História Dangerous Wishes. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto, One Piece
Personagens Boa Hancock, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hina, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kizashi Haruno, Konan, Madara Uchiha, Mebuki Haruno, Mei, Mikoto Uchiha, Monkey D. Luffy, Nagato, Nami, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Nico Robin, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Portgas D. Ace, Roronoa Zoro, Sakura Haruno, Sanji, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Temari, Trafalgar Law, Tsunade Senju, Usopp, Yahiko
Tags Naruto, One Piece, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 34
Palavras 4.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei mas voltei hehe, mais um capítulo para vocês, estou me esforçando bastante para deixar a fanfic sempre atualizada mas está sendo difícil, espero que gostem e deixem comentários com a opinião de vocês pois adoro ler cada um deles, beijinhos e boa leitura 😍

Capítulo 5 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Dangerous Wishes. - Capítulo 5 - Capítulo 4

Haruno Sakura


Essa foi uma das noite mais longas de toda minha vida, não preguei os olhos um segundo sequer, imagens e palavras que eu vi o dia inteiro por este lugar rondavam minha cabeça, eu me sentia em um circo de horrores, era tudo tão nojento eu não me imaginava fazendo essas coisas, mas se eu não fizesse o que Kakashi comeria? Como iria obter roupas novas? Como iria viver? Eu não ligava tanto pra mim mas já Kakashi eu morreria por ele, faria de tudo pra ter pelo menos dez por cento de felicidade exalando dele, lágrimas escorreram assim que eu vi ele deitado naquela cama velha, que vida eu iria dar pra ele se ficássemos aqui? Eu não entendia porque as coisas estavam dando tão errado, mas eu prometo pra mim mesma que um dia sairemos dessa e daria uma vida de príncipe ao meu irmão, uma vida livre de sofrimento e que ele iria conseguir tudo que quisesse, mas enquanto isso não acontecia iria tentar melhorar as coisas pra ele mesmo aqui dentro, parecia impossível mas eu faria o  necessário, o sol já tinha nascido faz tempo, meu estômago roncava e do meu irmão também apesar de estar dormindo ainda, devia ser por volta de meio dia e ainda ninguém tinha nos incomodado, eu me olhava no espelho e quanto tentava dar um jeito na minha cara de morta quando bateram na porta, Kakashi acabou acordando e antes que ele resolvesse levantar pra atender corri pra porta, ele me olhou confuso e apenas dei um sorriso pra ele.


-Pode deixar isso comigo, não precisa levantar.- falei e abri a porta.


Por sorte era apenas Kabuto carregando dois pratos com hambúrgueres, meu estômago se revirou ao sentir o cheiro deles e os olhei com água na boca.


-Credo, que cara de morta é essa? Vou ter que fazer milagre pra você começar hoje.- ele disse rindo e levantei meu olhar pra ele.-Pegue, é pra você e seu irmão, não costumo fazer essa hospitalidade para as novatas mas como você tem seu irmão meu coração balançou um pouco.


-Isso não vai te prejudicar?- perguntei pegando os pratos.


-Não bobinha, vai prejudicar meu salário mas depois você pode me pagar, mas sem pressa! Leve para seu irmão, vou pegar os refrigerantes ficaram lá em baixo.


-Tudo bem, muito obrigada Kabuto juro te recompensar.


Ele sorriu e começou a andar pelo longo corredor, deixei a porta aberta para quando ele voltasse e fui até meu irmão com aqueles deliciosos hambúrgueres.


-Meu Deus, onde conseguiu isso?- ele perguntou maravilhado tanto quanto eu.


-Um amigo meu conseguiu para nós.- falei animada.-Anda pode comer.


Sem falar mais nada atacamos os hambúrgueres e que gosto maravilhoso, Kabuto acertou em cheio! Bastante cheddar, bacon, catupiry e salada! Estava maravilhoso, sem contar o gosto daquele hambúrguer, parecia carne de primeira, depois de quase 2 minutos Kabuto entrou no nosso quarto fechando a porta, ele trazia consigo dois copos de 700 ml de coca, sorri ao vê-los e ele nos entregou os copos.


-Seu irmão é uma graça quantos anos ele tem?- Kabuto perguntou sorrindo.


-Oito.- Kakashi respondeu.-Seu cabelo é da cor do meu.


-Oito?! Caramba já pensei que tinha doze, você já pinta o cabelo?


-Não o meu é natural.


-Natural?! Que sorte do caramba.


-Problema genético.- falei rindo.


-Sério? Não me diga que esse seu cabelo rosa também é porque seria uma puta sorte! Que rosa mais lindo.


-Não meu cabelo foi pintado antes de virmos pra cá.


-Entendo, mas você é maravilhosa até imagino como te vestir hoje.- quando ele disse isso uma sensação ruim tomou conta de mim, mas tentei disfarçar o máximo.


-Está muito gostoso.- Kakashi disse sorridente, fazia tempo que não via o sorriso dele.


-Ai assim você me deixa sem jeito pequeno, foi eu quem fiz.


-Você é um máximo cara!


E assim ficamos por meia hora, conversando e nos conhecendo cada vez mais, foi até uma distração pra eu e Kakashi, Kabuto com certeza seria um amigo aqui dentro, mas eu já não sabia se podia confiar em qualquer um depois de ser apunhalada nas costas por um membro da minha família.


Senju Tsunade


Por sorte hoje era sexta-feira e eu já tinha terminado minha parte na minha empresa, poderia ficar mais de boa em casa e curtir meu marido, tínhamos programado um cinema hoje e eu estava animada para sair dessa loucura, fazia tempo que não tínhamos um momento só nós dois, era apenas problemas, problemas e mais problemas, isso seria até bom pra distrair minha cabeça que não andava nada boa, assim que terminei de almoçar e me dirigi a pia para lavar a louça e resolvi conferir meu telefone mais uma vez para ver se aquela menina durona tinha se rendido e decidido falar comigo, porém nada, nem um “estamos bem” isso me deixava um pouco aflita, mas era de se esperar, Sakura me odiava.


-Ainda preocupada?- Jiraya perguntou depositando um beijo no meu pescoço e olhando meu celular comigo.


-E como não se preocupar? Estamos falando do Orochimaru.- falei olhando para ele.


-Vai ficar tudo bem, relaxe Tsunade.


-Não sei não.


Ficamos um tempo abraçados daquela maneira e lendo mensagens antigas que Sakura me enviava, não eram confortadoras, nem mensagens que normalmente sobrinhas trocam com tias, eram mais xingamentos e ofensas terríveis, queria tanto poder consertar tudo mas já era tarde demais, foi então que a campainha da nossa casa foi tocada, olhamos em conjunto para a porta, quem seria bem agora no horário de almoço?


-Vou atender lave a louça pra mim?- perguntei para Jiraya e ele sorriu concordando.


Arrumei um pouco o cabelo que já estava bagunçado e me dirigi até a porta, ainda estava com roupa de executiva então estava apresentável, assim que abri a porta me surpreendi com quem era, achei que ia ser um cobrador ou alguém da empresa pedindo “socorro”, mas não, era só aquela bela menina.


-Tenten? O que faz aqui?- perguntei olhando para ela que tinha uma cara de preocupação enorme.


-Me permite entrar? Quero ter uma conversa com a Senhora.- ela disse aflita e logo dei espaço pra ela passar.


-Claro entre.- sem mais nem menos ela adentrou na nossa casa, apontei o sofá para ela se sentar e foi o que ela fez, logo também me sentei em uma poltrona perto dela.-O que aconteceu?


-Bom você sabe que eu e a Sakura passamos exatamente o dia inteiro conversando, mas depois de me despedir dela não tive mais notícias ou contato com ela, ela não atende o telefone ou responde minhas mensagens, nem me disse se chegou bem eu estou preocupada, ela falou algo com a Senhora?


-Não verdade estou na mesma situação que você, é normal ela não me dar notícias mas não dar pra você já é estranho.


-Eu também acho e não confio naquele Orochimaru…


-Pois nem eu.


-Você tem o telefone dele certo? Poderia ligar pra ele agora e pedir notícias.


-Tem razão, Jiraya vem aqui e traz meu celular!- gritei instantaneamente.


Jiraya logo apareceu na sala com meu celular e nos olhou confuso, apenas peguei meu celular rapidamente da mão dele e ele se sentou ao meu lado, comecei a procurar o número de Orochimaru nos meus contatos e Tenten explicou a situação para Jiraya, por mais que ele tinha sempre esse seu jeito de estabilizar a situação e dizer para pararmos de paranóia percebi que ele também estava preocupado mas fazia o máximo pra não transparecer isso, assim que achei o número o disquei rapidamente, na primeira vez ele não me atendeu, mas bastou três toques na segunda ligação para ele me atender.


-Orochimaru?- perguntei séria e coloquei a chamada no viva voz.


-Tsunade, que surpresa!- ele disse rindo.-A que honra devo essa ligação.


-Onde está minha sobrinha? Passe o telefone para ela.


-Calma calma, Sakura está em Nova York e você sabe que eu não paro lá.


-Como assim? Você deixou uma criança de dezesseis anos e outra de oito sozinhos?!


-Uma criança emancipada com seu irmão que vão ficar sozinhos só até amanhã.


-Você sabe que posso te processar por abandono não é mesmo Orochimaru? A Sakura até tem explicações mas Kakashi ainda é um bebê praticamente.


-Tsunade, não precisa dizer que seus sobrinhos são retardados deste jeito.


-Não estou dizendo isso seu idiota! Só quero que explique o fato por Sakura e ele estarem sem telefone!


-Eles mudaram de país Tsunade devem estar com problemas de linha, vou ligar pro meu assistente e perguntar, amanhã provavelmente ela fala com vocês.


-Eles têm até amanhã para falar comigo ou então vou atrás da assistência social, ouviu bem?


-Claro, claro, relaxe docinho.


Sem mais nem menos desliguei a chamada, tinha um nojo tão grande desse cara que nem queria mais papo com ele.


-Estou com um pressentimento ruim.- Tenten disse e eu respirei fundo massageando as têmporas.


-Vai dar tudo certo, não precisam ficar assim, talvez seja verdade, você vão ver amanhã ela vai falar com vocês.- Jiraya disse.


Eu queria acreditar que sim, mas essa situação me cheirava cada vez mais mal.


Haruno Sakura


Depois do almoço eu decidi descansar um pouco, meu irmão ficou brincando com alguns brinquedos que não haviam sido tomados dele, devia ter passado no mínimo duas horas quando bateram na porta novamente, imaginei que poderia ser Kabuto então me levantei depressa, não consegui dormir muito mas foi o suficiente para colocar a cabeça no lugar, arrumei o cabelo rapidamente e esfreguei os olhos, me dirigi até a porta e assim que abri a mesma dei de cara com Ino, sua expressão não era das mais animadoras e eu cada vez mais tinha impressão que ela não ia com minha cara.


-Me acompanhe.- ela disse seca.


-Pra onde?- perguntei confusa.


-Vamos ver sua roupa pra hoje a noite, não faça mais perguntas vamos logo.- ela respondeu nervosa


-Tudo bem, não precisa alterar a voz.- olhei para Kakashi que tinha parado de brincar e nos encarava atentamente.-Fique aqui, eu não demoro.


Ele concordou com um gesto feito com a cabeça e eu sai do nosso quarto fechando o mesmo, confiava em Kakashi sei que ele não sairia dali então nem me preocupei em trancar o quarto, fui andando com Ino pelo corredor extenso e desta vez graças a Deus todas as portas estavam trancadas, ao chegar no começo dele ela abriu a primeira porta revelando um pequeno salão de beleza lotado de meninas, lá tinha de tudo, roupas, maquiagem, produtos de beleza e cabelo, era até que arrumadinho o lugar, imaginei que era o quarto de Kabuto e não demorei muito pra achar ele no meio de tantas mulheres.


-Que alvoroço.-comentei e Ino bufou.


-Está vendo aquele mini palco no meio do salão? Suba nele.- Ino disse e me deixou sozinha indo até Kabuto.


Arqueei uma sobrancelha mas resolvi não fazer perguntas, enquanto andava em direção ao “mini palco" observei cada mulher presente ali, parecia que tinham de todas as idades, desde 40 anos até os 14, algumas olhavam roupas, outras mexiam no cabelo, outras brigavam por algo, outras gritavam o Kabuto e outras se maquiavam, eu não exagerei quando chamei isso de alvoroço, assim que subi no tal palco fiquei bastante sem jeito e todas as meninas ali presente foram se calando e olhando pra mim, Ino conversava com Kabuto e assim que ele me olhou abriu um sorriso.


-Princesinha, que bom que já está aqui, suas vadias deem um jeito de se arrumar sozinhas por enquanto tenho que ajudar a novata!- Kabuto disse e as meninas pareceram não gostar muito da ideia, tanto é que o barulho aumentou mais que antes.-Eu preciso de silêncio pra trabalhar e vocês sabem disso! Não me faça colocarem vocês pra fora daqui suas megeras.


O silêncio rodeou aquele lugar e Ino e Kabuto vieram até a mim, eles me analisaram por um minuto, comentaram coisas entre si e de repente ficaram parados em minha frente.


-Tire a roupa.- disseram em uníssono.


-Que?- perguntei vermelha.


-Tire, anda, só tem mulher aqui.- Ino falou e olhei pra Kabuto incomodada.-Sério você não precisa se incomodar com ele, apenas tire.


Fechei o punho morrendo de vergonha e imaginei que já estaria da cor de um pimentão, olhei para minhas vestes simples, aquele short de veludo azul marinho que havia ganhado de aniversário do meu tio, minha blusa regata branca com um desenho de gatinho entre os peitos, vizualizei mentalmente a minha lingerie rosa com bolinhas pretas nada sexy por baixo de tudo e me imaginei sem elas, era um desastre, já não gostava de meu corpo e me ver livre de todo aquele pano era um pesadelo, Ino começou a me olhar inquieta e eu não queria ela implicada ainda mais comigo por isso devagar comecei a abrir o zíper e os botões do meu short, minhas mãos tremiam mas eu tentava controlar o nervosismo, abaixei o short lentamente e do mesmo jeito fiz com a minha regata, olhei para minha lingerie e meu corpo e consegui ouvir algumas risadinhas, com toda certeza eu não tinha nada de sexy.


-Vamos Sakura o resto, não temos o dia todo.- Kabuto falou ansioso.


Dito isso senti uma camada de suor se formar em minha testa, era vergonhoso demais tudo isso, abri o fecho de meu sutiã e devagar o joguei no chão junto de minhas roupas, respirei fundo e com coragem tirei minha calcinha, fiz questão de fechar os olhos, não queria sentir aqueles olhares em cima de mim, não mesmo.


-Meu Deus você não se depila? Quantos anos você tem?- Ino me perguntou e ouvi mais risadas.


-Dezesseis.- falei abrindo os olhos sem coragem e com o coração na boca.


-Você é virgem docinho?- Kabuto me perguntou e fiz que sim com a cabeça.-Já foi tocada por alguém pelo menos?


-Nunca.


-É não devemos culpá-la, anote uma depilação Ino.


-Não é só por isso que depilamos Kabuto, é falta de higiene não depilar.- Ino disse com cara de nojo.


-Isso é detalhe Ino, observe o corpo dela, é perfeito.


-Vejo peitos pequenos, pernas finas, muita magreza e falta de bunda, isso é perfeito?


-Não seja exagerada, os peitos dela são totalmente perfeitos, nem grande nem pequenos e ela está em uma fase de transição, pode ser que ainda cresçam mais, ela tem um corpo delicado e uma inocência única, vão implorar pra ela tirar a roupa.-uma menina ruiva disse se aproximando do palco e me analisando de cima a baixo.


-Você sempre quer se intrometer onde não é chamada né Nami? Então o que sugere que ela vista?


-Isso é com você, minha parte é ser solidária e não deixar ela passar pelo o que eu passei.


-Como assim?- perguntei a observando subir no mini palco junto comigo.


-Vou te ensinar a fazer um stripper decente, quando cheguei aqui essa vaca loira não me ajudou em nada, então faço tudo pra ser diferente dela.-ela disse sorrindo e Ino fez uma cara nada boa, já deu pra perceber que elas se odiavam.-Bom já pensou no seu novo nome?


-Novo nome?


-Sim, você não pode usar o seu original aqui.


-Ah eu não sabia disso… acabei não pensando e não tenho ideia de nada.


-Eu posso te ajudar com isso até a noite tudo bem? Agora quero que você vista a roupa e faça tudo que eu fizer, isso vai te ajudar bastante pra quando a hora chegar.


-Eu tenho que fazer mesmo isso hoje…?-perguntei cabisbaixa.


-Ao menos que esteja doente sim, não está preparada?


-Nem um pouco, acho que nunca vou vestar…


-Está tudo bem bobinha, vou te ajudar.


-Acha que vou conseguir?


-Você tem que conseguir, eu acredito em você, é só fazer tudo que eu fizer entendeu?!


-Acho que sim…


Nami sorriu, ela parecia simpática, parecia que íamos nos dar bem, pelo menos uma amiga dentro desse ninho de cobras, ela me entregou minhas roupas e me apressei para vesti-las, seria uma longa tarde pelo visto.


Uchiha Sasuke


Já era quase noite do outro dia e estávamos novamente em uma reunião, desta vez era apenas nós e poucos da força policial de Nova York, a reunião de ontem esclareceu poucas coisas, afinal esse é um caso de dois anos mas foi a base para começarmos a pensar como trabalhar no caso.


-Espero que tenham tido uma boa noite de sono, Nova York é uma cidade bastante barulhenta.-George dizia enquanto se sentava à mesa conosco.


-Tivemos sim obrigado, o Senhor escolheu um lugar ótimo, quase não ouvimos barulhos.-Itachi disse se levantando com alguns papéis na mão, provavelmente a base do plano meu e de Shikamaru e também o plano idiota de Luffy.


-Imagino que já devem ter começado a pensar em algo.


-Sim senhor, se me permite a fala vou apresentar nossas idéias.


-Pode começar.


-Primeiramente eu queria anunciar algo para meu grupo que quase nenhum deles sabe, eu irei me aposentar, posso ser novo mas meus feitos para a polícia do Japão são enormes, como vou me casar me concederam isto, estou contando isso agora pois como vocês sabem somos um grupo com uma grande relevância, seja qual for o cargo de vocês se um de vocês se destacar mais do que outro neste caso automaticamente irá se transformar no novo capitão do grupo, a escolha será feita entre a força do Japão e de Nova York.-acabei me assustando com a novidade, Itachi era meu próprio irmão e não havia me contado isso, ele percebeu meu susto e deu um sorriso de lado, ele me conhece bem ao ponto de saber que isso me deixaria mais excitado com o caso, imbecil.


-Sério? Incrível! Com toda certeza eu irei ser o novo capitão! Já podem se acostumar com a ideia.-Luffy disse todo animado, já deixei expresso o quanto ele me irrita?


-Acredito que sim Luffy, você tem potencial, mas enfim vamos ao caso, ontem dois dos meus agentes me entregaram um começo de ideia e vou deixar eles falarem sobre isso, Shikamaru pode começar.


-Bom, a ideia foi formulada por mim e Uchiha Sasuke, creio que vai levar tempo porém acredito que isso nos levará a solução do caso.-Shikamaru disse se levantando e me levantei junto com ele.


-Ao contrário da ideia de Luffy que é totalmente irresponsável, nossa ideia se baseia em infiltração, creio que as meninas que trabalham naquela casa noturna nem todas estão por vontade própria, um de nós se “relacionando” com uma delas nos permitirá descobrir bastante coisas, mas como Shikamaru disse vai ser algo demorado, o caso deve ser tratado com toda delicadeza.-falei seriamente enquanto Luffy me olhava confuso e perguntava porque sua ideia era irresponsável.


-É uma boa ideia no meu ver, mas quero saber a ideia de Luffy também.-Itachi disse, francamente ele acha que estamos em uma creche?


-Bom eu pensei em entrarmos lá anunciarmos que somos da força do Japão e levarmos todos presos.-Luffy disse e fechei os olhos tentando buscar calma, pude ouvir risadas de todos, desse jeito que imagem iríamos estar passando?


-Luffy isso estragaria tudo seu idiota, precisamos de provas para concluir o caso e no momento não temos nada além de suspeitas!- falei nervoso.


-Você me chamou de quê?!- ele perguntou nervoso e se levantou.


-Calma Luffy calma, você também Sasuke, sua ideia foi boa Luffy mas como o Sasuke disse iríamos deixar tudo ir por água abaixo.-Itachi disse ainda sorrindo.


-Ah, me desculpe, bem que disse que era uma ideia irresponsável.- mentiroso! Eu quem disse isso, vontade de matar esse desgraçado!


-Mas enfim Sasuke, gostei da sua ideia e de Shikamaru, acho que podemos colocar-la em prática, como capitão do grupo ainda e com minha experiência acho que podemos começar a trabalhar com este pensamento.


-Acho que pode dar certo apesar de termos tentado infiltrações anteriores, vocês são profissionais não vou me intrometer nisso, vou deixar nas mãos de vocês e no final de semana nos encontramos novamente para colocar tudo em ação.-George disse e dei um sorriso para Shikamaru, íamos nos destacar com certeza.


O cargo de capitão já era um prato cheio servido para nós dois, agora quem comesse primeiro ganhava jogo, essa era minha ambição desde o início e eu com certeza iria conseguir, nada me atrapalharia e ninguém ficaria no meu caminho.


Haruno Sakura


Infelizmente já havia anoitecido faltavam poucos minutos para eu subir ao palco e fazer minha “apresentação”, Nami e outra menina subiriam comigo e eu estava bastante nervosa, a casa estava cheia e meu psicológico não estava nem um pouco pronto pra ficar pelada na frente de vários homens sendo que não fiquei nem na frente de meu irmão, falando nele graças aos céus ele já havia dormido, não queria que ele me visse vestida desse jeito ou o jeito que eu chegaria em meu quarto depois de tudo, com toda certeza iria me desmontar, ter que fazer isso por obrigação era horrível, mas precisava de dinheiro, Ino me vestiu com uma roupa tão vulgar que acho que foi até de propósito, eu usava uma meia calça arrastão rosa escuro, um mini short que era quase uma calcinha preto, um cropped super curto e soltinho rosa também, uma bota over preta e por baixo o que mais queriam ver, nunca havia usado uma lingerie dessas, a calcinha era fio dental e cheia de pedras, incomodava bastante, o sutiã também era assim e contava com um luxo bastante grande, graças a Deus ele tinha um bojo que me dava mais peitos, pois segundo Ino se não tivesse isso minha noite ia ser um fracasso e eu não ia lucrar nada, Nami me ensinou bastante coisa, me passou uma coreografia ao qual faríamos juntas no palco e me ensinou um pouco como soltar minha “sensualidade que vivia dentro de mim”, não acreditava que isso era possível mas ia tentar seguir tudo pelos conformes.


-Ei, nossa apresentação é agora vamos!- Nami disse entrando no salão do Kabuto, eu era a única que ainda estava lá, precisava me acalmar antes de tudo e ficar longe daquela loucura.


-Vamos.-respondi sentindo minhas mãos começarem a tremer.


Me levantei com dificuldade devido ao nervosismo e respirei fundo, era chegado a hora e eu não podia voltar atrás, comecei a andar em direção a Nami e ela me deu um sorriso, saímos juntas daquele corredor e fomos para dentro da boate, estava literalmente lotada, as luzes até me deixavam tonta, o cheiro de bebida, cigarro e sexo exalava pelo lugar e me deixava enjoada também, Nami segurou forte meu braço pois muitos cara tentavam me puxar e me levou até o bar, lá estava a outra menina que ia dançar com a gente, ela tinha o jeito bastante parecido com o meu, tímida, quietinha e com um ar de inocência pura, seus cabelos negros e pele branca me lembravam muito a branca de neve, porém seus olhos de um azul totalmente claro, quase branco, a deixava parecida com um anjo.


-Está é Hinata, Sakura, ela vai dançar com a gente hoje.-Nami disse sorrindo e eu olhei para Hinata com pouco animação, ela parecia envergonhada era até engraçado.


-Oi, é um prazer.-falei sorrindo.


-Digo o mesmo, sua primeira vez?- ela perguntou docemente.


-Sim.


-Imagino que deva estar nervosa, apenas respire fundo, vai dar tudo certo.


-Vou tentar e obrigada.


-Muito bem! A noite apenas começou cavalheiros.-uma mulher disse subindo ao enorme palco no meio da boate, ao dizer isso a casa começou uma super euforia, já deviam saber da apresentação, depois de bastante observar pude perceber que era Hina, mas ela estava bastante arrumada, na verdade estava linda e possuía um sorriso enorme, nem parecia a mesma pessoa.-Agora vamos ter a nossa primeira apresentação das queridas Naomi e Aiko trazendo uma deliciosa novata.


-É a gente, vamos.-Hinata disse se levantando, senti meu coração acelerar, não sabia que iríamos abrir a noite.


-Sakura use Yumi.-Nami disse e olhei para ela confusa.-Seu nome, Yumi!


Ao dizer isso ela saiu me arrastando para o palco, confesso que gostei do nome mas nem isso conseguia me distrair, eu queria sair correndo dali, me sentia um pedaço de carne rodeada por lobos famintos, engoli em seco e assim que pisei no palco junto com Nami senti meu estômago revirar, Hinata foi para o cano de ferro para pole dance direto, Nami para o esquerdo e eu fiquei no meio, todos gritaram assim que me viram, parece que gente nova fazia sucesso e chamava atenção, olhei para todos ali embaixo e cada vez mais senti um nó na minha garganta, pude ver Ino em um canto com Kabuto e ela me olhava feio, me perguntava se ela tinha raiva assim de mim, eu não fiz nada a ela! Não consigo entender realmente.


-Bom pessoal espero que curtam nossa apresentação com a Yumi, ela é nova mas no camarim ela me prometeu divertir vocês por hoje!- Nami disse e novamente a euforia tomou conta do lugar.


Estava cada vez mais assustada, a nossa música que era uma versão mais lenta de Crazy In Love começou a tocar, era o início da dança, engoli em seco e comecei a fazer os passos devagar e olhando para o chão, no começo não tinha nada demais, iríamos começar a tirar a roupa no refrão e isso já estava me deixando super afobada, suor e desespero, era tudo que eu sentia no momento e para melhorar lembranças me atacaram sem cessar, comecei a lembrar de tudo mas principalmente porque eu estava aqui, a respiração ficou lenta, as mãos suaram e o estômago rodou, foi o bastante pra me fazer descer do palco e sair do correndo para o banheiro, assim que abri a porta do mesmo tive um lindo encontro com a privada, vomitei, vomitei até o que não tinha no estômago, lágrimas e vômitos desciam pela aquela privada, me sentia um gatinho assustado, eu não queria voltar para lá, não mesmo, a porta do banheiro se abriu e eu nem fiz questão de olhar quem era.


-Sakura?- a voz de Nami soou me procurando.-Sakura o que aconteceu?


-Volte pra lá.-respondi entre soluços.


-Você precisa voltar também, ou vai acabar levando um ferro daqueles, vamos vem, se Hina vir aqui as coisas não vão ficar bonitas.- ela disse se agachando ao meu lado e colocando a mão em meu ombro.


-Eu não quero isso mais Nami, meu próprio tio me colocou aqui e eu sinto que não tenho família mais, meu irmão vai levar uma vida de merda por minha causa, eu só queria por um fim nisso tudo, eu queria ter uma casa para poder voltar e deitar a cabeça no travesseiro tranquilamente mas nem isso eu tenho mais, Nami eu não tenho mais nada.


-Não fica assim, todas estamos aqui por motivos parecidos, se apoie na gente, só queremos ajudar.


-Eu não quero ficar pelada lá e dançar que nem uma vagabunda, sem ofensas.


-Eu sei que não, nem eu queria, mas a Hina nos obriga, você não faz ideia do monstro que ela é e se ela vier aqui você…


-Que merda vocês pensam que estão fazendo?!- a porta do banheiro foi batida com força contra a parede e pude ouvir som de saltos até a cabine onde eu estava, era Hina e ela tinha uma péssima cara.-Vocês estão me achando com cara de palhaça?


-Não senhora, eu só estou tentando acalmar a Sakura.-Nami disse se levantando e Hina a empurrou contra a parede.


-Olha aqui sua vadiazinha, se você acha que eu estou brincando com você de casinha você pode tirar seu cavalinho da chuva, agora você está trabalhando para mim e vai fazer o que eu mandar, se clientes forem embora agora você vai sofrer as consequências, entendeu?- Hina falou me olhando e eu não consegui engolir o choro, só chorei ainda mais, então ela cravou as mãos em meu cabelo e meu puxou com força me fazendo levantar.-Eu estou falando com você!


-Eu entendi, me desculpa.- falei enquanto desabava ainda mais, as lágrimas desciam sem cessar.


-Vocês tem dois minutos para voltar naquela merda de palco, enxugue essas lágrimas e dêem um jeito nesse vômito.- ela me soltou e saiu quase marchando do banheiro deixando apenas eu e Nami ali.


O choro era quase impossível de ser contido, Nami me olhava com pena e eu odiava isso, porém não iria falar nada pois no estado em que eu me encontrava até eu tinha dó de mim, ela limpou a privada e deu um jeito de tirar o mau cheiro, aos poucos fui me acalmando e fui até a pia me limpar, a maquiagem tinha borrado um pouco mas nada grave, limpei minha boca e fiquei me encarando no espelho, era degradante esta situação.


-Vamos ir?...- ela perguntou sem graça.


-Acho que sim.- respondi do mesmo jeito.


-Então recuperou as forças? Está tudo certo?


-Aham.


-Tudo bem… não queria ter que te forçar a nada mas temos que ir.


Ela colocou a mão em meu ombro e juntas fomos saindo do banheiro, gritos de euforia foram ouvidos ao sairmos de lá, os homens estavam loucos de excitação e eu dei o sorriso mais falso que eu podia dar na vida.


Mas afinal, tudo agora não passa de uma falsidade, pois essa com toda certeza não era minha vida prometida.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, próximo capítulo sairá em breve, não deixe de dar uma olhadinha na minha outra fanfic Differents Ways, até a próxima 💕😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...