História Dark and light (G-dragon) - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias G-Dragon
Personagens G-Dragon, Personagens Originais
Tags Bigbang, G. Dragon, Lee Ji Eun (iu), Shownu
Visualizações 216
Palavras 3.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AHHHHHH
YESSSSS AMORES. EU ESTOU DE VOLTA.
POR FAVOR, POR FAVOR, NÃO ME MATEM PELA DEMORA.
EU AMO VOCÊS!!! E EU FINALMENTE CONSEGUI TERMINAR ESSE CAPÍTULO. SÉRIO, ME PERDOEM!!!!😞😞😞
Unnie é muito má!
Fiquem com mais um capítulo 🔥

A MÚSICA DO CHAPTER É O HINO "DUSK TILL DAWN"- zayn feat Sia

Capítulo 33 - Praia


Fanfic / Fanfiction Dark and light (G-dragon) - Capítulo 33 - Praia

            P.O.V Jiyong

-Praia?! O que foi que deu em você, kwon? Ficou louco?- grita num tom de indignação.

-Uhum- falo sem dar muita importância e mordo minha maçâ.

-Eu não acredito nisso. Temos aulas e estamos as perdendo! Desculpe, mas eu não sou irresponsável como você, e nem pretendo trancar meu curso. Então sugiro que me leve de volta pra seoul, e me tire de "sei lá onde estamos"!!- grita irritada.

-Hoje é quarta. Só vamos perder 3 dias. Voltamos no fim de semana. E você tem as melhores notas, então, uma aula ou outra, não vão fazer diferença no seu currículo- falo sarcásticamente.

Ela parece respirar fundo e fazer uma sessão de yoga mentalmente. Aposto que ela quer me matar, mas, não posso sair desse lugar até as coisas esfriarem para o meu lado e, consequentemente, para o dela, que agora está envolvida em toda essa merda. Algo que eu estou tentando incessantemente inverter.

-Ughh, eu odeio você. Odeio você!!!- ela explode e sai correndo. Saindo da casa.

Dou uma última mordida na minha, agora, falecida maçã e caminho lentamente até o sofá na sala. Tirar um cochilo é sempre bom.

.

.

.

             P.O.V jieun

Dá pra acreditar nesse cara? 

Ele me traz pra um lugar praticamente deserto e agora diz que vamos faltar três dias de faculdade para ficarmos aqui. Ele só pode ter enlouquecido. É isso. O soco de xin afetou seu cérebro. Ugh. Se é que ele tem um.

Sento na areia da praia, perdida em todos os meus pensamentos, agora conturbados, por certa insatisfação com a notícia dada pelo garoto problemático.

Mas, conforme o vento bate em meu rosto e a brisa assanha levemente meus cabelos, sinto certa paz invadir meu ser. Toda raiva parece se esvair aos poucos...tudo que eu posso sentir é que esse lugar traz paz pra minha alma.

A maré está alta e as ondas estão vindo com tudo. Ela batem em algumas pedras e espirram um pouco da água salgada em mim. Certa paz interior me consome, e penso que gostaria de morar em um lugar com esse. Na verdade, eu sempre sonhei em morar numa casa perto da praia. Em sentir a areia afundar meus pés e sentir o cheiro do mar. Era um sonho de criança, mas que agora, me faz pensar que não era apenas na infância. De repente, eu desejei morar aqui agora, nesse exato momento. 

-Gosta de praia?-um ser de repente toma o lugar ao meu lado e eu saio do meu transe.

Decido ignorar ele completamente.

-Sabe...eu costumava vir com a minha família- ele puxa assunto dando espaço para iniciar uma conversasão. O olho de relance e este continua:

-Eu, meu pai, minha mãe e minha irmã...-ele se abre e eu o olho atentamente.

-E o que vocês gostavam de fazer?-pergunto agora interessada e esquecendo os motivos da briga de mais cedo.

-Bem ali, olha- ele aponta em direção a praia- eu e minha irmã costumávamos nadar afoitos e meu pai e minha ficavam preocupados e gritavam pra gente ficar perto da costa- ele diz, dando um sorriso com nostalgia.

Sorrio imaginando a cena.

-E o que vinha depois?- pergunto me virando totalmente em sua direção. Era legal saber mais sobre ele. Coisas que ninguém sabia.

-Depois..hm. Minha mãe nos chamava para comer panquecas e reclamava comigo por ser um péssimo irmão mais velho- fala e eu rio.

-panquecas, é por isso que ama panquecas?- pergunto feliz.

-Pode ser- ele diz distante e pensativo.

Fico um instante em silencio. Até que tenho uma ideia. Se jiyong foi tão feliz naquele momento, eu queria que ele fosse feliz novamente. 

-Por que não relembramos esse momento? Nade comigo? bem ali-  eu digo apontando para o lugar onde ele e a irmã dele costumavam ficar.

Levanto-me e estendo a mão pra ele. Rezo para que ele não me rejeite. Ele sempre faz isso.

-Tá falando sério? Nadar contigo? É quase inverno, e já está escurecendo-  ele me confronta com diversas desculpas, mas nenhuma me convence.

-Vai logo, de toda forma, você disse que viriamos na praia. Íamos tomar banho ou brincar de casinha?-  eu digo tentando ser irônica.

Por favor ,por favor Deus, faça ele aceitar.

Ele sorri brincalhão.

-Quem é você?- ele pergunta sorridente e agarra minha mão. Eu o puxo.

-Planeja tomar banho de roupa?- ele pergunta rindo e eu coro. Não tinha pensado nisso.

-Não tenho biquini aqui- digo e encolho os ombros.

-Tira a roupa- ele diz tirando a camisa ficando apenas de bermuda e pula na água. 

Não. Não vou tirar a roupa. Não posso fazer isso. Que inadequado.

-Não, você está louco?!- grito de volta.

-Tá tão bom aqui- ele fala e eu olho para o mar.

Eu amo praia e sinto que ele está fazendo isso de propósito.

-Tá frio jiyong? Como está a água?- pergunto curiosamente.

-tá gostoso aqui- ele responde sorrindo e mergulha voltando a superfície.

Droga, eu quero muito entrar.

-Vira- falo tomando coragem e ele sorri.

-sério mesmo?- ele deboxa.

-vira logo!!

-Você que manda- ele diz virando.

Retiro a blusa cuidadosamente , prestando atenção se ele não está me espionando.

-Se brechar eu juro que te denuncio por sequestro- grito e ele permanece imóvel. Só posso ouvir sua risada.

Eu nunca fiz algo tão louco como isso em toda minha vida...

Retiro a calça e fico apenas de calcinha e sutiã. Pelo menos são pretos. Kkk

-Para de enrolação e entra logo aqui- ele diz e eu reviro os olhos.

-se não eu vou virar- ele me ameaça.

Corro feito uma louca e pulo na água, que estava realmente muito relaxante. Fico no fundo, só assim não dária pra enxergar meus trajes inaprópriados.

 eu nunca pensei que faria algo assim...o que tá acontecendo comigo...

-E aí, o que achou?- ele virou e agora estava me encarando, mas de longe 

-está boa- falo fechando os olhos e sentindo a água.

-o que você e sua irmã faziam aqui?- pergunto ainda de olhos fechados. Relaxando.

-O que pessoas fazem numa praia- ele diz irônicamente. 

- engraçadinho, você!

-Belo sutiã preto o seu- ele fala e eu arregalo os olhos.

-Yahhh, você olhou, eu sabia, seu tarado. Você é um um um...-tento achar uma expressão, mas esqueci que não conheço muitos palavrões. Estou zangada.

-Babaca- completa ele ,sorrindo.

Aproveito que ele estava próximo de mim e afundo sua cabeça. Vingança é doce.

-HHAHAHAHAHAHA- rio quando ele volta a superfície.

-Se vingando, babe? Cuidado, eu posso fazer pior- ele diz próximo ao meu ouvido, e minhas bochecham coram instântaneamente. Ugh.

Logo, seus ágeis dedos alcançam a região lateral da minha barriga, fazendo circulos em minha pele.

-Você é um pervetido!

começam a me fazer cócegas e eu me embrulho toda.

-hahahahahah. Para. Para. Ok. Ta. Eu parei Ja. Nao faço mais. hahahhaa. Desisto. Hahahhahahaha.

-Você desiste fácil, hein?- ele diz brincalhão e faz menção em mergulhar.

-Não, você não pode mergulhar, você vai me ver- puxo os cabelos dele pra cima de novo, e ele me olha incrédulo.

-Aiiii- ele resmunga e eu rio mentalmente. Bem feito.

-Mas eu entrei na praia pra nadar- ele fala indignado.

-Não ,você não pode mergulhar!- eu falo.

-Deixa que eu molho pra você- digo vingativamente e começo a jogar água nele.

-Yah, garota, você não tem medo da morte?- ele pergunta rindo.

Começamos uma guerra de água e eu ria feito uma retardada. Ele está muito engraçado bravo. Haha. Está perdendo a guerra.

-Yah, garota, É melhor você correr, por que se eu te pegar...-Me ameaça.

Eu começo a correr, mas lembro que não estou vestindo muitas roupas e paro no meio da água.

Como eu já não estava mais no fundo, meu sutiã preto ficou à mostra e eu olho preocupadamente pra traz, apenas para encontrar o sorriso malicioso de jiyong.

Tento tampar meus seios pouco cobertos.

Ugh, mas antes que eu pudesse correr para o fundo novamente ,vejo sua expressão maliciosa se tornar uma carranca. Olho pra trás e vejo que na areia da praia tinha um cara. Um cara sorrindo pra mim e mordendo os lábios. Ugh, que nojo. O que eu faço? Não posso começar a chorar agora. Meus olhos estão lacrimejando mas eu não posso chorar. 

-Faça o que eu mandar e tudo vai ficar bem- jiyong se posiciona na minha frente, impedindo a vista do cara, e eu o olho com meus olhos brilhantes.

-o que eu vou fazer? Eu tenho que sair daqui jiyong!-falo tentando atravessar.

-Ficou louca que eu vou deixar outro cara te olhar assim? nem fudendo- exclama irritado e eu choramingo. 

-Jiyongggg, tá ficando frio e...e eu tenho que sair daqui.

-Não enquanto esse cara olhar pra você como se você fosse comida- ele responde.

Tento brechar mas ele me impede.

- não ouse olhar pra esse cara, garota. Espera, espera, deixa eu pensar- diz irritadamente ainda em pé em minha frente.

Ugh, que proteção é essa, hein?

-você volta pro fundo, COM CUIDADO ,e eu vou até a costa pegar um cobertor, então eu volto. Se ele se apróximar de você, você grita, entendeu? Ele tá bêbado, vai ser difícil ele chegar até aqui- explica olhando pra mim e gesticulando.

-Hm, ok. Mas vai logo. Tá frio, por favor!- imploro, e volto para o lugar mais fundo. Finalmente retiro os braços de cima dos meus seios. 

Ugh, tá frio. Olho para jiyong e ele já estava longe. No entanto, o homem que estava me encarando, agora, parece sorrir ainda mais maliciosamente. O quê????

Espera.

Espera.

Ele está se despindo.

Ó meu Deus. Ele está claramente bêbado, e se despindo.

Ele tira a camisa e eu tapo os olhos. Quando abro novamente, vejo que ele já estava dentro d'água, e suas vestes estavam na areia da praia. Todas as sua vestes. Omo, ele está NÚ? 

E ele está vindo pra cá. 

Nado para ainda mais longe. Ele está um pouco longe ainda, mas que droga...Ideia idiota deixar o jiyong ir. 

-JIYONG!!!!!!!!!- peço ajuda.

olho para a areia da praia e ele estava lá, vindo rápido. Ele pula na água e nada rapidamente até mim. Por sorte, o moço estava bêbado e nadando lentamente. Jiyong nadou rápido e chegou quase igual com o homem. 

-Vem, vamos- ele diz puxando minha mão até onde estava mais raso.

-Levanta- ele manda e eu continuo parada e abaixada. 

-Mas eu tô só de calcinha e sutiã- falo envergonhada.

-Eu não vou olhar pra seu corpo, olhe pra mim. Eu vou olhar nos seus olhos. Eu juro. Mas, puta merda, garota ,deixa eu te tirar daqui. Antes que eu saia na porrada com esse bêbado de merda.

Levanto vagarosamente olhando nos seus olhos ,e ele coloca gentilmente o cobertor sobre os meus ombros.

O que me deixou mais supresa foi que ele falou a verdade. Ele não olhou para o meu corpo sequer uma vez. Ele estava atento em meus olhos. Seus olhos pareciam refletir preocupação e cuidado. Aquilo fez o meu coração se sentir aquecido. Estava frio, mas meu coração ficou quente com sua atitude.

-agora vá pra praia. Eu vou pegar aquele desgraçado!- ele fala entredentes e eu suspiro nervosa.

-Não! fica aqui. Não vá. Vamos embora, ji- súplico e choramingo.

Ele parece pensar um pouco.

-Tá- ele concorda. Mas eu achei que foi fácil demais. Não ia ficar assim.

Voltamos até a areia da praia e ele pega minha mão.

-espera- diz e vai até o lugar onde o homem havia deixado suas roupas.

Olho para o homem e este parecia perdido, olhando pra jiyong e começando a voltar pra praia.

-Vamos ensinar uma boa lição pra esse filho da puta- jiyong fala sorrindo e levantando a junta de roupas nas mãos, orgulhosamente.

Eu o olho confusa e ele revira os olhos.

O homem nu já estava quase saindo da água.

-Ele está vindo, no 3 a gente corre- jiyong fala e segura minha mão, firmemente.

-Eiii moleques, pra onde estão levando minhas roupas?- o homem grita próximo a nós.

1

2

3

Não estou tentando ser alternativo
Não estou tentando ser descolado.
Só estou tentando entrar nessa.
Me diga, você também está?
Consegue sentir pra onde o vento sopra
Consegue sentí-lo passar 
Por todas as janelas desse quarto?

Começamos a correr feito loucos. Eu não consegui segurar o riso. Primeiro eu tomo banho de praia seminua e agora estou sendo perseguida por um cara tarado pelado, segurando suas roupas nas nossas mãos. 

Se me contassem há alguns dias atrás que eu estaria aqui e fazendo tudo isso. Eu iria rir e negar até a morte. 

Passamos alguns minutos correndo. Rindo sem parar e caímos ofegantes na areia.

Deito na areia cansada e ouço a respiração pesada do meu colega deitado ao meu lado.

Não aguento e começo a rir, novamente. Sendo acompanhada por ele.

-Isso foi...-falo, tentando achar a palavra certa.

-sinístro- ele responde sorrindo.

Ficamos nos olhando um tempo e rindo.

-Você viu quando ele correu e quase tropeçou em uma pedra?-ele pergunta risonho.

-hahahahaha, para. Eu não posso mais rir. Hahahah. Ta doendo- falo entre risos.

Estávamos os dois loucos, deitados na areia, olhando para o pôr do sol e sorrindo.

Pois eu quero te tocar, amor
 E quero sentir você também 
Quero ver o sol nascer.
Nos nossos pecados, só eu e você

-ainda está com frio?- ele pergunta e eu assinto.

-vem cá- ele fala me puxando pra mais perto e e pousando minha cabeça em seu peito.

-Você é louco- digo rindo e me aconchego mais em seu aperto.

-Eu sei- ele responde me apertando mais contra si.

-Jiyong, onde está sua família?- pergunto e ele fica tenso.

-Minha mãe e minha irmã morreram, young hwan está vivo- ele fala. Posso sentir um pouco de amargura na sua voz.

Levanto minha cabeça e olho tristemente para ele. Ele perdeu sua mãe e a irmã. Ele estava tão feliz quando lembrou delas. Ele é assim por causa disso?

Oh, por favor, pena não!- ele exclama irritadamente.

-Não é pena, jiyong. Sinto muito por sua família- digo o abraçando e deitando minha cabeça em seu peito novamente.

-Ok, vamos mudar o tema. Hm, deixe me pensar- eu falo pensativa.

-Hm, fale da sua família- ele diz, de repente. E eu sorrio.

-Eles moram em busan, meu pai e minha mãe trabalham lá, e meu irmão joon ainda estuda- digo sorridente lembrando dele.

-ele me lembra você, jiyong- eu digo.

-Eu? Por que?- ele pergunta me olhando incrédulo.

-Teimoso- respondo gargalhando e ele ri.

-Não sou teimoso- ele diz fazendo bico.

-claro que não- digo irônicamente.

-Desde quando se tornou tão irônica?- ele pergunta com deboxe.

-Aprendi com o melhor- digo me referindo à ele, e ele balança a cabeça negativamente.

-Você não tem jeito, jieun-ah- ele diz.

-O que foi, oppa?- falo o provocando e ele me olha.

-Quem é seu namorado?- ele pergunta de repente. Um toque de inquietude na sua voz

-uhh?- múrmuro confusa.

-Xin disse que eu não era o mesmo que você tinha apresentado a ele. Quem é o cara?- ele diz irritado. 

Ele se levanta, sentando.

Agora nós estávamos sentados. Ele estava atrás de mim. Eu estava sentada entre suas pernas. Minhas costas tocavam seu peito, e ele estava massageando meu braço direito, enquando sua outra mão estava envolta em minha cintura.

Será que ele está com ciúme? Hmm, vou provocá-lo mais um pouco.

Éramos fechados como uma jaqueta com o zíper puxado
Rolávamos corredeira abaixo
Para pegar uma onda que desse certo
Consegue sentir para onde o vento sopra
Consegue sentí-lo passar
Por todas as janelas desse quarto?

-Não sei do que está falando, oppa- eu digo bancando a desentendida.

-É mesmo? Você não sabe?- ele pergunta bravo e aperta a lateral da minha cintura.

-Ahh, ficou louco?- pergunto fraquejando. Surpreendida.

-Me diga quem beijou você além de mim- ele sussurra no meu ouvido. Cheirando meus cabelos...

Incendeie, estamos na fuga
Vamos fazer amor essa noite
Inventar, se apaixonar, tentar.

Posso sentir a ponta do seu nariz no meu ombro, onde ele planta um beijo demorado.

-hmm- múrmuro satisfeita com seu carinho.

-nenhum cara pode beijar você, me ouviu? Nenhum cara- ele diz e morde o lóbulo da minha orelha possessivamente. Gemo baixinho.

Sua mão acariciando minha barriga por dentro do cobertor, sua voz rouca no meu ouvido, seus dedos na minha cintura. Seu rosto afundado no meu pescoço. Hmmm. Tão bom...

Instântameamente minha cabeça vira para o outro lado. Dando espaço para que ele continue o que estava fazendo.

Ele afasta meus cabelos, colocando para o outro lado.

-ninguém pode fazer o que eu faço com você- ele diz chupando a pele do meu pescoço. Fazendo-me gemer baixinho.

-jiyong- múrmuro e sinto sua mão que estava na minha barriga subir para o feixe fo meu sutiã.

Estremeço com seu toque tão próximo dos meus seios.

-ji, não...- múrmuro e seguro sua mão, impedindo-o de continuar.

-Vira pra mim- ele fala roucamente no meu ouvido e aperta um dos meus seios ainda cobertos.

-jiyong...-gemo.

Ele me vira e agora estou sentada de frente pra ele. Minhas pernas em sua volta.

-Deus, jieun- ele fala olhando para meu corpo e eu tento me cobrir com minhas mãos, envergonhada. Seu olhar transmitia luxúria. Seus olhos castanhos estavam mais escuros agora. Ele olhava para toda a extensão do meu corpo, sem nem mesmo piscar. Eu só estava de sutiã e calcinha. E o cobertor já não estava mais entre nós.

Ele dirige seu olhar para meu rosto e encara meus olhos. Seu rosto muito próximo do meu. Fecho meus olhos e posso sentir sua respiração.

Seus lábios encostam levemente nos meus. Num selar rápido, ele puxa meu lábio inferior com os dentes e eu suspiro em satisfação.

Meu corpo está quente. Por algum motivo formingando.

- vai logo jiyong- peço por algo que nem mesmo sei o que é. Eu só quero que ele me beije logo e que meu corpo pare de formigar.

Sinto sua mão agarrar minha cintura me trazendo mais pra frente. Nossos corpos pressionados. Encosta seus lábios sobre os meus com força e eu abro a boca, sentindo sua língua adentrar o local, e as duas se movem em sintônia. Ele massageia minha lígua com a sua, num movimento erótico.

Isso é insano.

Sua mão passeia pela minha parte de trás e aperta minha bunda.

-Eu não disse aquilo de verdade- sussurra entre beijos. - Sua bunda...ela me deixa duro, jieun. 

-hmmmm- gemo sentindo seus beijos descerem do meu pescoço para minha clavícula, depois entre meus seios. Beijando e sugando a região.

Ele encosta no feixe do meu sutiã tentando abrí-lo.

-Não, jiyong...-impesso, mas nem mesmo sei se quero que ele pare de verdade.

Ele segura minhas mãos apenas com uma das suas, e com a outra, abre meu feixe. Meus seios são revelados e eles parecem mais duros e ansiosos pelo seu toque. Fico envergonhada e abraço ele.

-Deus, jieun...- ele murmura colando mais nossos corpos. Sinto seu cheiro bom e me aconchego ainda mais em seu colo. Meus seios tocam seu peitoral ,e ele pragueja baixo.

Ele serpenteia suas mãos em minhas costas e acaricia o local gentílmente.

Ele afasta um pouco nossos corpos e suas mão saem da minha cintura e se movem até meus seios. Apertando-os fortemente. 

-jiyong- sussurro e deixo ele brincar com meus seios. Tocando e massageando. Me causando uma explosão. Uma chama parece se ascender em meu corpo. Algo está formingando entre minhas pernas.

-gostosa- ele sussurra baixo no meu ouvido e eu deixo escapar um gemido.

Nossos beijos se tornam mais quentes e ferozes. Eu já estou fora de mim.

-hmm

-Vamos parar por aqui, já chega- ele fala ofegante e cobre meus seios novamente com o cobertor.

Percebo o que estava acontecendo e coro violentamente quando penso em tudo que aconteceu.

-Eh, eu...estou indo agora- me despeço e saio correndo.

.

.

.

AHHHHHHHHHHH

ELE VIU MEUS SEIOS!!!! 😱😱😱😱

O que eu vou fazer????? 

Que vergonha. Não vou conseguir encará-lo.

Como deixei aquilo acontecer?

Eu estou aqui trancada no quarto ja faz algumas horas. Tomei banho e me troquei.

Já é noite e quase hora do jantar.

Ouço batidas na porta e me assusto.

-Jieun, o jantar está pronto- ele diz normalmente.

ELE ESTÁ FINGINDO QUE NADA ACONTECEU!!!

OKAY ENTÃO, NADA ACONTECEU!

Desço envergonhada e jantamos em silêncio.

(...)

Quando já era hora de dormir. Ponderei se ele dormiria no meu quarto novamente e corei violentamente.

Nesse momento eu estou na cozinha bebendo água e ele está sentado preguiçosamente no sofá. Assistindo o que parece ser uma série sobre monstros. Ele parece entretido.

Não vou perguntar a ele.

Subo até meu quarto silenciosamente e me deito.

Tento dormir.

Tento esquecer.

Tento dormir.

Tento esquecer.

Tum tum

Tum tum

Não consigo!

Será que ele também lembra?

Mas você nunca ficará só.
Ficarei com você da noite até amanhecer
Ficarei com você da noite até amanhecer
Amor, eu estou bem aqui
Vou te segurar quando tudo der errado
Ficarei com você da noite até o amanhecer 
Ficarei com você da noite até o amanhecer
Amor, eu estou bem
aqui


Notas Finais


AHHHHHHHHHH
NÃO ME MATEM
COMENTEM O QUE ACHARAM POR FAVOR. ❤❤❤❤❤
EU SOU UMA MERDA TENTANDO ESCREVER HOT, né non?
Mdkskskals
O que acharam? Por favor, me digam!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...