

Ele deu um sorriso bonitinho e falou: "Ah, combina bem mais com você! Muito prazer, Lisa!".

Foi amizade a primeira vista.

A partir daí, não nos desgrudamos. Eu, que não tinha nenhum amigo nesse novo colégio, de repente me vi com dois: Rosé e Jimin. Os melhores amigos que alguém poderia escolher.

E foi por isso que me deu essa tristeza ao ver o afastamento dele... tipo, o Jimin é super popular, é amigo todo mundo, se dá bem com todos os grupos, mas eu me sentia meio que preferida, quem ele escolhia para sentar junto, fazer os trabalhos, compartilhar o recreio, passar bilhetinhos... e agora estou me sentindo assim, um pouco... traída.

Engraçado pensar isso, traição de amigo. Nós não temos nenhum contrato, compromisso, não somos sócios, casados, namorados... nada. Apenas amigos. Mas ainda assim eu estou me sentindo um pouco passada pra trás, trocada...

Foi isso que eu fiquei pensando durante a aula inteira, até que, no último horário, para o meu alívio e felicidade completa, o Namjoon entrou na sala, todo bronzeadinho, mais lindo do que nunca! Eu não pensei em mais nada.

Ele fez a chamada, como sempre demorou um pouco mais do que o necessário naquela olhadinha na hora do meu nome, e explicou que esteve ausente porque estava participando de um congresso de biologia no Brasil (está explicado aquele bronze todo!). Depois se levantou, começou a ensinar a matéria e eu babei a aula inteira. Ele estava tão lindo com aquela calça jeans, sapato de couro e blusa de listrinha... simplesmente perfeito.

A aula acabou, eu dei um jeito de ser a última a sair da sala, junto com ele, fomos andando lado a lado até o local onde a gente tem que se separar (ele vai pra sala dos professores, e eu pra saída de alunos), e aí ele virou para mim e perguntou: "Quais são os planos para o fim de semana, Lalisa?".

Eu engasguei, gaguejei e consegui falar que não sabia ainda, que talvez fosse ao cinema... aí eu estava crente que ele iria me desejar "bom filme" e dar tchau, mas ele continuou: "Ah, você gosta de cinema? Que estilo?".

Eu não podia falar pra ele que eu gostava de filme de romance né? Aí eu fiz uma cara pensativa e disse: "Ah... um pouco de tudo... ficção, comédia, arte...", e aí ele abriu um sorriso e disse que, já que eu gostava de filmes de arte, não poderia perder um filme que estava em cartaz no cinema.

Eu só consegui fazer que sim com a cabeça, ela sorriu e, aí sim, deu tchau e me deixou no corredor, que nem uma boba, esperando que ele desaparecesse pra dentro da sala dos professores.

Cheguei em casa e liguei pra Rosé antes mesmo de almoçar. Falei que ela PRECISAVA ir ao cinema comigo no domingo, já que eu sabia que ela estava indo pro sítio da família dela ficar sexta e sábado. Ela concordou, perguntou se eu já tinha resolvido a nossa dúvida cruel entre assistir dois filmes, mas eu falei para ela que que não era nada disso... o filme que ela viria ver comigo era outro bem diferente.

Tem algo triste nas noites de domingo. Mesmo quando a gente aproveitou (ou descansou) o fim de semana inteiro, domingo a noite sempre tem um ar de tristeza. Acho que é por causa da segunda feira e o fato da gente ter que esperar tantos dias até o próximo fim de semana.

Eu sempre ficava meio deprimida nessa hora, mas dessa vez foi diferente...

Eu e Rosé fomos ao cinema, vimos o tal filme indicado, depois de eu ter ficado uma hora e quarenta minutos tentando convencê-la a ver um filme que não passa nos comerciais. Na verdade, eu nunca fui fã de filmes de arte, mas se o Namjoon falou, com certeza deveria ser bom. E nos surpreendemos! Ficamos completamente encantadas com a simplicidade desse filme, pensando sobre todos os filmes desse gênero que a gente deve ter perdido por puro preconceito, por achar que só os filmes de Hollywood é que mereciam o preço do ingresso...

De lá, sentamos na sorveteria e começamos a conversar. A Rosé me perguntou quem realmente tinha me falado do tal filme, que ela sabia perfeitamente que não tinha sido minha irmã, já​ que com três filhos bagunceiros ela mal tem tempo para ver um DVD, que dirá ir ao cinema. Dei um suspiro e contei para ela a história do corredor, que o Namjoon tinha me dito que esse filme era imperdível é que ia querer ouvir meus comentários depois.

A Rosé ficou um tempo me olhando, de repente levantou, pagou a conta dela, e falou: "Vamos lá em casa um pouquinho?".

Fui, sem argumentar, já que quando a Rosé fica meio misteriosa assim é melhor concordar de um vez, senão ela desiste de contar a ideia ou o que quer que seja que estivesse na cabeça e quem fica curiosa depois sou eu.

Chegando lá, fomos para o quarto dela, e ela, sem falar nada, pegou o telefone e colocou na minha mão.

Eu fiquei olhando sem entender.

"Liga!", ela falou.

"Como assim? Pra quem?", eu perguntei, realmente sem saber.

"Você sabe muito bem pra quem!", ela respondeu. "Liga logo pra ele, senão eu não deixo você sair da minha casa hoje. Já que é pra você ficar nessa obsessão, que pelo menos seja por uma coisa real e que você descubra mais sobre ele. Anda, liga logo!".

Eu tentei argumentar que não lembrava o telefone de cabeça, mas ela disse que tinha certeza de que eu sabia de cor e salteado e que, se eu não ligasse logo, ela ia ligar para a Jisoo e contar da minha paixão e que aí todo mundo do colégio ia ficar sabendo rapidinho...

Chantagem não né? Eu fechei a cara, falei que ela não podia me ameaçar, mas aí ela falou: "Lisa, isso é sério... eu realmente queria que você ligasse para ele na minha frente, para eu ver até que ponto isso é real ou é coisa da sua cabeça... você é meio... sonhadora! E você sabe disso...".

Eu fiquei olhando para ela e para o telefone e, por orgulho, pra provar pra ela que eu não estava inventando coisíssima nenhuma, liguei. E ainda coloquei no viva voz. A Rosé pegou o gravador dela e apertou "REC". Essa foi uma noite de domingo que eu não quero nunca mais esquecer...

                  Ligação ON

Namjoon: Alô?

Lisa (alterando a voz): Poderia falar com o Kim Namjoon?

Namjoon: É ele!

Lisa: Oi...

Namjoon: Quem está falando?

Lisa: Eu.

Namjoon: Eu quem?

Lisa: Eu...

Namjoon: Ah, lembrei! A menina misteriosa!

Lisa: Aham...

Namjoon: Poxa, achei que você estivesse se esquecido de mim...

Lisa: Tsc, tsc, tsc.

Namjoon: Lembra do nosso combinado? De você falar pelo menos um pouquinho mais a cada telefonema?

Lisa: Aham...

Namjoon: Então...

Lisa: (suspiro)

Namjoon: Já sei. Vou fazer umas perguntas e você me responde com "sim", "não" ou "não sei", pode ser?

Lisa: Sim.

Namjoon (rindo): Ok! Primeira pergunta: Você é minha vizinha?

Lisa: Não sei! Onde você mora?

Namjoon: Nada disso... hoje só eu faço perguntas, de uma outra vez a gente troca, combinado?

Lisa: Sim...

Namjoon: Bom, se você não é minha vizinha... você é minha colega de violão?

Lisa: Você toca violão?!

Namjoon: Já entendi que a resposta é não. Próxima pergunta: Você é amiga da minha irmã?

Lisa: Você tem irmã?

Namjoon: Acho que isso não está dando certo... se você não seguir a regra de só responder o que eu pergunto em vez de ficar perguntando também, eu vou parar com o jogo.

Lisa: Tá, desculpa.

Namjoon: Você é minha aluna?

Lisa: ...

Namjoon: Oi, tem alguém aí?

Lisa: Sim.

Namjoon (meio rindo): Sim o que? Tem alguém aí ou você é minha aluna?

Lisa: Sim, sou sua aluna. Mas não estou achando esse jogo justo. Por que eu não posso perguntar também?

Namjoon: Porque fui eu que inventei... e também porque agora você tem desculpa para me ligar de novo amanhã e inverter os lugares! Combinado?

Lisa: Ok... mas acho que eu sai perdendo...

Namjoon: Que nada, você ainda está ganhando. Você sabe quem eu sou, que eu tenho irmã, que faço aula de violão, que sou professor de biologia... e eu só sei que você é minha aluna! Mas nem sei de que série e de que colégio... humm, pensando bem acho que vou fazer mais umas perguntinhas...

Lisa: Não, por hoje é suficiente. Tenho que desligar. Esta tarde.

Namjoon: Ok menina misteriosa... muito bom te ouvir de novo... posso esperar seu telefonema amanhã?

Lisa: ...

Namjoon: Tá bom, não vou te pressionar. Mas eu gostaria muito que você ligasse... estou adorando te conhecer melhor...

Lisa: (suspiro)

Namjoon: Um beijo pra você!

Lisa: (som de beijo estalado)

                 Ligação OFF

Eu desliguei e olhei pra Rosé com a maior cara de "bem feito!", já que provei que não estava mentindo ou sonhando quando disse que ele me dava papo.

Ela ficou pensando um pouco, mas concordou comigo, falou que ele realmente parecia muito disponível, mas que era mesmo pra eu ligar amanhã e fazer um monte de perguntas, já que ele mesmo sugeriu isso. Eu disse que era isso mesmo que eu ia fazer, e aí a Rosé mudou completamente de assunto: "Lisa, e sobre o Jimin?".

Eu, que ainda estava nas nuvens, nem lembrando do resto do mundo, só perguntei: "O que é que tem o Jimin?". E ela: "Você vai deixar ele se afastar assim, sem fazer nada a respeito?".

Eu suspirei, pensei um pouco e falei: "Sabe Rosé, se tem alguém se afastando, esse alguém é ele. E se alguém tem que fazer algo a respeito é ele também. Eu continuo como sempre fui, no mesmo lugar".

Aí ela se levantou e disse meio brava: "Lisa, sinceramente, acho que não importa quem está se afastando, o que importa é a amizade que pode ficar bem prejudicada nessa história toda... sinceramente, se você estivesse se distanciando de mim, eu faria alguma coisa, te procuraria pra conversar e tal... não ia deixar um mal entendido ou sei lá o que separar a gente, acabar com a nossa amizade!".

Saí da casa dela pensando que eu tinha muito mais coisas na cabeça para me preocupar naquele momento de que com as crises do Jimin. Como, por exemplo, o fato de que, no final do semestre, podemos ir sem uniforme no colégio, e eu ainda tinha que decidir com que roupa iria a aula no dia seguinte para o caso de passar pelo Namjoon no corredor...


Notas Finais


Então foi isso gente! Espero que tenham gostado! Até o próximo capítulo! Favoritem e comentem! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...