História Dangerous Love (NamJin) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Ação, Eua, Fbi, Gangster, Namjin
Visualizações 128
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!!!

Capítulo 7 - Capítulo 6


Nesse momento o veículo parara em frente à entrada da mansão e Seokjin rapidamente saíra do mesmo, sendo seguido por Jackson.

- Você sabe que isso não é um problema se...

- Se? "Se" o que, Jackson? Não tem "se" –afirma aflito.

- ...Se isso nos ajudar, é claro.

- Como assim, Jack? Isso é errado, é contra o regulamento!

- Jin, meu caro, se isso for de fato contribuir à investigação de maneira extraoficial, não vejo problema nisso. Isso ficaria entre nós, basicamente tudo isso é contra os regulamentos... O que fazemos já é por debaixo dos panos mesmo...

- Jackson Wang! –ele esboça uma risada.

- O que? São ócios do ofício – os dois riem. –Se quiser aplico-lhe alguma tortura russa. As chinesas também seriam eficientes...

- Jack, não diga isso!

- Não conto se você não contar! Agora vamos, já está tarde.

- Jack... – interrompe a fala ao ver Jungkook. –Sook...

- Sim filho? – ele nota a presença do rapaz.

- Tudo bem se eu... Se eu não for à reunião amanhã contigo... Pai?

- Claro, meu pequeno –ele sorri. – Irei me recolher... Jungkook.

- Senhor Park –retribui o cumprimento. – Perdoe-me por isso.

- O que? – Seokjin questiona.

- Interromper o assunto dos dois – ele abaixa a cabeça, envergonhado. –Eu já estava...

- Tudo bem Jungkook, não atrapalhou – ele sorri.

- Sim senhor... – Jin o fita em reprovação. –Seung-hee.

- Enfim, estou indo à cozinha...

- Gostaria que chamasse o cozinheiro? – fez menção de se mover.

- Não Jungkook, que isso! Um simples sanduíche eu consigo fazer – ele riu. – Me acompanharia em um lanche?

- Creio que isto seja inadequado, senhor...

- E se eu lhe perguntasse novamente como um pedido oficial? – ele riu.

- Mas o senhor, quero dizer, você não estava numa festa agora há pouco? Eu...

- Festa de rico – Jin revira os olhos. – Local refinado, pessoas de nariz em pé, roupas de grife, bebidas importadas... Mas a comida que é bom: nada!

- Então tudo bem, eu o acompanho – seguem lado a lado até a cozinha.

Após o mais velho preparar os lanches, eles sentam-se em frente ao balcão do extenso cômodo.

- Se me permite... – o mais novo inicia. – Está muito mais bonito que o habitual esta noite, Seung-hee.

- Obrigado Jungkook, de verdade – Jin sente as bochechas arderem e quer se matar por isso.

- Onde morava antes de vir para cá? – ele tenta amenizar a situação.

- Passei quase a vida toda em um internato, depois tirei uns anos pra aproveitar o tempo perdido – Jin balança a cabeça. – Infantil, eu sei.

- Eu não diria isso –Jin deu outra mordida, ainda olhando para o rapaz. – Eu ainda tenho vontade de fazer isso.

- Mas você está na idade! Vinte anos, é isso?

- Vinte e um em duas semanas, na verdade –ele sorri.

- Olha aí!

- Mas você não é velho!

- Eu sei, mas eu "já tenho que pensar no meu futuro, no futuro da empresa, tenho que honrar o nome Park..." – Jin finge imitar o pai. – Mas se pudesse estaria na Holanda nesse momento...

- Faz sentido... – ele sorri. – Meu sonho é ir para a Espanha. Madri, na verdade.

- Uh, não pensa em Ibiza, Las Vegas, Cancun? – ele ri.

- Talvez eu tenha um sonho mais maduro.

- Outch! Essa doeu –riem novamente. – E você sempre esteve aqui?

- Desde que o meu pai conseguiu trabalho aqui, ainda com o outro patrão, sim. Mas sempre morei na cidade... Não tenho exatamente do que reclamar.

- Hm... E as garotas? –Jungkook riu cabisbaixo. – O que foi?

- Tive uma lembrança remota da minha tia-avó.

- Outch! Fique mesmo me bombardeando – Jin ri.

- Desculpe, mas você provoca... E não tem "garotas"...

- Garotos? – Jin pergunta olhando pelo canto do olho.

- Não! Seung-hee está insinuando o quê? – ele riu.

- Nada... E eu não tenho preconceito, então tudo bem se for o caso...

- Não é isso, é que eu só... Não estou pensando nisso no momento.

- Nossa!

- O que?

- Você é mesmo diferente – ele riu.

- Quero ir pra faculdade. E não dá pra estudar tendo uma garota nos pensamentos...

- Talvez você esteja certo – Jin sorri ao recolher a louça e colocá-la na pia. – Mas não espere até ficar um velho rabugento junto a dezenove gatos. Perderá toda a diversão!

- Está certo, eu me esforçarei – ele ri ao se levantar.

- Bom, Jungkook... Já vou indo. Está tarde e de certo você acorda cedo amanhã – ele sorri assentindo. – Boa noite – Jin se despede dando-lhe um beijo no rosto e segue para as escadas que levam aos quartos.

- Boa noite, senhor.

- Seduzindo o rapaz, Seokjin? – Jackson questiona no topo da escada.

- Crê-em-Deus-Pai, não faça mais isto! E não, não o estava seduzindo, eu só acho... Eu só o acho um cara legal – dá de ombros.

- Sei...

- Não me amole, Jack –Jin ri. – Ele tem vinte anos! E eu vou tomar um banho e ir dormir, então boa noite.

- Oh, que pensamento mais antiquado, ele só é quatro anos mais novo.

- Tente novamente Jack, ele não quer pensar em garotos, pelo menos não antes de terminar os estudos... E boa noite, novamente.

- Bobagem! Ele já olhou para você, meu filho?

- Boa noite, pai...

- Boa noite, querido –riu. – Apenas pare de seduzir os funcionários, Jin, será muito difícil se desvencilhar quando o caso acabar.

- Ora Jack, você consegue ser tão inapropriado às vezes –Jin revira os olhos ao vê-lo gargalhar.

Entra em seu quarto e começa a se despir em direção à banheira. Devia começar efetivamente seu trabalho, arrancando informações do caçula Kim o quanto antes, mas não amanhã. Ele não era, afinal, tão bom ator assim. Talvez não conseguisse separar tão bem a ficção da realidade.

- Talvez fosse mais fácil se esse homem não fosse tão gostoso –refletiu baixo após imergir na água repleta de sais de banho. – Você já deveria estar acostumado à tanta beleza em um ser humano só, Seokjin... – mas não estava.

Essa era a verdade. Kim Namjoon mexia com todas as células de seu corpo.

- E agora mais essa –Jackson insinuando que se envolver com Jungkook não era um problema. –Inferno! Só existe homem bonito na Flórida?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...