História Dangerous Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande
Personagens Ariana Grande
Tags Ariana Grande, Dave Franco, Demi Lovato, Ian Somerhalder, Jariana, Justin Bieber, Selena Gomez
Visualizações 68
Palavras 2.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sei que postei um capítulo ontem mas não me segurei e vi necessidade em postar esse hoje lkkk
A música do capítulo é "OMG- Camila Cabello" pq tô viciada e escrevi o capítulo inteiro ouvindo ela.
Perdoem os erros ortográficos, depois corrijo tudo
Boa leituraa 💕

Capítulo 5 - Parceiro


Fanfic / Fanfiction Dangerous Love - Capítulo 5 - Parceiro

(LEIAM AS NOTAS FINAIS )

"Amor, o que você acha? 

Não estou aqui para conversar  

Amor, eu não brinco

De Miami, causando encrenca em LA"

- Camila Cabello, OMG 


P.O.V ARIANA 


Meus olhos devem estar brilhando, assim como a cidade. 

- O que achou? - Mal havia percebido que Justin estava ao meu lado, também apreciando a vista. 

- Quero morar aqui. - Digo com um sorriso nos lábios, já me imaginando em uma mansão com Louis, tendo noitadas, comandando LA. 

- Então acho melhor aproveitar a estadia. Porque com a sua ficha, você vai ficar uns 25 anos vendo o sol nascer quadrado. Isso, claro, se você se comportar. - Me viro para Justin, que me lança uma piscadela e um sorriso. 

- Tenho uma má reputação, como já deve saber. -Me viro para ele. - Sou boa em tudo, mas com quem eu quero. - Imitei sua piscadela e seu sorriso. Aproveitei o momento para lhe dar as costas com minha melhor caminhada. 

Procuro o quarto e me surpreendo. Era maior que minha sala e minha cozinha juntas. A cama de casal pareça ser extremamente confortável. O teto era de espelho. A vista era deslumbrante. 

O banheiro era um luxo, para resumir bem. Uma bela banheira. Oh querida, irei aproveitar você. 

Saio de meus pensamentos quando ouço batidas na porta. 

Volto até a parte da entrada e Justin estava conversando com alguém. Não pude ver o rosto da pessoa, mas pelo tom de voz, não estava nada contente. 

A expressão de Justin também não era nada boa. Ele balança a cabeça negativamente várias vezes e, quando nota minha presença ali, sorri para a pessoa e diz um "obrigado".

- Quem era? - pergunto arqueando uma sobrancelha. 

- Vieram entregar as malas. - Ele aponta para trás da porta e as vejo ali. - Se arrume! - Ele ordena. 

- Primeiro: Não sou obrigada. Segundo: Vamos para onde? - Justin bufa.

- Para uma casa noturna. - Sorrio com sua resposta. - Quando voltar, preciso de você pronta, ok? - Acinto.

- Para onde você vai? - Pergunto, sem esconder minha curiosidade. 

- Resolver algumas coisas. - Ele diz seco e saí, batendo a porta com força.  

Levo minha mala até o quarto e à jogo em cima da enorme cama. Vou até o banheiro e tomo um relaxante  banho. Lavo meus cabelos e passo o sabonete por todo o meu corpo. Sentia a água pingar por todo meu corpo, escorrer pelas minhas poucas curvas e ir embora pelo ralo, me fazendo lembrar de certa pessoa. Assim como a água do chuveiro:ela te usufrui, te experimenta, é delicioso, é uma luxúria. Mas assim como a água, ele vai embora. A diferença é que a água não me tirou a coisa mais importante da minha vida. 

Assim que termino o banho, enrolo uma toalha em meu corpo e uma toalha menor em meu cabelo. Vou até o quarto e em direção a mala. Passo meu creme corporal de morango com chocolate, deixando minha pele perfumada e macia. Sempre segui as dicas de Louis, e a minha preferida: Ouse. Sua roupa, sua marca. Pego então um vestido que o mesmo me deu de presente (Foto do capítulo), calço minhas sandálias de salto fino também preta e coloco algumas bijuterias, como algumas pulseiras e um brinco. 

Volto para o banheiro, tirando a toalha de meu cabelo e penteando. Encontro um secador e uma chapinha. perfeito! Opto por deixar meu cabelo totalmente liso, o que ficaria perfeito por meu cabelo ser um pouco volumoso. Estava quase pronta, mas me surgiu uma voz na cabeça, fazendo parecer como se Louis estivesse ali comigo

"Para um look de diva, uma make de diva."

Preparo minha pele e já a faço, com base e pó compacto. Resolvi deixar meus olhos marcados, então fiz um esfumado preto (Louis sempre me ensinará a me maquiar) e máscara de cílios. Não precisei exagerar por meus cílios já serem compridos e volumosos. Por fim, passo um batom Rose nos lábios. Para finalizar, meu perfume 212 Vip Rose.

- Agora sim. - digo a mim mesma.

Ouço o barulho da porta e suponho ser Justin. Dou uma ajeitada rápida no quarto. 

- Espero que já esteja pronta! - Ele grita da entrada. Reviro os olhos e bufo. 

- Já estou indo! - Grito no mesmo tom, andando em passos largos até a entrada e me surpreendo com o que vo: Justin com um terno preto, com mangas dobradas até os cotovelos, deixando a mostra suas tatuagens. 

Ao perceber que fiquei muito tempo o encarando, levantei meu olhar, mantendo a postura. Mas sinto minhas bochechas quentes quando percebo que ele me olhava atentamente e, mais quentes ainda quando pareceu engolir em seco. 

- Vamos? - digo, tentando sair daquela situação. 

- Ah, claro. - ele abre a porta e da passagem para mim. 

O elevador não demorou para subir, muito menos para descer.  Passei rebolando pela loira da recepção enquanto ela me fuzilava com os olhos. 

Saio do hotel e faço sinal para pedir um táxi, mas quando ia levantar minha mão, Justin a segura.

- O que pensa que está fazendo? - pergunto o encarando.  

- Eu que pergunto. - Ele me olhava indignado. 

- Eu ia pedir um táxi. - Puxo meu braço de suas mãos. 

- Não precisa. - Ele sorri convencido e retira uma chave de carro do bolso. Assim que aperta o botão destrancar, um carro dá sinal a nossa frente. 

- Um Bugatti Veyron? - pergunto debochada. 

- Qual o problema com o carro? Ele é uma beleza e corre muito. - Poderia ter certeza de que se eu não estivesse ali, Justin beijaria o carro. 

- Um Bugatti Veyron não tem velocidade máxima determinada pelo motor. Ele só para de acelerar porque chega a um ponto em que seus pneus explodem de tanto  atrito.  - digo entrando no carro junto ao Justin, me sentando no banco do passageiro. 

Assim que ele fecha a porta do carro, me olha perplexo. 

- Como você entende tanto de carros?

- Participo de várias rachas e ganho em todas. Entendo de carros porque tenho de escolher o melhor para vencer.

- Ok, 30 anos de prisão. - ele liga o carro e partimos para a tal boate. 


...


Paramos na frente da OMNIA Nightclub. Dava para ouvir a música alta de fora. O lugar parecia estar "fervendo", como Louis costuma dizer. 

Entramos na boate sem pegar fila. Olho desconfiada para Justin, mas ele parecia nervoso.

Assim que adentramos o lugar por completo, um sorriso enorme surgiu em meus lábios. 

As pessoas dançavam e bebiam como se o amanhã não fosse existir. É disso que eu preciso. 

- Não viemos aqui para curtir. -Justin grita ao meu lado, para que sua voz soasse mais alta que a música. O olho perplexa. 

- Diga por você. - Me afasto dele e vou até o balcão. 

O Bar-man atendia a todos com m sorriso no rosto. Um sorriso maior ainda quando era uma garota. Assim que me viu, veio em minha direção. 

- Vai querer o que gata? - Ele pergunta um tanto próximo,com uma mão apoiada no balcão.

- A coisa mais forte que você tiver. - ele sorri e acente, indo prepará-la. 

Enquanto esperava, meus olhos percorreram todo o local, até pararem em um  par de olhos claros que me observava atentamente. 

O cara estava na parte superior da boate, talvez a Vip. Vejo ele sorrir de canto e conversar com alguém. 

- Aqui está. -O Bar-man me entrega uma bebida azul com o cheiro bem forte. Viro o copo de uma vez, sentindo o líquido descer queimando minha garganta. O cheiro era forte e amargo, porém o gosto era doce com uma pitada apimentada. 

- Com licença, senhorita? - Um homem moreno muito alto parou ao meu lado, com sua pose autoritária.

- Algum problema? - pergunto o olhando com indiferença. 

- O sr. somerhalder deseja deseja a sua presença na área Vip. - Franzo meu cenho, subindo meu olhar para o tal cara novamente, que permanecia me olhando. 

Um sorriso de canto brota em seus lábios. Volto a encarar o rapaz moreno. 

- Claro. - Digo sorrindo. 

O moreno então faz gesto para que o seguisse. Fomos atropelando várias pessoas. Já sentia um pingo de suor descer pela minha testa. O calor acumulado era insuportável. Subimos um elevador de luxo, com portas de vidro, dando uma ótima visão da pista. Assim que as portas do elevador se abriram, entramos em um cômodo bem grande. Havia algumas pessoas ali, na minha visão, talvez umas quinze ou vinte. 

Havia várias mulheres se esfregando em caras, de uma forma um tanto abusiva. Continuei acompanhando o enorme homem que andava a minha frente, e não havia aberto a boca para falar mais nada.

Chegamos em um ambiente que é mais... luxuoso. E também, uma quantidade bem menor de pessoas.

Havia no máximo uns dez caras e umas quatro garotas. De pé, me encarando, estavam os belos olhos claros.

- Por que uma jovem tão linda bebia sozinha? - Sua voz era rouca. Ele caminha até mim e beija as costas de minha mão.

Seu sorriso era a coisa mais sexy que já havia visto. Bem, a segunda coisa. Pera, que? Porque diabos estou pensando no sorriso de Justin? Branco a cabeça freneticamente para espantar os pensamentos.

- Beber sozinha te faz pensar. - digo e sorrio.

- Entendo. - Ele continuava me olhando. Aquilo já estava me incomodando, o que me fez fazer uma careta. Aah, qual é? A língua eu até controlo, agora minha cara para quando eu não gosto de algo já é outro assunto. - Oh, perdão, nem me apresentei. Me chamo Ian somerhalder. 

- Ariana. - Ele Franze o cenho. 

- Ariana? Do tipo, a Ariana?

- A única. - sorrio. Ele abre um enorme sorriso. 

- O que trás você à Las Vegas? 

- Causar encrencas, talvez. Depende do meu humor. - rimos. 

- Você é mais que bem-vinda aqui. - Ele abre seus braços, mostrando-me todo o ambiente. 

- Agradeço pela educação. Mas acho que já devo ir... - aponto para o elevador. 

- Mas já? Nem curtimos ainda. - ele Franze o cenho. As segundas intenções estavam visíveis em seu sorriso e em seu olhar. 

- Já acabamos por aqui. - Digo seca e me virando para voltar para para a pista, mas o rapaz moreno tampou meu caminho. - Dá pra você sair da minha frente? - já estava estressada. 

-Acho melhor você se acalmar, Ariana. - A voz de Ian está ao pé de meu ouvido, e sinto um cano gelado em minhas costas. - Estão oferecendo uma quantia alta para quem tirar a sua vida. - ele fala próximo ao meu ouvido. 

- Lamento te desapontar, mas quem liga é telefone, eu não. - Me viro para ele, encarando-o. - Já recebi várias ameaças. Mais uma não muda nada. 

- Quem disso que isso é uma ameaça? - Antes que eu pudesse dizer alguma coisa, ouço sons de tiro. 

Fecho meus olhos. Não estava com medo de morrer. Afinal, não iria fazer muita diferença para mim. Aguardo as dores e a morte, mas nada acontece. 

- Vamos logo. -Uma voz bem reconhecida por mim surge ao pé do meu ouvido. 

Justin segura forte a minha mão. Estendo minha mão livre para ele. 

- Uma arma. - reviro os olhos. 

- Que? Pra que?

- Não vou deixar que falem comigo daquele jeito. - Justin bufa, mas logo me entrega uma arma. 

Tiros foram disparados contra nós dois.  Haviam pessoas gritando e os outros atirando. Nos abaixamos próximo à um enorme vaso que tinha ali. 

- Você me dá cobertura? - Justin pergunta. 

- Não funciona assim. - Justin me encara com o cenho franzido e apenas sorrio. 

Me levanto, saindo de trás do vaso e atirando contra os dois rapazes e a garota que estava a minha frente. Acerto um tiro bem no meio da cabeça de cada um. 

Continuei andando e levei um tiro de raspão no ombro direito. 

- Hoje não! - Observo a pessoa que atirou em mim e era o rapaz moreno. Miro a arma em sua cabeça, mas havia acabado as balas. Ótimo. O rapaz sorriu maliciosamente e uma raiva tomou conta de mim. Mas antes que pudesse fazer algo, ouço três tiros, e logo vejo o moreno caído no chão. 

Me viro e vejo Justin logo atrás de mim.

- Eu já falei que você está magnífica hoje? - Ele sorri de canto e eu apenas franzo o cenho. 

- Cadê o Ian? - pergunto mudando de assunto. Vejo a expressão de Justin mudar completamente. O sorriso que estava em seu rosto deu lugar para uma cara fechada. 

- O Ian estava aqui? - Ele pergunta entre-dentes. 

- Me procurando, parceiro?







Notas Finais


Aqui duas fotos da boate, pra vcs terem uma idéia:
http://nocovernightclubs.com/wp-content/uploads/2015/03/Omnia-Nightclub-Rings.jpg

Não sei oq achei desse capítulo... e isso me enfurece! Comentem oq vcs acharam ❤❤❤

E próximo capítulo vai demorar um pouco para sair, pq estou estudando sobre como escrever uma boa parte de luta, e quero que fique perfeita kkkk

Desculpem o capítulo meio curto e sem sentido 💔

Até mais baby's


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...